Ministério da Igualdade Racial apresenta aprimoramentos da Lei de Cotas no Serviço Público em seminário na Câmara dos Deputados

Enviado por / FonteGOV.BR

Diretora de Políticas de Ações Afirmativas destacou o trabalho do MIR na ampliação de oportunidades para pessoas negras, indígenas e quilombolas

Nesta terça-feira (11), a Diretora de Políticas de Ações Afirmativas, Layla Carvalho, representou o Ministério da Igualdade Racial no primeiro painel do Seminário Cotas no Serviço Público, na Câmara dos Deputados. Com intuito de dialogar sobre os avanços da Lei de Cotas no Serviço Público, o evento acontece até 13 de junho, com organização da deputada federal Carol Dartora (PT/PR).  

A Diretora apontou os aprimoramentos que a nova Lei de Cotas prevê em seu texto, como o aumento da reserva de vagas de 20% para 30%, a inclusão de indígenas e quilombolas pela primeira vez na legislação, além da aplicação da reserva de vagas em seleções simplificadas. 

Para ela, a Lei possibilita maior diversidade étnico-racial no serviço público, “atuando na ampliação da sua representatividade e capacidade de resposta as necessidades do povo brasileiro”. 

Além disso, Layla destacou o trabalho do Ministério na construção de políticas públicas de qualificação e ampliação de oportunidades para pessoas negras, indígenas e quilombolas no serviço público. Entre as ações estão o Programa Federal de Ações Afirmativas e a edição do LideraGOV 4.0, realizada em parceria com a ENAP, exclusiva para servidores negros.  

O painel contou ainda com a presença da coordenadora-geral Aparecida Chagas (MGI), do pesquisador Pedro Masson (ENAP), do Secretário Nacional de Combate ao Racismo do Partido dos Trabalhadores, Martvs das Chagas e os professores Hélio Santos (OXFAM Brasil) e Dora Bertúlio (UFPR). 

+ sobre o tema

O IPEA e a análise da violência

Por Jorge Nogueira Rebolla   Para quem não sabe...

Mais de 200 mil pessoas em Berlim contra o racismo e a direita

O centro da capital alemã estava cheio de uma...

O extermínio de jovens negros é projeto do governo do Rio

É assentada no extermínio dos jovens negros moradores de...

Toni Bernardo da Silva – Agressores foram soltos, porque o crime foi considerado lesão corporal

Alunos da Universidade Federal de Mato Grosso em Rondonópolis,...

para lembrar

spot_imgspot_img

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...
-+=