Gregorio Duvivier: “Educardo Cunha é um criminoso”

Ator e escritor diz que defender a redução da maioridade penal é “não ver protagonismo e humanidade nos outros” e diz que o presidente da Câmara “tem uma história de crimes”, a exemplo da “entrada dele na política, intermediada pelo PC Farias”, e “virou um golpista profissional”; “E tem uma coisa que eu acho muito nefasta nele: ele une dois cânceres brasileiros, que são o conservadorismo religioso, dos evangélicos, e também os interesses privados na Câmara”, critica ainda

no Brasil 24/7

A redução da maioridade penal é algo que deixa Gregorio Duvivier “puto” e o faz reagir “com ódio”. Foi o que o ator e escritor, um dos criadores do grupo humorístico Porta dos Fundos, disse em entrevista à Serafina, revista da Folha. Por conta do tema, ele desferiu críticas ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), segundo ele, um “criminoso”.

“É falta de empatia, cara. Falta de você se colocar um pouquinho no lugar, não ver protagonismo nos outros, não achar que esse moleque é um protagonista da vida dele. Não ver o protagonismo no outro, não ver humanidade no outro, isso me deixa muito puto mesmo. Me deixa puto e eu acabo reagindo com ódio. Pois é, cara, eu acho criminoso. Eduardo Cunha é um criminoso mesmo”, criticou.

De acordo com Gregorio, Cunha “tem uma história de crimes”, a começar pela “entrada dele na política”, que foi “intermediada pelo PC Farias”. “Ele começou fazendo campanha para o Collor. O cara já começou no crime e, desde então, vem se especializando, em todos os sentidos. Virou um golpista profissional. O cara tem o Congresso nas mãos então vota o que quiser, quantas vezes quiser, do jeito que quiser”, disparou.

“E tem uma coisa que eu acho muito nefasta nele: ele une dois cânceres brasileiros, que são o conservadorismo religioso, dos evangélicos, e também os interesses privados na Câmara. Em geral, eles não estavam unindo as duas coisas. Ele une o lobby evangélico e o lobby das empreiteiras ao mesmo tempo. O cara representa duas fatias muito poderosas da população”, acrescentou Gregorio.

Leia aqui a íntegra da entrevista.

+ sobre o tema

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de...

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05)...

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

para lembrar

Bancada evangélica se articulou para impedir cassação de Natan Donadon

O deputado-preso foi condenado pelo desvio de verbas públicas...

A diferença entre debate de ideias e intolerância política

Jovens mobilizados e que se interessam por política não...

Uma adolescente que ensina ética e democracia

A adolescente Clara Coutinho postou um texto em sua...

Lei que amplia prazo do aviso prévio para 90 dias entra em vigor

Passam a valer a partir desta quinta-feira as novas...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do Estado emerge da catástrofe. A pandemia de Covid-19 deveria ter sido suficiente para demonstrar que...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um alerta sobre o impacto econômico e social das mudanças climáticas que atinge todo o mundo....

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2024, ano-base 2023, termina em 31 de maio. Até as 17 horas do dia 30 de...
-+=