Magic Johnson declara apoio ao filho homessexual e rechaça preconceito

Ex-astro da NBA fala publicamente sobre polêmica e recebe apoio de Bryan

 

Um dos maiores nomes da história do basquete, Magic Johnson jogou o preconceito para fora de quadra. Nas últimas semanas, o seu filho, Earvin Johnson III, de 20 anos, assumiu ser homossexual. O fato repercutiu na imprensa dos Estados Unidos. Em entrevista ao site especializado em assuntos de celebridades, ”TMZ”, a lenda da NBA optou por quebrar o silêncio e declarar abertamente seu apoio ao herdeiro.
– Sabemos há muito tempo que nosso filho é gay. Quando ele tinha uns 12 ou 13 anos sentamos para falar sobre isso. Eu disse a ele que vou amá-lo de qualquer forma e finalmente me disse: ”sim eu sou” – revelou Johnson.

O atleta aproveitou para criticar qualquer tipo de preconceito. Questionado sobre o que pensou ao ver vídeos de seu filho, com o namorado, na imprensa, Magic Johnson mostrou naturalidade.

– É isso que ele é. Me incomoda qualquer tipo de preconceito. Meu filho é um bom garoto. Acho que isso vai ser muito bom para muitos meninos que querem assumir – completou.

earvinjohnson02

Por ser portador do vírus do HIV, Magic Johnson já esteve ligado a diversos movimentos contra o preconceito, não apenas contra os homossexuais, nos Estados Unidos. Atual estrela do Los Angeles Lakers, Kobe Bryant declarou publicamente seu apoio ao ex-atleta.
– É claro que Magic apoia e ama seu filho. Não entendo a surpresa. O que não apoio é um vazio de tolerância – disse Kobe.

 

 

Fonte: Globoesporte

+ sobre o tema

para lembrar

10 artistas feministas que devemos celebrar

A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie se preocupa com...

Luana Génot: estar em um relacionamento inter-racial não é sinônimo de que o racismo acabou

Temos colocado a discussão sobre o racismo estrutural em...

Abjetificação, ininteligibilidade de gênero e a “socialização masculina”

Nessa semana tivemos uma polêmica sobre uma fala transfóbica...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=