Chadwick Boseman, astro de ‘Pantera Negra’, morre aos 43 anos

Enviado por / FonteDo G1

O ator Chadwick Boseman morreu aos 43 anos. Conhecido por interpretar o Pantera Negra no filme da Marvel, além de personagens importantes da história americana, ele enfrentou um câncer de cólon diagnosticado em 2016.

“É com imensurável pesar que confirmamos a morte de Chadwick Boseman. Chadwick foi diagnosticado com câncer de cólon de estágio 3 em 2016, e lutou contra ele nestes últimos quatro anos conforme progrediu para estágio 4”, afirmou a família do ator em seu perfil no Twitter.

“Um verdadeiro lutador, Chadwick perseverou por tudo, e trouxe a vocês muitos dos filmes que tanto amam. De ‘Marshall: Igualdade e Justiça’ a ‘Destacamento Blood’, ‘Ma Rainey’s Black Bottom’ de August Wilson e muitos mais, todos foram gravados durante e entre incontáveis cirurgias e quimioterapia. Foi a honra de sua carreira trazer à vida o rei T’Challa em ‘Pantera Negra’.”

De acordo com a nota, ele morreu em sua casa, acompanhado da mulher e da família. Ele nunca tinha falado sobre a doença publicamente.

Nascido na Carolina do Sul, o americano Chadwick Aaron Boseman começou a carreira na televisão, com um pequeno papel na série “Parceiros da Vida”.

Depois de participações em séries como “Lei & Ordem” e “Plantão médico”, ele ganhou seu primeiro papel regular em “Lincoln Heights”, em 2009.

Seu primeiro personagem de destaque no cinema veio como o protagonista de “42: A História de uma Lenda” (2013).

No filme baseado em fatos, interpretou o jogador de beisebol Jackie Robinson, que em 1947 se tornou o primeiro negro a entrar para um time da principal competição dos Estados Unidos, a Major League Baseball.

Chadwick Boseman interpretou o jogador de baseball Jackie Robinson no filme “42”; na foto, ator posa na premiere do filme em 2013 (Foto: Chris Pizzello/Invision/AP)

O papel marcaria uma carreira repleta de personagens importantes da cultura negra americana, como o cantor James Brown, em “Get on Up: A História de James Brown” (2014), e o juiz Thurgood Marshall, primeiro membro negro da Suprema Corte americana, em “Marshall: Igualdade e Justiça” (2016).

Ainda em 2016, ele estreou no papel pelo qual seria mais lembrado. Em “Capitão América: Guerra Civil”, Boseman apareceu pela primeira vez como T’Challa. Criado pela Marvel em 1966, o Pantera Negra foi o primeiro super-herói negro dos quadrinhos americanos.

Dois anos depois, estrelou seu próprio filme, “Pantera Negra”. Sucesso com crítica e com o público, a história do herói de um reino africano fictício e avançado bateu a marca do US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais, ganhou três Oscar e foi indicado a outros quatro — entre eles, o de melhor filme.

Chadwick Boseman, astro de ‘Pantera Negra’, em foto de março de 2018 (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP, File)

Representatividade

Em 2018, a reportagem do G1 acompanhou uma sessão de ‘Pantera Negra’ com jovens negros em um shopping de Niterói, no Rio de Janeiro.

“Desde criança nunca vi um herói negro, uma heroína negra. Nunca me senti representado. Hoje estou muito feliz e penso nas crianças que vão se sentir representadas”, disse na ocasião o estudante Lucas Adeniran.

+ sobre o tema

Angolano Ondjaki Ndalu vence prémio brasileiro Jabuti na categoria juvenil

Ondjaki Ndalu é o primeiro autor angolano a ser distinguido...

A África pode ser o próximo Bric

Por: JIM O'NEILL O progresso do Egito e da...

Tambor de crioula, reconhecido como patrimônio cultural imaterial brasileiro

Tambor de crioula, reconhecido como patrimônio cultural imaterial brasileiro,...

para lembrar

Quem é o ‘absurdo’ Russo Passapusso, a voz do BaianaSystem

Ao longo das duas horas de entrevista por telefone...

1ª mulher em uma nota de dólar é ex-escrava e bateu primeira-dama

Pela primeira vez na história dos Estados Unidos, uma...

Walter Pinheiro quer aprofundamento de políticas de combate ao racismo

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) defendeu nesta quarta-feira (23)...
spot_imgspot_img

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...
-+=