Filho adotivo de pastores gays é registrado com nomes dos dois pais na certidão

Uma vitória contra o preconceito. Assim o casal de pastores homossexuais Marcos Gladstone Canuto da Silva, de 38 anos, e Fabio Inácio de Souza Canuto, de 34 anos, classifica a decisão da Justiça que garantiu ao filho Felipe, de 10 anos, que vive com eles há quatro anos, o direito de ter o nome dos dois pais no espaço destinado à filiação, em sua certidão de nascimento. O documento foi lavrado na última sexta-feira no cartório do 3° Registro Civil da Capital do Rio de Janeiro.

Por: Geraldo Ribeiro

— É um fato importante para a gente e para a sociedade, além de atender a um desejo antigo do menino, tanto que ele já escrevia seu nome acompanhado dos nossos sobrenomes — comemora Fábio Inácio, que assim como Marcos é pastor da Igreja Cristã Contemporânea, que abriga fiéis independentemente de sua orientação sexual e possui nove templos, seis deles no Rio.

Filho-de-pastores-gays-e-registrado-com-os-nomes-dos-dois-pais-na-filiacao1

Logo após receber a certidão de Felipe, Fábio escreveu em sua páguna na rede social: “A Justiça reconheceu o que o amor escolheu. Antes unidos somente pelo amor, hoje unidos e reconhecidos pela lei dos homens”. Para a vitória ficar completa, Marcos e Fábio contam agora com a conclusão do processo de adoçao de outro menino de 12 anos, que está com o casal tembém há quatro anos. O passo seguinte será a adoção de uma menina, “para completar a família.”

O sonho do casal Marcos Gladstone e Fabio Inacio sempre foi o constituir uma família com filhos como qualquer outro casal heterossexual. mas para chegar ao final feliz percorreu uma longa estrada. O primeiro passo foi regularizar a situação de ambos. Para isso, os dois se casaram praticamente quatro vezes. Em 2009, realizaram uma escritura declaratória de união homoafetiva juntamente com uma cerimônia religiosa. Em 2011, com a liberação da união estável para casais do mesmo sexo promoveram a mesma. Em 2013 com a decisão da Conselho Nacional de Justiça (CNJ) puderam converter a união estável em casamento civil, e desde então se sentem enfim realmente “casados”.

Fonte: Extra

+ sobre o tema

Arthur, transexual de 13 anos: “Acham que só quero chamar atenção”

Mesmo enfrentando preconceito e incompreensão fora de casa, o...

O discurso da tolerância como domesticação

Apenas uma sociedade profundamente intolerante pode invocar a necessidade...

Sem alarde nem preconceito Vigor aborda homossexualidade em anúncio para Facebook

Pode até ser que abordar homossexualidade em 2014 já...

Expulso de casa por ser gay, jovem divulga vídeo de briga com os pais

Pais evocam argumentos bíblicos para dizer que filho gay...

para lembrar

A culpa não é dos filhos: é do marido

Uma nova pesquisa realizada na Harvard Business School revela...

Como a paternidade mudou a vida deles

Homens dividem o que aprenderam depois da chegada dos...

Pai para que serve?

Pai é o que cria!!! Essa é uma frase...

Dia da Família é alternativa inclusiva nas escolas

Comemoração contempla diferentes composições familiares Do Terra  Quando Marcos Leme foi...
spot_imgspot_img

Machismo e patriarcado afetam não só as mulheres, mas também os homens e a crianças

O Projeto de Lei (PL) nº 1974/2021, de autoria da Deputada Sâmia Bomfim (PSOL/SP) e do Deputado Glauber Braga (PSOL/RJ), cuja tramitação pode ser...

Mais de 12 mil crianças nascidas no último ano foram registradas sem o nome do pai na Bahia

A Bahia tem 12.282 mil recém-nascidos que foram registrados sem o nome do pai entre agosto de 2022 e julho de 2023, de acordo...

Sempre quis ser ‘dono de casa’: os pais que preferem cuidar dos filhos a trabalhar fora

Pergunte a Steven Lange o que ele faz, e ele te dirá que está envolvido com start-ups. Ou que trabalha de casa. Talvez que...
-+=