sexta-feira, outubro 30, 2020

    Confinamento e Risco para Mulheres e Crianças

    fizkes via Getty Images

    80% das empreendedoras negras não têm reservas para enfrentar a crise

    Maioria entre a população brasileira, as mulheres negras estão entre os grupos mais vulneráveis aos efeitos da pandemia no novo coronavírus. Elas são, em sua maioria, empreendedoras por necessidade, mães solo e estão com a saúde mental comprometida. Os dados são da pesquisa realizada pelo Instituto Identidades Brasil (ID_BR), divulgada nesta segunda-feira (27). A pesquisa “Saúde financeira de mulheres negras em tempos de covid-19”, foi realizada em duas fases. A primeira, em abril, no início das medidas de isolamento e contou com parceria da Faculdade Zumbi dos Palmares e das empresas Empodera e Empregueafro, de inclusão no mercado de trabalho. Neste momento, foi mapeado os impactos da crise na vida de mulheres negras. Já a segunda e última fase foi realizada entre os dias 9 e 16 de julho e foi elaborada e desenvolvida por seis pesquisadoras negras ligadas ao Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais do CEFET-RJ, à FGV (Fundação Getúlio...

    Leia mais

    Estado de SP registra 62 casos de violência doméstica por dia pela internet durante quarentena

    O estado de São Paulo contabilizou 5.559 boletins de ocorrência de violência doméstica feitos pela internet entre abril e junho deste ano. Isso representa uma média de 62 registros por dia, ou um a cada 23 minutos no período. É o que apontam dados da Polícia Civil paulista obtidos com exclusividade pela GloboNews. A Delegacia Eletrônica, sistema que permite o registro de boletins de ocorrência pela internet, foi criada em São Paulo em 2000, e vem sendo remodelada desde então. O registro de casos de violência doméstica é permitido desde 3 de abril deste ano. A mudança de procedimento foi feita para ajudar vítimas que, por causa do isolamento decorrente da pandemia do coronavírus, não conseguem sair de casa para registrar a queixa contra o agressor. O estado de São Paulo vive desde 24 de março sob quarentena regulamentada por decreto do governador João Doria (PSDB). As regras, que determinam...

    Leia mais
    Imagem: Pedro Henrique Alves

    Com 87 casos, SP fecha 1º semestre de 2020 com maior número de feminicídios desde criação da lei

    Com 87 casos registrados ao longo do primeiro semestre deste ano, os casos de feminicídio no estado de São Paulo atingiram a maior marca para o período desde 2016, de acordo com levantamento feito pelo G1 e a GloboNews com base em boletins de ocorrência e na estatística criminal da Secretaria Estadual da Segurança Pública. O feminicídio foi tipificado como crime hediondo em março de 2015. Por esse motivo, o levantamento não leva em conta o primeiro ano de vigência da lei que aumentou a pena para os assassinatos de mulheres que envolvam "violência doméstica e familiar e/ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher". Em 2015, foram registrados 11 boletins de ocorrência no primeiro semestre. De 2017 para cá, os casos crescem ano a ano. No primeiro semestre de 2019, foram registrados 85 casos, em 2018, 57 feminicídios, em 2017, 48 e, em 2016, 31 (veja tabela abaixo). Nesta...

    Leia mais
    Uma rabina atende fiéis.LINDSEY WASSON / AFP

    Por que as videoconferências nos esgotam psicologicamente?

    A crise do coronavírus atingiu em cheio as organizações. Elas se viram obrigadas a forçar o teletrabalho, exceto em casos imprescindíveis, para evitar a interrupção das atividades. Esse novo formato enviou milhares de pessoas para suas casas e as forçou a adaptar nelas um novo espaço de trabalho, que precisa ser compartilhado com os demais moradores. E a tecnologia veio em seu socorro, com um desempenho tão bom que é possível até mesmo realizar reuniões por videoconferência, obtendo resultados, a priori, semelhantes aos de um encontro cara a cara. Mas é assim mesmo? Alguns especialistas alertam que o uso de ferramentas para videoconferências aumenta o nível de estresse dos participantes. As complicações da ausência de comunicação não verbal É tentador pensar que uma reunião realizada com câmera de vídeo pode ser o substituto adequado para uma presencial, mas a verdade é que o corpo humano as decifra de uma forma...

    Leia mais

    Vivendo em Lockdown as meninas e a covid-19

    A Plan International revisitou quatro estudos anteriores de crises para tentar ter uma visão mais clara da insegurança e da vulnerabilidade que as meninas enfrentam agora. Tiramos lições específicas de nosso estudo da crise do Ebola de 2014-2015 na África Ocidental, onde o fechamento de escolas e outras medidas para limitar o movimento tiveram efeitos prejudiciais a longo prazo na vida das crianças e, sobretudo, das meninas. Baixe o Arquivo  

    Leia mais

    Realidade x Imaginário: o que é ser mulher na atualidade

    Cá estava eu refletindo sobre um maravilhoso artigo que acabei de ler, “Mulheres, vivências e mercado de trabalho”. A autora, Elisabete Vasconcelos, professora e Mestre em História, nos leva a refletir sobre a situação da sociedade patriarcal e os impactos que ela sobrepõe a situação de trabalho de mulheres. Mas, é claro que, durante a fala dela, quando a autora menciona a mulher empreendedora de classe média ou baixa, negra e periférica, meus olhos ficaram vidrados e ávidos por soluções que sabemos que estão longe de alcançarmos. Como eu disse, o artigo é incrível, a autora escreveu muito bem, trouxe dados estatísticos e nos apresenta um cenário que muitos conhecemos, mas que decidimos ignorar por ser mais conveniente, afinal, quem liga para a boleira, para a decoradora, para a manicure, para a designer? Quem liga para a faxineira, passadeira ou a “secretária do lar”? Tivemos um exemplo bem claro que...

    Leia mais

    Coronavírus: pandemia deve aumentar a diferença salarial entre homens e mulheres

    Os avanços globais feitos nos últimos anos em direção aos mesmos salários para homens e mulheres estão sob risco por causa da pandemia de Covid-19, alertam especialistas e ativistas pela igualdade de pagamentos. Nesse momento de crise, as mulheres usam o tempo em que não estão trabalhando para cuidar de outras pessoas. Elas também são a maioria dos trabalhadores em setores da economia que, historicamente, têm baixa remuneração. No mundo, as mulheres ganham, em média, um quinto do que ganham os homens (mesmo tendo a mesma qualificação e desempenhando a mesma função). De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), isso é uma consequência de fatores como maternidade, emprego em setores mal-remunerados e o peso dos estereótipos de gênero na hora da promoção. A diferença entre os pagamentos de homens e mulheres vinha sendo reduzida, mas na velocidade atual, levará cerca de 70 anos para que a paridade de gênero aconteça, diz a ONU...

    Leia mais

    Deputadas pressionam por ampliação do ligue 180 na Pandemia do Novo Coronavírus

    Integrantes da bancada feminina da Câmara dos Deputados pressionam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e líderes partidários para incluir na pauta votação de propostas para combater a violência doméstica no contexto da pandemia do novo coronavírus. O isolamento social aumenta o risco de que mulheres sejam vítimas de agressões.Em conversas com deputados, Maia afirma que só há acordo para votar propostas diretamente ligadas à pandemia. Por esse motivo, um dos projetos contra a violência doméstica foi adaptado para que a vigência fique restrita ao período em que durar a emergência em saúde pública em razão da covid-19. A expectativa é de que possa ser votada a partir da próxima semana. O número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil chegou a 4.579, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (30). O número de mortes é de 159, em 15 unidades da federação. Nesta terça-feira (31), a...

    Leia mais

    Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento aponta pesquisa

    “Muitas pessoas entraram na linha de pobreza da noite para o dia. O casal que trabalhava no shopping na semana retrasada, que recebia por semana, fez a compra da semana passada e nesta semana já não está mais trabalhando. Porque o shopping fechou, o patrão também quebrou. Hoje esse casal está com três filhos em casa, que não estão mais comendo na escola. Você tem o casal em casa, os três filhos e muitas vezes os pais do casal, idosos, que moram com eles.” É a partir da cena descrita acima que o produtor cultural Celso Athayde, fundador e coordenador geral da Central Única das Favelas (CUFA), organização fundada há 20 anos e que reúne 500 comunidades em todo o país, explica a situação de urgência que vivem os 13,5 milhões de brasileiros que moram nas favelas e depararam-se, subitamente, com a chegada do coronavírus ao Brasil. Na tentativa de...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist