Conferência, em Alagoas, aprova por unanimidade Moção de Aplauso a Ministra Luiza Bairros

por Arísia Barros

Aproximadamente 244 delegadas, representantes dos movimentos sociais e do governo se reuniram na III Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres, coordenada pela Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humano, tendo a frente a Secretária Kátia Born..

Realizada dia 10 de outubro, no Auditório Virgínio Loureiro, no Centro de Cultura e Exposições Ruth Cardoso, em Maceió, as e os participantes debateram as políticas públicas regionais voltadas à construção da igualdade, tendo como perspectiva o fortalecimento da autonomia econômica, social, cultural e política das mulheres.

No final da Conferência foram aprovadas moções, dentre elas a moção de Apaluso a ministra Luiza Bairros, da Igualdade Racial.

“As mulheres e homens reunidos na plenária final da 3ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres, ocorrida dia 10 de outubro, em Maceió, estado de Alagoas, considerando a brilhante iniciativa em prol da construção de uma cultura de mídia igualitária, democrática e não reprodutora de estereótipos de gênero, com a dimensão etnicorracial, da identidade sexual e relacionados aos aspectos geracionais, resolve:

Parabenizar a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Senhora Luiza Bairros, que a partir da mobilização do movimento negro brasileiro, impulsionou a empresa Caixa Econômica Federal a rever o conceito de branquitude aplicado ao escritor Machado de Assis, nascido não-branco, em peça publicitária veiculada em todo território nacional, descaracterizando assim, aspectos identitários da história oficial do Brasil.

Hoje (segunda-feira, 10 de outubro) a Caixa Econômica Federal começou a veicular uma peça publicitária que expressa a determinação e unidade de luta do movimento negro brasileiro quando em uma abertura emblemática o ator negro enfatiza que:”em respeito ao povo brasileiro”, apresentamos Machado de Assis, caracterizado como um homem negro!

Fonte: Raízes da África

+ sobre o tema

Dilma critica “viúvos da estagnação”

Por: SIMONE IGLESIAS e LARISSA GUIMARÃES   Em discurso...

Eleição tem mais brancos que a proporção da população brasileira

A maioria dos candidatos das eleições deste ano se...

Você concorda? Receber presentes caros de empregadora mais velha não comprova estelionato

Por Maria Augusta Carvalho “A mulher não pode mais ser tratada,...

Marina Silva diz que manterá política econômica caso seja eleita

A pré-candidata a presidência da República, Marina Silva (PV),...

para lembrar

10 lições para uma educação antirracista

No mês em que se celebra a Consciência Negra, Geledés Instituto da...

Sônia Nascimento – Vice Presidenta

[email protected] Sônia Nascimento é advogada, fundadora, de Geledés- Instituto da...

Suelaine Carneiro – Coordenadora de Educação e Pesquisa

Suelaine Carneiro suelai[email protected] A área de Educação e Pesquisa de Geledés...

Sueli Carneiro – Coordenadora de Difusão e Gestão da Memória Institucional

Sueli Carneiro - Coordenação Executiva [email protected] Filósofa, doutora em Educação pela Universidade...

10 lições para uma educação antirracista

No mês em que se celebra a Consciência Negra, Geledés Instituto da Mulher Negra e o Instituto Alana lançam a pesquisa “Lei 10.639/03 na prática: experiências de 6 municípios no...

Advogada de ‘caminho sem curvas’ defende ativismo e negros no Judiciário

A baiana do interior não sabia o que era televisão até os 12 anos e fez dos livros da única biblioteca da cidade o...

‘Nos EUA, até conservadores defendem que empresas que lucraram com escravidão paguem reparação’

A vida de Deadria Farmer-Paellmann mudou, nos anos 1990, quando ela se viu em um antigo cemitério de africanos escravizados, aos pés do centro financeiro...
-+=