Tag: trafico atlantico

    amistad

    ‘Amistad’: O navio negreiro, porão do liberalismo

    Flávio Ricardo Vassoler* O Amistad O navio negreiro singra através do Atlântico. Em seu porão, os cativos mal conseguem se esgueirar. A fome e as correntes os paralisam. Em meados do século XIX, a Inglaterra, polícia dos mares, havia decretado a proibição do tráfico de escravos. A mãe da Revolução Industrial queria o implemento do livre comércio e do trabalho assalariado para que suas manufaturas pudessem colonizar o mundo de um modo menos bárbaro – os feitores dão lugar aos industriais e financistas. Só faltou avisar aos ingleses que seu vastíssimo império colonial, ao longo de cujo horizonte o sol não se punha, tamanha a sua extensão de oeste a leste do planeta, não poderia participar dos primórdios do liberalismo em pé de igualdade com os gentlemen de Londres. Mas se, como quer Adam Smith, a mão invisível conduz as relações de mercado a um bom termo de equilíbrio, a vista ...

    Leia mais
    santa catarina escravos

    Santa Catarina no Atlântico Negro – Por Beatriz Gallotti Mamigonian

    Protagonismo e transformações culturais marcam a presença africana no Estado Em 1940, o cenário rural da Ilha de Santa Catarina guardava sinais da presença das atividades agrícolas que marcaram a economia do litoral no século 19 e dos africanos e afrodescendentes Por Beatriz Gallotti Mamigonian * A foto da família negra no interior da Ilha de Santa Catarina surpreende qualquer um. Tirada por Edla von Wangenheim no Rio Vermelho, provavelmente no início da década de 1940, mostra uma mulher com três crianças diante de sua casa de pau a pique e uma vizinha, aparentemente mais velha, diante da segunda casa, onde outra pessoa aparece na janela. As casas ficam na beira da estrada de areia e os paus fincados no chão delimitam o que pode ser a horta da primeira casa. Há bananeiras nos fundos, e provavelmente roças por perto. Talvez a construção de telhado rebaixado ao lado da primeira ...

    Leia mais
    blank

    Inventário dos Lugares de Memória do Tráfico Atlântico de Escravos e da História dos Africanos Escravizados no Brasil

    O trabalho de organização do Inventário dos Lugares de Memória do Tráfico Atlântico de Escravos e da História dos Africanos Escravizados no Brasil foi coordenado pelo Laboratório de História Oral e Imagem (LABHOI) da Universidade Federal Fluminense, em parceria com o Comitê Científico Internacional do Projeto da UNESCO “Rota do Escravo: Resistência, Herança e Liberdade”. Reúne 100 Lugares de Memória e foi construído a partir da indicação e contribuição de diversos historiadores, antropólogos e geógrafos do país, após consultas e intensas trocas de informações. Sem essa generosa contribuição, inclusive na redação preliminar dos verbetes e indicação da bibliografia ou fontes de referência, não teria sido possível a reunião desse amplo material. O avanço da pesquisa histórica sobre o tráfico e a escravidão em nosso país permitiu a reunião dessas 100 indicações, mas temos certeza que estamos longe de esgotar o Inventário. Esse trabalho deve ser entendido como um ponto de ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist