quarta-feira, setembro 23, 2020

    Casos de Racismo

    Leandro Xavier (Arquivo Pessoal)

    Alvo de racismo em SP: ‘Não queria chorar na frente do meu filho’

    O auxiliar de serviços gerais Leandro Antonio Eusdácio Xavier, de 39 anos, foi vítima de injúria racial no sábado passado no Jabaquara, bairro de classe média em São Paulo. Uma mulher que o agrediu na rua com xingamentos de "macaco, chimpanzé e orangotango". Xavier estava caminhando com o filho, de 11 anos, para um ponto de ônibus quando foi alvo das agressões. Ele filmou tudo com o celular, e as imagens viralizaram. O rapaz disse que a agressão foi gratuita e que nunca tinha visto a agressora na vida. Quatro dias após o episódio, Xavier contou ao GLOBO como tudo aconteceu e que sua maior preocupação era com o filho. Ele diz que nunca havia se sentido discriminado por sua raça. Foi assim Leandro Antonio Eusdácio Xavier, de 39 anos "Era sábado e tinha cinco meses que eu não via meu filho, que mora com a mãe. A gente ia...

    Leia mais
    Advogada é indenizada por danos morais após ser discriminada — Foto: Arquivo Pessoal/Maíra Caroline de Faria

    Jovem é indenizada em R$ 6 mil após ser chamada de ‘macaca’ pela chefe durante revelação de amigo secreto, em BH

    A bacharel em direito Maíra Caroline de Faria, de 24 anos, foi indenizada em R$ 6 mil, por danos morais, após ser chamada de "macaca" pela chefe durante uma festa de confraternização do escritório onde trabalhava, na época, como estagiária. O crime aconteceu em dezembro de 2017, mas o processo só foi finalizado em agosto deste ano, após acordo entre as partes. Maíra contou ao G1 que tudo aconteceu durante a brincadeira do amigo secreto. Ao revelar quem tinha tirado no sorteio, a chefe falou que era a "macaca do escritório". A jovem contou que a situação foi "humilhante, dolorosa e vexatória", o que a levou a procurar a Justiça. "O processo é importante para mostrar que, mesmo dentro do direito, há casos de preconceito. São pessoas bem informadas que também cometem esse tipo de crime. Está enraizado nas pessoas", disse Maíra. Justificativa e entendimento da juíza Em sua defesa...

    Leia mais
    Naomi Osaka usando máscara facial com o nome de George Floyd no US Open Imagem: Matthew Stockman / Getty Images

    US Open: Osaka protesta contra racismo com máscara com nomes de vítimas

    Antes de entrar em quadra para disputar as quartas de final do US Open ontem, Naomi Osaka usou uma máscara facial com o nome de George Floyd. A tenista de 22 anos tem mostrado nomes de vítimas de injustiça racial nos Estados Unidos em todas as partidas da competição. George Floyd, um homem negro de 40 anos, morreu no dia 25 de maio depois de ter sido imobilizado com um joelho sobre o pescoço durante uma abordagem policial violenta na cidade de Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota. "Sinto que eles são muito fortes. Não tenho certeza do que seria capaz de fazer se estivesse no lugar deles, mas sinto que sou uma parte pequena neste momento, a fim de espalhar a consciência. Não vai diminuir a dor, mas espero que eu possa ajudar com tudo que eles precisarem", disse Osaka à ESPN. A tenista, que...

    Leia mais
    A sommelier de cerveja, Sara Araújo, é alvo de racismo em conversas vazadas de grupo de cervejeiros. (Foto: Arquivo Pessoal)

    “O racismo quando não mata, adoece”, relata mulher vítima do grupo de cervejeiros

    As sommelieres especialistas em cerveja, Fernanda Meybom (SC), Daiane Colla (SC) e Sara Araújo (PR) sofreram ataques racistas e machistas em troca de mensagens entre empresários do ramo cervejeiro. As conversas enviadas em um grupo no Whatsapp chamado “Cervejeiros Illuminati” tem cerca de 200 integrantes de todo o Brasil, em sua maioria homens. Além das ofensas direcionadas exclusivamente às três mulheres, os participantes ofendem a população negra em geral e as feministas. Entre eles aparecem empresários catarinenses e o presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Carlo Lapolli, que é de Blumenau. “Quando havia mulher que ia julgar uma cerveja tinham fotos dela por debaixo da mesa sendo compartilhadas neste grupo”, conta. De acordo com a fonte, os administradores do grupo não deixavam ninguém sair do grupo. “As pessoas saíam do grupo e eles botavam de volta pra continuarem dando palco para os mais mais do grupo. Pro cara...

    Leia mais
    Matheus Barros relatou caso de racismo contra sua filha, Amanda, que é negra Imagem: Reprodução/Instagram

    Pai relata racismo de policiais contra filha: ‘De quem roubou o celular?’

    Um pai relatou um caso de racismo envolvendo sua filha, que é negra, durante uma abordagem policial em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, na semana passada. Matheus Barros publicou um vídeo relatando o ocorrido, viu a publicação ter quase 50 mil visualizações, e a Polícia Militar do Rio de Janeiro investiga o episódio. Amanda, de 21 anos, prefere não se manifestar por enquanto. De acordo com Barros, policiais abordaram Amanda no Morro da Cordoeira e perguntaram: "de quem você roubou esse celular?", sobre o aparelho celular que ela carregava. Enquanto isso, o pai dela pegava doações para a missão na qual trabalha. "Quando peguei ela de volta, ela estava um pouco chocada, falando comigo que foi parada por homens da Polícia Militar e que esses homens abordaram ela, revistando a, o que já é estranho, porque, até onde se sabe, a revista de homens e mulheres não deveria ser...

    Leia mais
    Angelo Assumpção em uma de suas últimas competição pelo Pinheiros - Ricardo Bufolin/Flickr do Esporte Clube Pinheiros

    Perdi tudo ao me posicionar contra o racismo, diz ginasta Angelo Assumpção

    A ginástica é a vida e a mágoa de Angelo Assumpção, 24. O atleta defendeu o Pinheiros, de São Paulo, por 16 anos, até o fim de 2019, quando acabou demitido. De acordo com ele, após denunciar injúrias raciais sofridas dentro do clube. Uma reportagem da Globo também mostrou que uma série de denúncias de assédio moral identificadas na ginástica da instituição, de 2013 a 2019, não levaram a qualquer punição. O clube afirma que o contrato de Angelo foi rescindido cerca de um mês antes da data prevista para o seu término por causa de atos de indisciplina, como atrasos e insubordinação com a equipe técnica. Desempregado desde então, o atleta se sente abandonado. "De um dia para o outro, por se posicionar, você perde tudo. Todo mundo está empregado e eu não! Eu sou culpado por me posicionar sobre o que me machuca? Não dá para entender", ele afirma...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/GloboNews

    Grupo Carrefour rejeita recomendação do Ministério Público do Trabalho após caso de racismo

    O Ministério Público do Trabalho (MPT) propôs ao Hipermercado Atacadão, na Zona Oeste do Rio, a contratação de uma consultoria do movimento negro para orientar seus trabalhadores. A recomendação ocorre após uma auxiliar de cozinha ser demitida depois de denunciar racismo e intolerância religiosa cometida por outro funcionário. O órgão solicitou ainda a readmissão da vítima de racismo. Os dois pedidos foram negados pelo estabelecimento que pertence ao Grupo Carrefour. Em entrevista ao UOL, a procuradora do Trabalho Fernanda Diniz diz que a empresa foi omissa e permitiu que o empregado adotasse tal postura racista e de intolerância religiosa. “Esse funcionário dizia que não gostava de preto, está envolvido em caso de agressão física a uma outra funcionária e nunca foi punido. Neste caso de agressão, a empresa chegou a alegar acidente. Então, eu entendi é que a atitude omissa da empresa permitiu que ele fizesse tudo isso”, afirma. Em...

    Leia mais
    Dell Loy Hansen (Getty Images)

    Após acusações de racismo, proprietário do Real Salt Lake venderá time

    Após ser acusado de ter feito declarações racistas sobre e para seus funcionários, Dell Loy Hansen, proprietário do Real Salt Lake, irá vender o time. Após o portal The Atlantic destacar funcionários que afirmaram que o executivo fez comentários ofensivos, a Major League Soccer (MLS) e a National Women’s Soccer League (NWSL) abriram investigações. Hansen tirou uma licença em meio às investigações e confirmou que está procurando vender o Utah Soccer Holdings, que além do Real Salt Lake, tem em seu portfólio de times o Utah Royals, da NWSL, e o Real Monarchs, que joga na United Soccer League (USL). “Reconheço que às vezes falei muito rápido, sem parar para considerar os sentimentos ou as boas intenções dos outros. Isto não é aceitável e assumo total responsabilidade por permitir que minhas palavras saiam sem filtro quanto ao seu significado e impacto. Após profunda consideração e exame de consciência, minha esposa, Julie, e...

    Leia mais
    Modelo Mariana Vassequi se pronuncia sobre caso de racismo envolvendo cabeleireiro (Foto: Reprodução/Instagram) )

    Modelo fala sobre caso de racismo envolvendo cabeleireiro: “Senti muito medo”

    Na última semana, um vídeo de uma cena de racismo em um salão de beleza viralizou. Nele, a modelo Mariana Vassequi, 25, tem os cabelos tocados pelo cabeleireiro Wilson Eliodorio enquanto ele faz, livremente, comentários sobre os fios da modelo, tais como: “Esse cabelo ou essa pessoa é um filhote de patrão, porque o patrão comeu uma escrava e gerou isso aqui.” “Esse cabelo é um cabelo que vem do morro, e agora essas mulheres tem dinheiro e agora elas querem ir em salão chique, por isso nós temos que saber mexer com elas.” Entre outros. Congelada com a cena, Mariana ficou estática enquanto tentava processar o que estava acontecendo durante o que deveria ser um trabalho para divulgar produtos de uma marca de cosméticos. Em entrevista exclusiva para a Marie Claire, ela conta que manteve a postura profissional e que demorou a acreditar no que estava passando, pela gravidade das falas...

    Leia mais
    Ronnie Long (Imagem: Reprodução/You Tube/WCNC)

    Após 44 anos, homem negro condenado à prisão perpétua é inocentado nos EUA (vídeo)

    Em 1976, o homem negro de 20 anos Ronnie Long foi acusado de roubar e estuprar uma mulher branca, Sarah Judson Bost (54), na Carolina do Norte (EUA). A mãe de Long e sua esposa defenderam que o jovem era inocente e que estavam com ele no momento do crime. Mesmo diante da ausência de provas sólidas, um júri composto por pessoas brancas condenou Long à prisão perpétua. Ele foi inocentado após 44 anos, na quinta-feira (27), e colocado em liberdade. A reportagem é da revista Fórum. O advogado de Long, Jaime Lau, relatou que foram entregues provas à justiça que indicavam outro suspeito, mas que foram ignoradas. Depois de 44 anos, um grupo de três juízes do Tribunal de Apelações determinou que Long teve seus direitos violados. A magistrada Stephanie Thacker disse que as provas descartadas incluíam análises de laboratório que não vinculavam Long à cena do crime. Na época,...

    Leia mais
    A deputada francesa Danièle Obono Imagem: NurPhoto/NurPhoto via Getty Images

    Justiça francesa vai investigar ficção que usa imagem da deputada franco-gabonesa como escrava

    A revista, que se define como “o semanário da direita que se assume”, publicou na quinta-feira um texto de sete páginas. Nele, deputada negra “experimenta a responsabilidade dos africanos nos horrores da escravidão” do século 18, segundo a publicação. Imagens do perfil de Obono, com colar de ferro no pescoço, acompanha a “ficção”. O advogado Avi Bitton acredita que o fato de o texto ser qualificado de ficção pode dificultar um processo. “Imaginem se todos os escritores que usassem o estereótipo de um personagem de determinada etnia ou religião pudessem ser processados”, declarou o jurista à RFI. “Não haveria mais arte, nem literatura. O problema é que esse texto utiliza uma realidade, uma personagem viva e que é citada com seu nome verdadeiro”, acrescentou. Inaceitável apologia ao racismo A classe política francesa condenou de forma unânime no sábado (29) a publicação, qualificando o artigo como "inaceitável" e com "apologia ao racismo". O presidente...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/GloboNews

    Mulher é demitida após denunciar racismo e intolerância religiosa em hipermercado no Rio

    Uma auxiliar de cozinha negra foi demitida após denunciar que foi vítima de racismo e intolerância religiosa em uma unidade do hipermercado Atacadão, na Zona Oeste do Rio. A justificativa para a demissão foi ter "se envolvido em situações de conflito com outros funcionários". Como mostrou a GloboNews nesta segunda-feira (31), Nataly Ventura da Silva, de 31 anos, afirmou que logo que começou a trabalhar no local já convivia com a discriminação de um colega. Identificado como Jeferson Emanuel Nascimento, o funcionário é suspeito de ter ofendido a mulher por conta da cor de pele e da religião dela, que é o candomblé. O Ministério Público do Trabalho afirmou que a funcionária foi surpreendida com a frase "só para branco usar" em um avental. A mensagem foi assinada e escrita por Jeferson. O órgão, então, entrou com uma ação contra o estabelecimento, do Grupo Carrefour. A GloboNews teve acesso com...

    Leia mais
    Imagem: Geledes

    Haitiana será indenizada por assédio moral e discriminação racial no trabalho

    A 9ª câmara do TRT da 15ª região deu provimento parcial a recurso de uma mulher haitiana para que a empresa na qual ela exercia função de auxiliar de serviços gerais pague indenização por assédio moral e racial realizados pelo gerente. Ao ajuizar ação, a trabalhadora afirmou que ela nunca era “escalada para trabalhar no balcão de atendimento, mas somente na cozinha” e que, diferentemente dos outros colegas, era designada a apenas trabalhos mais pesados. A trabalhadora ajuizou ação alegando que exerceu funções diversas daquelas para as quais foi contratada e que sofreu humilhação e discriminação do gerente, fato que lhe causou abalo emocional. Conforme afirmou, ela era submetida a constante constrangimento com discriminação perante seus colegas de trabalho, sempre sendo obrigada a cargas de trabalho excessivos de forma desigual com seus colegas da profissão. Afirmou, ainda, que era sempre submetida a função adicional de cozinheira, de limpeza e higienização...

    Leia mais
    Ao lado dos advogados, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) exibe boletim de ocorrência; ela prestou queixa contra usuário do Facebook que fez ofensas racistas a ela. (Imagem: Arquivo Pessoal/Benedita da Silva)

    Benedita da Silva registra queixa por racismo contra usuário do Facebook

    A deputada federal Benedita da Silva (PT), de 78 anos, registrou nesta segunda-feira (31) um boletim de ocorrência após ser vítima de ofensas racistas no Facebook. Um usuário postou uma série de insultos direcionados à parlamentar por ela ter sido a responsável pela consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que levou ao fatiamento proporcional do fundo eleitoral entre candidatos brancos e negros a partir de 2022. Na denúncia, foi feita na segunda-feira (31) na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), Centro do Rio, ela acusa o usuário pelo crime de racismo, injúria e difamação racial. O suspeito é um homem que se apresenta como "administrador especialista em gestão de pessoas" e morador de Belém (PA). Na postagem, o usuário dispara diversas ofensas a Benedita relacionadas ao seu gênero e sua raça. Menciona termos como "negra idiota" e "preta ridícula". Ele menciona os quilombolas de maneira pejorativa e...

    Leia mais
    O ginasta Ângelo Assumpção no período em que treinou pelo Pinheiros, em São Paulo Divulgação Pinheiros

    Melhor ginasta negro da história do Brasil perde emprego após denunciar supostos casos de racismo

    Ângelo Roberto Dias de Assumpção, 24, não é mais uma promessa da ginástica artística e sim uma realidade da fantástica fábrica brasileira de revelar atletas talentosos para a modalidade. Como a exuberante Daiane dos Santos, Ângelo é um dos raros atletas negros que se destacaram em um esporte que exige dedicação máxima desde a infância. A exemplo dos grandes nomes, o menino de família humilde, do extremo da Zona Leste de São Paulo, começou a carreira na modalidade com apenas 5 anos de vida. José Carlos Ferreira, motorista de ônibus, espécie de tio e pai do garoto, lembra os primeiros passos do sobrinho, no quintal da casa da família, até o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, um oásis da base olímpica, bancado pela Prefeitura de São Paulo. “Ele sempre foi um menino muito espoleta e forte. Dava suas cambalhotas, subia e descia os batentes da nossa casa com a...

    Leia mais
    O confeiteiro Bernardo Marins, 20, em fotos feitas dois antes de seu aniversário, 18 de agosto, quando relata ter sofrido racismo em supermercado do Rio - Arquivo Pessoal

    Nunca fui tão humilhado, diz confeiteiro que acusa segurança de racismo

    “Muita vergonha”. Foi assim que o confeiteiro e cake designer Bernardo Marins, 20, descreve o seu sentimento ao ser, segundo ele, perseguido por um segurança do Extra Hipermercado, do bairro Alcântara, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio. "Queria sair de lá correndo", completa. O confeiteiro afirma que no ultimo dia 18 ele foi seguido por um segurança do local que o chamou de “ladrãozinho”. O segurança foi afastado da função temporariamente. A denúncia de Bernardo foi registrada na segunda-feira (24) na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), no centro do Rio. Morador de uma comunidade do bairro Galo Branco, também em São Gonçalo, ele conta que tinha ido até ao estabelecimento para comprar ingredientes do seu bolo de aniversário, que comemorava naquele dia. Segundo Bernardo, ele entrou no local com uma sacola plástica de uma compra que havia feito em outro estabelecimento. Ele disse que...

    Leia mais
    Imagem: Geledes

    Estudantes pedem demissão de professor de escola pública do DF por comentário racista na internet

    Uma publicação feita nas redes sociais por um professor de escola pública do Distrito Federal causou revolta por parte de pais e alunos. Murilo Vargas, que dá aulas de espanhol, republicou a foto de uma modelo negra de cabelo crespo e a chamou de “cosplay de microfone”. Na publicação, realizada nesta quinta-feira (20), o professor do Centro de Ensino Médio 804, do Recanto das Emas, tira sarro de uma postagem que constava a seguinte frase: "Não consigo ouvir o seu racismo por causa do volume do meu cabelo". Internautas reagiram com críticas. A comunidade escolar onde ele trabalha iniciou uma campanha pela demissão do professor. A Secretaria de Educação afirma que vai "apurar o assunto". "A Secretaria de Educação reafirma a sua missão educacional de assegurar o respeito à diversidade e à pluralidade na rede pública de ensino e, com isto, contribuir para que se propague em toda a sociedade."...

    Leia mais
    Grupo de extrema direita português Resistência Nacional faz ato em frente à sede do SOS Racismo em Lisboa - 8.ago.20 (Foto: Imagem retirada do site Folha de S. Paulo)

    Grupo racista dá 48 horas para deputadas negras deixarem Portugal

    A onda de assédio a lideranças que atuam contra o racismo e pelo direito de imigrantes se intensificou em Portugal. Em meio a ameaças de morte, dirigentes de ONGs e três deputadas de partidos de esquerda receberam, na quarta-feira (12), um ultimato para que abandonassem o país dentro de 48 horas. O email com as ameaças —dirigidas também aos familiares dos envolvidos— é assinado pela organização de extrema direita nacionalista Resistência Nacional. O grupo é o mesmo que, no sábado (8), promoveu uma passeata com referências ao movimento racista Ku Klux Klan, com máscara e tochas, em frente à sede da ONG SOS Racismo, em Lisboa. Mamadou Ba, líder da associação e um dos principais porta-vozes sobre questões raciais no país, foi um dos que receberam o email com o ultimato para deixar Portugal. Ao todo, dez pessoas foram ameaçadas, incluindo duas deputadas negras nascidas no exterior: Joacine Katar Moreira...

    Leia mais
    Imagem: TJ-PR

    Juíza de Curitiba condena homem negro e associa supostos crimes à raça dele

    Uma decisão de 19 de junho, mas publicada nesta terça-feira, 11 de agosto, chama a atenção por conta do conteúdo considerado racista. Natan Vieira da Paz, 48 anos, foi condenado a 14 anos e 2 meses acusado de integrar uma organização criminosa e praticar furtos. Na sentença assinada pela juíza Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba. No texto, a juíza justifica a condenação pelos crimes, uma vez que o homem é negro. “Sobre sua conduta social nada se sabe. Seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça, agia de forma extremamente discreta os delitos e o seu comportamento, juntamente com os demais, causavam o desassossego e a desesperança da população, pelo que deve ser valorada negativamente”, escreveu Zarpelon na página 107, de 115, de sua sentença condenatória. Em outros trechos da sentença, nas páginas 109 e 110, ele repete a...

    Leia mais
    Homens que agrediram jovem negro em shopping no Rio são policiais militares (Foto: Reprodução/Globo)

    Homens que agrediram jovem negro em shopping no Rio são policiais militares

    A Corregedoria da Polícia Militar vai apurar a conduta de dois policiais militares que agrediram um jovem negro de 18 anos dentro de um shopping no Rio de Janeiro. Matheus Fernandes tentava trocar um relógio que comprou para o pai. Os homens que arrastam Matheus e depois o agridem na escadaria de um shopping são policiais militares. Eles estavam à paisana e, segundo investigadores, são conhecidos como PM Silva e PM Esaú. Mas os dois ainda não foram identificados formalmente. E a Polícia Militar também não divulgou o nome completo dos PMs. Informou apenas que a Corregedoria abriu uma apuração sumária para verificar a conduta dos policiais. Matheus, de 18 anos, foi abordado pelos policiais na quinta-feira dentro da loja Renner do shopping Ilha Plaza, na Ilha do Governador, quando tentava trocar um relógio. Matheus contou que os PMs não quiseram olhar a identidade dele, nem a nota fiscal do...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist