segunda-feira, outubro 26, 2020

    África e sua diáspora

    Encontro de Cinema Negro exibirá inéditos no Brasil, como 'Residue', do americano Merawi Gerima Foto: Divulgação

    Filmes para ver de graça online: Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul reúne 130 produções

    Dona Ivone Lara já cantava: “Um abraço negro traz felicidade”. Embora a pandemia tenha impedido essa troca presencial, o tema "A experiência do abraço” foi o que norteou a seleção das 130 produções nacionais e internacionais, entre curtas e longas, exibidas no 13º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul - Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas. Gratuitas, as sessões serão apresentadas na plataforma Innsaei, até o dia 30 de outubro A abertura do encontro aconteceu na quarta (21), com uma homenagem a Souleymane Cissé, um dos precursores do cinema africano. O cineasta nasceu no Mali, país que comemora 60 anos de independência em 2020. — Para nós, a experiência do abraço é tão essencial quanto a exibição dos filmes — diz Viviane Ferreira, diretora artística do evento, presidente do Comitê Brasileiro de Seleção do Oscar 2021 e segunda mulher negra a dirigir um longa-metragem no país (“Um dia com Jerusa”,...

    Leia mais
    Imagem: Reprodução/Twitter

    Michael B. Jordan produzirá filme em live-action do ‘Super Choque’

    A versão live action do filme do Super Choque terá Michael B. Jordan na produção ao lado da Warner por meio do selo Outlier Society, marca do ator. Esse será o primeiro trabalho de Jordan como produtor em torno dos super-heróis da DC Comics. Em comunicado, ele disse que está "orgulhoso de fazer parte da construção de um novo universo centrado em heróis negros. Nossa comunidade merece isso". "A Outlier Society está comprometida em dar vida a diversos conteúdos de quadrinhos em todas as plataformas e estamos entusiasmados com a parceria com Reggie e Warner Bros nesta etapa inicial", completou. O cineasta Reginald Hudlin, responsável pelo roteiro da nova graphic novel do herói prevista para 2021, também integra a equipe de produção do longa.   Ver essa foto no Instagram   ⚡️😏 Uma publicação compartilhada por Michael B. Jordan (@michaelbjordan) em 16 de Out, 2020 às 7:20 PDT O herói...

    Leia mais
    Chadwick Boseman, à esquerda, e Viola Davis, ao centro, em imagem de 'A voz suprema do blues' — Foto: David Lee/Netflix

    ‘A voz suprema do blues’ ganha primeiro trailer com Viola Davis e Chadwick Boseman

    "A voz suprema do blues" ("Ma Rainey's black bottom", no título original), último filme gravado por Chadwick Boseman, ganhou o primeiro trailer nesta segunda-feira (19). O ator morreu aos 43 anos no final de agosto, após enfrentar um câncer de cólon diagnosticado em 2016. O filme estrelado pelo astro de "Pantera Negra" (2018) e por Viola Davis ("How to get away with murder") estreia na Netflix no dia 18 de dezembro. A produção, dirigida por George C Wolfe ("A vida imortal de Henrietta Lacks") e produzida por Denzel Washington, é uma adaptação da peça escrita por August Wilson. Na história, Boseman interpreta um trompetista ambicioso na Chicago dos anos 1920 que está determinado a trilhar seu próprio caminho musical, enquanto aumenta a tensão em uma sala de ensaio entre os músicos que aguardam a lendária cantora Ma Rainey, vivida por Davis. Fonte: G1

    Leia mais
    Terra Preta Produções

    Antônio Pitanga comenta relação com Benedita da Silva: ‘eu bato cabeça’

    O ator e diretor Antônio Pitanga é o convidado desta semana do Guia Negro Entrevista, programa que vai ao ar no Youtube do Catraca Livre. Ele comenta a relação com a deputada federal Benedita da Silva (PT), que é pré-candidata à Prefeitura do Rio. “Eu sou um homem de sorte, bato cabeça. Sou admirador da Benedita casando ou não com ela. O diálogo flui”, considera. Três anos mais velho do que a esposa, ele diz que o embate entre os dois é democrático e que todas as dores e sentimentos são absorvidas para que continuem a luta. Pitanga é categórico ao elogiar a esposa: “Benedita é essa mulher gigante, poderosa. Eu respeito e eu bebo muito na fonte da Benedita”, diz. Durante o programa, o ator fala ainda da falta representatividade de pessoas negras na TV. “A matemática ainda não fecha” (entre o número de negros na sociedade e aqueles...

    Leia mais
    Divulgação

    Curso: Espaços culturais – lugares de livre associação

    A Comunidade Cultural Quilombaque, movimento político étnico cultural regido pelos tambores, localizado no bairro de Perus-SP, está ameaçado de perder o seu espaço físico para a especulação imobiliária. Foram intimados a entregar o espaço, caso não ocorra a compra do terreno, porém o valor e o prazo estimado para a aquisição são incompatíveis com o orçamento da comunidade. Ao longo desses quinze anos de resistência no bairro, várias conquistas foram alcançadas, porém sabemos que ainda há muitos desafios a serem consolidados e um deles é a permanência nesse espaço (anteriormente um lugar de abandono e altamente degradado), construído coletivamente com grande valor afetivo e transformado em um ponto de referência cultural para o bairro e para a cidade de São Paulo. Por essa razão eles lançaram a campanha #FICAQUILOMBAQUE (link para contribuição: http://vaka.me/1341779) para arrecadação de dinheiro para a permanência de sua sede. Sendo assim, o coletivo Margens Clínicas oferece...

    Leia mais
    Reprodução/Youtube

    Edson Natale lança ‘Hagat’

    Sobre o EP Hagat traz cinco músicas de um disco que gravei em 1993 e que praticamente não circulou, porque na época consegui fazer somente 500 CDs e também porque, no momento em que foi lançado, estava a duas ou três semanas do meu casamento com Márcia Salgado. Dessa forma, as músicas ficaram hibernando durante mais de 25 anos para florescerem e despertarem justamente agora. Me deparei com estas gravações depois de todo esse tempo e nelas temos Maurício Pereira, Alberto Marsicano, Carmina Juarez, Natália Barros, Alex Braga, Tuco Marcondes e Fernando Moraes. Para mim, este disco  trouxe à memória diversas curiosidades afetivas. Foi durante os ensaios e gravação de Himalaia, música que abre o disco feita em parceria com Alex Braga, que nasceu uma das grandes amizades que tenho na vida que é a de Maurício Pereira.  Me lembrou também das muitas conversas com o saudoso amigo, músico, filósofo e instrumentista Alberto Marsicano a respeito da ideia de gravarmos Aboio com a participação...

    Leia mais
    Equipe do Núcleo Negro de Pesquisa e Criação em cena do espetáculo Fala das Profundezas - Foto: Davi Pereira

    Núcleo Negro de Pesquisa e Criação apresenta espetáculo de teatro em versão radiofônica

    Assim como o Brasil em meados dos anos 30 concentrava suas histórias teatrais por meio das ondas do rádio, o Núcleo Negro de Pesquisa e Criação (NNPC) traz uma adaptação do espetáculo Fala das Profundezas para o ambiente radiofônico, só que desta vez, ocupando as plataformas  de streaming de música no país. Com estreia no dia 24 de outubro, a partir das 21h,  esta adaptação estará disponível no YouTube, Deezer, Spotify, SoundCloud e iTunes, de forma gratuita. O espetáculo que possui direção e dramaturgia de Gabriel Cândido, trata sobre temas como capitalismo e racismo estrutural em uma ficção sobre a exploração de um território intitulado de Profundezas. A constante exploração desse território faz emergir diversos conflitos existenciais que provocam interferências nas relações afetivas das pessoas que ali vivem. Movido pelos próprios conflitos, o povo desse território percebe que chegou o momento para tentar propor o que muitos já sonhavam a algum tempo,...

    Leia mais
    Sun Ra e sua Arkestra, 23 de setembro de 1978. Foto: Leni Sinclair/Getty Images |

    Eu sou… Hipólita! Território Lovecraft e a contemporaneidade jazz afrofurista revolucionária de Sun Ra

    A série televisiva “Território Lovecraft” tem gerado uma série de reflexões e discussões acerca de suas problematizações sobre o racismo enquanto elemento fundante e característico dos Estados Unidos da América e, principalmente, dos processos de resistências das populações afrodescendentes em meio a esta realidade. Baseada no livro de mesmo nome, do autor Matt Ruff, que desenvolve uma ressignificação  das principais características da estilística ficcional de H. Lovecraft  - um escritor orgulhoso de seu racismo e misoginia - ao buscar construir os personagens centrais de seu romance enquanto negros, pessoas das mais variadas subjetividades e gêneros, em uma luta constante contra o maior e verdadeiro monstro do Cthulhu (1), que seria o racismo em suas mais variadas formas e infinitos tentáculos.  Nesse sentido, fazendo-se na série ser comum a apresentação de expressões culturais e políticas afrodiaspóricas - em geral à partir de suas ocorrências e influências em território norte-americano, país em...

    Leia mais
    O escritor Jeferson Tenório, autor de 'O Avesso da Pele'. Foto: Carlos Macedo

    Romance coloca em pauta temas como racismo e violência policial

    “... Quero dizer também que o professor Henrique Nunes não morreu por mera circunstância da vida, morreu porque era alvo de uma política de Estado. Uma política que persegue e mata homens negros e mulheres negras há séculos”.  Essa frase acima resume muito bem o que é ser um corpo preto no Brasil. E não apenas aqui, claro. O racismo está enraizado no país há milhares de anos, é parte da natureza de nossa sociedade, uma nação que construiu o seu ideal de identidade negando suas origens negras e indígenas. E com isso viu na violência o modus operandi para segregar e matar pessoas não brancas.  Falar sobre racismo não é tarefa fácil, mexe com a gente, machuca e nos faz reviver episódios de discriminação velada e não velada. Só quem já sofreu – e sofre – esse tipo de preconceito sabe a dor e as marcas que ficam, que...

    Leia mais
    Foto: Helen Salomão / Divulgação

    Luedji Luna firma parcerias com escritoras e poetas negras em álbum imerso em referências aquáticas

    Caracterizado como disco fluido, imerso em referências aquáticas, como indica a capa que expõe foto tirada por Peu Fernandes na Bahia, o segundo álbum de Luedji Luna constrói narrativa criada com o objetivo de dar autonomia à mulher preta para que ela expresse os próprios sentimentos e desejos em sociedade ainda pautada pelo machismo. Para fortalecer esse conceito, a cantora e compositora baiana firma parcerias com escritoras e poetas negras na criação e gravação desse álbum intitulado Bom mesmo é estar debaixo d'água e programado para chegar ao mercado fonográfico na quarta-feira, 14 de outubro, com a missão de manter o status alcançado por Luedji Gomes Santa Rita com o primeiro álbum, Um corpo no mundo, apresentado em 2017. Anunciado em setembro com a edição do single com a música-título Bom mesmo é estar debaixo d'água, o segundo álbum da artista embute trecho de poema da escritora mineira Conceição Evaristo...

    Leia mais
    Imagem retirada do site BBC

    ‘Fiz uma prótese de mão negra para meu irmão – e isso se tornou um negócio de sucesso’

    A depressão que acometeu Ubokobong Amanan Sunday não foi o único problema que ele teve que lidar quando perdeu dois dedos de sua mão durante uma festa de Réveillon, ao confundir uma bombinha com um rojão. Sunday, que é negro, não conseguia encontrar próteses que fossem da mesma cor de sua pele. "Confundi uma bombinha com um rojão. E explodi dois dos meus dedos. Fiquei deprimido. Minha família tentou encomendar próteses da Alemanha, mas elas não combinavam com a minha cor de pele", diz. Foi quando John, irmão mais velho de Ubokobong, teve uma ideia. Ele havia trabalhado com efeitos especiais em filmes na Nigéria e usou sua experiência para criar uma nova mão para o seu irmão por conta própria. "Uma mão africana e realista é importante no sentido de que é aceita, passa despercebida, segue oculta, porque ninguém consegue distinguir entre a prótese e a amputação", diz John....

    Leia mais
    Reprodução/Facebook

    FLUP 2020: da periferia carioca para o mundo

    Tradicional por reunir poetas, escritores, pensadores e comunidade em um mesmo lugar, a Festa Literária das Periferias (FLUP) chega a sua 9ª edição repleta de novidades. Dessa vez, o Festival se reinventa, embarca no universo do streaming e rompe as barreiras geográficas propondo um diálogo importante não só para o Brasil. Esse ano, o evento acontecerá nos dias 29, 30 e 31 de outubro; e 1, 6, 7 e 8 de novembro, com mesas acontecendo no Rio de Janeiro, é claro, mas também com debates em outras seis cidades espalhadas mundo -  Paris, Edimburgo, Madrid, Lisboa, Berlim e Joanesburgo – que terão como norte de discussão os impactos na sociedade pós George Floyd. Tendo em vista o atual cenário mundial por conta da Covid-19, toda a programação será oferecida de forma virtual, com exibições através da página da FLUP no Facebook e canal do Youtube. “Os festivais estão perdendo uma...

    Leia mais
    Cena de um baile black no Rio de Janeiro em 1976. A imagem está na capa do livro '1976 - Movimento Black Rio' Almir Veiga

    Como Gerson King Combo e seus bailes black tentaram implodir a democracia racial

    “Dançar como dança um black! Amar como ama um black! Andar como anda um black! Usar sempre o cumprimento black”, cantava Gerson King Combo em sua música mais conhecida. Os versos de "Mandamentos Black" —repetidos depois como grito de ordem por Marcelo D2 em "Qual É", hit nos anos 2000— representavam ideais de toda uma geração. Nos anos 1970, o artista foi catalisador de uma cena conhecida como black rio, um marco na cultura brasileira. Mas o que os tributos ao músico, morto no mês passado, não lembraram é como o abalo sísmico do movimento que ele capitaneou se deu à revelia das forças políticas da época. Tanto a direita, do regime militar, quanto a esquerda revolucionária viam com desconfiança a afirmação da identidade negra. E, enquanto o militares e seus detratores tentavam sufocar essa onda, a black rio foi criando as bases do funk e do hip-hop nacionais, que se...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/ UOL)

    UOL anuncia 24 novos colunistas

    O UOL anunciou a contratação de 24 novos colunistas. Entre os contratados, estão, na editoria de Esportes, Rodrigo Coutinho, colunista do Yahoo Esportes e especialista em análises táticas, além de ex-jogadores de futebol que compartilharão suas experiências. Na plataforma de iniciativas positivas ECOA, foram contratadas Adriana Barbosa, criadora da Feira Preta; Bianca Santana, organizadora de coletâneas sobre gênero e raça que atualmente escreve uma biografia de Sueli Carneiro; e Anielle Franco, diretora do Instituto Marielle Franco. Na editoria Universa, reforçam a equipe a produtora de conteúdo digital Maqui Nóbrega, que falará sobre autoestima; e a profissional multimídia e consultora Maria Santa Helena, que abordará o universo da moda. E no UOL Notícias, foi contratadoo repórter investigativo Amaury Ribeiro Jr., que escreverá sobre Direitos Humanos. Ele lançou recentemente o livro Poderosos pedófilos, que denuncia casos de pedofilia em diferentes regiões da Amazônia nos últimos 20 anos Fonte: Portal dos Jornalistas, por...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/ FLIPENHA)

    Online, 3a Edição da Festa Literária da Penha homenageia as escritoras Ruth Guimarães e Gabriela Mistral

    A Festa Literária da Penha - FLIPENHA - chega a sua 3ª edição com programação totalmente gratuita e online de 13 a 17 de outubro. As homenageadas deste ano são: Ruth Guimarães, cuja obra celebramos no seu centenário de nascimento; e a escritora chilena Gabriela Mistral, primeira mulher a receber o prêmio Nobel de Literatura. Organizada por coletivos culturais e educadores do bairro da Penha, a FLIPENHA tem como objetivos movimentar uma discussão sobre literatura através da produção cultural. Além disso, o evento promove a formação de leitores, o encontro de moradores de diferentes gerações e grupos sociais, e o intercâmbio entre profissionais de diversas linguagens como bibliotecários, agentes culturais, ilustradores, editores, pesquisadores, poetas, entre outros. Fazem parte da 3ª FLIPENHA bate-papos com escritoras e escritores, pesquisadoras e pesquisadores, recitais, oficinas, rodas de conversa, saraus, shows e contações de história. Neste ano, o público é convidado a mergulhar na vida...

    Leia mais
    Cineasta e professora Edileuza Penha de Souza — Foto: Lauro Vasconcelos/Seduc-MA

    Filme brasiliense que conta histórias de mulheres negras é premiado em festival internacional

    O filme brasiliense "Filhas de Lavadeiras" conquistou o júri da 25ª edição do Festival É Tudo Verdade – um dos eventos mais importantes para o cinema documental da América Latina. A produção deu à professora do Instituto Federal de Brasília (IFB) e cineasta, Edileuza Penha de Souza, o prêmio de melhor curta-documentário., O filme conta a história de mulheres negras que, graças ao trabalho árduo de suas mães, puderam ir para a escola. Ele é inspirado na obra de Maria Helena Vargas, mulher negra que foi escritora, pedagoga e professora, e que viveu em Brasília. O resultado do festival saiu no domingo (4). A professora de audiovisual do IFB do Recanto das Emas foi a única mulher negra, em sua posição, premiada neste ano. "Não sei se sou a primeira mulher negra premiada no Festival É Tudo Verdade em 25 anos. Nesse, eu sei que sou a única mulher negra”,...

    Leia mais
    Whoopi Goldberg em cena de 'Mudança de Hábito' - IMDb/Divulgação

    Whoopi Goldberg confirma nova continuação de ‘Mudança de Hábito’

    Whoopi Goldberg, 64, confirmou que está trabalhando em uma nova continuação do filme "Mudança de Hábito", sucesso de 1992. O filme já teve uma continuação no ano seguinte, com o título "Mudança de Hábito 2: Mais Confusões no Convento". A atriz foi entrevistada no The Late Late Show pelo apresentador James Corden, 42, e disse que está discutindo com o estúdio como reunir o elenco para o terceiro filme da franquia. "Por muito tempo disseram que ninguém iria querer assistir", contou a atriz. "E descobrimos recentemente que isso talvez não seja verdade. Muitas pessoas querem assistir. Então estamos trabalhando muito para descobrir como podemos reunir todo mundo para fazer um retorno." Goldberg comentou que ainda tem muito carinho pelo trabalho, que está perto de completar 30 anos. "É divertido e nos faz sentir bem, que não deixa ninguém bravo", avaliou. "Tem pessoas cantando bem, pessoas cantando mal, pessoas cantando mais...

    Leia mais
    Divulgação

    ID_BR promove Fórum e Prêmio ‘Sim à Igualdade Racial’ no dia 10 de outubro

    Prêmio vai reconhecer os principais nomes e iniciativos em prol da igualdade racial no Brasil, enquanto Fórum pretende discutir empregabilidade negra Multishow exibe a premiação na TV a partir das 17h O Instituto Identidades do Brasil promove no próximo dia 10 de outubro, a partir das 10h, o Fórum e o Prêmio “SEnviim à Igualdade Racial”. Organizado anualmente pelo Instituto, o primeiro tem o objetivo de discutir a empregabilidade negra, criando debates, apresentando tendências e trajetórias profissionais para inspirar soluções. Já a premiação busca reconhecer os principais nomes e instituições que atuam em prol da igualdade racial no Brasil. Os dois eventos terão formato virtual e serão exibidos em sequência na página do ID_BR no Facebook. O Prêmio “Sim à Igualdade Racial” também terá exibição no Multishow, a partir das 17h. “Estamos unindo o Prêmio e o Fórum pela primeira vez na história do ID_BR, pois entendemos que seria uma...

    Leia mais

    UNICEF lança programas de rádio diários para crianças com histórias da cultura Afro-brasileira

    Para destacar a identidade, os ritmos, crenças e a diversidade da cultura negra no Brasil, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), lança, nesta quinta-feira (8), programas de rádio diários para crianças inspirados na história e na cultura Afro-brasileira. O lançamento acontece em uma live com contadores de histórias nas páginas oficiais do UNICEF no Youtube e no Facebook, às 16h30, horário de Brasília. O conteúdo faz parte do Deixa que Eu Conto, iniciativa do UNICEF para levar histórias, brincadeiras e atividades a crianças e famílias, via rádio e internet, em tempos de coronavírus. Os conteúdos são voltados a crianças em idade de frequentar a educação infantil e em processo de alfabetização (anos iniciais do ensino fundamental). Nesta leva de conteúdos afro-brasileiros, serão 50 episódios que trazem músicas, brincadeiras, curiosidades e histórias inspiradas na história e na cultura Afro-brasileira, apresentados por contadores de histórias negros e quilombolas, incluindo...

    Leia mais
    Sinfrônio (à direita) trabalhou nas obras do Catetinho, sede do governo durante a construção da capital (foto: Arquivo Público-DF) Fonte: Agência Senado

    Resgate da presença negra na formação de Brasília mobiliza estudiosos e sociedade

    A memória do Distrito Federal sofreu mais um golpe no dia 30 de setembro último com a derrubada do imóvel conhecido como Casa da Dona Negrinha, uma edificação antiga, situada no Centro Histórico de Planaltina, cidade de 161 anos e distante 38 quilômetros da capital da República. Para a professora de história da Universidade de Brasília (UnB) Ana Flávia Magalhães Pinto, a perda desse patrimônio revela “descompromisso com o direito à memória e à história da gente negra no Distrito Federal” — uma falha que deve ser combatida, segundo ela. A estudiosa, que tem doutorado e pós-doutorado em história pela Universidade de Campinas (Unicamp), vem nos últimos anos trabalhando justamente em projetos de resgate que mostrem a importância dos negros na trajetória de Brasília, incluindo o período que precedeu à fundação da cidade, em 1960. A Casa da Dona Negrinha ficava a aproximadamente 8 quilômetros da Pedra Fundamental de Brasília, obelisco...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist