Casos de Racismo

    Frentista angolano João Manuel, de 47 anos, morreu esfaqueado em Itaquera na madrugada deste domingo (17) em ataque com motivação xenofóbica, segundo testemunhas — Foto: Arquivo pessoal

    Angolano morre esfaqueado na Zona Leste de SP e 2 ficam feridos; imigrantes deixam suas casas em Itaquera por medo de xenofobia

    Um homem angolano de 47 anos morreu esfaqueado no último domingo (17) em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo. Dois outros imigrantes ficaram feridos ao tentar impedir a agressão. O suspeito, um auxiliar de mecânico brasileiro, fugiu. Segundo testemunhas, o ataque teve motivação xenofóbica e ocorreu após uma discussão sobre o pagamento do auxílio-emergencial federal para imigrantes. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o caso foi registrado no 24º Distrito Policial (Ponte Rasa) e encaminhado ao DHPP, que prossegue com as investigações. Exames periciais foram solicitados ao Instituto de Criminalística (IC) e ao Instituto Médico Legal (IML). A congolesa Hortense conta que as agressões e ameaças a imigrantes africanos tornaram-se comuns na área conhecida como Cidade Antônio Estêvão de Carvalho nos últimos meses. Membro do Conselho Municipal de Imigrantes de São Paulo, Hortense morou por cinco anos no bairro. Após ameaças, ela abandonou sua casa há...

    Leia mais
    Imagem: Geledés

    Funcionária que teve pulsos amarrados será indenizada

    Com base nesse entendimento, a 7ª Câmara do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região determinou que a Autoliv do Brasil, empresa de Taubaté que atua no ramo da indústria automobilística, indenize ex-empregada em R$ 180 mil a título de danos morais. A decisão foi proferida nesta terça-feira (12/5). Segundo a ação, dois superiores passaram fita crepe nos pulsos da reclamante e em seus próprios braços, prendendo a funcionária a eles. Em seguida “desfilaram com ela pela linha de produção”. Os dois homens afirmaram que aquilo não era brincadeira e que “todos deveriam saber o que se faz com empregado fujão”. O episódio teria ocorrido porque a empregada saiu mais cedo no dia anterior. A ação dá conta, ainda, de um episódio em que a reclamante foi alvo de assédio moral e racismo. De acordo com os autos, um dos chefes parabenizou a mulher “pelo seu dia”. “A reclamante ficou sem entender o que acontecia...

    Leia mais
    (Foto: Reprodução/ Instagram)

    Repórter da Globo comenta caso de racismo sofrido: ‘Não somos otários’

    O repórter Manoel Soares, da Globo, falou hoje sobre o ato racista que sofreu nas redes sociais durante o programa 'É de Casa' da última semana. O profissional, que participa de diversas atrações da emissora, foi comparado a um assaltante por um internauta ao aparecer de máscara. "Esse preto de máscara. Assalto?", dizia o comentário feito na web.   (Foto: Imagem retirada do site Uol) Em participação no programa de hoje, o repórter lamentou o caso e disse não entender o que se passa pela cabeça de uma pessoa que faz ataques preconceituosos. "Eu vi essa situação. Já passei por 'n' vezes por esse tipo de situação, é desconfortável. Eu confesso que fico pensando o que passa na cabeça da pessoa que faz uma coisa dessa? Eu não entendi. Assaltante por quê? Quais são as características que me apresentam como assaltante só pelo fato de estar...

    Leia mais
    (Foto: Imagem Geledés)

    Mulheres denunciam injúria racial depois de serem acusadas de furto

    Três mulheres negras foram acusadas de furtar um brinquedo em loja na região central de Campo Grande, situação que terminou com registro na Polícia Civil. Elas questionam a conduta dos vendedores, da PM (Polícia Militar) e do policial ao fazer o boletim de ocorrência, em que ela não conseguiu qualificar como injúria racial. A dona de casa, de 44 anos, foi ao centro para fazer compras com a filha, de 18 anos, a nora, de 22 anos, e o neto, um menino de 1 ano e oito meses. Por volta das 17h30, entraram na loja Good Variedades. Enquanto elas estavam na loja, a dona de casa diz que o neto tirou da sacola um dos brinquedos que havia comprado em outra local e colocou na gôndola. Segundo ela, a filha recolocou entre as compras. A dona de casa diz que a filha foi ao caixa para pagar por um produto...

    Leia mais
    Imigrante com máscara caminhando no Centro de Santiago - (Foto: Natalia Espina)

    Pandemia produz aumento dos casos de racismo contra imigrantes negros no Chile

    Além da crise na saúde e dos efeitos econômicos gerados pela pandemia do novo coronavírus, também existem as consequências sociais que são claramente vistas nos noticiários, mas não necessariamente como um problema. Uma dessas consequências é o aumento da discriminação aos imigrantes. Embora o problema seja mais comum em países onde esse tema é mais politicamente explorado, como nos Estados Unidos, ele também está presente na América do Sul, e um dos exemplos é o Chile, que assim como os norte-americanos, também é governado por um mega empresário neoliberal: Sebastián Piñera. Com a chegada da pandemia ao Chile, a vida dos imigrantes nesse país andino, que já era muito difícil, passou a ser ainda pior, já que muitas comunidades começaram a ser estigmatizadas,  especialmente as de haitianos, colombianos e venezuelanos, que contam com muitas pessoas negras, as que mais costumam ser prejulgadas como potenciais contagiados. Em um episódio ocorrido na última semana,...

    Leia mais
    Foto: Luca D´Urbino

    Racismo em tempos de covid-19

    Quão mais exasperados são os tempos, mais excessos se cometem. Depois de semanas de quarentena, recorda-se já com saudades o “mundo antes de covid-19”. Não há dúvida que há um mundo pré e pós-covid-19. No entanto, não podemos cair no erro de embelezar um mundo, que por si só já pecava por defeitos. E é precisamente baseados nestes defeitos, sendo um destes defeitos o racismo, que muitos excessos se estão a cometer. Em Janeiro e Fevereiro a maior parte dos casos de racismo a que se assistiu relacionados com a covid-19 foi contra asiáticos, por o surto se encontrar descontrolado quase apenas na China. Discriminou-se indiscriminadamente, passe-se a redundância, pois bastava parecer asiático, e não necessariamente chinês, para ser vítima de discriminação. Se a nova estirpe do coronavírus praticamente não sofre de mutações, o mesmo não se aplica ao racismo, que se transforma, adapta e multiplica. Ironicamente, a situação neste...

    Leia mais
    blank

    McDonald’s fecha restaurante que vetou a entrada de negros

    Um restaurante da McDonald’s Corporation na China foi fechado temporariamente pela rede, após acusações de racismo. Do Hypeness (Foto: chöning/ullstein bild/Getty Images) Depois do estopim da pandemia de coronavírus no país, o comércio está voltando a funcionar fisicamente, incluindo restaurantes. Funcionários da unidade do McDonald’s voltaram a trabalhar, mas se recusaram, explicitamente, a servir clientes por eles serem negros. No estabelecimento, havia inclusive uma placa declarando que os negros não estavam “autorizados a entrar” – amável causou revolta e logo viralizou nas redes sociais. O caso foi denunciado por movimentos que lutam pelo direito à igualdade racial. A discriminação contra africanos na região de Guangzhou, onde o caso ocorreu, tem se tornado cada vez mais rotineira e tem crescido motivada por rumores de que os nigerianos que moravam no distrito “Little Africa” ​​da cidade estavam espalhando uma nova onda de infecções por coronavírus. Várias nações africanas...

    Leia mais
    blank

    Racismo Ambiental

    O que podemos aprender com a Netflix e o contexto atual? Por Edson Lopes, Do Instituto Ethos (Foto: Unsplash) Está disponível na Netflix o documentário There’s Something in the Water coproduzido pela professora Ingrid Waldron e codirigido por Ellen Page, Ian Daniel e Julia Sanderson. O filme é baseado em um livro de mesmo título da professora Waldron e aborda a historicidade do racismo ambiental e os impactos na saúde de comunidades negras e indígenas no Canadá, na região da Nova Escócia. Enquanto Trump, ao início de seu mandato, bradava contra a imigração e assediava jornalistas, o primeiro ministro Justin Trudeau reagia anunciando que os que fugiam de perseguições, do terror e de guerras, seriam bem-vindos no Canadá. Este, então, anunciava que a diversidade e o multiculturalismo, aos moldes liberais, eram a força do Canadá. Naquele momento, Trudeau e Merkel compunham o contrapeso à internacionalização do...

    Leia mais
    Foto: Derik Hamilton/AP

    Piloto Kyle Larson é demitido de equipe da Nascar após ato racista

    Depois de dizer “você consegue me ouvir, seu preto?” durante uma corrida virtual, piloto foi desligado da Chip Ganassi No Lance! Kyle Larson (Foto: Derik Hamilton/AP) O americano Kyle Larson não é mais piloto da Chip Ganassi na Nascar . O piloto teve o contrato encerrado pela equipe nesta terça-feira (14), após perder todos os patrocínios e ser suspenso por tempo indeterminado depois de usar um termo racista durante uma corrida virtual organizada pelos competidores da principal categoria do automobilismo americano. “Depois de muito considerar, a Chip Ganassi determinou o fim do relacionamento com Kyle Larson. Como nós dissemos antes, os comentários que Kyle fez foram ofensivos e inaceitáveis, especialmente considerando os valores de nossa organização. Como nós continuamos avaliando a situação com todas as partes relevantes, ficou óbvio que esta foi a única ação apropriada para ser seguida”, declarou a Ganassi, em comunicado. Durante os...

    Leia mais
    Photo by David Hogsholt/Getty Images)

    ‘Se você é negro, não pode sair’: africanos na China enfrentam racismo na repressão de Covid-19

    Os africanos na maior cidade do sul da China dizem que se tornaram alvos de suspeita e foram submetidos a despejos forçados, quarentenas arbitrárias e testes em massa de coronavírus, enquanto o país intensifica sua luta contra infecções importadas. Por Célio Taylor, do Vanguarda  Photo by David Hogsholt/Getty Images) A China diz que reduziu amplamente o surto de Covid-19, mas um conjunto recente de casos vinculados à comunidade nigeriana de Guangzhou provocou a suposta discriminação por parte de moradores e autoridades de prevenção de vírus. As autoridades locais do centro industrial de 15 milhões de habitantes, disseram que pelo menos oito pessoas diagnosticadas com a doença passaram algum tempo no distrito de Yuexiu, conhecido como “Pequena África”. Cinco eram cidadãos nigerianos que enfrentaram raiva generalizada depois que surgiram relatos de que haviam quebrado uma quarentena obrigatória e foram a oito restaurantes e outros locais públicos em...

    Leia mais
    Denis Balibouse/REUTERS

    Diretor da OMS revela ter sido alvo de ameaças de morte e insultos racistas

    Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), revelou hoje ter recebido ameaças de morte e insultos racistas enquanto conduz os esforços globais para combater a pandemia do novo coronavírus. Do UOL  Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS (Denis Balibouse/REUTERS) "Posso contar os ataques pessoais que vêm ocorrendo há mais de dois, três meses. Abusos ou comentários racistas, me dando nomes, 'negro'. Tenho orgulho de ser negro", começou dizendo Ghebreyesus durante a entrevista coletiva da entidade. "Não me importo. Para ser sincero, até ameaças de morte. Eu não dou a mínima", completou. O assunto foi abordado quando Tedros Adhanom Ghebreyesus pedia que os países se unissem e que parassem de "politizar o vírus". "Taiwan me chamou de 'negro'. Eles começaram a me criticar e estavam me desprezando. Eles podem continuar, eu não ligo. Eu tenho orgulho de ser um homem negro", enfatizou o líder...

    Leia mais
    Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

    Justiça condena mulher que cometeu crime de injúria racial contra Olívia Santana

    O Tribunal de Justiça da Bahia condenou pelo crime de injúria racial a ré Neilda Giroldelli, responsável por atacar a então secretária Olívia Santana durante uma festa no Hotel Catussaba em 2018. Por Mari Leal, do Bahia Notícias Olívia Santana (Foto: Paulo Victor Nadal/Bahia Notícias) Neilda foi condenada a 2 anos e 7 meses de reclusão, e a juíza substituiu a pena por duas restrições de direitos, que consiste em prestação de serviços a comunidade, em local a ser definido pelo juízo de execução, e limitações durante os finais de semana. A indicação do trabalho social deverá atender, preferencialmente, entidade de assistência à população afrodescendente A outra ré, Eutalia Moraes de Araújo, aceitou a proposta do Ministério Público, para conceder cestas básicas para uma instituição e obteve a suspensão condicional por 2 anos, desde que cumpra o acordo. "Estou satisfeita com a punição. Quando denunciei o...

    Leia mais
    Nina Lemos (Foto: Giovanni Bello)

    Caso Rodrigo Branco. Até quando nós, brancos, vamos deixar racismo para lá?

    Na segunda-feira à noite, um guia turístico "amigo" de várias celebridades, entre elas Xuxa, Rodrigo Faro e Ivete Sangalo (e por isso meio famosinho na internet também), cometeu crime de injúria racial ao vivo, em uma live. O guia turístico Rodrigo Branco, ex diretor da Band, disse as seguintes coisas: Por Nina Lemos, do Universa Nina Lemos (Foto: Giovanni Bello) Sobre Thelma, a única mulher negra no BBB: "Ela tem torcida só porque é negra e coitada." Sobre Maju Coutinho: " Eu assisti hoje ao Jornal Hoje e ela fala tudo errado. Ela só está lá por causa da cor. Ela não tem uma carreira, ela nunca foi repórter de campo, ela fala tudo errado e eu como diretor de TV, vou te falar, ela lê o TP (teleprompter) errado" Quando li que isso tinha acontecido, pensei que talvez esse fosse um assunto para esse blog....

    Leia mais
    blank

    Quando o amigo é racista, a amizade e o respeito acabam

    O empresário Rodrigo Branco fez comentários racistas sobre Maju Coutinho e Thelma Assis na live da então amiga, a DJ Ju de Paulla Por Ana Carolina Pinheiro. da  Cláudia Imagem retirada do site Cláudia O peso do racismo é tão forte, que, mesmo quando somos vítimas, sentimos culpa e medo de sermos responsabilizados por ele existir. A influenciadora e DJ Ju de Paulla sentiu na pele essa pressão psicológica na tarde desta segunda-feira (30) durante uma live em seu Instagram. “A maioria me apoiou, mas bateu uma preocupação, já que sou sempre tão cheia de argumentos e não consegui ter naquela hora”, disse a influenciadora sobre a fala racista que seu, até então, amigo, o publicitário Rodrigo Branco, fez na sua transmissão ao vivo. ”O racismo também é isso, ele pega a gente desprevenido e nos deixa sem palavras”, comenta Ju. A ideia inicial de conversar...

    Leia mais
    blank

    Com coronavírus, Daniel Dae Kim fala sobre racismo por trás da doença: ‘Não fui contaminado na China, mas nos EUA’

    Ator conhecido pela série 'Lost' fala sobre preconceito contra asiáticos Do O Globo Daniel Dae Kim testou positivo para COVID-19 Foto: Dave Kotinsky / Getty Images O ator sul-coreano Daniel Dae Kim, conhecido pelo personagem Jin-Soo Kwon da série americana 'Lost', recebeu diagnóstico de coronavírus e falou sobre o racismo relacionado à doença. Em suas redes sociais, ele se referiu ao preconceito contra asiáticos em razão do vírus como 'indesculpável' e pediu que os americanos parassem de culpar os povos da Ásia pela disseminação do COVID-19. Falando de sua casa no Havaí, onde está isolado, o ator de 51 anos disse: 'Por favor, pare a violência preconceituosa e sem sentido contra o povo asiático'. Ele acrescentou: 'Idosos, às vezes sem-teto estão sendo atacados aleatoriamente de forma covarde e indesculpável'. Quando as pessoas estão doentes, o que mais importa é a melhor forma de cuidar de nós...

    Leia mais
    Foto: Acervo Pessoal

    Racismo: mercado é multado em R$ 112 mil após segurança acusar homem negro de furto

    Além da acusação infundada e sem provas, o jovem foi agredido no estabelecimento em Santa Catarina Do Correio 24 Horas  Foto: Acervo Pessoal Um supermercado de Florianópolis foi multado em R$ 112 mil após um segurança do estabelecimento abordar, acusar e agredir um homem negro de furto em 7 de janeiro deste ano. A sentença foi expedida na última quarta-feira (11) pelo Procon de Santa Catarina. Segundo o Uol, Renan da Silva Rodrigues, 26, entrou no supermercado para comprar uma cerveja, mas sem encontrar o que queria, decidiu ir a outro estabelecimento, na mesma rua. Antes de deixar o supermercado, no entanto, foi abordado pelo segurança. Na época, ele disse ao UOL que o funcionário o pegou pelo braço, deu-lhe uma "chave de pescoço" e o acusou de furto, sendo arrastado para o interior do estabelecimento. O jovem afirma que não foi revistado. Um vídeo mostra...

    Leia mais
    blank

    Racismo é maior em regiões de São Paulo com menos pretos e pardos

    Numa tarefa rotineira, João* se dirigiu para o prédio de uma “grande marca”** à qual sua empresa presta serviços, para entregar uma pequena caixa. Por Caique Lima, do DCM Ao chegar lá, foi revistado, interrogado e barrado por um segurança recém-contratado, que o mandou usar o elevador de serviços. Ele foi ao local indicado, o que o levou à saída dos fundos, enquanto seu cliente aguardava na entrada principal, por onde sempre entrou. “Ficou bem claro que isso só aconteceu por causa da minha cor. Eu já havia ido outras vezes com uma caixa muito semelhante e nunca aconteceu nada”. Ofender a honra de alguém baseando-se em critérios de raça, cor ou etnia configura o crime de injúria racial. Ele está tipificado na Lei do Racismo, que também qualifica o crime de racismo: atingir uma coletividade de indivíduos por meio da discriminação de toda a integralidade de uma raça. “Eu...

    Leia mais
    Lucimar Dias, de azul, fez boletim de ocorrência por racismo após ser acusada de furto, em Curitiba — Foto: Arquivo pessoal/Lara Sfair

    Professora denuncia racismo após ser acusada de furto ao guardar compras em ecobag, em Curitiba

    Lucimar Dias, de 53 anos, diz que foi abordada por três funcionários do estabelecimento após sair de mercado. Empresa afirma que não compactua com 'qualquer forma de discriminação' e que está averiguando os fatos. No G1 Lucimar Dias, de azul, fez boletim de ocorrência por racismo após ser acusada de furto, em Curitiba  (Foto: Arquivo pessoal/Lara Sfair) A professora universitária Lucimar Dias, de 53 anos, fez um boletim de ocorrência por racismo após ser acusada de furto depois de fazer compras em um mercado de Curitiba. O caso aconteceu no sábado (7). Lucimar disse que, logo após sair do local, foi parada por três funcionários do Emporium Rei do Queijo, acusada do crime. Durante a compra, a professora usou uma ecobag, onde guardou os itens até passar pelo caixa do local. "Eles viram a minha cor. Eles viram uma mulher preta fazendo compra com a ecobag....

    Leia mais
    Foto: Globo/Reinaldo Marques

    Justiça condena dois homens por racismo e injúria racial contra Maju Coutinho

    A Justiça condenou dois homens acusados de racismo e injúria racial contra a jornalista Maju Coutinho. A sentença foi expedida nesta segunda-feira, 9, pelo Tribunal de São Paulo. No A Tarde Maju Coutinho ( Foto: Globo/Reinaldo Marques) Conforme a decisão da Corte paulista, proferida pelo juiz Eduardo Pereira dos Santos Júnior, da 5ª Vara Criminal, Erico Monteiro dos Santos e Rogério Wagner Castor Sales utilizaram perfis falsos na internet para acessar a página da TV Globo e publicar injúrias contra a apresentadora. De acordo com a sentença, Erico foi condenado a 6 anos de reclusão e Rogério a 5 anos em regime semiaberto, além de multa. O magistrado também entendeu que a dupla praticou corrupção de menores por incentivar três adolescentes aos mesmos crimes. Os condenados poderão recorrer da sentença em liberdade.

    Leia mais
    blank

    Jovens são vítimas de racismo em restaurante no Centro de São Paulo

    Jovens denunciam episódio de racismo e agressão em restaurante durante o Carnaval Por André Nicolau, Do Catraca Livre (Foto: Imagem Geledés) Após curtirem mais um dia de Carnaval, na última segunda-feira, 24, os jovens Lucas Matheus dos Santos, 24, e Peterson Damião dos Santos, 35, foram ao restaurante Esquina da Praça, na República, centro de São Paulo, encontrar um grupo de amigos. A receptividade foi a pior possível: foram alvo de racismo e agressão por funcionários do estabelecimento e saíram de lá feridos, diretamente para tendas de atendimento de saúde espalhadas pela região. Os planos mudaram rapidamente: em vez de comer alguma coisa antes de voltar para Itaquera, bairro onde vivem na zona leste, tiveram de procurar delegacias. Este novo episódio de racismo, marcado por ofensa, intolerância e violência, começou assim que chegaram ao restaurante: aguardavam pacientemente a entrada, quando perceberam outros clientes passarem à frente...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist