A boa política

Os recentes acontecimentos na Câmara dos Deputados nos fazem revisitar o memorável Barão de Itararé ao descrever a cena política brasileira da década de 20. Dizia ele: “Tudo seria fácil se não fossem as dificuldades”. Tão atual, impossível.

Por Jandira Feghali no Jornal do Brasil 

O Parlamento brasileiro sempre se deparou com obstáculos dos mais variados e um novo capítulo se inaugura. Um capítulo repleto de adversidades para os que defendem políticas públicas progressistas.

A eleição da presidência da Câmara, além de reforçar as análises de uma composição bastante conservadora desta Legislatura, impõe barreiras duras às pautas progressistas, principalmente aquelas defendidas pelos partidos de esquerda. Entram neste enredo os principais ingredientes de uma democracia forte, como a reforma política, a regulação da mídia, as bandeiras dos movimentos sociais de gênero, raça, LGBT, do mundo sindical e sobre liberdades individuais.

Este é o momento de recompor a base aliada da presidenta Dilma Rousseff, formada hoje por partidos não necessariamente adeptos do projeto iniciado por Lula em 2002. Fortalecer esse campo dentro da Câmara é reforçar o coro da sociedade sobre demandas fundamentais, pressionando o novo presidente a atuar em sintonia com essas vozes e não no atendimento a interesses próprios ou de poderosos conglomerados.

É um presidente que flerta com a oposição desde o ano passado, ora ameaçando, ora anunciando apoio ao Governo Federal e que precisa ser constantemente lembrado das obrigações inerentes ao cargo que ocupa – a condução imparcial dos trabalhos é uma delas. A relação do Legislativo com o Executivo deve ser pautada pelas demandas da sociedade, e o Governo não pode se tornar refém de um Poder que atue por outros interesses senão os republicanos.

JandiraFeghali

Ainda que seja difícil presumir, a trajetória da Casa – com um dos perfis mais conservadores desde a Constituinte – precisará de muita pressão popular para abrir estes caminhos. Deve vir do povo a direção, mesmo com uma opinião pública ainda moldada pela grande mídia oligopolizada e anti-democrática.

Fortalecer os canais com a sociedade será benéfico aos partidos de esquerda e a todos os parlamentares tidos como progressistas, engajados em lutas com bandeiras éticas e avançadas. Afinal, o que será da Câmara sem que se promovam os grandes embates sobre os mais polêmicos temas? É no debate de ideias de alto nível que avançamos.

A partir de agora, é exigido de todos nós mais coragem neste enfrentamento, sem flexibilizar princípios. Isso, jamais. A Câmara caminha para que se prevaleça um perfil dantesco, mas a bancada comunista nunca fugiu ao bom combate. É preciso acreditar nos sonhos, com os pés firmes no chão, para impedir retrocessos e avançar. Junte este força à luta da boa política e a participação ativa da sociedade organizada e conquistaremos as vitórias que quisermos. Juntos.

*Médica e líder do PCdoB na Câmara dos Deputados

+ sobre o tema

É sórdido condenar vítima de estupro por aborto

É sórdido e apequena a política o Projeto de...

Geledés repudia decisão da Câmara sobre aborto

Geledés – Instituto da Mulher Negra vem a público...

Mulheres vão às ruas contra PL que equipara aborto a homicídio; confira locais dos atos

Mulheres vão às ruas de diversas partes do país...

Taxação dos super-ricos tem que ser encarada de frente, diz Neca Setubal

Maria Alice Setubal diz que não saiu ilesa daquele 2014....

para lembrar

Lula terá o que mostrar em Genebra

NOSSO GUIA desembarca hoje em Genebra para o aniversário...

Quantos dias o Iguatemi aguentaria fechado? – Por Saul Leblon

Há 57 anos, uma negra chamada Rosa Parks deu...

Arte como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência | Artes Visuais

Com o objetivo de movimentar a economia criativa de...

Lula diz que Brasil foi governado por pessoas com ‘inteligência colonizada’

Segundo presidente, hoje país respeita os EUA, mas tem...

Salário menor na advocacia é mais frequente entre mulheres e negros

A proporção de advogados na menor faixa salarial da categoria é maior entre negros e mulheres, segundo levantamento da OAB (Ordem de Advogados do Brasil) que...

Insegurança alimentar na infância afeta desenvolvimento socioeconômico do país

Com os R$ 150 que sobram após pagar as contas, Brenda Ketlin, 24, consegue comprar pão, arroz e feijão. Essa se tornou a base...

Lei que implantou escola cívico-militar em SP fere modelo educacional previsto na Constituição, diz PFDC

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão do Ministério Público Federal (MPF), alerta que a lei do estado de São Paulo que...
-+=