Cotas Raciais

    Foto: Natalia Dourado

    Com cotas, USP quadruplica número de estudantes negros e indígenas em 10 anos

    Após adoção de cotas no Sisu e na Fuvest, porcentagem de calouros da USP que estudaram na rede pública saltou de 35% para 40%; meta para esse ano é chegar a 45%. Por Renato Biazzi, Gustavo Galvão, Daniel Seidl e Ana Carolina Moreno, do G1 Foto: Natalia Dourado/Reprodução USP A Universidade de São Paulo (USP) conseguiu quadruplicar o número de estudantes de graduação que se declaram pretos, pardos ou indígenas entre 2010 e 2019. Dados consolidados sobre o perfil de calouros da USP obtidos pela TV Globo mostram que, no ano passado, o número de calouros negros ou indígenas chegou a 25,2% do total, contra uma participação que variou entre 5% e 6% em 2010, segundo informações aproximadas divulgadas pela Pró-Reitoria. Em 2019, a instituição também conseguiu cumprir sua meta autoimposta de ter 40% de seus calouros oriundos de escolas públicas. Foi o recorde de participação...

    Leia mais
    Foto: Nenzinho Soares/IFRR

    Instituto Federal de Roraima forma primeira turma 100% indígena

    Familiares e amigos de 21 formandos do curso Técnico em Agropecuária do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima comemoraram a formatura da primeira turma composta exclusivamente por indígenas de várias comunidades da Terra Indígena Raposa-Serra do Sol. Integrado ao ensino médio e na modalidade de alternância, o curso iniciou-se em fevereiro de 2017. No Roraima 1 Foto: Nenzinho Soares/IFRR A solenidade ocorreu dia 13 de dezembro, na quadra de esportes da escola estadual que atende a Comunidade Indígena do Contão, Município de Pacaraima, localizada na TI Raposa-Serra do Sol, a 224 km da Capital, Boa Vista. A turma começou com 30 alunos, sendo que 70% deles concluíram o curso. São estudantes das comunidades do Contão, Canta Galo, Olho D’Água, Surumu, São Jorge e São Luiz. Nas turmas de alternância, os estudantes dividem os estudos em duas etapas, ou seja, passam 15 dias aprendendo teoria e...

    Leia mais
    Sharah Luciano, 23, de rosa, e Daiane de Medeiros, 28, que apresentarão estudo em Harvard - Ricardo Borges/Folhapress

    Trabalho sobre ações afirmativas leva estudantes da UERJ a Harvard

    Três alunos da faculdade de pedagogia do campus Baixada da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) terminarão o ano letivo em terras americanas. Eles tiveram um estudo selecionado para a 1ª Conferência do Centro de Estudos Afrolatinoamericanos (Alari, na sigla em inglês) de Harvard. O trabalho de Sharah Luciano, 23, Daiane de Medeiros, 28, e Anderson Alves, 24, aborda a contribuição das ações afirmativas para a academia. O evento do Alari ocorre entre 11 e 13 de dezembro e busca promover o campo de estudos fomentando um diálogo entre atores envolvidos na implementação de justiça acadêmica e racial na América Latina. Formados em pedagogia pela UERJ, os três são moradores da Baixada Fluminense e da zona oeste do Rio. A trajetória das duas jovens, que conversaram com a Folha no pátio do que antes fora um brizolão (como ficaram conhecidos os Cieps, Centros Integrados de Educação Pública, criados no...

    Leia mais
    Prédio da Câmara Municipal, no centro de São Paulo (Foto: Lucas Lima/Folhapress)

    Medida inédita garante cotas raciais na câmara municipal de São Paulo

    O Ato contou com a presença do CEO da Revista RAÇA – Maurício Pestana, do reitor da UniPalmares – Universidade Zumbi dos Palmares – José Vicente, do Coordenador geral da EDUCAFRO Frei David entre outros que fizeram uso da palavra. Por Hamalli, da Revista Raça Prédio da Câmara Municipal, no centro de São Paulo (Foto: Lucas Lima/Folhapress) Na última sexta-feira (29/11), a Câmara Municipal de São Paulo publicou, no Diário Oficial da Cidade, ato que regulamenta a reserva mínima de 20% dos cargos do Legislativo Paulistano para pessoas que se declarem negras ou afrodescendentes. A iniciativa cumpre o disposto na Lei Municipal nº 15.939, sancionada em 2013, que estabelece o percentual mínimo de cotas raciais para ingresso no serviço público paulistano. A medida é válida para provimento de cargos concursados efetivos e também para cargos comissionados, ou seja, de livre nomeação. Com a regulamentação, os próximos...

    Leia mais
    blank

    Livre defende quotas étnico raciais para “reduzir assimetrias”

    Cabeça de lista do Livre por Lisboa assume que partido vai tentar eleger mais do que um deputado nas legislativas de outubro e defendeu quotas étnico raciais para "reduzir assimetrias estruturais". Da Agência Lusa MIGUEL A. LOPES/LUSA A cabeça de lista do Livre por Lisboa assume que o partido se está a esforçar para eleger mais do que um deputado nas legislativas de outubro e defendeu quotas étnico raciais para “reduzir assimetrias estruturais”. “Realisticamente, o nosso objetivo é elegermos um , mas o nosso esforço não é para elegermos um. O nosso esforço, o nosso enfoque, os nossos objetivos é para nós, obviamente, realizarmos a existência de um grupo parlamentar”, disse Joacine Katar Moreira em entrevista à agência Lusa, no âmbito das eleições de 06 de outubro. “Mas, obviamente, que elegendo uma deputada neste exato momento, isto inevitavelmente nos vai dar hipótese...

    Leia mais
    Foto: Arquivo Pessoal

    Você Sabe o que é Cota?

      Foto: Arquivo Pessoal por Karla Osana Oliveira para o Portal Geledés Então vamos lá! Cota: Parte de algo (concreto ou abstrato), parcela, quantia, porção específica que compõe um todo, cota de culpa; cota de alimentos. Parcela de contribuição através da qual alguém ajuda na realização de algo. (fonte: Dicionário on-line). Sendo assim, tomando como ponto de partida a definição acima, podemos observar que toda vez que separamos algo para alguém, ou para nós mesmos, podemos dizer que é uma cota. Muitas vezes quando fazemos um bolo em casa, ou fazermos aquela “vaquinha” ou intera para uma festinha, quando um dos moradores da casa ou participante da intera não está presente na hora da divisão, o que fazemos? Separamos uma parte, ou seja uma cota para os ausentes, buscando dessa forma sermos justos. Quando ganhamos descontos em Escolas ou Faculdades por pertencermos a um determinado grupo...

    Leia mais
    blank

    mais além da cota: a onda negro-africana por Alex Ratts

    desde o começo dos anos 2000, uma série de demandas, movimentações e políticas contundentes, no campo da educação e também do trabalho, visam ampliar a participação negra nas universidades, na produção do conhecimento e da arte e em inúmeros espaços de decisão e visibilidade. em geral, as denominamos de ações afirmativas e a modalidade mais mencionada, pouco conhecida e muito confrontada são as cotas, sobretudo as raciais. Beatriz Nascimento, Abdias Nascimento, Lelia Gonzalez - Foto: Blog do Alex Ratts desde os anos 1970, existem proposições de uma ciência, uma história, uma arte e uma literatura negras. bem antes disso, pessoas e comunidades negro-africanas, rejeitavam a condição de objeto de exploração, estudo ou pesquisa, assumindo a posição de sujeito do conhecimento e da arte. antes mesmo de se falar em cotas, a luta por voz e espaço, vida e boa morte, prazer e poder, nas corporeidades e sociedades africanas e...

    Leia mais
    Elza Lopes falou que departamento discute projeto para cota raciais no serviço público — Foto: Reprodução

    Departamento de igualdade racial defende cotas para negros no serviço público em Rio Branco

    Proposta foi divulgada no bate-papo do G1 Acre desta sexta-feira (12). Departamento de Promoção da Igualdade Racial também divulgou programação da 7ª Quinzena da Mulher Negra. Do G1 O Departamento de Promoção da Igualdade Racial quer discutir com a Câmara de Vereadores de Rio Branco uma forma de inserir cota racial para o serviço público na capital acreana. Durante o bate papo do G1 Acre, nesta sexta-feira (12), a chefe do departamento, Elza Lopes, falou sobre a proposta desenvolvida e as dificuldades em apresentar projetos sobre as mulheres negras. Através da assessoria, a Câmara informou que ainda não houve uma reunião para tratar o assunto. Na oportunidade, Elza falou ainda sobre a programação da 7ª edição da Quinzena da Mulher Negra, que começa nesta segunda-feira (15) já com uma audiência pública sobre violência doméstica. O evento é em alusão ao dia 25 de julho, que é o Dia Internacional da...

    Leia mais
    blank

    Sancionada lei que garante cotas raciais em concursos públicos do GDF

    Norma entra em vigor a partir desta quinta-feira (11/07/2019) e estabelece que 20% das vagas serão reservadas para negros e pardos Por REBECA BORGES, do Metrópoles    Governo da Bahia/Divulgação A partir desta quinta-feira (11/07/2019), os concursos públicos do Distrito Federal terão reserva de vagas para candidatos negros e pardos. Sancionada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), a Lei nº 6.321 garante cotas raciais de 20% nos próximos certames. O projeto é de autoria da deputada distrital Arlete Sampaio (PT). A lei sancionada e publicada no Diário Oficial do DF desta quinta-feira (11/07/2019) foi aprovada pela Câmara Legislativa em junho de 2019. De acordo com o texto, a medida vale para “provimento de cargos efetivos e empregos públicos, no âmbito da administração direta, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pelo DF”. As cotas só poderão ser aplicadas em concursos que têm três ou mais vagas abertas....

    Leia mais
    Imagem : Reprodução

    Lei de Cotas aumenta em 39% o número de negros nas federais

    Foram pesquisadas 104 instituições federais do ensino superior, entre universidades e institutos Texto / Lucas Veloso -  Edição / Pedro Borges no Alma Preta Imagem : Reprodução Um levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) constatou que a Lei de Cotas fez crescer o número de alunos pretos, pardos e indígenas nas instituições públicas de ensino superior. O aumento foi de 39% entre os anos de 2012 e 2016. Os estudantes auto-declarados pretos, pardos e indígenas eram 27,7% dos ingressantes em 2012. Quatro anos depois, chegaram a 38,4% do total. Se for levar em conta os que vieram de escola pública, baixa renda e negros ou indígenas, o aumento foi de 37%. Essa foi a população mais beneficiada, de acordo com o levantamento. A Federal do Ceará (UFC) com 135%, seguida pela Federal de Santa Catarina (UFSC), com 120% foram as que...

    Leia mais
    Igor do Vale:Folhapress

    Após Unesp exigir prova para cotas raciais, 56 estudantes abandonam cursos

    Mais de 50 alunos da Unesp (Universidade Estadual Paulista) decidiram abandonar seus cursos de graduação nesta semana, depois de saber que precisariam passar por uma entrevista presencial para comprovar que são pretos, pardos ou indígenas. Eles haviam entrado na Unesp por meio do sistema de cotas raciais. por Daniel Leite no Educação UOL Igor do Vale:Folhapress Para a universidade, as desistências se devem ao fato de a fiscalização contra fraudes nas cotas estar mais rigorosa este ano. Na Unesp, metade das vagas é destinada a egressos de escolas públicas. Desse total, 35% são para quem se autodeclara preto, pardo ou indígena. A primeira fase da análise sobre o fenótipo dos estudantes começou em janeiro, com a apresentação de documentos e o exame de fotos e vídeos dos matriculados na Unesp. As filmagens foram feitas durante a realização do vestibular, nas filas e nos corredores dos locais...

    Leia mais
    blank

    Cotas raciais: Ministério Público emite recomendação ao Ifes

    Segundo o órgão, regra teria sido desrespeitada no concurso de 2018 Por Redação Tribuna Online, Da Tribuna Online (Foto: Divulgação/UnB Agência) O Ministério Público Federal (MPF) no Espírito Santo recomendou ao Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) que, em seus próximos concursos públicos, os candidatos autodeclarados negros que figurem na lista de ampla concorrência não sejam computados para efeito do preenchimento das vagas reservadas para as cotas, conforme previsto no artigo 3º, §1º, da Lei 12.990/2014 (Lei das cotas nos concursos públicos). A recomendação foi expedida depois da instauração de procedimento administrativo que apura suposta irregularidade praticada pelo Ifes, tendo em vista que a comissão organizadora do concurso público para o cargo de professor (Edital nº 02/2018) teria violado a Lei de Cotas quanto às regras para classificação dos candidatos autodeclarados pretos ou pardos. Após divulgada a lista de candidatos aprovados na primeira fase do referido...

    Leia mais
    Foto- Divulgação:FLUP

    A geração de intelectuais negros que as políticas afirmativas ajudaram a formar

    Eles ingressaram no ensino superior graças às cotas, ao Prouni e ao FIES; e agora apresentam rica produção acadêmica e cultural por Helena Borges no O Globo Foto- Divulgação:FLUP Uma nova geração de intelectuais negros, que vem apresentando diferentes produções acadêmicas e culturais, está no centro de debates em eventos culturais este mês. Na Feira Literária das Periferias (Flup), a mesa “Primeira pessoa” vai reunir, neste domingo, dia 11 de novembro, autores que são os primeiros de suas famílias e até mesmo de seus bairros, a entrarem para a universidade. Na livraria Blooks, o ciclo de debates “Outras Histórias do Brasil: Resistências e Reparações” vai discutir, no dia 26 de novembro, “Restituição, Ações Afirmativas e Políticas Públicas”. A escritora Ana Paula Lisboa (uma das autoras da coletânea “Olhos de azeviche”) é um dos expoentes desse grupo que nasce das políticas afirmativas, como as cotas, o Prouni...

    Leia mais
    A psicóloga Josilene de Oliveira Foto: Barbara Lopes / Agência O Globo

    Primeiros cotistas da Uerj refletem o sucesso do programa, 15 anos depois

    Desde implantação das cotas, mais do que dobrou o número de negros nas universidades brasileiras Por Matheus Rocha, do Época A psicóloga Josilene de Oliveira Foto: Barbara Lopes / Agência O Globo   Quando foi aprovada no vestibular de psicologia, Josilene de Oliveira pegou a bicicleta Caloi que lhe fazia companhia desde a infância e se pôs a pedalar. Com um sorriso estampado no rosto, ela cruzava as ruas de Parque Flora, bairro da Baixada Fluminense, como quem comemora uma conquista há muito esperada. A 46 quilômetros dali, em Curicica, Zona Oeste do Rio de Janeiro, a dona de casa Ofélia Ventura não se preocupou em fazer surpresa e contou às duas filhas que a aprovação havia chegado. Luciene Ventura seria caloura do curso de matemática, e Luciana passaria os próximos cinco anos estudando engenharia química. Ao serem aprovadas no vestibular, Josilene e as irmãs Ventura...

    Leia mais
    Foto Marta Azevedo

    Sinal positivo ao sistema de cotas

    O reconhecimento de Maia à efetividade da política de cotas foi sinal relevante e alenta por Flávia Oliveira no O Globo Foto Marta Azevedo A semana absolutamente caótica na política e na economia eclipsou um capítulo relevante da política de ações afirmativas no Brasil. Num intervalo da queda de braço que travou com Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu parlamentares e representantes do movimento negro para ouvir sobre os impactos das reformas na população afro-brasileira. O ponto central do encontro foi o projeto de lei da deputada Dayane Pimentel (PSL-BA) para revogar a Lei 12.711, conhecida como Lei das Cotas. Promulgada em 2012, a legislação instituiu nas universidades públicas federais a reserva de 50% das vagas para estudantes que tenham cursado o ensino médio em escolas públicas; metade deve ser destinada a pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência. Representantes...

    Leia mais
    Prédio da Assembleia Legislativa do Rio, onde foram aprovados hoje dois projetos de lei que incentivam a produção cultural no estado Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

    Aprovada cota para negros na publicidade governamental do Rio

    Veto do Governador Wilson Witzel é derrubado na ALERJ Do Meia Hora  Prédio da Assembleia Legislativa do Rio, onde foram aprovados hoje dois projetos de lei que incentivam a produção cultural no estado Foto: Márcio Alves / Agência O Globo  A Alerj derrubou nesta terça-feira o veto do governador Wilson Witzel ao Projeto de Lei 4261/2018, que estabelece cota para representação de afrodescendentes na publicidade governamental. De acordo com o texto, deverá haver uma proporção de no mínimo um modelo negro para cada dois modelos brancos em atuação em peças de publicidade de órgãos de administração estadual, direta ou indireta. A Alerj terá quinze dias para publicação da nova lei no Diário Oficial. “Não é aceitável que, em um país como o Brasil, profundamente marcado pela ancestralidade africana, os modelos tidos e havidos como 'padrões de beleza', que atuam em peças publicitárias divulgadas em diferentes veículos da mídia,...

    Leia mais
    Foto- Agência Brasil

    Heteroidentificação e cotas raciais: dúvidas, metodologias e procedimentos

    “Heteroidentificação e Cotas Raciais” é o nome do livro que estava faltando no cenário da academia nacional. Ele é fruto de muita experiência com o tema, estudos, diálogos e embates com o objetivo de incluir nossa população negra neste “eldorado brasileiro” que são as vagas nas universidades e nos concursos públicos. enviado para o Geledés Foto- Agência Brasil É quase que um manual obrigatório para os que atuam no campo do direito em qualquer esfera: Ministério Público, Juízes, coletivos de universitários negros, pesquisadores, jornalistas, ativistas pelos direitos da população negra e especialmente todos os órgãos públicos que lançam concursos.  A palavra “heteroidentificação” é nova no vocabulário brasileiro. Ela está se tornando obrigatória para esta demanda gerada pela exigência constitucional de incluir. Desde 1988 esta demanda está posta à academia brasileira mas, só depois das posições determinantes e convictas do movimento afro-brasileiro no combate às fraudes, ela...

    Leia mais
    Sala em que os candidatos aguardavam atendimento em banca de verificação ou procedimento de heteroidentificação

    Divulgado resultado de registro acadêmico presencial de cotistas no UFMG

    Prazo para interposição de recursos pelos candidatos que tiveram suas matrículas indeferidas começa nesta terça-feira enviado por Alexandre Braga do UFMG Sala em que os candidatos aguardavam atendimento em banca de verificação ou procedimento de heteroidentificação Foca Lisboa : UFMG Estão publicadas, na página Sisu UFMG, as listagens das matrículas confirmadas, em análise e indeferidas dos candidatos que se inscreveram na modalidade de reserva de vagas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para cursos de graduação da UFMG. Do total de 3.595 candidatos classificados para o primeiro semestre letivo deste ano e convocados para fazer registro acadêmico presencial de 15 a 19 deste mês, 965 se inscreveram para ocupar vagas de cota racial, e 73, para as vagas de pessoa com deficiência. Em Belo Horizonte, dos 842 estudantes que compareceram ao registro, 525 tiveram sua matrícula confirmada, e 327, indeferida. Em Montes Claros, dos 43 candidatos que compareceram, 24 tiveram o registro...

    Leia mais
    Divulgação/UNICAMP

    Unicamp amplia diversidade e aprova 38% de estudantes pretos e pardos em primeira chamada

    A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) está divulgando as informações sobre o perfil dos aprovados nas primeiras chamadas das diversas modalidades de ingresso em 2019. Pela primeira vez, a Unicamp adotou cotas étnico-raciais no vestibular, além de oferecer as opções de ingresso por meio da nota do Enem, do desempenho em olimpíadas científicas e vagas pelo Vestibular Indígena. Além disso, a pontuação do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS), para alunos de escola pública no vestibular, também foi ajustada. Por Juliana Sangion, da Unicamp  De acordo com os dados dos convocados, na somatória da primeira chamada do Vestibular Unicamp e do Enem-Unicamp, e das primeiras chamadas do Vestibular Indígena e das Vagas Olímpicas, do total de 3.386 aprovados, 38,2% são autodeclarados pretos ou pardos e 48,7% são de escola pública. Os estudantes indígenas representam 2,1% dos convocados deste ano. Além dos índices gerais, que estão na...

    Leia mais
    Rudnei conta que as dificuldades foram muitas, mas que o apoio que recebeu foi fundamental para que persistisse. “Uma vez pensei em desistir, mas a professora Olga foi muito importante porque sempre me incentivou a continuar nos estudos. Meus pais me apoiam muito. Meu plano agora é estudar, me dedicar bastante e depois de formado poder ajudar a minha família e trabalhar em municípios pequenos, como Lagoão, onde as pessoas têm dificuldades na saúde e eu posso fazer a diferença”, afirma.

    Jovem quilombola conquista vaga para Medicina

    Estudante conseguiu a colocação como primeiro colocado na Universidade Federal de Pelotas, por meio do sistema de cotas Da Gazeta do Sul   Rudnei recebeu ajuda de Vendruscollo para estudar os conteúdos para o vestibular (Foto: Viviane Rörhs) O sorriso no rosto do jovem Rudnei da Rosa dos Santos não esconde a alegria e o orgulho em conseguir uma vaga para o curso de Medicina na Universidade Federal de Pelotas (Ufpel). Residente na Comunidade Quilombola Vila Miloca, no município de Lagoão, aos 20 anos Rudnei conseguiu a tão sonhada vaga por meio do sistema de cotas para quilombolas, sendo o primeiro colocado. “Eu gosto de estudar e sempre quis cursar Medicina, pensando em ajudar os outros, ter contato com as pessoas e também ajudar a minha família. Não tinha certeza que conseguiria, mas sempre pensei positivo para realizar esse sonho”, conta.   Para a meta de Rudnei...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist