terça-feira, setembro 21, 2021
InícioÁfrica e sua diásporaAfricanosDocumentos mostram que governo dos EUA monitorou Mandela até 2008

Documentos mostram que governo dos EUA monitorou Mandela até 2008

Milhares de páginas de documentos da inteligência dos Estados Unidos sobre Nelson Mandela foram tornadas públicas nesta quarta-feira (19), revelando que Washington continuou a monitorar o líder sul-africano como uma potencial ameaça comunista mesmo após ele ter saído da prisão em 1990.

A informação foi divulgada pelo Property of the People, um grupo que entrou com processo para obter os papéis, em homenagem aos cem anos do nascimento de Mandela, morto em 2013.

O grupo afirmou ter obtido os documentos após anos de litígio na Justiça.

“Os documentos revelam que, assim como fez nos anos 1950 e 60 com Martin Luther King Jr e o movimento dos direitos civis, o FBI investigou agressivamente os movimentos anti-apartheid norte-americanos e da África do Sul como planos comunistas que ameaçavam a segurança dos EUA”, disse o presidente do grupo, Ryan Shapiro, em comunicado.

“Pior ainda, os documentos demonstram que o FBI continuou sua investigação errônea de Mandela e do movimento anti-apartheid como ameaça comunista mesmo depois das imposições dos EUA de sanções comerciais contra o apartheid na África do Sul, depois da celebrada soltura de Mandela da prisão e depois da queda do Muro de Berlim.”

Cartas da prisão de Nelson Mandela por Sueli Carneiro

O primeiro presidente negro da África do Sul, que morreu em 2013 e permanece como um ícone global por sua luta contra o apartheid e pela sua mensagem de reconciliação depois de 27 anos na prisão, foi tratado com suspeitas por Washington durante a Guerra Fria e ficou na lista de observação de terrorismo americana até 2008.

O Congresso Nacional Africano (CNA) de Mandela está no poder desde na África do Sul desde o fim do apartheid em 1994, quando ele foi eleito presidente —ficou no cargo até 1999.

O Property of the People disse que seu acervo inclui documentos das principais agências de inteligência dos EUA, incluindo o FBI (a polícia federal americana), a CIA (agência de inteligência americana) e a NSA (Agência de Segurança Nacional), sendo que a maioria deles jamais tinha sido vista pelo público.

Os documentos do chamado “The Mandela Files” podem ser encontrados no site do grupo.

O sul da África foi alvo de disputa entre Rússia e Estados Unidos durante a Guerra Fria, principalmente porque alguns países que conquistaram a independência, como Angola e Moçambique, se alinharam com Moscou.

Celebrações foram realizadas em toda a África do Sul nesta semana para marcar o aniversário de 100 anos de Mandela, incluindo um discurso na terça-feira (17) do ex-presidente dos EUA, Barack Obama, que disse que o mundo deveria resistir ao cinismo contra a ascensão de “valentões”, em declaração que foi considerada um recado a seu sucessor, Donald Trump.

RELATED ARTICLES