Informe de Rosana Fernandes (CESE) sobre a Cumbre Mundial de Afrodescendentes em Honduras

A 1ª Cumbre Mundial de Afrodescendentes realizada de 18 a 20 de agosto de 2011, em La Ceiba (Honduras), foi concluída com o pedido de um Fórum Permanente de Assuntos Afrodescendentes na Organização das Nações Unidas (ONU), na OEA e na União Europeia (UE). Também foi pedido às Nações Unidas que declare a Década dos Povos Afrodescendentes no Mundo a partir do ano de 2012, incluindo as estruturas e dotações orçamentárias requeridas, e a criação do Fundo de Desenvolvimento dos Afrodescendentes.

Rosana Fernandes, assessora de projetos da CESE e delegada internacional da Cumbre Mundial de Afrodescendentes ressalta que este momento político possibilitou uma reflexão crítica sobre as condições econômicas e sociais das populações afrodescendentes, dos movimentos negros pós Durban e, da implementação dos tratados internacionais. O secretário-executivo da Cúpula, Céleo Álvarez Casildo, declarou que o evento foi um sucesso: “O mundo inteiro está escutando nossa voz. A população afrodescendente das Américas ainda sofre com o legado da escravidão e da colonização, vítima de racismo e de exploração”. E por isso a Cumbre expressa um movimento social que busca compromissos da comunidade internacional com um plano de desenvolvimento global e valorização da identidade dos povos afrodescendentes. Céleo Álvarez é dirigente da Organização Étnica de Desenvolvimento Comunitário (ODECO), organização que secretariou o evento com o apoio das Nações Unidas.

Durante a Cumbre, foram discutidos temas como saúde, educação, juventude, desemprego, discriminação racial, justiça e direito à terra, entre outros. Na Declaração de La Ceiba, da 1ª Cumbre Mundial de Afrodescendentes, os 800 delegados de mais de 44 países demandam o combate ao racismo e todas as formas de discriminação racial adotando as medidas necessárias para abolir este flagelo da humanidade; exigem que se garanta “o pleno desfrute dos direitos humanos e da cidadania dos e das afrodescendentes, e o pleno acesso à justiça às vítimas do racismo e da condenação das pessoas e instituições que violam seus direitos humanos e coletivos”. Afirmou-se também, que chegou o momento da Organização das Nações Unidas (ONU) incorporar não apenas um nono Objetivo do Milênio relacionado com a redução substancial de todas as formas de racismo, discriminação racial, xenofobia e outras formas conexas de intolerância”, como também criar um Índice de Desenvolvimento Humano com “perspectiva de raça e etnia”. Os delegados/as pediram aos Governos para que os afrodescendentes sejam incluídos plenamente nos serviços diferenciados e nos avanços nos campos de educação, saúde, habitação, emprego, renda e acessos a sistemas de financiamento e crédito, alimentação, tecnologias da informação e comunicações, cultura e processos políticos.

Ressaltou-se ainda que, a incorporação dos jovens afrodescendentes na América Latina é um desafio básico e urgente para a formulação de políticas públicas. Essa questão será aprofundada na 1ª Cúpula Mundial da Juventude Afrodescendente que será realizada em outubro na Costa Rica. 

Para Rosana Fernandes, a oportunidade dos debates e a mobilização dos diversos países demonstram a força do movimento negro. Ressalta ainda, a participação expressiva de mulheres não somente como delegadas, mas também como expositoras e debatedoras trazendo para o centro das discussões a situação das mulheres negras. A Cumbre apontou um conjunto de proposições para um desenvolvimento mundial sustentável com equidade racial.

Para a CESE, o apoio ao movimento negro no Brasil é parte da construção dos seus 38 anos de existência. O combate ao racismo e todas as formas de discriminação é condição fundamental para a construção de um mundo justo e solidário. A Cumbre possibilitou a troca de experiências e aprofundamento de discussões sobre questões de gênero e raça, o que contribuirá no aprimoramento do trabalho da CESE.

 

Fonte:  Lista Racial 

+ sobre o tema

Doente, ex-membro dos Panteras Negras é solto após 40 anos em prisão

Herman Wallace, um ex-integrante dos Panteras Negras, grupo que...

EUA: Protesto contra o genocídio da raça negra!

O pastor Walter Hoy é uma voz constante que...

Morre aos 78 anos Pai Euclides, fundador da Casa Fanti Ashanti

Euclides Menezes Ferreira ou Pai Euclides Talabyan, como é...

Conselho de Igualdade Racial faz sua primeira reunião de 2011

O calendário e as atividades para o ano do...

para lembrar

Naomi Campbell adere a campanha contra o racismo nas passarelas

Bethann Hardison, conhecida como guru do universo fashion, lançou...

Orlando Silva cobra pressa de São Paulo para não perder jogos da Copa 2014

Ministro do Esporte diz que cidade está no limite...

Lima Barreto, um Intelectual Negro na Avenida Central

Autora: CELI SILVA GOMES DE FREITAS Filiação Institucional: UERJ Suas crônicas espelham...
spot_imgspot_img

Festival literário propõe amor e diversidade como antídotos ao extremismo

O Festival Literário Internacional de Paracatu - Fliparacatu - vai colocar no centro do debate o amor, a literatura e a diversidade como pilares...

Festival Negritudes celebra a diversidade e a representatividade nas telas

A quarta edição do Festival Negritudes Globo aconteceu nesta quinta-feira (18), no Centro Histórico de Salvador. Foi a primeira vez que a cidade sediou...

O atleta negro brasileiro que enfrentou o nazismo nas Olimpíadas de 1936

A poucos dias da abertura dos Jogos Olímpicos de Paris, em uma Europa cada vez mais temerosa com a agenda política de forças alinhadas...
-+=