O livro que ele não escolheu

Entro na livraria Travessa…

Ipanema, Ah, a intelectualidade!

Para trás do roçar o pé no tapete ficou a cinzenta calçada portuguesa em chão estrangeiro; desabriga, a céu encoberto, o homem que abriga um livro aberto em suas mãos.

Olho a capa que, ao lhe tapar o rosto, o denuncia mais que as feições a nu.

Sei que as capas dos livros que lemos dizem tanto sobre quem somos … ou quem estamos sendo, ali.
Sim, o homem não entrou para escolher o livro em si, na higiene erudita das prateleiras.

Escolher não é privilégio para todos. Escolher é para quem tem preferências.

Foi o livro que o escolheu, talvez:

“Continuo Preta, A vida de Sueli Carneiro”…

E esse homem que lê o livro que não escolheu
derrama a imaginação no sarcasmo do travesseiro que é degrau de livraria. Então eu sei que o livro é pai e mãe, e voz serena para embalar quem vai dormir.
Só que o sono não chega porque a serenidade não cabe nas páginas de quem continua preta.

Há momentos em que as palavras são escusadas … como a compreensão. Ao não se escusarem, podem ser só lixo.

Já não há livro que me interesse, aqui nas prateleiras da Travessa de Ipanema.

Os meus olhos é que atravessam o asseio da janela envidraçada para se deixarem ficar pousados na incapacidade de literar o que veem.


Ana Sofia Brito começou a trabalhar aos 16 anos em teatro e espetáculos de rua; Depois de dois anos na Universidade de Coimbra estudou teatro, teatro físico e circo em Barcelona, Lisboa e Rio de Janeiro, onde actualmente estuda Letras.

+ sobre o tema

Anistia já! por Sueli Carneiro

Perdi o bonde das malas milionárias, dos cuecões de...

Hum…hum! por Sueli Carneiro

A última pesquisa do MEC sobre desigualdades raciais na...

O que ori não quer…, por Sueli Carneiro

Ogun, na tradição religiosa negro-africana, é o dono dos...

Tributo por Sueli Carneiro

Quase tudo já foi dito sobre a importância histórica...

para lembrar

“Só nos dão o osso” – releia entrevista com Ariano Suassuna

Confira conversa realizada com o autor, que morreu nesta...

A emergência de um novo olhar para a literatura afro brasileira

É sabido que a Literatura, em especial a brasileira,...

Territorialidades de Cidinha da Silva

Programa Tradução em Libras disponível. Faça sua solicitação no ato...

Literatura africana de língua portuguesa: 10 obras fundamentais

  por Sandro Brincher – Já li em alguma antologia...
spot_imgspot_img

Joyce Ribeiro sobre Chica da Silva: ‘Séculos separam lutas contínuas’

A jornalista, apresentadora e escritora Joyce Ribeiro, 44, diz que está em um período especial de sua carreira: fez o lançamento de seu livro...

Fernanda Melchionna lança seu primeiro livro em Cachoeirinha neste domingo; “Tudo isso é feminismo?”

“Tudo isso é feminismo?” – uma visão sobre histórias, lutas e mulheres” marca a estreia de Fernanda Melchionna, no universo do livro. A bibliotecária...

Cidinha da Silva e as urgências de Cronos em “Tecnologias Ancestrais de Produção de Infinitos”

Em outra oportunidade, dissemos que Cidinha da Silva é, assim como Lélia Gonzalez e Sueli Carneiro, autora importante para entendermos o Brasil de hoje e...
-+=