terça-feira, agosto 4, 2020

    Áreas de Atuação

    Crédito: Pedro Dimitrow

    Rene Silva: mobilização e comunicação na favela

    Aos 26 anos, Rene Silva é um dos jovens comunicadores mais originais do Brasil. Ele cresceu no Morro do Adeus, uma das favelas que integram o Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Com 11 anos de idade, criou um jornal comunitário com a ajuda do professor e assim começava o Voz das Comunidades, que, em 2010, ganhou atenção internacional depois de fazer uma cobertura em tempo real da intervenção militar no Complexo do Alemão. Enquanto os profissionais da imprensa não conseguiam acessar o conflito, Rene, na época com 17 anos, relatava através das redes sociais o que estava vivenciando em sua comunidade. Hoje, com 15 anos de existência, o Voz das Comunidades mantém correspondentes em nove favelas cariocas, um jornal impresso, um portal e um aplicativo próprio. Em meio à situação emergencial que foi desencadeada pela pandemia de coronavírus, o Voz das Comunidades também mobilizou um gabinete de crise junto de...

    Leia mais
    Desenvolvimento do capital humano aumentou a produtividade agregada e a eficiência econômica (Getty Images)

    Como a ascensão de mulheres e negros impulsiona a economia

    Estudos realizados por pesquisadores americanos e brasileiros mostram que, graças ao início de uma mudança comportamental da sociedade, pessoas negras e mulheres passaram a ocupar cargos mais qualificados, antes negados apenas pela cor da pele ou sexo. Essa nova ordem econômica e social, que surgiu com força no começo da década de 1950, nos EUA, fez com que o chamado capital humano se desenvolvesse. Isso aumentou a produtividade agregada e a eficiência econômica e também influenciou positivamente o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois países entre as décadas de 1960 e 2010. Talentos desperdiçados Uma mulher nascida nos anos 1960 e com aptidão para a Medicina teria mais dificuldades em se formar médica naquela época, por conta do preconceito e das barreiras de gênero. Assim como era improvável que um homem negro se tornasse um advogado reconhecido na sociedade na época, por mais talentoso que fosse. Esses empregos...

    Leia mais
    Etapa final da 11a. ONHB, realizada em 2019, no Ginásio Multidisciplinar da Unicamp (Foto: Pedro Amatuzzi (ONHB)/ Edição de imagem: Alex Matos)

    Olimpíada de História será totalmente online e realizada de setembro a outubro

    Diante da pandemia do coronavírus, a 12ª edição da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), realizada pela Unicamp, foi reformulada e será totalmente online, incluindo a final. As inscrições foram prorrogadas e seguem até dia 7 de setembro, mesmo com início marcado para 6 de setembro. O encerramento está previsto para 30 de outubro e, em 22 de novembro, serão divulgados os medalhistas. A edição, que ocorreria no primeiro semestre deste ano, foi adiada por causa da pandemia. Diante disso, a comissão organizadora realizou mudanças para viabilizar o projeto e facilitar, ao máximo, a participação dos estudantes, incluindo aqueles com acesso restrito à internet. A coordenadora da ONHB e professora do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, Cristina Meneguello, explica que a competição tradicionalmente ocorre de forma online, com apenas a fase final presencial, para os finalistas. No entanto, neste ano, essa fase está impossibilitada por...

    Leia mais
    Maria Isabel Gonçalves é professora de um colégio público no município de Boninal, na Chapada Diamantina (Foto: Acervo Pessoal)

    Professora baiana vence prêmio mais importante da educação brasileira

    Uma ideia pode mudar o mundo. E foi assim que a professora Maria Isabel dos Santos Gonçalves levou o nome da pequena cidade de Boninal, na Chapada Diamantina, para todo o Brasil. Isso porque ela foi uma das vencedoras do Prêmio Educador Nota 10 - maior e mais importante prêmio da Educação Básica Brasileira e que desde 1998 premia iniciativas feitas por profissionais da educação dentro de sala de aula. Aos 33 anos, Maria Isabel é nascida no povoado de Duas Passagens, a 60km de Boninal, e por lá foi criada. Sem energia elétrica, subindo em árvore e tomando banho de rio. As novelas das 21h eram os causos contados por sua mãe e sua bisavó Iaiá Lia: rezadeira, parteira e líder da região de Umburana que foi a inspiração para o seu projeto vitorioso chamado ‘As filosofias de minha avó: poetizando memórias para afirmar direitos’. "Com 30 anos minha...

    Leia mais
    Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo/Arquivo

    Fundeb: ganhamos a primeira batalha

    Certamente quando foi acertado que a validade da EC nº 53, no distante dezembro de 2006, ninguém imaginaria que sua rediscussão seria feita no meio de uma pandemia e tendo o Brasil governado pela extrema-direita. Na noite do dia 21 de julho, por quase unanimidade, foi aprovado o texto da PEC do Novo Fundeb. Qualquer avaliação do seu conteúdo precisa levar em conta o contexto político e econômico em que a votação ocorreu e o papel dos atores e atrizes sociais que participaram ativamente de sua formulação. Neste primeiro post vou enumerar as principais mudanças que foram aprovadas e o que ainda pode ser terreno de disputa, durante a tramitação no Senado e, principalmente, na regulamentação. Não vou usar a ordem que aparece na PEC aprovada, posto que ela segue a numeração da Constituição e não o grau de importância dos seus itens. 1. Tornou o Fundeb algo permanente na...

    Leia mais
    Imagem: Getty Images

    Estudo: Professor vê aluno negro como agressivo e trata branco com simpatia

    Pesquisadora e jornalista, Mara Vidal foi professora universitária, mas nem mesmo fazer carreira no mundo da educação a preparou para o que seu filho João Yrapoan, na época com 12 anos, sofreu na escola por vir de família adepta do candomblé. "Ele foi chamado de macumbeiro e a reação da professora foi horrível. Com a justificativa de evitar o conflito, ela tirou o meu filho da sala", conta. Após nove anos do ocorrido, Vidal continua acreditando que a postura foi equivocada. "A professora ainda levou o menino para a casa dela. Ela precisava mediar o conflito, não tirar o meu filho da escola. Vai fazer isso sempre que houver discussão entre um branco e um negro?", questiona. A pesquisadora e jornalista Mara Vidal já teve problemas com a mediação de conflitos raciais que envolviam seus filhos (Arquivo Pessoal) A reação da professora pode ser explicada pelas...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/ SJDHDS/BA)

    Programa Corra pro Abraço

    O Programa Corra pro Abraço, da SJDHDS/BA, completa sete anos e realiza dois dias de evento (22 e 23/7) para contar a história do programa e compartilhar as tecnologias desenvolvidas ao longo deste período. O webinário “Sete Anos do Corra pro Abraço: Redução de Danos, Cuidado e Promoção de Direitos” abre a programação, com as participações de profissionais e usuárias/os do serviço que marcaram a trajetória do programa. No evento, que será transmitido pelo Youtube do Programa, das 15h às 18h do dia 22 de julho, também será lançado o livro “Outros Caminhos São Possíveis”, de autoria de Edgilson Tavares e Luisa Saad, que reúne as experiências do Corra no período de 2016 a 2018. No dia 23 de julho acontecerão rodas de diálogo e oficinas, através das quais, a equipe multidisciplinar do Corra pro Abraço irá compartilhar os métodos, tecnologias e perspectivas que orientam a prática do programa na...

    Leia mais
    Reprodução/TV Câmara

    Fundeb: Câmara aprova PEC que prevê 23% de participação da União até 2026

    A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (21) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que renova o Fundeb – fundo que financia a educação básica – e amplia gradualmente a participação da União, até o percentual de 23% a partir de 2026. Durante a sessão, os deputados votaram o texto-base em primeiro turno e, em seguida, os destaques. Na sequência, passaram à votação do texto-base em segundo turno e depois aos destaques. Com a conclusão da votação, a PEC seguirá para o Senado. A aprovação foi resultado de um acordo costurado nesta terça, horas antes de o texto entrar em votação. O governo Jair Bolsonaro enviou proposta e conseguiu alterar pontos do texto, como o ritmo de aumento da verba federal e a destinação dos recursos ao longo dos próximos anos. O texto-base da proposta foi aprovado em primeiro turno por 499 votos a 7. Por se tratar de...

    Leia mais
    Malone Mukwende, o estudante de medicina que criou um guia para identificar sintomas de doenças na pele negra (Foto: Reprodução/Imagem retirada do Site Revista Galileu)

    Estudante cria guia para identificar sintomas de doenças na pele negra

    Foi durante suas aulas de medicina na St. George’s, Universidade de Londres, no Reino Unido, que o estudante Malone Mukwende percebeu algo sério: os sintomas descritos nos livros se referiam majoritariamente à pele branca. Por isso, o jovem decidiu voltar seus estudos para os diversos tons de pele negra — e, assim, publicou um guia pode melhorar o ensino e diagnóstico médico. "Éramos frequentemente ensinados a procurar sintomas como erupções vermelhas, que eu sabia que não apareceriam desta forma na minha própria pele", afirmou Mukwende, em entrevista ao BME Medics. "Ao sinalizar isso para os tutores, ficou claro que eles não conheciam outra maneira de descrever essas condições em pacientes com tons de pele mais escuros — e eu sabia que precisava mudar isso." Mukwende, então, decidiu criar o "Mind the Gap" ("Cuidado com o vão", em tradução livre), manual que mostra como os sintomas de diversas doenças se apresentam...

    Leia mais
    Arthur entrega as tarefas para Adrieli, do 7º ano do Fundamental (Foto: Peu Ricardo/DP)

    Professor vai à casa de estudantes sem acesso à internet para entregar tarefas

    O dia está chuvoso. Arthur Cabral, 29 anos, busca no guarda-roupa algo simbólico para usar naquela manhã. Escolhe uma camisa preta com os dizeres “lute como um professor”. Depois, coloca a mochila nas costas e monta na bicicleta. O percurso a seguir é longo. Incomum. Inspirador. Arthur é professor de ciências na Escola de Referência Deputado Oscar Carneiro, na Vila da Fábrica, em Camaragibe. Toda sexta-feira, carrega na bolsa envelopes amarelos contendo tarefas impressas de várias disciplinas. Cada um deles será entregue, de bicicleta, na casa de vinte estudantes do sexto e sétimo anos do Ensino Fundamental. A suspensão das aulas presenciais nas escolas por conta da pandemia do novo coronavírus revelou um lado cruel do acesso à educação. Quando as aulas virtuais começaram na rede pública, no início de abril, Arthur percebeu que um grupo de estudantes do Fundamental não participava das aulas. Depois de analisar a situação, entendeu...

    Leia mais
    Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

    Saúde pública e a pandemia de COVID-19 no Brasil

    Em  discussão  mais  recente  e  direcionada  as ações estatais,  podemos notar que após o Golpe de Estado de 2016, acontecimento que favoreceu a saída da presidenta Dilma Rousseff, Michel Temer na intenção de manter níveis econômicos satisfatórios, para mencionar alguns dos retrocessos, instituiu a Emenda Constitucional do Teto dos Gastos (EC nº 95/2016), que limita por 20 anos o financiamento das políticas de saúde, promoveu ainda a Revisão da Política Nacional de Atenção Básica (agosto de 2017) com mudanças na estratégia de organização dos serviços. Como assinala Bravo et al.:    Uma dessas questões é a perda de recursos federais destinados ao SUS estimada em R$ 654 bilhões de reais nesse período de 20 anos, em um cenário conservador (crescimento médio do PIB de 2% ao ano). Ao utilizar uma estimativa de crescimento maior (3% ao ano), a estimativa chega a R$ 1 trilhão. Ou seja: ao comparar a regra...

    Leia mais
    (Foto: Paulo Fridman/Corbis via Getty Images)

    Mais de 70% dos jovens de 14 a 29 anos que abandonam a escola são pretos ou pardos

    Mais de dez milhões de jovens de 14 a 29 anos não completaram alguma das etapas da educação básica, seja por abandono da escola, seja por nunca a terem frequentado. Isso representa 20,2% das 50 milhões de pessoas na faixa etária. Desse total, 71,7% eram pretos ou pardos. Os dados são da PNAD Contínua 2019, divulgado nesta quarta-feira 15, pelo IBGE. Pela primeira vez, a pesquisa divulga dados sobre abandono escolar. A pesquisa evidenciou que o abandono escolar se acentua na fase de transição entre o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, situação exposta pelo maior índice de abandono de acordo com a faixa etária relativa às etapas escolares. Aos 14 anos, o percentual de estudantes fora da escola foi de 8,1%; aos 15 anos, de 14,1%, quase o dobro. O número é ainda maior a partir dos 16 anos, chegando a 18,0% aos 19 anos ou mais. O estudo...

    Leia mais
    Foto: Agência Brasil

    Após projeção de aumento de mortes por Covid-19 entre crianças, governo de SP pede para comitê reavaliar volta às aulas

    O centro de contingência contra o coronavírus, comitê do governo de São Paulo que delibera sobre a quarentena no estado, vai reavaliar a volta às aulas programada para o início de setembro. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16) após o coordenador-executivo do grupo, o médico João Gabbardo, ser questionado sobre uma projeção matemática que estima até 17 mil mortes entre crianças com a retomada das escolas em todo o Brasil. “Em função dessas novas informações, a gente pediu para que o centro de contingencia, que tem discutido isso com o secretário da educação, faça uma reavaliação daquilo que já foi definido. Tão logo nós tenhamos essas informações, a gente vai trazer aqui para a entrevista coletiva”, disse Gabbardo. A afirmação ocorre dois dias depois do seminário da Fapesp sobre coronavírus no qual o matemático Eduardo Massad, professor titular da Escola de Matemática Aplicada Fundação Getúlio Vargas (FGV), criticou a...

    Leia mais
    Divulgação/Steve Biko

    Eu ligo para a Educação: conectando conhecimento

    A campanha do Instituto Steve Biko: Eu ligo para a Educação: conectando conhecimento, vai doar pacotes de dados de internet para que nossxs mais de 100 alunxs negras e negros do curso Pré-Vestibular e do Programa Oguntec possam continuar estudando para o Enem2020 e aprendendo mais sobre ciência e tecnologia, mesmo nesse contexto de pandemia que tem evidenciado, muito mais, as desigualdades entre os alunxs da rede pública e particular de ensino. Como funciona?  A cada R$25,00 (vinte e cinco reais) você doa um pacote de dados para [email protected] [email protected] continuar tendo acesso às aulas remotas ministradas pela Biko nas redes sociais (Instagram, Zoom, Blog da Turma, YouTube, chats e Listas de Transmissão de WhatsApp). Nossos jovens têm demonstrado força e determinação, mas muitxs estão sendo prejudicados pelo acesso limitado à internet ou má qualidade do sinal, problemas identificados a partir de uma pesquisa realizada pela equipe pedagógica do Instituto....

    Leia mais
    Cresce número de óbitos entre população preta e parda Foto: Agência Brasil

    Aumento de mortes por causas naturais é 3 vezes maior entre pretos e pardos do que entre brancos

    As pessoas que se declaram pretas e pardas são as que mais morreram durante a pandemia do novo coronavírus por causas naturais. O crescimento total de mortes entre pretos e pardos representa quase o triplo do aumento de óbitos entre brancos. Embora as mortes gerais no país tenham subido 13% desde o início da crise sanitária, há quatro meses, dados do Portal da Transparência do Registro Civil indicam que o aumento dos óbitos na população ocorreu de maneira desigual, quando comparado com os números do ano passado. Enquanto entre os pretos o crescimento no total de mortes foi de 31,1% e entre os pardos de 31,4%, para os brancos esse índice foi de 9,3%. Para a população indígena, o aumento foi de 13,2% e para os amarelos, 15,3%. O detalhamento das mortes é possível por conta das certidões de óbito repassadas aos cartórios. As doenças respiratórias também fizeram mais vítimas...

    Leia mais
    Flávia Oliveira (Foto: João Cotta)

    Flávia Oliveira: dividida entre o jornalismo e a atuação em movimentos sociais

    “Meu médico tem convicção, mas não tem provas”, conta, rindo, Flávia Oliveira, sobre sua provável contaminação pelo coronavírus – ela fez os testes, mas foram inconclusivos. Foi após viajar a São Paulo para seu último compromisso público em março, um encontro com Nikole Hannah-Jones, repórter do jornal The New York Times, no Instituto Moreira Salles, que ela acredita ter adoecido. “Eu estava em semi-isolamento no Rio, então fiquei trancada no hotel e fui de lá para o evento. Quando terminou, decidiram sair para jantar. Eu disse que não iria, mas acabei cedendo. Mas daí o jantar se estendeu ao Aparelha Luzia, que foi enchendo, enchendo... Quando terminou a noite, estavámos todos nos abraçando. Foi a cerimônia do adeus da aglomeração”, diz ela. Os sintomas de Covid-19 vieram em forma de febre e dores intensas nas costas. “Numa madrugada, acordei com tanta dor que quase pedi para ir ao...

    Leia mais
    Alunos saindo de escola na Estrutural, no Distrito Federal (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

    Racismo e violência contra criança e adolescente são desafios do país

    Publicado há 30 anos, o Estatuto da Criança e do Adolescente trouxe avanços na abordagem dos direitos essenciais do público para o qual foi criado em diversas áreas, como saúde, educação e também no combate ao trabalho infantil. No entanto, a situação no país está longe de ser a ideal em alguns aspectos como o racismo, a violência doméstica e o abuso sexual. Para o coordenador do Programa de Cidadania dos Adolescentes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Mario Volpi, o maior dos desafios para fazer valer esses direitos no Brasil é a desigualdade, e, entre as diversas formas em que ela se apresenta no país, destaca-se o racismo. "Esse elemento do racismo, da desigualdade racial, é um elemento que o país ainda não superou. E um dos motivos é porque o Brasil é um país que demorou a admitir que existe discriminação racial. Tivemos uma ideologia...

    Leia mais
    (Foto: Reprodução/ Fundo Baobá)

    Programa já é: Educação para equidade racial

    Educação é um dos quatro eixos nos quais a missão estratégica do Fundo Baobá para Equidade Racial está focada. E não podia ser diferente: o racismo no ambiente escolar é um dos mais severos gargalos à equidade racial do Brasil. Se liga nos números: no ensino fundamental tem quase o mesmo percentual de entre crianças brancas e negras de 6 a 10 anos (96,5% e 95,8%, respectivamente). Na faculdade, a matemática é outra: na média, só 25,2% dos jovens entre 18 e 24 anos cursam ou concluem o ensino superior, segundo o IBGE. Só que o percentual de jovens de cor ou raça branca que frequentam ou concluem o ensino superior (36,1%) é praticamente o dobro do percentual de jovens pretos ou pardos (18,3%) na faixa de 18 a 24 anos. Por trás desses números tem muita história: tem escola pública fraca, tem dificuldade para chegar – e para pagar...

    Leia mais
    O educador negro Hemetério José dos Santos (Imagem: Biblioteca Nacional)

    A história do professor negro e antirracista que ensinou durante a escravidão

    O Folha na Sala desta semana conta a história do professor Hemetério José dos Santos, um intelectual negro que lutou por uma educação universal e uma sociedade antirracista durante o fim do século 19 e primeira metade do século 20. ​Hemetério nasceu em Codó (MA), em 1858, trinta anos antes da abolição da escravidão no Brasil. Aos 16, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde terminou os estudos e se tornou professor explicador de francês no Colégio Pedro II. Ali, diz-se, foi visto pelo próprio imperador, que ficou admirado pela sua competência. Ao longo da vida, publicou livros, escreveu para jornais e se firmou como um respeitado estudioso da língua portuguesa, a ponto de ser um dos patronos da Academia Brasileira de Filologia. Sua atuação, no entanto, esteve sempre ligada às questões raciais e à educação dos mais pobres. “Não podemos pensar o Hemetério como um revolucionário do ponto de...

    Leia mais
    (Getty Images/Reprodução)

    Desigualdade racial na educação brasileira: um Guia completo para entender e combater essa realidade

    Introdução De caráter estrutural e sistêmico, a desigualdade entre brancos e negros na sociedade brasileira é inquestionável e persiste com a fragilidade de políticas públicas para o seu enfrentamento. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por exemplo, os negros representam 75,2% do grupo formado pelos 10% mais pobres do país. Se realmente queremos construir uma sociedade igualitária, é necessário compreender qual o papel que cada estrutura socioeconômica desempenha na reprodução do racismo, a fim de desenhar estratégias eficazes para o seu enfrentamento. Nesse cenário, o combate à desigualdade racial na educação é essencial, enquanto elemento indispensável para qualquer mudança, de modo que sem uma educação efetivamente antirracista não é possível pensar em uma sociedade igualitária. Ao longo deste especial, compilamos uma série de informações, dados e análises aqui do Observatório de Educação – Ensino Médio e Gestão para você compreender um pouco mais sobre a...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist