Diversidade na Educação Reflexões e Experiências

O presente livro, publicado originalmente no Brasil pela Unesco, reúne relatos, análises e descrições de políticas públicas apresentadas durante o Seminário Internacional Educação na Diversidade.

Experiências e Desafi os da Educação Intercultural Bilíngüe, realizado na Cidade do México, em junho de 2003. Nele são apresentadas experiências de políticas educacionais dirigidas a povos indígenas em toda a América Latina, especialmente nos países de língua espanhola.

Além de complementar o livro Formação de Professores Indígenas: repensando trajetórias, volume 9 da Coleção Educação para Todos, que relata experiências semelhantes realizadas no Brasil, e tem por objetivo ampliar o debate sobre o conhecimento reunido nos dois livros e a interação com as políticas que vêm sendo desenvolvidas por esses outros países, fortalecendo e ampliando o intercâmbio na institucionalização da Educação Escolar Indígena1.

Essa articulação interamericana é imprescindível, uma vez que, nas regiões fronteiriças de nosso país, existem povos indígenas cujos territórios extrapolam as fronteiras nacionais. Esse é o caso dos Yanomami (Brasil e Venezuela), Tukano (Brasil e Colômbia), Ticuna (Brasil, Colômbia e Peru), Chiquitano (Brasil e Bolívia), Guarani (Brasil, Argentina, Paraguai, Bolívia, Uruguai), Ashaninka (Brasil, Peru, Bolívia), Macuxi (Brasil e Guiana) entre tantos outros, o que está a exigir políticas públicas coordenadas que considerem as dinâmicas sociais e interativas entre os povos.

No Brasil, os direitos políticos, culturais e educacionais conquistados pelos povos indígenas, por meio de suas lutas e resistências, afi rmados na Constituição Federal de 1988, constituem um instigante desafi o para as políticas públicas. Isso porque, além de reverter séculos de políticas e projetos homogeneizantes, anuladores das identidades e diferenças étnicas, é preciso transformar mentalidades, concepções e práticas estatais, levando em consideração novos paradigmas legais e conceituais, que estão possibilitando processos de democratização de nossa sociedade e reduzindo desigualdades sociais produzidas e reproduzidas pela exclusão de segmentos sociais portadores de identidades contrastantes.

Além dos objetivos já explicitados, a Secad/MEC espera, com este livro, estar contribuindo para o diálogo entre os países latino-americanos, tanto pela difusão de experiências exitosas quanto pela oferta de subsídios para o fortalecimento de nossas políticas educacionais dirigidas aos povos indígenas. 

Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação 

+ sobre o tema

para lembrar

Seminário sobre educação recebe inscrições até o dia 24 de outubro

A Comissão de Educação, Cultura e Esportes realiza no...

Inscrições para o Enem começam segunda-feira

O MEC informou que será necessário que o estudante...

Educação: já tenho um plano! Precisamos falar sobre o PNE

Começa hoje a Semana de Ação Mundial 2019! De...
spot_imgspot_img

Geledés publica boletins sobre a Primeira Infância nos estados brasileiros

Geledés Instituto da Mulher Negra está realizando as ações da segunda etapa do projeto “Primeira Infância no Centro: garantindo o pleno desenvolvimento infantil, uma...

PL do novo PNE apresenta avanços em equidade e dá primeiro passo em financiamento, mas precisa de melhorias estruturais e traz também retrocessos

O Projeto de Lei (PL) nº 2.614/2024, que prevê um Plano Nacional de Educação (PNE) para o período de 2024-2034, apresenta avanços relacionados à...

Jovens cientistas receberão apoio de mais de R$ 21 milhões para pesquisas   

O Instituto Serrapilheira anunciou, nesta quarta-feira (26), os 33 pesquisadores selecionados em dois editais que vão injetar mais de R$ 21 milhões em ciência no Brasil. Uma...
-+=