Angelina Jolie retira ovários após serem detectados sinais de câncer

Angelina Jolie, 39, fez uma cirurgia na semana passada para retirar seus ovários e trompas de falópio depois que os médicos detectaram sinais precoces de câncer. A atriz americana, que já sabia que tinha um alto risco de ter a doença, compartilhou a decisão em um artigo para o jornal “The New York Times” desta terça-feira (24), intitulado “Angelina Jolie Pitt: Diário de uma Cirurgia”.

Do Uol

“Dois anos atrás eu escrevi sobre a minha escolha de fazer uma dupla mastectomia preventiva. Um simples exame de sangue revelou que eu carregava uma mutação no gene BRCA1. Ele me deu uma estimativa de risco de 87% do câncer de mama e um risco de 50% de câncer de ovário. Perdi minha mãe, avó e tia para o câncer”, escreveu a atriz. Sua mãe, Marcheline Bertrand, morreu em 2007, aos 56 anos, em virtude de um câncer no ovário.

No artigo, a atriz revela que o procedimento havia sido planejado previamente e, embora seja menos complexa do que a sua mastectomia, os “efeitos são mais graves”, porque “põe a mulher em menopausa forçada”.

Ao descobrir que havia possibilidade de ter um câncer, Jolie ligou para o marido, o ator Brad Pitt, que lhe garantiu apoio para fazer a cirurgia. Ela narrou que tomou a decisão por já ter tido casos de morte por câncer na família.

“Eu passei [pela cirurgia] porque eu imagino como milhares de outras mulheres se sentiram. Eu disse a mim mesma para ficar calma, ser forte, e que eu não tinha nenhuma razão para pensar que eu não viveria para ver meus filhos crescerem e para ter os meus netos “, disse ela, que ainda contou que não poderá ter mais filhos por conta do procedimento: “Apesar dos hormônios que estou tomando, entrei na menopausa. Não poderei ter mais filhos, e devo sofrer algumas mudanças físicas. Mas me sinto tranquila com o que vier, não porque sou forte, mas porque é parte da vida. Não é algo que eu deva temer”.

“Não é possível remover todos os riscos e o fato é que eu permanecerei propensa ao câncer. Vou procurar maneiras naturais para fortalecer o meu sistema imunológico. Eu me sinto feminina, e alicerçada nas escolhas que eu estou fazendo para mim e para minha família. Sei que meus filhos nunca vão dizer: ‘Mamãe morreu de câncer de ovário'”, escreveu a atriz, que é mãe de seis filhos com Pitt: Maddox, Zahara, Pax, Shiloh, Knox e Vivienne.

Jolie conclui: “Não é fácil tomar estas decisões. Mas é possível assumir o controle e enfrentar de frente qualquer problema de saúde. Você pode buscar aconselhamento, estudar as opções e tomar as decisões que são apropriadas para você. Conhecimento é poder”.

Mastectomia preventiva

Angelina Jolie revelou em 2013 que fez uma dupla mastectomia para reduzir os riscos de sofrer câncer de mama. Em um artigo para o jornal “The New York Times”, intitulado “Minha Escolha Médica”, a atriz disse que tinha 87% de chances de desenvolver câncer de mama. “Decidi ser proativa e reduzir o risco o máximo que eu podia”, escreveu ela na ocasião.

Ela afirmou que o processo de retirada dos seios durou quase dois meses, com a reconstrução dos seios usando implantes. “Houve muitos avanços nesse procedimento nos últimos anos, e os resultados finais podem ficar bonitos”, escreveu a atriz em seu artigo

*Com informações das agências AFP e BBC

Leia também

“Tudo que quero é que ela tenha uma vida longa e saudável” diz Brad Pitt

+ sobre o tema

Leonardo Sakamoto explica os desafios no combate ao trabalho infantil

  Em outubro, o Brasil vai receber a III Conferência...

Denúncias contra violações de direitos humanos pode ser feitas pelo Whatsapp

O Revista Brasil desta segunda-feira (09) falou sobre mais...

Ensaio sobre imprensa, ativismo e mídias sociais

  Primeiro, quero deixar claro que neste ensaio...

para lembrar

Estudo europeu mostra benefício da cirurgia no tratamento do câncer de próstata

Estudo Europeu Escandinavo mostra dados extremamente relevantes na tomada...

Saúde: 307 crianças ianomâmis desnutridas foram resgatadas em 2023

Ao longo do ano de 2023, 307 crianças ianomâmis diagnosticadas com...

Programa com apoio da ONU quer garantir 3.000 lideranças negras até 2030

A 99jobs colocou no ar plataforma que servirá de...

“Somos vistos como estrangeiros no nosso país”

Do lado de fora do Supremo Tribunal Federal (STF),...
spot_imgspot_img

Evento do G20 debate intolerância às religiões de matriz africana

Apesar de o livre exercício de cultos religiosos e a liberdade de crença estarem garantidos pela Constituição brasileira, há um aumento relevante de ameaças...

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...
-+=