terça-feira, junho 15, 2021

África e sua diáspora

W. E. B. Du Bois em 1918 e 1946: coleção de ensaios, ‘As almas do povo negro’ (‘The souls of black folk’) é obra seminal na literatura americana e na sociologia (Fotos: Cornelius M. Battey e Coleção Carl Van Vechten da Biblioteca do Congresso dos EUA)

Após sofrer tentativa de apagamento, intelectual americano Du Bois, do século XIX, tem obra relançada como clássico da sociologia e da literatura antirracista

W.E.B. Du Bois, que viveu entre 1868 e 1963, foi um homem de inúmeros predicados: sociólogo, escritor, editor, historiador, intelectual e ativista. Com passagem pela Universidade de Berlim e por Harvard, onde foi o primeiro afro-americano a se formar doutor, Du Bois se tornou professor de História, Economia e Sociologia, na Universidade de Atlanta, além de ter sido um dos membros-fundadores da NAACP (National Association for the Advancement of Colored People). Ao longo dos anos, Du Bois publicou inúmeras obras combatendo o que lhe parecia ser o principal mal de sua época: o racismo estrutural, um ácido corrosivo do experimento democrático norte-americano. Suas críticas eram dirigidas às leis segregacionistas da Jim Crow, a ação imperial dos EUA no plano externo e aos linchamentos no plano doméstico, tão corriqueiros naquele período. Acaba de ser lançada aqui no Brasil, em caprichada edição da Editora Veneta, As almas do povo negro — obra originalmente publicada...

Leia mais
Reprodução/YouTube

MC Soffia é indicada a melhor vídeo musical em prêmio no Texas

O clipe "Empoderada" da rapper MC Soffia, foi selecionado para participar  do 23º Cine Las Americas International  Film Festival anual, que acontece online de  09 a 13 de junho, na categoria Melhor Vídeo Musical. O CLAIFF23 oferecerá uma rara mostra de filmes e vídeos da América Latina (Norte,Central,América do Sul e Caribe) e da Península Ibérica. O festival de cinema celebra filmes e vídeos feitos por ou sobre Latinx nos Estados Unidos ou no resto do mundo, bem como filmes e vídeos feitos por ou sobre grupos indígenas das Américas. “Esse ano em que completo 10 anos de carreira, só tenho a agradecer por tudo de bom que tem acontecido comigo, pelo caminho que o rap, minha família e a militância negra tem me levado, mas de tudo isso o mais importante é, com o meu trabalho, fortalecer as meninas negras a tornarem se poderosas cada vez mais". Comenta a...

Leia mais
Willow Smith (Foto: Rich Fury/Getty Images)

Willow Smith fala sobre o preconceito que sofreu por ser negra e ouvir Rock

Willow Smith falou sobre um assunto bem sério durante uma nova entrevista com a V Magazine. Na conversa (via Buzzfeed), a cantora falou sobre o preconceito que sofreu ao ser uma mulher negra que gostava de Rock na adolescência. Willow afirmou que era fã de My Chemical Romance e Paramore, e sofreu bullying na escola por isso. Ela contou: Ser uma mulher negra na cena do Metal é muito, muito diferente, fora as pressões que a indústria da música coloca sobre você. Agora, é tipo uma pressão adicional da cultura do Metal, do mundo do Metal e do Rock em geral. Eu costumava sofrer bullying na escola por ouvir Paramore e My Chemical Romance. Smith continua: Através da música que estou lançando agora e da representação que posso trazer para essa mistura, eu espero que as garotas negras que estão ouvindo meu trabalho vejam que há mais de nós por aí. É uma coisa real, você não...

Leia mais
Foto: Divulgação

Afetividade preta é tema de clipe de Thiago Malakai e Mel Duarte

O músico Thiago Malakai lança, na sexta-feira (11 de junho) o clipe “Passa Bola” com participação da poeta Mel Duarte.  A música fala, essencialmente, sobre afetividade preta e de como a arte, as vivências e a ancestralidade conectam as pessoas negras e também reforça a importância de corpos pretos se amarem e se reconhecerem em suas potências. A escolha da data para lançamento da música - véspera do Dia dos Namorados - se dá, justamente, para propor a reflexão sobre a urgência do amor do afeto, mais do que que dá questão material. Roteirizado por Malakai e produzido pelo próprio músico e Igor Almeida, o clipe traz uma atmosfera de zelo e conexão entre duas pessoas e o encantamento que as elas sentem ao se conectarem, evidenciando sensações até então  adormecidas.  “Mel e eu sempre nos falamos muito nos bastidores da vida. Um dia, estávamos falando sobre meu trabalho solo...

Leia mais
Foto: Divulgação

Banda As Baías entra no pagode com Péricles e promove ‘Primeiro beijo’, single para o Dia dos Namorados

Como é de praxe, o mercado fonográfico se agita com a proximidade do Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho no Brasil. Discos românticos sempre são lançados às vésperas da data para fisgar ouvintes apaixonados. A banda As Baías entra na onda amorosa neste ano de 2021 e se alia com Péricles para promover Primeiro beijo, música inédita que junta os artistas. Trata-se da primeira colaboração do trio paulistano com o cantor de pagode. A cadência do samba, aliás, está entranhada na gravação feita com produção musical de Rafael Castilhol, o mesmo recrutado por Ludmilla quando a cantora – então primordialmente associada ao funk – decidiu gravar o EP de pagode Numanice (2020). O single Primeiro beijo tem lançamento estrategicamente programado para sexta-feira, 11 de junho, véspera do Dia dos Namorados. Um clipe filmado por As Baías com Péricles em São Paulo (SP) entra em rotação na sequência.

Leia mais
Dêssa Souza (Foto: Will Cavagnolli)

Com sangue baiano-mineiro-negro-indígena, Dêssa Souza lança EP “Camadas”

Dêssa Souza cresceu em quintais de terra, com modas de viola tocadas ao vivo perto da fogueira por seu avô e tios-avôs. Nos bailinhos da família, ouvia Johnny Rivers ou Bee Gees direto dos vinis curtidos por seus pais, tios e tias.  Agora, misturando um tanto de sua alma interiorana com as batidas da cultura popular, do rap e da soul music, divulga seu primeiro EP, 'Camadas'. Composto por 5 faixas, entre autorais e parcerias, registro apresenta essa que é uma mulher preta, mãe, artista, produtora, periférica, de sangue baiano-mineiro-negro-indígena, da poesia, do teatro, das descobertas constantes em torno da ancestralidade e bem mais. Logo na abertura, 'Meu Chão' tem texto e som captados em casa pela própria cantora e sob orientação remota de Gago Ferreira, que trabalha a musicalização através de sons do cotidiano. "A proposta era desenhar algo intuitivamente e em seguida “ler” aquele desenho tal como uma partitura e executá-lo sonoramente. A porta veneziana do guarda-roupas virou um reco-reco...

Leia mais
Foto: Divulgação/ CUIR

CUIR- Filme e Experimento- América Latina

Em junho, uma pauta social relevante ganha especial projeção em todo o mundo: a da diversidade. O mês foi escolhido em referência ao episódio conhecido como rebelião de Stonewall, ocorrido em Nova York, em 1969. O levante do dia 28 alcançou repercussão mundial e se tornou determinante para a instituição do dia internacional do orgulho LGBT. Desde então, manifestações de classes e em áreas distintas passaram a ocupar com mais ênfase o debate público em prol da atenção aos direitos LGBT. No campo artístico, não é diferente. Um desdobramento disso são ações que transformam as artes como instrumento mobilizador, a exemplo da CUIR — FILME E EXPERIMENTO — AMÉRICA LATINA, que começa nesta segunda-feira (07). Totalmente on-line e gratuita, a mostra reúne obras criativas dos diferentes circuitos do cinema independente e das artes visuais que retratam experiências de sexualidade e de gênero. Outras frentes também são contempladas na proposta artística dos 42 trabalhos...

Leia mais
‘(Outros) Fundamentos’, de Aline Motta, é um dos filmes que está na mostra (Foto: Mostra América Negra de Cinema)

Gratuita e online, mostra América Negra traz 35 filmes de dez países

Quando se pensa em cinema, os Estados Unidos ocupam um lugar central na narrativa – inclusiva na negra. “Como os Estados Unidos são uma potência imperialista, inclusive dos pretos, quando chega um produto, ele paralisa o debate cultural. Veja o que aconteceu com Black is King, da Beyoncé, por exemplo”, disse ao Estadão Heitor Augusto, curador da mostra América Negra, gratuita e online (sala54.com. br), que vai até o dia 13. O evento reúne 35 produções de dez países da América Latina, produzidos nos últimos 20 anos. “A ideia de descentralização e de conversa entre nós, entre latinos sobre negritude, não é só urgente, mas única”, disse Augusto. Na pesquisa para montar a mostra, que contou com curadores e pesquisadores de outros países, Heitor Augusto notou temáticas em comum. “São principalmente três: o preto enquanto cultura, ou seja, as manifestações culturais, a importância do autorreconhecimento e do reconhecimento pelo Estado e do reconhecimento...

Leia mais
IZA (Getty Images)

Novo álbum de Iza terá mix de sons e participação de Rael e Luccas Carlos

No seu mais novo trabalho, a cantora fala sobre suas origens, a relação com Olaria, bairro do subúrbio carioca, onde nasceu, e como conseguiu ocupar espaços com sua música. A cantora conversou com Splash sobre o lançamento e disse que esse é o seu som mais intimista. Por isso, se você quer conhecer um pouco mais sobre Iza, ouvir "Gueto" é a melhor dica que podemos te dar. Queria trazer esse sentimento de orgulho, de algo que é tão especial, falar sobre o lugar que a gente nasceu.Iza Imagem: Divulgação O trabalho abre as portas para o próximo álbum da cantora, que ainda não está finalizado. Ela não deu detalhes sobre data de lançamento ou o mesmo nome, porém ganhamos dois spoilers: Iza contará com as participações dos rappers Rael e Luccas Carlos. A cantora, que diz ter dificuldades para definir seu gênero musical, diz ter experimentado bastantes sonoridades. Ela conta que a...

Leia mais
Emicida (Foto: Wendy Andrade)

Emicida, TUYO, Jessica Caitano e MC Marks estão no Festival Atlas das Juventudes que acontece de forma online e gratuita entre os dias 9 e 12 de junho

O rapper Emicida, a banda TUYO, o funkeiro Mc Marks e a repentista Jessica Caitano estão entre os nomes que compõem a programação do Festival Atlas das Juventudes, que acontece dos dias 9 a 12 de junho. O evento marca o lançamento do Atlas das Juventudes, a plataforma mais completa e diversa sobre as juventudes atuais, resultado de uma extensa pesquisa nacional que durou dois anos, coordenada pelas redes de organizações Em Movimento e Pacto das Juventudes pelos ODS, e que mapeou e destacou quem são os brasileiros de 15 a 29 anos. Dentro da programação, será lançado também a pesquisa Juventudes e a Pandemia do Coronavírus, coordenado pelo CONJUVE junto a outras organizações,  que em sua segunda onda ouviu mais de 68 mil jovens de todo o Brasil de março a  maio de 2021, e traz importantes descobertas sobre os impactos atuais da pandemia na vida das juventudes. "Vivemos...

Leia mais
Foto: Divulgação/ Instituto Moreira Salles

IMS Convida para conversar, com Alan Costa e Erica Malunguinho

Na segunda-feira (7 de junho), às 18h, acontece o segundo encontro online da série IMS Convida para conversar. O bate-papo contará com a participação de Alan Costa, do Coletivo Afrobapho, e da deputada e educadora Erica Malunguinho. O evento será transmitido ao vivo pelos canais de Facebook e YouTube do IMS. Na conversa, apresentada e mediada por João Fernandes, diretor artístico do IMS, Erica Malunguinho deve relacionar seu olhar e suas indagações, como arte-educadora e performer, com as obras produzidas pelo Afrobapho para o programa IMS Convida, entre agosto e setembro do ano passado.  Entre abril e dezembro de 2020, o IMS comissionou 171 artistas, individuais e coletivos, para que produzissem projetos para o Convida, um programa de incentivo à criação artística – no âmbito das áreas da fotografia, do cinema, da música, da literatura, das artes visuais e do desenho gráfico –, concebido para vigorar durante o período da quarentena. Um vasto...

Leia mais
Teatro completamente destruído durante o ataque à "Wall Street negra" (DIVULGAÇÃO/GREENWOOD CULTURAL CENTER)

Tulsa: Massacre que destruiu a ‘Wall Street negra’ completa 100 anos ainda pouco conhecido

Em 31 de maio de 1921, na cidade de Tulsa, no Estado de Oklahoma, uma multidão de pessoas brancas invadiu e destruiu o distrito de Greenwood, que na época era uma das comunidades negras mais prósperas do país, apelidada de "Wall Street Negra". A violência se estendeu por 18 horas, durante as quais mais de mil casas e estabelecimentos comerciais foram saqueados e incendiados. Alguns historiadores calculam que até 300 pessoas tenham sido mortas. Cerca de 10 mil ficaram desabrigadas. Na semana passada, uma mulher de 107 anos, a sobrevivente mais antiga do massacre, foi ao Congresso dos Estados Unidos "para buscar justiça". "Estou aqui para pedir ao meu país que reconheça o que aconteceu em Tulsa em 1921." O episódio, ausente de livros escolares durante décadas, voltou a ganhar atenção quando foi tema do capítulo inicial da série Watchmen, da HBO. Muitos espectadores confessaram que não sabiam do que se...

Leia mais
(João Bertholini/Divulgação)

Havaianas & Isaac Silva: marca e estilista lançam Collab inspirada na cultura afroindígena

Desde os primeiros contatos com os povos originários do nosso país, a terra que conhecemos como Brasil sempre foi repleta de forças e energias vindas das matas que cobriam e protegiam as mais variadas formas de vida. Agora, entre os ventos que cortam os grandes prédios e a chuva que atravessa ruas e avenidas, essas energias se reafirmam, demonstrando toda sua força e resiliência perante a urbanização desses espaços, assim como as memórias daqueles que caminharam e foram protegidos por elas antes de nós. Em collab exclusiva com Havaianas, a coleção “Axé, boca da mata!”, do estilista baiano Isaac Silva, usa inspirações afroindígenas para celebrar nossas heranças históricas. Os elementos principais são a religiosidade e o respeito pela natureza. “Trazer o Isaac como diretor criativo dessa collab e oferecer a ele toda liberdade para trabalhar nas artes das sandálias foi uma experiência incrível para todos nós. Entender sobre as nossas...

Leia mais
IZA (Foto: Fabio Tito/G1)

Iza faz pocket show online para apresentar novo single ‘Gueto’

Iza prepara um pocket show online na quinta (3) para apresentar seu novo single “Gueto”, que fica disponível nas plataformas de streaming no mesmo dia e tem um clipe lançado na sexta (4). A live será transmitida pelo Instagram da cerveja Devassa, às 21h. A música traz a história pessoal da artista do Rio de Janeiro, palco do evento cujo objetivo é enaltecer sua origem e sua luta, além de inspirar outros talentos a ultrapassar barreiras. Na sexta (28), a intérprete de “Dona de Mim” e outros hits foi eleita pela revista Time uma das líderes da nova geração. A publicação americana descreve a cantora como “um símbolo da nova era pela qual ela está lutando”. O show “Gueto” marca o início de um projeto com a cantora e a Devassa. A iniciativa “Criatividade Tropical: Abre as Portas para o Gueto” vai buscar talentos criativos para cocriarem com Iza durante o...

Leia mais
Adilton Venegeroles/ Agência A Tarde

Soterrada pelos ‘vencedores’, história de negros resiste ao apagamento

Trabalhando há mais de 15 anos nos campos do Maranhão e da Bahia e caminhando por lugares distantes que por vezes pareciam inatingíveis, fui convencido de que a história de grande parte de nossa sociedade permanece soterrada. Se por muito tempo ela foi escrita e documentada pelos “vencedores”, apagando ou reduzindo a nada o que não era considerado significante, podemos afirmar também que continuou a ser transmitida oralmente por famílias e comunidades como forma de resistir e não deixar se apagarem suas origens. Também é cada vez mais nítida a certeza de que a história se desenrola envolvendo um coletivo, porém sempre a partir da escala do indivíduo, de atos e fatos únicos. É o que a escritora Svetlana Aleksiévitch descreve como sendo o objetivo de seus registros histórico-literários ao tentar “capturar a vida cotidiana da ‘alma’”. Só a partir da vida, única, somada a muitas outras, é que uma...

Leia mais
Terreiros do Engenho Velho (Foto: Imagem retirada do site Coalizão Negra Por Direitos)

Terreiros do Engenho Velho da Federação Lançam Memorial Digital que Conta a História da “Caminhada pelo Fim da Violência e do Ódio Religioso, pela Paz!”

Preservar história, memória, tradição religiosa e cultura negra do bairro Engenho Velho da Federação em Salvador, é um dos objetivos do “Caminhos da Sagrada Resistência: Histórias e Memórias no Território Negro do Engenho Velho da Federação”. O projeto propõe a criação de um site com registros de memória em fotos, vídeos, áudios e textos da “Caminhada pelo Fim da Violência e do Ódio Religioso, pela Paz!”. O memorial digital ressalta o compromisso político, social e cultural que a Caminhada possui ao longo de 16 anos no enfrentamento às diversas manifestações de violência sofrida pelo povo de Terreiro, e o engajamento das lideranças religiosas e sociais na organização do evento. O acervo é composto por informações que contam a história do Engenho Velho da Federação e suas manifestações culturais, conteúdos ligados às temáticas abordadas em cada edição da Caminhada e registros das etapas de sua elaboração e realização. O projeto é...

Leia mais
Nelson Sargento durante ensaio fotográfico na Cidade das Artes, Rio de Janeiro, em setembro de 2014 — Foto: Claudia Martini/Enquadrar/Estadão Conteúdo/Arquivo

“Herança deixada por Nelson Sargento para a cultura não tem preço”, avalia escritor

O Brasil perdeu, nesta quinta-feira (27), o sambista carioca Nelson Sargento, aos 96 anos, vítima de covid-19. Sargento era presidente de honra da Escola de Samba Mangueira e autor de diversos sucessos como “Agoniza, mas não morre”. Além de cantor e compositor, Sargento também era admirável nas artes plásticas e no campo da escrita. Infelizmente, o sambista foi diagnosticado com o novo coronavírus na última sexta-feira (21), quando foi internado. Para o professor e escritor Luiz Ricardo Leitão, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), “a herança deixada pelo Nelson para a nossa cultura, não tem preço”. Leitão é doutor em estudos literários pela Universidad de La Habana, coordenador do Acervo Universitário do Samba e autor do livro Noel Rosa: Poeta da Vila, Cronista do Brasil e das biografias de Aluísio Machado, Zé Katimba e Rosa Magalhães. Ele diz que Sargento vai servir como um farol dando luz...

Leia mais
IZA: reconhecimento na Time (Foto: Reprodução/ Instagram)

Iza é eleita ‘Líder da Próxima Geração’ pela TIME e destaca luta contra racismo: ‘Microfone é arma’

A cantora Iza é sinônimo de empoderamento e representatividade e sua importância no cenário mundial foi notada pela revista norte-americana "TIME". A carioca foi eleita uma das "Líderes da Próxima Geração" pela publicação e comentou seu envolvimento com a questão da desigualdade racial. "Não falo sobre racismo porque é um assunto de que gosto muito. Falo sobre isso porque é necessário", indicou. Aos 30 anos, ela sempre manifesta nas redes sociais sobre a pauta e defende a busca por uma sociedade mais igualitária e justa. "Eu realmente acredito que nosso microfone é uma arma e precisa ser usado com sabedoria, não só para conseguir nossas realizações pessoais, não só para pagar contas ou fazer as pessoas dançarem, mas também para fazer as pessoas aprenderem", afirmou a cantora. 'AJUDAR E INSPIRAR UNS AOS OUTROS', ACONSELHA IZA A artista também contou que, apesar de sempre ter recebido apoio de casa, sentia a...

Leia mais
Foto sem data, feita entre os anos 1904 e 1908, mostra um soldado com prisioneiros de guerra na Namíbia — Foto: Divulgação/Arquivos nacionais da Namíbia / AFP

Alemanha reconhece que cometeu genocídio na Namíbia

A Alemanha reconheceu pela primeira vez que cometeu um genocídio contra as populações das etnias hereros e namas da Namíbia no início do século XX, durante o período colonial. As autoridades do país africano afirmaram que a Alemanha deu um "passo na direção correta". "Do ponto de vista atual, hoje qualificaremos estes acontecimentos como o que são: um genocídio", declarou o ministro alemão das Relações Exteriores, Heiko Maas, em um comunicado. A Alemanha também anunciou que vai pagar ao país 1,1 bilhão de euros (R$ 7 bilhões) para ajudar no desenvolvimento e na reconstrução do país. A quantia será paga ao longo de um período de 30 anos e deve beneficiar de maneira prioritária os descendentes das duas etnias. Do ponto de vista jurídico, não se trata de uma compensação, e este reconhecimento não abre caminho para uma "demanda legal de indenização". Imagem de 2017 mostra...

Leia mais
O cantor e compositor de samba Nelson Sargento durante entrevista na sede do Cordão da Bola Preta, no Centro do Rio de Janeiro, em setembro de 2010 — Foto: Paulo Vitor/Estadão Conteúdo/Arquivo

Morte de Nelson Sargento: amigos e famosos lamentam perda do baluarte

Companheiros de vida, de samba e de Avenida lamentaram a morte de Nelson Sargento, nesta quinta-feira (27). O baluarte de 96 anos morreu às 10h45, seis dias após ser internado no Instituto Nacional do Câncer (Inca), diagnosticado com Covid. Veja o que foi dito da perda: Cláudio Castro, governador do RJ “Perdemos hoje um dos maiores representantes do samba, presidente de honra da Estação Primeira de Mangueira e ícone da nossa cultura popular. Desejo que Deus o receba com todo seu amor. À família, amigos e fãs, compartilho meu pesar.” Eduardo Paes, prefeito do Rio “O samba, o Rio e o Brasil perdem seu Nelson Sargento. Ele nos ensinou que o samba agonizava mas não morria. Queríamos nós que Seu Nelson fosse imortal como o samba que ele tanto amava. Mas ninguém é. Por ironia do destino, ele nos deixa no ano em que não teve carnaval. Seu Nelson é...

Leia mais

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist