quinta-feira, setembro 24, 2020

    Mercado de Trabalho

    Luiza Helena Trajano (Foto: Lailson Santos/Divulgação)

    Magazine Luiza quer negros em cargos de liderança

    Sempre muito visionária, engajada de fato com causas sociais, direitos humanos e questões raciais, a empresária Luiza Trajano, CEO da rede Magazine Luiza, decidiu colocar apenas negros no próximo programa de trainees, em 2021. Luiza Trajano participou do primeiro Fórum Brasil Diverso, onde despertou para as questões raciais. Assim como a Magazine Luiza, empresas como a Ambev e a L’Oreal têm se voltado para a inclusão de negros em seus quadros, visando lideranças. O assunto toou conta das redes sociais no final de semana e a maciça maioria dos internautas apoiou e elogiou a medida. A deputada federal Benedita da Silva (PT) destacou que a Magalu tem 53% de pretos e pardos em seu quadro de funcionários, mas apenas 16% deles em cargos de liderança. Pai adotivo de duas crianças negras, o ator Bruno Gagliasso se posicionou. Ele chamou os “irmãos brancos para uma conversa” e afirmou que o racismo...

    Leia mais
    Filtro de candidatos pode excluir por cor de pele, idade, gênero e classe social Foto: Gender Spectrum Collection

    Uso de algoritmos em processo seletivo de emprego pode prejudicar candidatos

    As máquinas tomam mais decisões sobre as nossas vidas do que se pode imaginar. Algoritmos podem decidir se um indivíduo terá um crédito aprovado ou até se será selecionado para uma vaga de emprego. Mas, apesar de transmitir a sensação de imparcialidade, muitas vezes, essa tecnologia pode reforçar preconceitos humanos. O professor do Instituto Connect de Direito Social (ICDS), Thiago Junqueira, destaca que, embora confira mais rapidez e eficiência às contratações, o uso de robôs pode amplificar discriminações presentes na sociedade. Esse problema foi, inclusive, tema de sua tese de doutorado, que resultou em um livro. — A inteligência artificial não é neutra. Ela aprende a partir de padrões e ajustes — explica Junqueira: — Vamos imaginar que um recrutador queira selecionar um candidato com perfil semelhante ao dos melhores funcionários da empresa. Se a organização tem mais trabalhadores homens, apesar de não usar diretamente o fator gênero, acaba prejudicando...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/ Magazine Luiza)

    Magazine Luiza abre inscrições de trainee só para negros

    O Magazine Luiza anunciou em comunicado a abertura de inscrições para seu programa de trainee 2021, que aceitará apenas candidatos negros. “O objetivo do programa é trazer mais diversidade racial para os cargos de liderança da companhia, recrutando universitários e recém-formados de todo Brasil, no início da vida profissional”, informou a empresa, em comunicado. Em post no Twitter, Luiza Helena Trajano afirmou: “Um passo importante para consolidarmos a diversidade da empresa”. Serão aceitos candidatos formados de dezembro de 2017 a dezembro de 2020, em qualquer curso superior. Conhecimento de inglês e experiência profissional anterior não são pré-requisitos para a seleção. O salário é de R$ 6,6 mil, com benefícios e bônus de contratação de um salário.

    Leia mais
    Maurício Rodrigues, Vice-Presidente de Finanças da Bayer Crop Science e Sponsor do grupo BayAfro (Foto: Bayer/Divulgação)

    Bayer abre trainee para profissionais negros e com salário de R$ 6,9 mil

    A Bayer, empresa química e farmacêutica alemã, abre nesta-sexta-feira, 18, as inscrições para um programa inédito de trainee com vagas exclusivas para profissionais negros. São 19 vagas voltadas para a valorização étnico racial e no desenvolvimento de carreira para posições de liderança. “Estamos falando do maior programa que já lançamos e que é resultado de um processo dentro da empresa que vem caminhando há um tempo, com uma série de medidas para reforçar o compromisso da empresa com diversidade e inclusão”, fala Maurício Rodrigues, vice-presidente de Finanças da Bayer Crop Science. O executivo é o patrocinador do grupo BayAfro, a vertente do grupo de diversidade que trabalha a temática racial. Segundo ele, a companhia colocou um direcionamento muito claro de que precisa ser inclusiva para inovar. Um dos trabalhos feito internamente foi o de educar os colaboradores para trabalhar vieses inconscientes. “Não adianta só trazer a pessoa para dentro da...

    Leia mais
    blank

    Fundo BAOBÁ contrata: Assistente Administrativo Financeiro l

    IPO assessora o BAOBÁ nesta contratação O Fundo Baobá para Equidade Racial é o primeiro e único fundo dedicado, exclusivamente, para a promoção da equidade racial para a população negra no Brasil. Criado em 2011, o Baobá - Fundo para Equidade Racial tem por objetivo mobilizar pessoas e recursos, no Brasil e no exterior, para o apoio a projetos e ações pró-equidade racial. Baobá atua pela equidade racial, justiça social e quer fortalecer a diversidade na organização. Acesse nossa página para maior conhecimento: www.baoba.org.br Objetivo do cargo: Apoiar o escritório em todas as tarefas da área administrativa e financeira garantindo um padrão de qualidade e excelência nas atividades internas, apoiando-se nas melhores práticas de gestão e transparência. Principais Responsabilidades: *Elaborar planilhas e efetuar os lançamentos dos controles financeiros para as ações programáticas, lançamento de operações de pagamentos, recebimento de doações, obrigações fiscais e fundo patrimonial, considerando despesas previstas x realizadas...

    Leia mais
    Carteira de trabalho Foto: Agência O Globo/Jornal Extra

    Participação das mulheres no mercado de trabalho é a menor em 30 anos, diz Ipea

    O desemprego na pandemia atingiu com mais força as trabalhadoras no Brasil. De acordo com um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea, a participação das mulheres no mercado de trabalho é a menor em 30 anos. Em junho, Núbia estava feliz: tinha acabado de ser contratada depois de meses de procura. Mas o emprego como recepcionista durou só 12 dias. Não foi só com a Núbia. Tem mais mulheres fora do mercado de trabalho do que dentro dele. A participação delas, que vinha em uma tendência de alta nas últimas três décadas, caiu para apenas 46,3% entre abril de junho de 2020. Em comparação com o mesmo período de 2019, a queda foi de 7 pontos percentuais. A participação dos homens no mercado de trabalho também diminuiu, mas menos: 6 pontos percentuais. O pesquisador do Ipea vê algumas razões para a perda de espaço das mulheres. “O...

    Leia mais
    blank

    Programa Trainee Itaú Unibanco 2021

    Neste ano o Programa tem uma super novidade, os trainees poderão escolher na partida uma das duas trilhas de desenvolvimento: Negócios Varejo ou Negócios Atacado. Cada uma dessas trilhas visa dar aos trainees uma visão holística dos negócios do banco, envolvê-los com times multidisciplinares, colocá-los em contato com diversas especialidades, incentivá-los a trabalhar nos novos formatos de trabalho com ferramentas e metodologias inovadoras e impulsioná-los na formação da liderança. Pré - requisitos: Sabia que você ainda não precisa estar formado para participar do nosso Trainee? Aceitamos candidatos com graduação de bacharelado ou licenciatura de longa duração entre dezembro de 2018 a julho de 2022; Inglês avançado apenas para a trilha de Negócios Atacado. Se você estiver participando do processo para Negócios Varejo, o inglês não é exigido e, caso não tenha nível avançado, você terá a oportunidade de receber um curso de idioma durante o programa; Qualquer curso de graduação...

    Leia mais
    Adriana Barbosa (Foto: Renato Stockler/NA LATA)

    A juventude negra não quer apenas consumir a diversidade. Ela quer criá-la

    Passei por uma das melhores experiências da minha vida quando produzi, no ano passado, o Festival Pretas Potências. Como parte da construção do conceito do Festival Feira Preta que completara sua maioridade no mesmo ano, realizamos uma imersão estruturada em torno do número 18. Por alguns dias, reunimos 18 jovens negros, de 18 anos de idade, sensíveis às questões raciais, para participar de uma imersão que teve o objetivo de refletir sobre quais são as histórias e vivências que criaram os caminhos que trouxeram a população negra até onde ela está hoje, nas mais diferentes áreas de atuação. Aquele momento da imersão nos permitiu ouvir jovens que não passaram pelo processo de "se tornar negro". Uma geração que "já nasceu negra". Junto com os convidados griots, como são conhecidos os guardiões da memória africana e afrobrasileira, responsáveis por passar aos jovens os ensinamentos desta cultura, criamos um momento de passagem...

    Leia mais
    O cardiologista Rafael Bispo se uniu ao empresário Raiam Santos para criar bolsas de estudo para alunos negros de medicina Foto: Agência O Globo

    Filantropia negra se volta para a inclusão social contra o racismo persistente e estrutural

    Sócio de uma rede de clínicas populares no Rio, o cardiologista Rafael Bispo conhece bem as dificuldades enfrentadas por estudantes negros para se tornarem médicos no Brasil. São poucos os profissionais negros como ele em hospitais e consultórios. Na juventude, ele passou por cima de preconceitos e desestímulos, pegou dinheiro emprestado para pagar o vestibular e conciliou os estudos com trabalho. Hoje, quer que jovens estudantes negros interessados nessa carreira tenham melhores oportunidades. Para tornar isso realidade, resolveu agir. Uniu-se a outro empresário negro, Raiam Santos, para financiar dez bolsas de estudo para ajudar jovens negros aprovados em cursos de medicina a seguirem adiante até a formatura com menos percalços. Bispo é um dos empreendedores negros engajados em um movimento iniciado nos Estados Unidos em agosto de 2011, que tornou este o Mês da Filantropia Negra e cresce no Brasil: investir em ações concretas para a inclusão social de outros...

    Leia mais
    Solange Sobral (Foto: Celso Tavares/G1)

    Diversidade e inclusão no pós-pandemia

    O tema da diversidade e inclusão, e a sua importância, já vinha sendo debatido com frequência dentro das empresas, inclusive pelos altos níveis de liderança em algumas delas. Uma gama de estudos aponta que companhias com equipes diversas e heterogêneas geram melhores resultados nos negócios. Essa pauta estava em destaque, e com a pandemia ela ganha força em algumas empresas e simplesmente sai de cena por questões de priorização em outras. Independentemente das conversas sobre D&I dentro dos ambientes corporativos, a observação dos números reais durante pandemia são preocupantes e demonstram uma concentração de prejuízo para os grupos mais vulneráveis e com menor representatividade nas lideranças dessas organizações. O levantamento de diversas entidades, como a Organização Internacional do Trabalho e o IBGE, apontam que homens e mulheres negros, historicamente mais afetados pelas crises econômicas, serão novamente os mais vulneráveis no momento atual no Brasil. Nos EUA, dos 40 milhões de postos...

    Leia mais
    Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta | Divulgação / Renato Stockler

    Feira Preta ganha plataforma de e-commerce e inaugura espaço para apoiar negócios na transformação digital

    Tradicional evento de empreendedorismo e cultura negra, a Feira Preta vai ganhar uma plataforma de comércio eletrônico, o PretaHub.com. O projeto é uma parceria com o banco Santander e vai ao ar em novembro, quando acontecerá a 19ª edição da Feira Preta — este ano em versão exclusivamente virtual e focada em conteúdo: com shows, palestras e workshops em celebração da cultura negra. O portal PretaHub vai funcionar como um marketplace e já conta com 1.000 empreendedores cadastrados. Junto com o e-commerce, nasce também a Casa PretaHub, um espaço de convivência e de apoio à digitalização de pequenos negócios. A Casa está prevista para inaugurar em setembro e vai contar com estúdios de audiovisual para gravação de música e podcasts, cozinha para gravar de programas de gastronomia, impressoras 3D, biblioteca, área de exposições e ambiente de loja compartilhada. A Feira Preta nasceu em 2002 como uma feirinha na Praça Benedito...

    Leia mais
    Aglomerado da Serra — (Foto: Gabi Coelho/G1)

    ONG da maior favela mineira emprega 300 pessoas em plena pandemia 

    Kdu dos Anjos, 29, não tinha grandes pretensões quando fundou, em 2015, o centro cultural Lá da Favelinha no Aglomerado da Serra, maior favela do estado de Minas Gerais, na zona sul de Belo Horizonte. A ideia era simples: fazer uma biblioteca e promover oficinas de rap para a comunidade onde cresceu. Mas, logo no primeiro evento, preparado para receber 50 pessoas, apareceram duas mil. A potência com que a demanda reprimida da comunidade se expressou diante da iniciativa fez Kdu perceber a oportunidade de fazer algo maior ali. Hoje, a ONG, reconhecida internacionalmente, conta com 16 oficinas semanais (entre elas inglês, espanhol, teatro, artesanato, capoeira, balé e judô), uma marca de moda reciclável e sustentável (a Remexe, que tem até filial na Inglaterra); o evento de moda Favelinha Fashion Week; a batalha de passinho Disputa Nervosa; e o grupo de dançarinos Favelinha Dance. Com a pandemia, muitos planos foram...

    Leia mais
    O ganês Nana Baffour, CEO, Chairman e Chief Culture Officer da Qintess, uma das dez maiores empresas de tecnologia do Brasil (Imagem: Divulgação)

    Aceleradora busca impacto social com apoio a startups de negros

    "Você já foi atendido por um dentista negro?", pergunta Arthur Lima, 28, ele mesmo um cirurgião dentista de Salvador, a capital mais negra do país. Diante da recorrente resposta negativa, Lima diz conseguir chamar a atenção de seus interlocutores para a falta de representatividade negra no ecossistema brasileiro da saúde. Essa ausência de diversidade, aponta ele, é também uma questão de saúde, já que dificulta o diagnóstico de problemas que acometem mais as pessoas negras. Seu sócio, o jornalista Igor Leonardo, 33, é exemplo disso. Ele se submeteu a uma série de tratamentos ineficazes durante anos até obter o diagnóstico correto do problema que tinha: a foliculite capilar, prevalente em pessoas de peles negra.​ "O processo de formação de pessoas negras na área de saúde é um processo doloroso e há inúmeros casos de profissionais que, mesmo de jaleco branco em seu consultório, precisam explicar quem é o doutor ali",...

    Leia mais
    blank

    Mídia e Marketing #49: Celso Athayde, CEO da Favela Holding

    Celso Athayde, CEO da Favela Holding, é o entrevistado do podcast Mídia e Marketing, publicado hoje (18). Na entrevista, Celso fala sobre a real potência das favelas —e como as marcas podem aproveitar o potencial econômico destes territórios para ampliarem seus mercados. "A favela se vê como um espaço de potência. As grandes empresas precisam entender que as favelas não querem ser catequizadas. Elas precisam criar ações para estes territórios. É mais inteligente entender a realidade do que está perto de você", afirma (no arquivo acima, este trecho está a partir de 1:30). O executivo destaca que 13,6 milhões de pessoas moram em favelas no Brasil. Por isso, teve a ideia de criar, em 2015, a Favela Holding, que já possui mais de 20 empresas. Fazem parte da holding empresas como a FavelaLog, de logística e a agência de live marketing InFavela. No instituto de pesquisa DataFavela, Athayde trabalha ao...

    Leia mais
    Luta Permanente: Ana Carla Carneiro e Carolina Campos (Foto: Divulgação/AP)

    “As marcas não ouvem o público negro”

    Carolina Campos – Cofundadora do Estúdio Nina A publicitária Carolina Campos e a pesquisadora Ana Carla Carneiro lançaram o Estúdio Nina em 2019, que tem o objetivo de entender, decodificar e compartilhar conhecimento sobre o público negro. O propósito é ser a ponte que conecta mais da metade dos consumidores brasileiros às marcas que atuam no Brasil. “Falar de diversidade ou apenas incluir pessoas negras nas campanhas é insuficiente. É necessário estabelecer uma comunicação real e mais efetiva, e isso só é possível ouvindo esse consumidor. O mercado de pesquisa apresenta uma lacuna grave: não olha os negros, não tem dados e não se volta para suas necessidades particulares”, explica Ana Carla. Segundo a agência, mencionando estudos do IBGE, as famílias negras são responsáveis por um percentual muito elevado dos gastos da grande maioria de categorias: 61% de leite em pó, 49% de biscoito, 44% de sabonete, por exemplo. “Fomos...

    Leia mais
    Desenvolvimento do capital humano aumentou a produtividade agregada e a eficiência econômica (Getty Images)

    Como a ascensão de mulheres e negros impulsiona a economia

    Estudos realizados por pesquisadores americanos e brasileiros mostram que, graças ao início de uma mudança comportamental da sociedade, pessoas negras e mulheres passaram a ocupar cargos mais qualificados, antes negados apenas pela cor da pele ou sexo. Essa nova ordem econômica e social, que surgiu com força no começo da década de 1950, nos EUA, fez com que o chamado capital humano se desenvolvesse. Isso aumentou a produtividade agregada e a eficiência econômica e também influenciou positivamente o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois países entre as décadas de 1960 e 2010. Talentos desperdiçados Uma mulher nascida nos anos 1960 e com aptidão para a Medicina teria mais dificuldades em se formar médica naquela época, por conta do preconceito e das barreiras de gênero. Assim como era improvável que um homem negro se tornasse um advogado reconhecido na sociedade na época, por mais talentoso que fosse. Esses empregos...

    Leia mais
    Foto: Marcos Serra Lima/G1

    Pela primeira vez, mais da metade dos brasileiros não têm trabalho, diz IBGE

    Apenas 49,5% das pessoas com idade de trabalhar estavam ocupadas no trimestre encerrado em maio. É o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), divulgada na manhã desta terça-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é o menor nível de ocupação desde o início do levantamento, em 2012. Ainda, segundo o IBGE, o número apresenta uma queda de cinco pontos percentuais em relação ao trimestre encerrado em fevereiro. "Pela primeira vez na série histórica da pesquisa, o nível da ocupação ficou abaixo de 50%", diz Adriana Beringuy, analista da pesquisa. "Isso significa que menos da metade da população em idade de trabalhar está trabalhando. Isso nunca havia ocorrido na PNAD Contínua", acrescenta. Ou seja: mais da metade da população com idade para trabalhar está desocupada. O mercado de trabalho mostrou nos três meses até maio perda de vagas generalizadas, como consequência das...

    Leia mais
    Foto: Pedro Moraes/GOVBA

    Mercado de trabalho e informalidade no Brasil pós-Pandemia

    Introdução: Dias muito difíceis. Além da pandemia do Coronavírus, há o ambiente de crise política, e a tragédia de termos hoje um governo inepto e a economia paralisada. Esse é o cenário atual do Brasil. Já somos o país com maior incidência de mortes diárias pelo Covid-19. A equipe econômica está amedrontada e sem uma linha de ação traçada para esse momento. Cúmplice dos interesses dos bancos, evitam se desviar de sua política econômica, totalmente descolada da atual realidade. A cantilena da responsabilidade fiscal, fumaça e fogo para a implantação do Estado Mínimo e retirada das conquistas sociais históricas, não cabe no panorama atual. No momento de crise, a ação positiva do Estado é fundamental, até porque, nenhum empresário vai querer arriscar-se. Como sempre acontece, é o Estado o grande instrumento de enfrentamento da realidade mais perversa. Políticas keynesianas de aumento de gastos públicos e de reativação de setores-chave, potencialização...

    Leia mais
    Imagem: Edital Concurso do Brasil

    Concurso Bombeiros oferece 400 vagas de nível médio e ganhos de até R$ 4.263,67

    Atenção concurseiros! Saiu edital para o concurso Bombeiros PR 2020. São oferecidas 400 vagas para soldado de 2ª classe. Não deixe de se inscrever!   Imagem: Edital Concurso do Brasil Edital Concursos Brasil O edital para o concurso do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná (CBM PR) foi divulgado! O certame oferece 400 vagas e para concorrer é necessário o nível médio completo e, no máximo, 30 anos de idade. Além disso, o interessado também deve ter carteira de habilitação ou permissão para dirigir na categoria mínima “B”. Das vagas oferecidas, 50% são destinadas a pessoas do sexo feminino e 10% para afrodescendentes. As oportunidades estão distribuídas entre as cinco regiões militares paranaenses, sendo: Curitiba, região metropolitana e litoral, Londrina, Maringá, Ponta Grossa e Cascavel. A remuneração inicial de soldado de 2ª classe, função oferecida pelo certame, consiste em R$ 1.933,63. Essa quantia aumenta após a conclusão...

    Leia mais
    RAWPIXEL.COM

    Inclusão no mercado de trabalho é prioridade para a população negra, aponta estudo

    Em janeiro deste ano o Think With Google, uma página de análise de dados e tendências de mercado do Google, publicou um artigo sobre as cinco maiores urgências da população negra. A primeira, de acordo com o estudo, é a inclusão no mercado de trabalho. Por Patrícia Carvalho, do Quero Bolsa  RAWPIXEL.COM Para chegar a essa conclusão, foram entrevistados especialistas, criadores do youtube, assim como homens e mulheres autodeclarados pardos e pretos. Destes, 46% classificaram a inclusão no mercado de trabalho como a primeira urgência e acreditam que o tema é muito menos debatido do que deveria. No momento, o Brasil encontra-se em recessão econômica, fator que reflete na oportunidade de emprego, mas os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a situação é ainda pior para a população negra. Dos 12,6 milhões de desempregados em 2019, 65% são negros. Joyce Afonso...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist