quarta-feira, setembro 28, 2022
InícioEducaçãoEnsino de História e Cultura Africana e Afro-brasileiraAlagoas: Governo realiza capacitação de projeto "A Cor da Cultura"

Alagoas: Governo realiza capacitação de projeto “A Cor da Cultura”

Alagoas é o primeiro Estado do País a realizar a capacitação do projeto A Cor da Cultura para professores quilombolas. Segundo o gerente Afro-Quilombola da Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos (SEMCDH), Amaurício de Jesus, a inclisão deste público no treinamento – que começou nesta terça-feira (16) e segue até a sexta (19) – tem como objetivo promover a educação em comunidades de afrodescendentes.

Além dos dez quilombolas educadores, vindos de sete municípios, também participam do curso, que tem carga horária de 40 horas e é realizado no Centro de Formação dos Profissionais da Educação (Cenfor/Cepa), 30 professores da rede estadual. Ao término da formação, todos eles atuarão como multiplicadores em suas escolas, formando outros professores até que o ensino seja aplicado aos alunos.

A coordenadora do projeto, Ana Paula Brandão, explica que, à medida que os multiplicadores repassarem a formação a outros profissionais, as escolas passarão a receber o kit completo sobre o tema. Segundo ela, a estimativa é que 300 escolas de Alagoas recebam o material, que contém epsiódios de TV com séries aplicáveis do ensino infantil ao ensino médio, cadernos pedagógicos com textos e atividades sobre o racismo, mine-glossário, CDs e mapas.

“A formação, bem como o material fornecido, tem como objetivo aplicar a Lei 10.639, que prevê a inclusão do tema na grade curricular da rede de ensino, e destacar a cultura africana dentro das escolas, o local mais profícuo de discussão. Temas como identidade, cultura, diversidade e preconceito serão tratados de forma mais concreta. De posse do material, o professor poderá incluir a temática em seu plano de aula, independente de sua disciplina”, ressaltou Ana Paula.

Para o gerente Afro-Quilombola da SEMCDH, a inclusão do estudo da cultura afro-brasileira nas escolas ajudará na construção de um País que valoriza e admite a importância da cultura afro e, desta forma, contribuirá para auto-estima da população negra. “O kit disponibilizado pelo projeto é de ação dinâmica e lúdica. A africanidade, com sua cultura, religiosidade e tradições são bem explorados”, disse Amaurício de Jesus.

Plano de aula: Kit A Cor da Cultura para Professor

Uma das palestrantes, a professora de história vinda do Rio de Janeiro Lúcia Silva contou que já trabalhava a temática do negro em suas aulas mesmo antes da lei, mas apenas sob a ótica da escravidão. “Com a lei, a preocupação deixou de ser apenas inserir o tema, mas como inserí-lo. Eu precisava trabalhar a igualdade, a pluralidade, o preconceito e a cultura africana, não apenas a escravidão”, disse.

Estados beneficiados com formação

A formação beneficiará Alagoas, Bahia, Brasília, Ceará e Paraíba, que estão entre os estados brasileiros com maior índice de violência contra jovens negros, relatou a coordenadora do projeto, Ana Paula Brandão.

Segundo a superintendente de Políticas Públicas de Cidadania e Direitos Humanos da Secretaria da Mulher, Hélia Paz, o papel do órgão é promover a garantia dos direitos contra a violência. “A preocupação maior é contra o preconceito. Não podemos dizer que somos de uma raça ou outra, pois somos uma mistura. Este momento de formação é um diferencial e um divisor de águas para o educador e para todo o Estado de Alagoas”, completou.

A próxima formação já está marcada e acontece de 26 a 30 de setembro, com a mesma equipe de formadores. A capacitação também será para 40 pessoas, sendo 30 educadores e 10 integrantes de movimentos sociais.

O projeto A Cor da Cultura é fruto de uma parceria entre Ministério da Educação (MEC), Centro de Informação e Documentação do Artista Negro (Cidan), Rede Globo, Canal Futura, Petrobrás, Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) do governo federal e Fundação Palmares.

Para realização em Alagoas, o projeto obteve a parceria da Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos (SEMCDH) – por meio da superintendência de Políticas Públicas de Cidadania e Direitos Humanos – e da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE).

Fonte: Aqui Acontece

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench