blank blank blank
terça-feira, março 2, 2021

Mercado de Trabalho

Marcos Santos/USP Imagens Carteira de trabalho

Pandemia deixa mais da metade das mulheres fora do mercado de trabalho

O efeito devastador da Covid-19 sobre o emprego –em especial sobre o setor informal– está atrasando a volta de mulheres ao mercado de trabalho. Segundo a Pnad Contínua, do IBGE, 8,5 milhões de mulheres tinham deixado a força de trabalho no terceiro trimestre de 2020 (último dado disponível), na comparação com o mesmo período do ano anterior. Esse movimento rumo à inatividade –situação em que a pessoa não trabalha nem procura uma ocupação– fez com que mais da metade da população feminina com 14 anos ou mais ficasse de fora do mercado de trabalho. A taxa de participação na força de trabalho ficou em 45,8%, uma queda de 14% em relação a 2019. Na comparação com o primeiro trimestre, antes dos efeitos da pandemia tomarem conta da economia e da vida social das famílias, o número de trabalhadores fora da força de trabalho teve um incremento de 11,2 milhões de...

Leia mais
Em Londres, manifestantes gesticulam e gritam durante um protesto do 'Black Lives Matter' após a morte de George Floyd, nos EUA. Para empresas, discussões sobre racismo se reacenderam em 2020. — Foto: Simon Dawson/Reuters

Coalizão de 48 empresas firma compromisso contra o racismo no ambiente de trabalho

Uma coalizão de 48 multinacionais, dentre as quais Microsoft, Google, Facebook e Coca-Cola, anunciou um compromisso contra o racismo e por mais equidade racial entre os funcionários. A iniciativa foi revelada nesta segunda-feira (25), no Fórum Econômico Mundial. Chamada "Partnering for Racial Justice in Business" (que se traduz como União pela Justiça Racial nos Negócios), trata-se de um compromisso global de organizações e seus líderes para construir locais de trabalho "equitativos e justos" para profissionais com identidades raciais e étnicas sub-representadas, como diz o documento de divulgação. "Para projetar locais de trabalho racialmente justos, as empresas devem enfrentar o racismo em um nível sistêmico – abordando tudo, desde a mecânica estrutural e social de suas próprias organizações até o papel que desempenham nas comunidades em que operam e na economia em geral", diz o texto. As empresas envolvidas somam 5,5 milhões de funcionários em todo o mundo, em 13 diferentes...

Leia mais
blank

Edital: Chamada de trabalhos para compor a I COPECUNE

APRESENTAÇÃO: A Mandume Coletivo Cultural, via concurso Formação e Pesquisa – LAB PE, da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco – SECULT-PE, aprovou a realização da I Conferência Pernambucana de Produções Culturais Negras (I COPECUNE), que conta com a parceria institucional do Museu da Abolição (MAB - ibram) e curadoria do Mandume.  Com o tema: “PRODUÇÕES CULTURAIS, NEGRITUDE E MEMÓRIA" a realização da I COPECUNE pretende abordar o debate sobre a produção cultural da população afro-pernambucana, em especial, como essa vem experienciando e utilizando “novas” maneiras de pensar, criar e ressignificar seus processos, se utilizando de suas memórias afetivas, ancestrais, territoriais, corporais e outras.  Visando cumprir com todo regimento do edital financiador, a I COPECUNE acontecerá entre os dias 22 e 26 de fevereiro de 2021 e será totalmente virtual, transmitida a partir do canal do youtube do Museu da Abolição. O evento contará com mesas de debates e...

Leia mais
Foto: Valdecir Galor/SMCS

Mulheres são as maiores vítimas da pandemia no mercado de trabalho

Em termos gerais, toda a população sofre com as consequências do isolamento social e da quarentena impostos pela pandemia, mas nem todos com a mesma intensidade. Números da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) revelam uma desigual distribuição dos danos causados pelo vírus. As mulheres representam quase a metade dos chefes de família no Brasil (49,5%) e dependem muitas vezes de diversos apoios para poderem exercer seus ofícios, seja na contratação de outra mulher, doméstica, seja na existência de creches e escolas onde possam deixar seus filhos. Toda a rede de apoio está comprometida pelo isolamento social e a mulher, mesmo que deseje ou necessite, não consegue voltar ao mercado de trabalho. Na desigualdade de gênero estrutural, ela ganha menos que o homem, disputa as vagas menos qualificadas no mercado e quando há crise são as primeiras a perder postos de trabalho. O que a PNAD de...

Leia mais
Fachada do TST-Divulgação

Falta de diversidade racial em guia de padronização visual de empregados é considerada discriminatória

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho considerou que a falta de diversidade racial no guia de padronização visual da rede de laboratórios Fleury S.A., de São Paulo (SP), é uma forma de discriminação, ainda que indireta. Para a Turma, o guia, ao deixar de contemplar pessoas negras, tem efeito negativo sobre esses empregados e fere o princípio da igualdade. Padronização A decisão foi proferida na reclamação trabalhista ajuizada por uma operadora de atendimento. Ela disse que, antes de exercer a função, havia passado por um treinamento treinamento de capacitação técnica e de aspectos estéticos e visuais durante 40 dias. Na segunda etapa, denominada Treinamento de Padronização Visual, em que era explicado o padrão adotado em relação a cabelos, vestimenta e maquiagem, foi distribuído um material que lhe causara estranheza, por não fazer referência à cútis ou ao cabelo da raça negra. Um das exigências do guia de padronização...

Leia mais
Carteira de trabalho Foto: Agência O Globo/Jornal Extra

Desemprego no Brasil salta a taxa recorde de 14,6% no 3º trimestre e atinge 14,1 milhões

O desemprego no Brasil saltou para uma nova taxa recorde de 14,6% no trimestre encerrado em setembro, afetando 14,1 milhões de pessoas, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice de 14,6% corresponde a um aumento de 1,3 ponto percentual em relação ao 2º trimestre (13,3%), e de 2,8 pontos percentuais frente ao mesmo intervalo do ano passado (11,8%). "Essa é a maior taxa registrada na série histórica do IBGE, iniciada em 2012, e corresponde a 14,1 milhões de pessoas. Ou seja, mais 1,3 milhão de desempregados entraram na fila em busca de um trabalho no país", informou o IBGE. O resultado do 3º trimestre ficou ligeiramente abaixo do estimado em pesquisa da Reuters junto a especialistas, de 14,9%. O desemprego vem renovando recordes desde julho no país, à medida em...

Leia mais
Photo by Tima Miroshnichenko from Pexels

Sobre mordaças e Chicoachings Contemporâneos

Ao procurar emprego no linkedin, me deparei com essa publicação da https://www.artemisia.org.br/empregabilidade/ que trouxe o seguinte excerto: “Reitero a defesa de Saadia Zahidi, diretora-administrativa do Fórum Econômico Mundial, quando diz que as organizações bem-sucedidas e inovadoras são aquelas alimentadas pela diversidade de opiniões, habilidades e experiências de vida. Garantir justiça social, paridade de gênero, inclusão das pessoas com deficiência, das pessoas LGBTQIA+ e respeito à diversidade humana precisa ser o ‘novo normal’ que deve emergir da crise provocada pela covid-19.” Ontem assisti uma palestra incrível com Raj Sisodia que me fez acreditar que o que eu penso em relação a novas relações entre colaboradores e empresa, não podem se manter da forma que estão. Passei a noite sem dormir, assim tem sido toda essa semana. Preciso falar sobre isso. E toda vez que sinto essa necessidade, a mordaça volta a minha boca. Fui demitida por questionar o salário que recebia...

Leia mais
Foto: GETTY

Maioria das mulheres negras não exerce trabalho remunerado, aponta estudo

Menos da metade das mulheres negras brasileiras exerce trabalho remunerado e apenas 8% das que trabalham no mercado formal ocupam cargos de gerente, diretora ou sócia proprietária de empresas, aponta pesquisa realizada pela consultoria Indique Uma Preta e pela empresa Box1824. Segundo as responsáveis pelo levantamento, os dados mostram a importância de as empresas estarem atentas à diversidade, não apenas nos processos de seleção, mas também na evolução da carreira das profissionais negras dentro das corporações. Prevista para ser lançada nesta quarta-feira (28), a pesquisa "Potências (in)visíveis: a realidade da mulher negra no mercado de trabalho" ouviu 1 mil mulheres negras, com idades entre 18 e 65 anos, entre março e setembro deste ano. Das entrevistadas, 54% não exerciam trabalho remunerado e, destas, 39% estavam em busca por emprego. "Apesar de a população negra ser a maioria da população, ela é ao mesmo tempo a mais subutilizada e mais desocupada....

Leia mais
Carteira de trabalho Foto: Agência O Globo/Jornal Extra

Reflexo da desestruturação do mercado, 63% dos brasileiros temem perder emprego

Seis em cada 10 trabalhadores brasileiros têm medo de perder o emprego nos próximos 12 meses, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos a pedido do Fórum Econômico Mundial (FEM). O Brasil está entre os 10 países com a maior proporção de empregados com esse temor. O levantamento mostra que a Rússia possui mais trabalhadores com medo do desemprego (75%), seguida pela Espanha (73%). Em nono, o Brasil possui 63%. Entretanto, os brasileiros possuem nível alto de preocupação, e 32% se disseram muito preocupados com a ameaça de demissão. Fausto Augusto Junior, diretor técnico do Dieese, afirma que o medo dos brasileiros de perder o emprego está vinculado à estruturação do mercado de trabalho. “Os países como Brasil e Rússia, que possuem um mercado desestruturado, levam um receio muito grande para seus trabalhadores em relação à perda do emprego”, explicou, em participação no Jornal Brasil Atual. No Brasil, a elevada taxa...

Leia mais
Reprodução Roda Viva/TV Cultura Fonte: undefined - iG @ https://economia.ig.com.br/2020-10-19/nubank-roda-viva.html

Fundadora do Nubank diz que é difícil contratar negros e que empresa não pode “nivelar por baixo”

Em entrevista ao programa Roda Viva, na segunda-feira (19), a cofundadora do Nubank, Cristina Junqueira, afirmou que tem dificuldade de encontrar candidatos negros adequados para as exigências das vagas na empresa. Ela disse ainda que investe em programas de formação gratuitos, mas que não pode “nivelar por baixo”. Na entrevista, Junqueira admite que o Nubank possui um problema de representatividade racial, mas afirma que sua equipe trabalha para contornar a situação. “Já faz algum tempo que a gente procura para várias posições, inclusive uma vice-presidente de marketing para trabalhar comigo. Estou há bastante tempo procurando e é difícil. Recrutar Nubank sempre foi difícil”, afirma. A jornalista Angelica Mari, da Forbes Brasil, então questiona se esse “alto grau de exigência” não pode ser uma barreira para minorias. A executiva então responde: “Não dá para também nivelarmos por baixo. Por isso que queremos fazer investimento em formação. Criamos um programa gratuito, que...

Leia mais
Divulgação/Natura

Natura abre estágio com 50% das vagas destinadas à estudantes negros

A Natura anunciou nesta quinta-feira (8) a abertura do seu programa de estágio 2021. Ao todo serão oferecidas 90 vagas, sendo que metade será destinada a estudantes negros. A bolsa auxílio é de R$ 1.400 e não há limitação de idade ou universidade. Também não é exigido inglês. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Natura, no processo seletivo do ano passado, a companhia já tinha alcançado 50% de candidatos negros e, por isso, a expectativa é que agora ultrapasse esse percentual. Para concorrer à vaga, o candidato deve estar cursando o penúltimo ou último ano da faculdade. As inscrições vão até o dia 30 de outubro e o início do estágio é em fevereiro de 2021. O processo será online e se o candidato não tiver internet para participar da dinâmica, a empresa avisa que vai tentar ajudar o candidato nesta questão.   Saiba mais clicando aqui...

Leia mais
(Foto: Arquivo Pessoal)

Estão abertas as inscrições para o programa Grow Startup – Cresça seu negócio

Para quem deseja orientação para empreender em tempos de pandemia, estão abertas inscrições gratuitas para o Grow Startup – Cresça seu negócio, oferecido pela BlackRocks Startup. O Grow Startup é um programa de aceleração voltado para o empreendedor negro que ensina o empresário e sua equipe a aprimorar o negócio, lidar com os desafios do mercado, além de agregar conhecimento através de mentorias, workshops, contato com possíveis clientes e muito networking. As empresas selecionadas para o Grow Startups terão acesso ao boostLAB, hub de negócios do BTG Pactual para as empresas Tech dedicado a conexão e potencialização de startups em nível avançado -, créditos de US$ 5mil por dois anos em ferramentas e recursos da Amazon e ao programa de conexão das startups com grandes empresas. Tudo isso com o objetivo de fortalecer a rede de networking desses empreendedores bem como criar oportunidades de negócios e acesso à fundos de...

Leia mais
Notícias sobre racismo neste ano deram força ao debate sobre a participação de negros no mundo do trabalho. (Imagem: Lyubov Ivanova/iStock/Getty Images Plus)

A luta por novas cores nas empresas

A ONG Educafro, com um largo histórico de defesa da causa negra, enviou cartas em agosto para três nomes influentes no mercado financeiro brasileiro: Gilson Finkelsztain, presidente da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3; Marcelo Barbosa, presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão estatal que regula e fiscaliza o mercado de capitais; e Pedro Melo, diretor-geral do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), dedicado ao fomento de boas práticas de governança nas empresas. Com um preâmbulo respeitosamente protocolar, o texto não economiza no tom de denúncia bem característico da retórica ativista adotada há décadas pela ONG, uma das pioneiras na defesa de cotas raciais em universidades no Brasil. Em resumo, acusa as entidades dirigidas pelos três executivos de se omitir diante da ausência de pretos e pardos nas salas refrigeradas onde são tomadas as decisões nas empresas de um país em que eles são 56% da população....

Leia mais
(Divulgação Afrohub)

Facebook e Afrohub lançam plataforma gratuita para capacitar empreendedores negros

Com o objetivo de fomentar negócios criados por empreendedores negros, o Facebook e organizações do ecossistema de afroempreendedorismo do país como Pretahub, Feira Preta, Diaspora.Black e Afrobusiness lançaram a terceira edição do Afrohub. Criado em 2018, o Afrohub é um programa de aceleração com conteúdos voltados para digitalização e desenvolvimentos de negócios que já capacitou mais de 4 mil afroempreendedores em todo o país. Nesta edição, as capacitações ocorrem de forma digital, através de uma plataforma educacional criada especialmente para a iniciativa, que distribuirá o conteúdo em diferentes formatos e nas redes sociais. O programa abordará temas como gestão, finanças, vendas e comunicação ao longo de oito meses de formação. A expectativa dos idealizadores é de capacitar 100 mil empreendedores nesta nova etapa do Afrohub. “Nesse terceiro ano, vamos posicionar a iniciativa Afrohub no processo de transformação digital. O contexto da pandemia mostrou que os nanos e microempreendedores, principalmente os...

Leia mais
Unidade do Magazine Luiza no Ribeirão Shopping — Imagem retirada do site G1

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 10 e a Igualdade Racial no Mercado de Trabalho

Este ano começou com muitas mudanças no mundo do trabalho, com a pandemia muitos trabalhadores perderam seu ganha pão e como era de se esperar os negros são os mais prejudicados com o desemprego e piores condições de trabalho. Mas o mercado também está surpreendendo com ações pontuais de contratação de negros para cargos de maior responsabilidade. Uma iniciativa inovadora do Magalu chega para contribuir com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Algumas empresas e instituições estão com iniciativas de disponibilizar vagas direcionadas para negros em cargos de maior responsabilidade. O movimento é positivo, mas precisamos monitorar essas vagas para saber quem está sendo contratado, se os cargos estão realmente sendo ocupados por negros. Esse movimento está em evidência e requer um olhar analítico para não correr o risco do “Marketing Racial”, que consiste na contratação de uma pessoa negra como estratégia de propaganda, visando o lucro, não...

Leia mais
Divulgação

Evento online aborda inclusão de jovens negros no trabalho

Nesta semana, ocorre o evento virtual Afro Presença. De 30 de setembro até 2 de outubro, estudantes universitários negros de todo o Brasil podem se inscrever para participar do evento, online e gratuito, voltado para a inclusão desses jovens no mercado formal de trabalho. O Ministério Público do Trabalho idealizou e coordena o Afro Presença, que é realizado ainda pelo Pacto Global da ONU, com apoio do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil. Dentre debates e discussões sobre como ingressar no mercado, os participantes também terão acesso a vagas de trabalho. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no site afropresenca.com.br, basta preencher o formulário de inscrição. Os jovens universitários negros podem se inscrever até o final do evento, em 2 de outubro. O Afro Presença contará com mural de empregos e oficinas para que os estudantes aprimorem seus currículos e se preparem para entrevistas. Diversas...

Leia mais
Negras e negros no mercado de trabalho: evento também dará acesso a vagas de emprego (We Are/Getty Images)

MPT e ONU chamam jovens negros para evento gratuito de inclusão no mercado

Como avançar no debate sobre diversidade e promover a inclusão de jovens negras e negros no mercado? O Ministério Público do Trabalho quer acelerar essa transformação com o evento online Afropresença, que ocorre entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro. Realizado junto com o Pacto Global da ONU, o evento será gratuito e focado no público de jovens negras e negros matriculados em universidades. Para o encontro de três dias, eles trarão grandes empresas, universidades, movimentos sociais e especialistas para debater temas de empregabilidade, diversidade, inclusão e carreira. Serão oficinas, painéis e palestras focadas na inserção do público universitário no mercado formal de trabalho. Quem se inscrever pelo site do evento também terá acesso a vagas de emprego e poderá compartilhar seu currículo. A pandemia foi um obstáculo para o evento já planejado para ser presencial em São Paulo. Ao ser adaptado para o virtual, o desafio virou uma oportunidade para conversar com um público mais...

Leia mais
Carteira de trabalho e previdência social - Gabriel Cabral/Folhapress

Desemprego diante da pandemia tem alta de 27,6% em quatro meses no país, aponta IBGE

O Brasil encerrou o mês de agosto com cerca de 12,9 milhões de desempregados, 2,9 milhões a mais que o registrado em maio, o que corresponde a uma alta de 27,6% no período. É o que apontam os dados divulgados nesta quarta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já a população ocupada no mercado de trabalho foi estimada em 82,1 milhões de pessoas, acumulando redução de 2,7% em relação a maio, quando este contingente somava cerca de 84,4 milhões de pessoas. País encerrou agosto com o maior número de desempregados desde que o IBGE começou a analisar o desemprego na pandemia — Foto: Economia/G1 Com isso, a taxa de desocupação ficou em 13,6%, a maior no acumulado mensal desde então. Entre as cinco regiões do país, as maiores taxas foram observadas no Nordeste (15,7%), no Norte (14,2%) e no Sudeste (14,0%). Já as...

Leia mais
A primeira turma de medicina da federal do Recôncavo teve 12 alunos negros, cerca de 40% do total dos formandos - Arquivo pessoal/Imagem retirada do site Folha de São Paulo

Homem branco com ensino médio privado e superior público tem renda maior

Fazer ensino médio em escola privada e universidade pública, realidade de uma minoria de brasileiros, resulta em salários maiores no futuro. Mas a vantagem não é proporcional entre todos os formandos dessas modalidades de ensino mais valorizadas, aponta estudo do Insper. Mesmo entre aqueles que cursaram o ensino superior público, um homem branco chega a ganhar em média quase 160% a mais do que uma mulher negra (considerando a soma de autodeclaradas pretas e pardas). E esse diferencial não está ligado somente à escolha de cursos, já que mesmo dentro de uma mesma profissão a vantagem dos homens brancos se mantém. Entre médicos que se formaram em universidade pública, por exemplo, um homem branco ganha em média R$ 15,1 mil, um homem negro R$ 10,6 mil, uma mulher branca R$ 6,6 mil e uma mulher negra R$ 6,4 mil. “Há uma estratificação bem clara: quem mais ganha é o homem branco,...

Leia mais
Diretores e sócios da Mooc (Movimento Observador Criativo) - Rubens Cavallari/Folhapress

Publicitários negros criam agências com foco em diversidade

O incômodo de trabalhar com equipes apenas de pessoas brancas ou com uma única pessoa negra e as dificuldades de conseguir espaço no mercado publicitário impulsionam jovens negros a criar suas próprias agências. Foi o que deu origem ao Gana, projeto formado por seis publicitários negros há um ano. O coletivo, com foco em conteúdo, podcast, design e audiovisual, tenta mostrar como a diversidade pode ampliar o olhar e apresentar reflexos na qualidade dos produtos finais. "O nome que a gente quer não é agência. Queremos trabalhar outros formatos, somos mais um estúdio de criatividade", explica Ary Nogueira, 41, um dos responsáveis pelo Gana. O grupo tem quatro clientes frequentes e outros projetos pontuais e se propõe a "pensar o futuro da propaganda com um espaço que é conquistado, e não cedido", afirma Ary, que é diretor de arte. Do portfólio eles destacam trabalhos com a Boogie Naipe –produtora que...

Leia mais

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist