Sueli Carneiro

Arte: Danilo de Paulo

Casa Sueli Carneiro é espaço de celebração, formação e memória

Imagine Sueli Carneiro e Cidinha da Silva conversando na sala de uma casa, e então chega Luiza Bairros. No quintal, Arnaldo Xavier finaliza um poema. Enquanto na cozinha, Jurema Werneck, Lucia Xavier e Nilza Iraci preparam a feijoada. A casa onde Sueli Carneiro viveu por 40 anos foi abrigo para partilhas de intelectuais e ativistas do movimento negro e do movimento de mulheres negras por décadas. Reuniões e celebrações importantes aconteceram no sobrado geminado do Butantã, próximo à Cidade Universitária, que recebeu até um terreiro de candomblé. Ativistas e intelectuais de todo o país, que precisavam de abrigo, passaram temporadas no espaço onde Sueli Carneiro escreveu sua obra. Abrir as portas para abrigar institucionalmente variadas expressões de ativismo e intelectualidade negra é o objetivo da Casa Sueli Carneiro. Assim como organizar, digitalizar e tornar acessíveis documentos, fotografias, recortes de jornal e atas de reuniões para pesquisadoras e pessoas interessadas na...

Leia mais
Bianca Santana - Foto: João Benz

Sueli Carneiro recebe prêmio da Lasa por sua produção acadêmica

Ativista. É assim que Sueli Carneiro se apresenta. A mulher que dedicou sua filosofia, escrita, intelectualidade, titulação acadêmica ao enfrentamento coletivo às desigualdades de raça e gênero foi premiada, no último 8 de fevereiro, pela Associação de Estudos Latino-Americanos (Lasa). "A Dra. Carneiro, recebe este prêmio por sua vasta produção acadêmica centrada nas relações raciais e de gênero na sociedade brasileira, (...) bem como pelo seu destacado compromisso no âmbito das políticas educativas", registra a página da entidade. Em 1985, Sueli Carneiro publicou um livro pela primeira vez. Era a década da mulher, instituída pela ONU, e o Conselho Estadual da Condição Feminina negociara, um ano antes, uma coleção de livros com a Editora Nobel. Em uma reunião tensa, Thereza Santos, que representava as mulheres negras no Conselho, definiu: "Nós queremos um volume. Vamos escrever um livro específico sobre a mulher negra". Na saída, olhou para Sueli, com 34 anos de...

Leia mais
A filósofa e educadora Sueli Carneiro (Foto: Marcus Steinmayer)

Mulheres negras e poder: um novo ensaio sobre as vitórias

Em respeito às mais velhas, peço licença, agradeço e me pergunto: por onde andavam todos vocês, que não estavam lendo e ouvindo Sueli Carneiro? Em 2009, Sueli Carneiro (filósofa, escritora e ativista) escreveu um ensaio intitulado “Mulheres negras e poder: Um ensaio sobre a ausência”, afirmando que, infelizmente, a relação entre as mulheres negras e o poder era inexistente. Sueli não tratava apenas da ausência pela baixa representação, falava sobre aquelas mulheres negras que, mesmo presentes na institucionalidade, foram interrompidas por questões advindas da das discriminações de raça e de gênero. As políticas Matilde Ribeiro (Ex-ministra da SEPPIR) e Benedita da Silva (Ex-governadora, atual deputada federal, que também disputou a prefeitura do Rio, ficando em quarto lugar), estavam entre elas. Na descrição cirúrgica dos episódios, Sueli Carneiro tratou em seu texto sobre a violência política de gênero e raça sofrida por essas mulheres e como, ontologicamente, se vinculam as mulheres...

Leia mais
Thula Pires (Foto: André Melo Andrade/Folha de S.Paulo )

Reverenciando Sueli Carneiro: A contribuição de seus escritos para o Direito

No dia 15 de julho de 2020, nos encontramos para celebrar os 70 anos de Sueli Carneiro. Participaram desse encontro a própria Sueli Carneiro, Maria Sylvia Oliveira, Bianca Santana, Elaine Pimentel, Winnie Bueno e eu, Thula Pires. Tomamos o auditório virtual da Ordem das Advogadas de São Paulo, a convite de Maria Sylvia Oliveira, representando a Comissão da Igualdade Racial da OAB-SP¹. Foi um momento de muita alegria, de celebração da vida e da possibilidade de agregar longevidade e continuidade, de reconhecer a importância e ao mesmo tempo de nos implicarmos com a trajetória de quem admiramos.  Acompanho com emoção e aprendizado muitas das homenagens que os setenta anos de Sueli vem proporcionando a ela, e em nome dela a todas nós. O legado de Sueli é tão complexo e potente que não pode ser esgotado em um campo de conhecimento, em fronteiras de Estados Nacionais ou em um dado...

Leia mais
A filósofa Sueli Carneiro (Foto: Natalia Sena )

Uma fala de Sueli Carneiro

Neste 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, compartilhamos aqui a fala de Sueli Carneiro durante a mesa Feminismos Negros do Na Janela: Jornadas Antirracistas, evento promovido pela Companhia das Letras. A conversa, que contou também com a participação de Djamila Ribeiro, autora dos livros Pequeno manual antirracista e Quem tem medo do feminismo negro, Bianca Santana, que atualmente escreve a biografia de Sueli a ser publicada pela editora, e mediação da jornalista Flavia Oliveira, homenageou os 70 anos da filósofa e ativista e falou sobre o papel central do feminismo negro na luta antirracista. Militantes não costumam ser festejados, ao contrário, costumam ser perseguidos, criminalizados, desqualificados. Aprendemos a lutar e nem sempre preservamos a ternura, aprendemos a nos defender e atacar. Conforto total pra gente de Ogun, como eu. Nossa praia! Já homenagens, carinhos e afagos nos deixam completamente desarmadas, desarmados. Afinal, como dizia o poeta Arnaldo Xavier, “carinho de jumentos...

Leia mais
Foto: Marcus Steinmayer

Letras Insubmissas de Uma Ativista Intelectual Negra

Esse texto é uma tentativa de tentar reverenciar Sueli Carneiro de múltiplas formas, é o registro escrito da minha fala proferida no evento Reverenciando Sueli Carneiro promovido pela OAB-SP, organizado por Maria Sylvia Oliveira, presidenta de Geledés . São muitas as ativistas intelectuais negras que informam meu fazer acadêmico e político, entre elas, e com profundo destaque a dra. Sueli Carneiro, mulher pela qual nutro o mais profundo respeito, admiração, carinho e amor, mas que além disso é minha mentora intelectual desde o momento em que ingressei na universidade e na atuação nos movimentos sociais para além de acompanhar minha mãe nas reuniões do movimento social negro e nos movimentos de mulheres negras. Foi quando eu fui apresentada ao feminismo, no movimento estudantil da Universidade Federal de Pelotas, que Sueli se apresentou como referência acadêmica para mim. Nesse época, há mais de 15 anos, Sueli já era minha referência político-afetiva...

Leia mais
Jurema Werneck (Foto: Lucas Landau)

Jurema Werneck: “Mulheres potentes construíram nossas lutas, mas é preciso ir além”

No dia 24 de junho, a ativista e intelectual Sueli Carneiro completou 70 anos. Em isolamento social evitando a Covid-19, Sueli recebeu várias homenagens feitas à maneira destes tempos, na tela do computador. Em uma das lives, ela lembrou que o cotidiano de quem entra em ação para a defesa de direitos é árduo. Disse Sueli: “Militantes não costumam ser festejados, mas perseguidos, criminalizados, desqualificados” e, completou, assassinados. Foi o que aconteceu com Marielle Franco, a quinta vereadora mais votada do Rio, morta aos 39 anos. Mulheres ativistas liderando ações coletivas não são novidade no Brasil. A superação, ainda que precária, de tantas injustiças e desigualdades, não teria sido possível se muitas não tivessem arregaçado as mangas e se colocado na linha de frente. No entanto, seus nomes costumam desaparecer dos livros, das homenagens, e mesmo de nossa memória coletiva. Suas vozes e ações não encontram o eco necessário num...

Leia mais
Reprodução/Facebook

Assista: Comissão de Igualdade Racial recebe a Dra. Sueli Carneiro para celebrar seus 70 anos

A Comissão de Igualdade Racial da OAB-SP, em parceria com as Comissões da Mulher Advogada, Advocacia Assalariada e Graduação, Pós-Graduação e Pesquisa, todas da OAB-SP, celebra vida e obra da Dra. Sueli Carneiro, que completou 70 anos em 2020, debatendo o impacto de suas obras para as ciências jurídicas num diálogo franco e sincero com a homenageada. Participe desta festa! A Comissão de Igualdade Racial da OAB-SP, em parceria com as Comissões da Mulher Advogada, Advocacia Assalariada e... Publicado por Comissão de Igualdade Racial - OAB SP em Quarta-feira, 15 de julho de 2020

Leia mais
A filósofa Sueli Carneiro (Foto: Natalia Sena )

De documento a monumento: Sueli Carneiro, filósofa do contemporâneo

Escrever uma vida é fenômeno inacessível Ao que tudo indica, a luz que se projeta no mês de junho não jorra apenas da incandescência das fogueiras juninas. Quis o universo, por força de alguma conspiração misteriosa, que o mundo fosse agraciado com o aparecimento, em profusão, de pessoas extraordinárias: Luiz Gama, Machado de Assis, João Cândido, Lima Barreto, Elza Soares, Kabengele Munanga e Sueli Carneiro, por ordem de nascimento, estrearam no espetáculo do mundo, no mês que acaba de findar, com pompa e circunstância, para lembrar expressão machadiana. Se uma conexão oculta é mais forte que uma evidência, como disse Heráclito, talvez estejamos mediante a um fenômeno interestelar que não foi devidamente examinado pela astrofísica. Resta a nós, pobres mortais, tentar acompanhar as aparições públicas desses vultos e, assim, flagrar, ao modo de fotógrafas, os momentos em que eles e elas reinauguraram toda a humanidade, saíram do registro das ocorrências...

Leia mais
Sueli Carneiro (Foto: Caroline Lima)

Homenagem aos 70 anos de Sueli Carneiro

A Congregação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, reunida em 25 de junho de 2020, soma-se às celebrações por ocasião do aniversário de 70 anos da filósofa, escritora e militante antirracista Aparecida Sueli Carneiro, fundadora do Geledés – Instituto da Mulher Negra. A contribuição de Sueli Carneiro ao campo da teoria do feminismo negro no país é incomensurável. Suas pesquisas deram consequência a caminhos abertos por intelectuais como Lélia Gonzalez e Abdias do Nascimento para o combate do epistemicídio do pensamento negro, tão afim aos modos como a dinâmica racial brasileira busca inscrever negras e negros em lugares sociais de nossa estrutura: entre os mais pobres ou, quando ascendem socialmente, raramente por meio de profissões ligadas à cultura legitimada ou ao trabalho intelectual. Sueli Carneiro recebeu inúmeras honrarias em reconhecimento ao seu trabalho. Dentre elas destacam-se o Prêmio de Direitos Humanos da República Francesa (República Francesa,1998); Prêmio...

Leia mais
Ilustração: AndreMelloArt

Sueli Carneiro, nossa bandeira

Sueli Carneiro fez 70 anos. Nasceu num 24 de junho, dia de São João, data festiva Brasil afora. E o país precisa conhecer e celebrar a existência dessa filósofa, escritora, ativista, referência maiúscula do movimento de mulheres negras. Desenganada aos 2 anos de idade pela desnutrição severa decorrente do Mal de Simioto (doença de crianças pequenas alérgicas ou incapazes de digerir o leite de vaca), Aparecida Sueli Carneiro Jacoel completa sete décadas de vida em intensa atividade, reconhecida e reverenciada por seus pares. É um marco numa sociedade atravessada pela existência abreviada de pensadoras negras, como Beatriz Nascimento, morta aos 52 anos, Lélia Gonzalez (59), Carolina Maria de Jesus (62) e Luiza Bairros (63). Nas palavras precisas de Bianca Santana, jornalista e biógrafa da pensadora, Sueli Carneiro é a mulher que enegreceu o feminismo brasileiro. Não é exagero. Em abril de 1988, ela fundou a Geledés – Instituto da Mulher...

Leia mais
Linoca Souza/Folhapress

Elza Soares e Sueli Carneiro nunca deixaram de sorrir em meio a suas batalhas

Que semana especial, amigas e amigos. Os atabaques estão assentados, a mesa está farta, a alegria contagia as palavras deste texto que celebra duas mulheres fundamentais para a construção de um futuro justo, altivo e diverso. Brindemos, contemos suas histórias que atravessarão os tempos, as gerações, imortalizando-as junto aos ancestrais que nunca deixaram de sorrir e festejar em meio às guerras e batalhas pelo povos oprimidos. Elza Soares, linda, gigantesca e única fez 90 anos no dia 23. Nasceu pobre e passou por ataques e dores inimagináveis na sociedade racista que a elegeu como “inimiga do Brasil”. Enfrentou bravamente, com a humanidade, altivez e dignidade de uma rainha. Ao se apresentar pela primeira vez, aos 13 anos, num programa de auditório, o apresentador, ao vê-la com roupas simples e franzina, perguntou: “De qual planeta você veio?”. Ao que ela respondeu: “Do planeta fome”. Sua voz perfeita, sua vasta produção e inspiração...

Leia mais
A filósofa e educadora Sueli Carneiro (Foto: Marcus Steinmayer)

Dia de celebrar Sueli Carneiro

Hoje é dia de uma das mais importantes intelectuais brasileiras e estou grata por tê-la entre nós. Sueli Carneiro completa 70 anos, com uma trajetória de formulações e lutas fundamentais para compreendemos o Brasil e enfrentarmos os principais desafios do país. Sueli Carneiro é uma filósofa, escritora e feminista negra brasileira, fundadora do Geledés – Instituto da Mulher Negra, uma das organizações de maior importância e intervenção epistêmica e política no país. Em seu doutorado, “A construção do outro como não ser como fundamento do ser”, desenvolveu o conceito de “dispositivo de racialidade”, operador da naturalização de papéis sociais, a partir dos conceitos de “dispositivo” e “biopoder” de Michel Foucault. Um dos seus textos mais emblemáticos, entre vários, é “Enegrecer o feminismo”, que questiona a universalização da categoria mulher na sociedade. Em um encontro no qual a homenageamos, no ano passado, Sueli Carneiro disse a mim e a algumas companheiras negras que,...

Leia mais
A filósofa Sueli Carneiro (Foto: Natalia Sena )

Viva Sueli Carneiro!

Pelos documentos, o aniversário é amanhã, no São João. Mas o nascimento foi dia 23 de junho de 1950. Por 69 anos, a maratona de comemorações do aniversário de Sueli Carneiro, como brincam seus irmãos, durou dois dias. Mas em 2020, apesar da pandemia, são 70 anos a celebrar. Graças a um erro do Google, felizmente já corrigido, os parabéns começaram há 10 dias. E há programação na agenda até o final de junho. Teremos, então, quinze dias de festa online, no mínimo. A ativista responsável por enegrecer o feminismo no Brasil diz que não confia tanto assim na humanidade, mas vai lutar sempre contra quaisquer formas de opressão, como faz desde menina. Apaixonada pelo pai, Zé Horácio, não hesitava em enfrentá-lo na defesa da mãe e dos irmãos. Depois do golpe de 1964, foi uma das adolescentes a organizar uma passeata pelas ruas da Freguesia do Ó. Estudante da...

Leia mais

Entenda o que é CONSCIÊNCIA RACIAL

Mês da consciência negra! Do Canal Preto  No mês da Consciência Negra, Sueli Carneiro, filósofa, ativista e escritora, aponta a realidade da população negra, sobretudo às mulheres e os jovens. Fala sobre um cenário em que o racismo reforça o processo de inferiorização e estigmatização dessas pessoas. Sueli lembra ainda da importância do 20 de novembro para a população negra, que passa ter a possibilidade de conhecer e reconhecer seus heróis e sua história. Os processos da consciência racial, tocado por várias frente do movimento negro, tem como intenção a conservação da memória e do patrimônio dos negros no País. Participante: Sueli Carneiro - Filósofa, escritora, ativista antirracismo do movimento social negro brasileiro e fundadora e atual diretora do Geledés — Instituto da Mulher Negra.   Leia Também: Entenda o que é RACISMO ESTRUTURAL!  

Leia mais

Lançamento do livro “Escritos de Uma Vida”, de Sueli Carneiro

Reprodução/ Facebook Do CCSP A coletânea de artigos reflete sobre a necessidade de se pensar novos marcos civilizatórios. O pensamento feminista negro potente de Sueli Carneiro é fundamental e atual para o debate racial e de gênero e construção de um modelo alternativo de sociedade. Com: Sueli Carneiro e Joice Berth terça, das 19h às 22h – Sala Jardel Filho entrada gratuita – a bilheteria será aberta uma hora antes do início do evento para a retirada de ingressos, que não estarão disponíveis na internet – cada pessoa poderá retirar um par

Leia mais
Tide Setubal

A responsabilidade de cada um pela igualdade para todos | Sueli e Neca

Do Enfrente Criadora do Geledés - Instituto da Mulher Negra e conselheira da Fundação Tide Setubal, a filósofa Sueli Carneiro é um ícone da luta em favor da justiça social em diversas vertentes, com destaque para a as múltiplas pautas das mulheres negras. Neca Setubal é uma liderança da área social no Brasil e doutora em psicologia da educação. Juntas, elas conversam sobre as suas respectivas trajetórias e a respeito do papel de indivíduos e instituições para enfrentar as desigualdades no país. A série Encontros e Fronteiras une pessoas pela possibilidade de construir pontes entre universos diferentes para transformar realidades Inscreva-se no canal e fortaleça esta rede de conhecimento: https://bit.ly/2KnkFta Facebook: /fundacaotidesetubal Instagram: @fundacaotide

Leia mais
Foto: Caroline Lima

De Sueli Carneiro a Patricia Hill Collins, encontros esmiúçam pensamento feminista negro do Brasil e dos EUA

De agosto a dezembro, o pensamento de mulheres negras que se tornaram marco na história do feminismo no Brasil e nos Estados Unidos será detalhadamente exposto, estudado e debatido em palestras de especialistas na temática. O projeto, que acontece no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, em São Paulo, está sendo realizado em parceria com a editora Boitempo. no Preta, Preto, Pretinhos Foto: Caroline Lima A brasileira Sueli Carneiro é a intelectual em estudo em agosto, em encontro que acontece na segunda-feira, 5. A contribuição da filósofa, ativista, fundadora e atual diretora do Geledés – Instituto da Mulher Negra estará no centro da exposição da pesquisadora Bianca Santana (que está escrevendo a biografia de Carneiro), com mediação de Carine Nascimento, educadora no Cursinho Popular Carolina de Jesus e apresentadora e produtora do podcast Ideias Negras, entre outros projetos. Em setembro, os participantes se aprofundarão no...

Leia mais
Foto- Josemar Afrovulto:Divulgação

Sueli Carneiro: ‘Organizem-se, porque não há mais limite para a violência racista’

Homenageada desta edição da FestiPoa Literária, a filósofa Sueli Carneiro esteve ao lado da colega Djamila Ribeiro no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na noite de segunda-feira (29) para o debate que abriu o evento. por Annie Castro no Sul21 A abertura do FestiPoa Literária 2019 contou com as escritoras Fernanda Bastos, Sueli Carneiro e Djamlia Ribeiro. Foto: Josemar Afrovulto/Divulgação Mediado pela escritora Fernanda Bastos, o painel abordou questões como literatura negra, mercado editorial, racismo institucionalizado e o mito da democracia racial. Para Sueli, a homenagem que recebe em Porto Alegre significa “um momento de afirmação e reconhecimento da legitimidade desse lugar de fala, do discurso produzido por lágrimas insubmissas” e da “escrevivência, que não é para adormecer os da casa-grande, e sim para incomodá-los em seus sonhos injustos, como apontou nossa magistral Conceição Evaristo”. Em sua fala, Sueli...

Leia mais
Sueli Carneiro (Foto- Caroline Lima)

Evento gratuito voltado à literatura afro-brasileira é realizado em Porto Alegre

12ª Festipoa Literária começa nesta segunda-feira (29) e segue até o dia 6 de maio. Programação está espalhada por diversos espaços da Capital. Do G1  Começa nesta segunda-feira (29) a 12ª Festipoa Literária em Porto Alegre. O evento, voltado à literatura afro-brasileira, é gratuito e ocorre até o dia 6 de maio em diversos espaços da Capital. A abertura oficial está marcada para as 19h, no Salão de Atos da UFRGS​. Sueli Carneiro, homenageada desta edição, participa de uma conversa com a filósofa e ativista Djamila Ribeiro e a jornalista, poeta e editora Fernanda Bastos. Outros nomes integram a programação (veja abaixo). Sueli Carneiro (Foto- Caroline Lima) Filósofa, ensaísta e fundadora do Geledés – Instituto da Mulher Negra, Sueli é um dos nomes mais destacados do feminismo negro no Brasil. "Com todo mundo que a gente conversa, a Sueli é referência para todas elas. A raiz...

Leia mais

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist