Amílcar Cabral líder africano

Enviado por / FonteDo Jornal de Angola

Afonso Van-Dúnem “Mbinda” considerou Amílcar Cabral um “ícone do nacionalismo moderno”. O secretário do bureau político do MPLA para as Relações Internacionais, que falava domingo durante um fórum internacional para assinalar o 40º aniversário da morte do “pai” das independências da Guiné-Bissau e de Cabo Verde, na cidade da Praia, referiu-se a Amílcar Cabral como “proeminente líder africano e mundial”.

O dirigente do MPLA felicitou a Fundação Amílcar Cabral pela organização do fórum, que decorreu sob o lema “Por Cabral Sempre”, sublinhando que a iniciativa atesta o compromisso de “manter viva a filosofia humanista deste grande filho de África”, o qual, frisou, “não é justo retratá-lo no espaço restrito de Cabo-Verde e da Guiné-Bissau”.

O fórum decorreu em torno de três grandes temas: “O pensamento de Amílcar Cabral na perspectiva contemporânea”; “Cabo Verde – Os caminhos do futuro, desafios e perspectivas”; e “Questões do mundo global – integração e interdependências”.

Na sua intervenção, Afonso Van-Dúnem “Mbinda” falou do contributo de Amílcar Cabral para a libertação das ex-colónias portuguesas em África, através da produção literária, dos movimentos de contestação, das greves e da desobediência civil, das organizações sócio-culturais e da acção clandestina.

O representante do MPLA falou também da passagem de Amílcar Cabral por Angola, realçando a sua participação nas reuniões clandestinas que culminaram com a criação do Partido de Luta Unida dos Africanos de Angola (PLUAA), nos encontros de organização e acção política, ao lado de Deolinda Rodrigues e Noé da Silva Saúde, e no manifesto do MPLA em 1956. “Existem hoje espalhadas pelo Mundo muitas fontes dispersas que reportam a intensa actividade política e patriótica que Amílcar Cabral desenvolveu em prol da libertação dos nossos povos e países”, disse Afonso Van-Dúnem “Mbinda”, sublinhando que “tais fontes reflectem claramente a sua dimensão como africanista”

História comum

Além do fórum estavam igualmente previstos outros eventos destinados a assinalar em Cabo Verde o dia da morte de Amílcar Cabral e, em Setembro próximo, os 90 anos do nascimento do líder histórico do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Quando se referia às fontes de preservação da memória, Afonso Van-Dúnem “Mbinda” destacou os arquivos da própria Fundação Amílcar Cabral, que é presidida pelo antigo presidente de Cabo Verde, Pedro Pires, a Torre do Tombo, em Portugal, o Arquivo Histórico Nacional e o Centro de Documentação e Investigação Histórica do Comité Central do MPLA, em Angola.

Afonso Van-Dúnem “Mbinda” aproveitou a ocasião para relançar a proposta de criação de um Arquivo Histórico Comum dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, feita em 2001 pelo Presidente José Eduardo dos Santos, durante a cimeira dos Chefes de Estado e de Governo dos PALOP. “Vai ser uma garantia da preservação do espólio documental sobre este período importante da luta de libertação”, defendeu.

Mais sobre Amilcar Cabral

 

+ sobre o tema

Produção cultural nega diversidade racial do País, diz cineasta

Em debate da Comissão de Educação e Cultura sobre...

Avô da literatura africana, Chinua Achebe morre aos 82 anos

Reportagem de Tim Cocks O romancista e poeta...

Atletismo: Usain Bolt sofre pequeno acidente de carro sem consequências

Kingston, Jamaica, 10 jun (Lusa) -- O jamaicano...

Alaide Costa

Alaíde Costa Silveira Mondin Gomide nasceu no Rio de Janeiro...

para lembrar

Manchas e quelóides são mais comuns na mulher negra

Apesar de ser mais firme e elástica, a pele...

Lia de Itamaracá será enredo de escolas de samba do Rio e de São Paulo no carnaval de 2024

A cirandeira pernambucana Lia de Itamaracá vai virar enredo de duas...

Demolição já! Chega de invasões ao Terreiro da Casa Branca!

O Terreiro da Casa Branca, um dos mais antigos...

Uma surpresa para Mukhtar

"Em Copenhagen, na Dinamarca,um motorista de ônibus Somaliano...
spot_imgspot_img

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta pela primeira vez no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...
-+=