13 de maio é dia de encontro marcado com Carlos Moore, em Alagoas.

Por: Arísia Barros

Charles Moore Wedderburn, conhecido no Brasil como Carlos Moore nasceu e cresceu em Cuba, passou sua juventude em uma sociedade indiscutivelmente racista e em 1958, no auge da guerra civil entre Castro e Batista, ele deixou a ilha com seu pai e irmãos para morar em Nova York. Ali conheceu sua mentora, Maya Angelou, que o introduziu à vida de intelectual negro e de quem aprendeu a importância da justiça, da verdade e do comprometimento com a criação de um mundo melhor. Ao abandonar, definitivamente, a ilha de Cuba passou 34 anos no exílio. Passou mais da metade de sua vida como exilado político em muitos países do mundo. Não aceitou o racismo vigente em seu país. Carlos Moore é um ativista na luta emancipadora dos povos africanos ou da origem africana de todos os povos do planeta.

O cientista político recebeu formação interdisciplinar (Etnologia, Sociologia, História, Antropologia) na Universidade de Paris-7 (França), na qual ele obteve dois Ph.Ds, inclusive o prestigiado Doutorado de Estado.Grande conhecedor da trajetória de ícones da luta negra pelo mundo, com os quais conviveu em diferentes países, como o nigeriano Fela Anikulapo Kuti , o gênio da música negra mundial , um dos artistas populares mais criativo e polêmico de toda a história e considerado, hoje, uma espécie de “Bob Marley” do continente negro

Segundo Moore, Fela Anikulapo Kuti foi um dos grandes ativistas e pensadores do panafricanismo no século XX, um músico extraordinário que desenvolveu o incrível afro-beat. Carlos Moore é o biógrafo oficial de Fela.

Conviveu com um dos maiores ícones da literatura caribenha e da luta contra o racismo, o poeta martinicano Aimé Césaire. O primeiro fundador da Negritude, movimento que revolucionou as relações raciais no século XX.

Aimé Césaire promoveu o sentimento de “afirmação de ser negro e o orgulho disso”,.

Esteve na trajetória do líder negro Malcolm X e de Cheikh Anta Diop (o cientista senegalês que mudou o ensino da história mundial), de Abdias do Nascimento , um dos maiores ícones brasileiros na luta pela igualdade racial e direitos humanos e de Lélia Gonzalez historiadora, antropóloga e filósofa, elaboradora de pontos importantes para o desenvolvimento de um pensamento político negro e feminino/feminista.

O professor doutor Charles Moore ( Carlos Moore) ministra palestra, em Alagoas na Sessão Pública: Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo,que acontece na Assembléia Legislativa, como parte integrante do “Ìgbà” – II Seminário Afro-Alagoano: “A África que incomoda” .

O Seminário nasce de uma parceria entre o movimento social negro alagoano, Projeto Raízes de Áfricas e diversas instituições: Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, Assembléia Legislativa, no mandato do deputado estadual João Henrique Caldas, Assessoria Internacional da Universidade Federal de Alagoas, Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, Polícia Civil, Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, Fundação Municipal de Ação Cultural e Federação do Comércio do estado de Alagoas.

Autor de cinquenta e cinco artigos publicados sobre questões internacionais, Charles/Carlos Moore lança dia 13 de maio: “A África que Incomoda”.

A entrada é franqueada ao público e para solicitar inscrição basta mandar um e-mail pararaí[email protected]ções: (82)8815-5794/8827-3656.Certificação de 05 horas.

 

Fonte: Cada Minuto

+ sobre o tema

Grávida, Taís Araújo diz que não consegue nem sentir cheiro de peixe

 Taís Araújo quase se livrou dos enjoos da gravidez,...

Os cosplays dessa verdadeira artista estão conquistando o Instagram

Se você ainda não conhece Kiera Please agora é...

Criolo apresenta ao mundo a ‘humanidade’ da sua música

Neste episódio da série da BBC que revela os...

para lembrar

CUBATÃO: Comemora Consciência Negra

Cubatão somos todos nós -   O Brasil...

Um encontro familiar em A Outra África

Enfileiradas, quatro réplicas dos profetas esculpidos por Aleijadinho dão...
spot_imgspot_img

Rihanna já tem atriz favorita para possível cinebiografia

Rihanna está se antecipando em relação a como quer ser vista, caso sua história venha a ser uma cinebiografia em algum momento do futuro. A cantora...

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

 Interprete da trilha sonora da novela Renascer, Xenia França participa do disco de José James

Vencedora do Grammy Latino de 2023 com seu disco "Em nome da Estrela" e intérprete da canção “Lua Soberana”, trilha sonora da novela Renascer...
-+=