Peres Jepchirchir quebra recorde mundial de maratona

Enviado por / FonteGE

Em Londres, queniana faz o melhor tempo da história de uma maratona em que as mulheres não correram ao mesmo tempo que os homens; marca é de 2h16m16s

A queniana Peres Jepchirchir quebrou, neste domingo, o recorde mundial feminino da maratona ao vencer a prova em Londres com o tempo de 2h16m16s. A marca é a melhor da história em uma prova em que as mulheres não correram ao lado de homens, ou seja, é o recorde mundial “only woman”.

A divisão existe pois, em algumas provas, as mulheres largam em pelotão que, em algum momento da prova, se encontram os homens, podendo, de alguma forma, se aproveitar da situação. O recorde mundial da maratona sem o “only woman” é de Tigst Assefa, com 2h11min53s, batido no fim do ano passado.

Queniana quebra o recorde mundial — Foto: World Athetics

Na prova deste domingo, aliás, Peres Jepchirchir deixou para trás exatamente Assefa, que terminou sete segundo atrás com a medalha de prata. Joyciline Jepkosgei foi a terceira colocada.

Já existia a expectativa desse recorde mundial ser quebrado e, logo nos cinco primeiros quilômetros, o primeiro pelotão já estava em um ritmo alucinante, com 15min44s. Na metade da prova, sete atletas passaram com o tempo de 1h07m04s. Até os últimos 500 metros, as três primeiras colocadas estavam coladas, fazendo valer o sprint final para que a vencedora da prova fosse definida.

+ sobre o tema

Aline Santos

Os espanhóis dão muita atenção à formação, enquanto aqui...

Condephaat tomba cinco terreiros de religiões de matriz africana

Centros culturais e casas de culto ficam na cidade...

Série fotográfica retrata mais de 400 bailes funks

Trabalho “Rio Baile Funk! Favela Rap” foi realizado ao...

para lembrar

Pitanga e o país que poderia ter sido

Documentário sobre o ator notável provoca ao dar ao...

São Paulo reconhece 4 áreas de quilombos

As comunidades ficam em Eldorado, Iguape e Iporanga e,...
spot_imgspot_img

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

Cientistas revelam mistério por trás dos antiquíssimos baobás, as árvores da vida

Cientistas afirmam ter resolvido o mistério em torno da origem dos antigos baobás. De acordo com análises de DNA, as árvores teriam surgido pela primeira...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...
-+=