quinta-feira, janeiro 21, 2021

Casos de Racismo

Blue Ivy brilha em clipe da mãe, Beyoncé Imagem: Reprodução/Youtube

Ataques à Blue Ivy, filha de Beyoncé, desenham como racismo afeta crianças

Blue Ivy tem apenas nove anos e já é um fenômeno. Na última sexta-feira (11), a Academia do Grammy adicionou oficialmente o nome da filha de Beyoncé e Jay Z aos créditos do clipe "Brown Skin Girl". A decisão aumenta as chances dela ganhar o prêmio pela primeira vez no ano que vem. Por que isso importa A notícia é importante porque quando Beyoncé foi indicada à categoria de melhor videoclipe no principal prêmio da indústria musical, Blue Ivy ficou de fora. E no lançamento do clipe, foi Blue Ivy que roubou a cena. A garota está na produção e também canta um trecho da música. Nos últimos anos, o Grammy tem recebido inúmeras críticas por premiar, na maioria das vezes, artistas brancos. Ter mais uma garota negra concorrendo a um dos prêmios já é um avanço por si só. Ataques racistas Porém, a boa notícia veio com um gosto...

Leia mais
Mayara Oliveira de Carvalho (Foto: Arquivo Pessoal)

“Chefe sugeria que eu alisasse cabelo”, diz recepcionista após vencer ação 

Uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho que condenou o laboratório Fleury a pagar indenização para uma ex-funcionária por discriminação racial explicita um tipo de racismo reproduzido dentro de empresas, privadas e públicas: o institucional. A Justiça definiu que o laboratório deverá pagar indenização de R$ 10 mil à ex-funcionária Mayara Oliveira de Carvalho. Ela, uma mulher negra com cabelo black power, era recepcionista do Fleury na unidade Villa-Lobos, em São Paulo, em 2017. No período em que trabalhava na empresa, havia um "guia de padronização visual" de que não constavam fotos de pessoas negras, apenas de pessoas brancas. No julgamento, a ministra relatora Delaíde Miranda Arantes destacou que "a falta de diversidade racial no guia de padronização visual da reclamada é uma forma de discriminação, ainda que indireta, que tem o condão de ferir a dignidade humana e a integridade psíquica dos empregados da raça negra, como no...

Leia mais

Câmara aprova proposta que ratifica a Convenção Interamericana contra o Racismo

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (9) a adesão do Brasil à Convenção Interamericana contra o Racismo, a Discriminação Racial e Formas Correlatas de Intolerância. O texto consta do Projeto de Decreto Legislativo 861/17, que seguirá para o Senado. De acordo com a convenção, a discriminação racial pode basear-se em raça, cor, ascendência ou origem nacional ou étnica e é definida como “qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência, em qualquer área da vida pública ou privada, com o propósito ou efeito de anular ou restringir o reconhecimento, gozo ou exercício, em condições de igualdade, de um ou mais direitos humanos e liberdades fundamentais consagrados nos instrumentos internacionais aplicáveis aos Estados partes”. A convenção trata ainda da intolerância, conceituada como “um ato ou conjunto de atos ou manifestações que denotam desrespeito, rejeição ou desprezo à dignidade, características, convicções ou opiniões de pessoas por serem diferentes ou contrárias”. O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP),...

Leia mais
Procedimento quer reforçar ações de combate ao racismo e evitar casos como o de João Alberto, negro morto por dois seguranças branco em Porto Alegre — Foto: LEO ORESTES/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Procedimento vai investigar ações de combate ao racismo por empresas privadas de vigilância do Acre

O Ministério Público Federal (MPF-AC) instaurou um procedimento administrativo para investigar que ações de combate ao racismo estão sendo desempenhadas pelas empresas de segurança privada para evitar crimes no Acre. Para isso, o órgão federal solicitou à Polícia Federal a quantidade de processos administrativos instaurados para apurar irregularidades já identificadas. O MPF-AC destacou que quer coibir e evitar atos discriminatórios e de racismo dos servidores privados que fazem a segurança em estabelecimentos no estado. No dia 10 de novembro, véspera do Dia da Consciência Negra, João Alberto Freitas, de 40 anos, um homem negro, foi espancado até a morte por dois seguranças brancos dentro de uma unidade do Carrefour em Porto Alegre. A morte de João Beto, como era conhecido, causou uma onda de revolta e protestos pelo país. A 17ª Marcha da Consciência Negra em São Paulo, no dia 20, pediu justiça pela morte de João Alberto em Porto...

Leia mais
Neymar acompanha de perto a discussão entre o árbitro romeno Ovidiu Hategan e o atacante Demba Ba, do Basaksehir (Reuters)

Ato na Champions une negros e brancos em marco da luta antirracista no futebol

A bola parou de rolar, e os olhares do mundo se voltaram à beira do gramado, onde os jogadores discutiam com os árbitros da partida. Aos poucos, as informações foram sendo divulgadas e tomamos conhecimento de mais um caso de racismo no futebol. Desta vez, porém, foi diferente. No jogo entre PSG e Istanbul Basaksehir, o ato de racismo foi praticado por membro do quadro da arbitragem, algo que não é comum. Aquele que deveria zelar pela aplicação da lei e da ordem cometeu um crime que não passou impune graças à indignação de Demba Ba. Com o início da confusão, a primeira reação do árbitro da partida foi expulsar o atleta do Istanbul, numa atitude comum aos árbitros quando percebem um jogador exaltado. Mas numa atitude errada, afinal estava deixando em campo o agressor e expulsando as vítimas de atitudes racistas. Tudo mudou quando os atletas das duas equipes...

Leia mais
Suéllen Rosim (Foto: Reprodução/ Instagram)

Mulher negra eleita prefeita de Bauru sofre ataques racistas às vésperas da eleição: ‘cara de favelada’

A prefeita eleita de Bauru (SP), Suéllen Rosim (Patriota), sofreu ataques racistas nas redes sociais nas vésperas das eleições. As mensagens foram divulgadas em um grupo de WhatsApp e chegaram ao conhecimento dela, que registrou um boletim de ocorrência após o segundo turno neste domingo (29). Em um dos trechos da mensagem postada no grupo, o agressor diz “não podemos eleger aquela mulher com cara de favelada para ser nossa prefeita. Essa gentinha irá afundar Bauru”. Em outra mensagem, ele diz: “não tenho nada contra, mas essa gente de pele escura, com cara de marginal administrado essa cidade, será o fim". O conteúdo com cunho racista também aparece em outra mensagem: “Essa gente de cor, representada por essa tal de Suéllen, não vai saber administrar a cidade, não tem competência.” Mensagens com conteúdo racistas contra a prefeita eleita de Bauru foram divulgadas no Whats App (Foto:...

Leia mais
O ministro Edson Fachin, do STF Imagem: Nelson Jr./SCO/STF

Fachin vota para que injúria racial seja imprescritível: ‘Chaga infame’

Em julgamento na tarde de hoje, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin defendeu que a injúria racial deve ser tratada como um crime imprescritível. Em seu voto, o ministro afirmou que o racismo representa uma "chaga" na sociedade brasileira e reafirmou a existência de preconceito racial no país. "Há racismo no Brasil. É uma chaga infame que marca a interface entre o ontem e o amanhã", disse Fachin. A afirmação de Fachin se contrapõe às declarações do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) que na semana passada disse acreditar que "no Brasil não existe racismo". O STF começou a julgar hoje se a injúria racial é um crime imprescritível, assim como os crimes previstos na lei que trata dos crimes de racismo. A injúria racial está citada no texto do Código Penal. Após o voto de Fachin, relator do processo, o julgamento foi suspenso e será retomado na próxima...

Leia mais
Para 75% da população paulistana, racismo é um problema central na cidade e deve ser enfrentado com políticas públicas (Foto: Pixabay)

Para 83%, racismo e discriminação cresceram em São Paulo, diz pesquisa

São Paulo – As declarações do presidente Jair Bolsonaro e de seu vice, Hamilton Mourão, negando existir racismo no Brasil, não condizem com o que pensa boa parte dos brasileiros. Sobretudo a população paulistana. Segundo a edição de 2020 da pesquisa “Viver em São Paulo: Relações Raciais”, da Rede Nossa São Paulo, o racismo existe e está em alta na capital paulista. De acordo com o levantamento, chega a 83% das pessoas entrevistadas a percepção de que discriminação contra a população negra aumentou nos últimos dez anos. O estudo buscou identificar, além da percepção sobre discriminação em São Paulo, a opinião sobre medidas que possam ajudam a combater o racismo na cidade. E também a sensação em relação ao impacto dos protestos ocorridos em diferentes lugares do mundo – especialmente depois da morte do norte-americano George Floyd. A Rede Nossa São Paulo quis saber ainda qual o papel das pessoas...

Leia mais
Imagem: Geledes

Escola de Jundiaí (SP) tampa menina negra de propaganda nas redes

Veio a público nesta última quarta-feira, 23, que a família de uma menina negra de 10 anos registrou um boletim de ocorrência contra a escola que ela estuda por ser sido tampada em uma imagem de propaganda feita pela instituição nas redes sociais. Segundo o registro, o pai da aluna disse que estava na casa de amigos quando sua filha visualizou a publicação no perfil do Colégio Domus Sapiens, localizado em Jundiaí, São Paulo. No anúncio publicitário é possível ver quatro meninas, sendo três brancas e uma garota negra. Na arte, havia o texto “Importante na escola não é só estudar, é também criar laços de amizade e convivência – Paulo Freire”. De acordo com o pai, a família recebeu mensagens de indignação pela publicação. Porém, a instituição foi notificada pelos parentes da estudante e a postagem foi apagada. Uma nova fotografia foi publicada, dessa vez sem a arte e...

Leia mais
(Foto: Geledés)

Racismo no Carrefour

  Desde 2009 registramos casos de violência racial nas dependências da rede Carrefour, e apesar das inúmeras manifestações e denúncias dos movimentos negros sobre as práticas racistas, a situação ocorrida no último dia 19 de novembro reafirma a existência de um padrão institucionalizado de desrespeito e violência destinado à população negra, sem possibilidade de reversão. Apresentamos um dossiê que reúne as violências sofridas por pessoas negras, e também  as várias tentativas de diálogo propostas pelos movimentos negros visando o enfrentamento do racismo institucional na rede Carrefour, compromisso que não se efetiva na  empresa. Segue a linha do tempo:  https://www.geledes.org.br/homem-negro-espancado-suspeito-de-roubar-o-proprio-carro/ Manifesto: Racismo e crimes no Hipermercado Carrefour No dia 07 de agosto de 2009 Januário Alves de Santana, funcionário da Universidade de São Paulo - USP foi com sua esposa, dois filhos, irmã e cunhado fazer compras no Hipermercado Carrefour, na loja da Avenida dos Autonomistas, em Osasco. Na dependência do estabelecimento...

Leia mais
Ana Lúcia Martins é a primeira vereadora negra eleita em Joinville (Foto: Redes sociais/Reprodução)

Primeira vereadora negra eleita em Joinville é vítima de injúria racial e ameaças

A vereadora Ana Lúcia Martins (PT) é a primeira mulher negra eleita para a Câmara de Vereadores de Joinville, no Norte catarinense. Desde domingo (15), com o resultado das eleições, ela vem recebendo ataques em redes sociais e até ameaças de morte. A Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) instaurou inquérito na tarde desta quarta-feira (18) por injúria racial e ameaça, após um boletim de ocorrência pelos mesmos crimes ser registrado. "A priori é isso. O racismo a gente vai analisar posteriormente. Iniciamos agora a apuração dos fatos. Em relação à autoria, a gente ainda não tem", detalhou a delegada Cláudia Cristiane Gonçalves de Lima. Com 54 anos, Ana Lúcia está entre os 19 eleitos no domingo para o Legislativo no maior colégio eleitoral de Santa Catarina e recebeu 3.126 votos (1,18%). Segundo a vereadora, antes mesmo de sair os resultados das urnas, começaram os ataques,...

Leia mais
Imagem: Geledes

Um ano após injúria racial contra segurança do Mineirão, agressores seguem impunes e pedem indenização ao Atlético

Há um ano, os irmãos Adrierre Siqueira da Silva e Natan Siqueira da Silva protagonizaram uma cena lamentável no Mineirão, após um empate em 0 a 0 entre Atlético e Cruzeiro. Depois de cuspir no rosto de Fábio Coutinho, segurança do estádio, Adrierre se dirigiu ao trabalhador – que é negro – com intuito de desprezá-lo, e proferiu a frase: “Olha sua cor!” Natan é acusado de ter a dito palavra “macaco” durante a confusão, mas afirma que disse “palhaço”. Entretanto, até o momento, a apuração da conduta de Adrierre e Natan pelas autoridades competentes pouco caminhou. Por que a demora? O Superesportes apurou que caso de injúria racial foi registrado perante a Polícia Civil em 10 de novembro de 2019, data do jogo. O inquérito policial instaurado para apurar os fatos foi concluído e remetido à Justiça em 4 de dezembro de 2019. Cabe destacar que este processo, assim...

Leia mais
Ketinho já registrou dois boletins de ocorrência por racismo, em ambos perdeu a causa — Foto: Arquivo Pessoal

Negros relatam como o racismo os afetou ao longo da vida: ‘Doía na alma’

Passar grande parte da vida sendo pressionados pela 'ditadura do cabelo', roupas e costumes, fez com que eles tentassem se enquadrar dentro de um padrão estético branco. É assim que negros ouvidos pelo G1 relatam como o racismo afetou suas vidas e fez com que se sentissem inseguros e minoria no Brasil. Um levantamento sobre o racismo no país apontou que 94% dos brasileiros reconhecem que as pessoas negras têm mais chances de serem abordadas de forma violenta e mortas pela polícia. Os dados são da pesquisa "As Faces do Racismo", feita pelo Instituto Locomotiva a pedido da Central Única de Favelas (CUFA). O assistente social Ketinho Oliveira, de 28 anos, já presenciou e viveu a violência só por ser negro. Ele relata que entrou na Justiça duas vezes por casos de racismo que sofreu, e em ambos perdeu a causa. Um deles foi por intolerância religiosa, já que segue...

Leia mais
Sambista postou foto com o neto Gabriel, morto após ser baleado em baile funk e que fez Neguinho considerar deixar o país Imagem: Reprodução/Instagram/@neguinhodabeijafloroficial

Neguinho da Beija-Flor relata racismo em avião e quer filha fora do Brasil

O sambista Neguinho da Beija-Flor voltou a comentar a morte do seu neto, Gabriel Ribeiro Marcondes, de 20 anos, que morreu ao ser baleado junto com mais três pessoas em um baile funk em Nova Iguaçu, na Baixa Fluminense, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Neguinho associou a perda ao racismo no Brasil e relatou que pretende ver sua filha estudando fora do país. O intérprete e compositor de sambas memoráveis da Beija-Flor ainda relatou casos de racismo que aconteceram com ele em viagens de avião. "No avião já teve pessoas que trocaram de lugar. Foi lá e cochichou com a comissária se não tinha outro lugar. Você vê que o cara vai ali na viagem o tempo todo do meu lado mal-humorado", contou Neguinho em entrevista ao "Altas Horas", da TV Globo. O sambista também aproveitou para esclarecer declarações que fez logo após a morte do neto, há cerca...

Leia mais
Orlando Silva disputa a prefeitura de São Paulo pelo PCdoB Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo

Candidato a prefeito de SP, Orlando Silva presta queixa por racismo

O candidato do PCdoB à prefeitura de São Paulo, Orlando Silva, prestou queixa na manhã desta terça-feira numa delegacia da capital paulista por ter sido vítima de racismo nas redes sociais. De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 26º Distrito Policial, Silva, que também é deputado federal, afirma que sua assessoria tomou conhecimento de seis ofensas raciais praticadas no Twitter, Facebook e Instagram. — Não podemos tolerar. Racismo é crime. Vou exigir uma investigação policial para que as pessoas saibam que a internet não é uma terra sem lei — afirmou Orlando. Ainda no BO, o candidato lista os seis perfis que o atacaram e também relata a ofensa disparada por cada um deles. O candidato afirma ter sido chamado de "coisa feia dos infernos", "rico em melanina", "cara de bandido" e "negro de alma branca". Um dos usuários do Instagram escreveu que gostaria de ver o deputado,...

Leia mais
Imagem: Geledes

Supermercado obriga casal negro a esvaziar bolsa para revista e encontra Bíblia em SP

Uma loja da rede de supermercados Extra obrigou um casal negro a esvaziar a bolsa para ser revistada e encontrou uma Bíblia. O caso aconteceu no Campo Belo, Zona Sul da cidade de São Paulo. A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) informou nesta quinta-feira (29) que investiga o caso. "A moça me deu o valor, peguei meu cartão pra pagar e ela disse: 'preciso ver tua bolsa'. Eu falei: 'sério?'", relatou à reportagem Edgar Oliveira de Carvalho, que estava com a esposa ao lado (assista ao relato no vídeo acima). "Eu perguntei pra ela: 'você tem alguma dúvida se coloquei algo dentro?'. Fiquei sem ação. Me faltou o chão", contou Letícia Reis Oliveira de Carvalho. Ela afirmou à caixa do supermercado que só abriria a bolsa na presença da polícia. Quando a polícia chegou, Edgar virou a bolsa no carrinho de compras e, dentro, havia uma...

Leia mais
Bianca Santana - Foto: João Benz

Racismo na universidade: “Preto é feio. Quem gosta é polícia e ponto final”

— Nossa, que gatinho! — Eu prefiro meu pretinho. — Amiga, quem gosta de preto é a polícia. Gabriela Nunes estava com 24 anos de idade, no intervalo entre aulas da universidade, comprando um milho cozido, quando uma colega começou o diálogo. Algumas frases depois, tinha voltado aos 7 anos de idade, quando o padrinho jogava sinuca em um bar na esquina de casa, em Embu das Artes, e foi assassinado por policiais. O mesmo tipo de terror que sentira aos 4 anos de idade, quando um amigo da mãe foi alvejado na porta de sua casa. — Amiga, não fala assim, por favor. Meu padrinho era um homem preto e foi assassinado pela polícia quando tinha 25 anos de idade. Enquanto argumentava, esperando uma retratação da colega, Gabriela via o corpo do padrinho durante o velório, repleto de algodões. A atualização de um trauma, característica do racismo cotidiano, que...

Leia mais
Reprodução Roda Viva/TV Cultura Fonte: undefined - iG @ https://economia.ig.com.br/2020-10-19/nubank-roda-viva.html

Fundadora do Nubank diz que é difícil contratar negros e que empresa não pode “nivelar por baixo”

Em entrevista ao programa Roda Viva, na segunda-feira (19), a cofundadora do Nubank, Cristina Junqueira, afirmou que tem dificuldade de encontrar candidatos negros adequados para as exigências das vagas na empresa. Ela disse ainda que investe em programas de formação gratuitos, mas que não pode “nivelar por baixo”. Na entrevista, Junqueira admite que o Nubank possui um problema de representatividade racial, mas afirma que sua equipe trabalha para contornar a situação. “Já faz algum tempo que a gente procura para várias posições, inclusive uma vice-presidente de marketing para trabalhar comigo. Estou há bastante tempo procurando e é difícil. Recrutar Nubank sempre foi difícil”, afirma. A jornalista Angelica Mari, da Forbes Brasil, então questiona se esse “alto grau de exigência” não pode ser uma barreira para minorias. A executiva então responde: “Não dá para também nivelarmos por baixo. Por isso que queremos fazer investimento em formação. Criamos um programa gratuito, que...

Leia mais
Segundo o advogado, a criança apresenta mudança de comportamento após o fato (Foto: Arquivo Pessoal)

Funcionário obriga menina negra de 11 anos a levantar blusa pra provar que não furtou

O funcionário de uma loja de doces obrigou uma menina negra de 11 anos a levantar a blusa e provar que não havia furtado nenhum produto no estabelecimento. Segundo o relato do próprio empregado, quando pediu desculpas à família, a criança despertou suspeitas por causa da cor e do cabelo crespo. De acordo com informações do Uol, o caso aconteceu no mês passado no bairro da Penha, na zona norte do Rio de Janeiro, mas repercutiu recentemente nas redes sociais após a irmã mais velha da vítima relatar o caso na internet. “Ele falou na maior naturalidade que eles precisam desconfiar mesmo, pois no local descem muitos meninos e meninas de comunidade para furtar a loja e que ele desconfiou dela por conta da cor e do cabelo black que havia caído no rosto quando ela abaixou”, contou a irmã da vítima. Segundo o veículo, a criança havia ido até...

Leia mais
Salehe Bembury / Foto: Akiharu Ichikawa/Hypebeas

Vice-presidente da Versace divulga vídeo de abordagem policial nos EUA por estar com sacola da marca de luxo

O vice-presidente de tênis e calçados masculinos da Versace, Salehe Bembury, foi abordado por policiais brancos enquanto fazia compras em uma loja da marca na Califórnia, nos Estados Unidos. Ele divulgou dois vídeos mostrando a abordagem em suas redes sociais, na última sexta-feira (2) e neste domingo (4). “Em Beverly Hills enquanto negro. Estou bem. Meu espírito, não”, escreveu em publicação no Instagram. No vídeo, ele aparece narrando o ocorrido enquanto filma o rosto dos policiais. “Estou em Beverly Hills sendo revistado por comprar em uma loja da marca para qual trabalho porque sou negro”, declara Bembury. “Você está criando uma narrativa completamente diferente”, respondeu o policial na sequência. “Vocês verificaram meus documentos. Tudo certo? Então posso ir embora”, continuou o vice-presidente. Ao tomar conhecimento do caso, Donatella Versace, atual vice-presidente do Grupo Versace, compartilhou o vídeo em seu Instagram e declarou: “Estou chocada que isso tenha acontecido com Salehe...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist