quinta-feira, maio 28, 2020

    Marielle Franco

    Divulgação

    Inscrições para Prêmio Marielle Franco vão até junho

    Os textos para o Prêmio Marielle Franco devem ser encaminhados até o dia 14 de junho. As inscrições podem ser feitas pelo preenchimento do formulário pelo link: https://editoracontracorrente.blog/premio-marielle-franco-de-ensaios-feministas-2020/. Nele, a candidata escritora – cis e trans também encontrará o edital. Por Caroline Santana, do Na Pauta Online Divulgação A iniciativa do Prêmio é da Editora Contracorrente em parceria com o Instituto Marielle Franco e ele tem como objetivo reverenciar a memória e a luta da ex-vereadora com incentivo ao pensamento feminista. A categoria do prêmio é identificar ensaios inéditos escritos por autoras em língua portuguesa que transitam sobre os diversos aspectos do feminismo. Os ensaios deverão seguir um dos 9 temas descritos no edital e o júri é composto por três personalidades conhecidas do público: Márcia Tiburi, Sueli Carneiro e Anielle Franco. A premiação para a ganhadora é composta pela publicação do ensaio mais R$10.000,00. A...

    Leia mais
    O Globo

    Casa Marielle é inaugurada no Rio com exposição permanente sobre a história da vereadora

    Espaço nasceu após uma campanha de financiamento coletivo feito pelo Instituto Marielle Franco, criado pela família da vereadora assassinada a tiros ao lado do motorista Anderson Gomes Por Ricardo Rigel, do O Globo Imagem retirada do site O Globo Foi inaugurada, na tarde deste domingo, a "Casa Marielle", no Largo de São Francisco da Prainha, na Saúde, região central do Rio. O local, nasceu após uma campanha de financiamento coletivo feito pelo Instituto Marielle Franco — criado pela família da vereadora assassinada há quase dois anos. O espaço conta com uma exposição permanente do acervo pessoal e político da vereadora morta a tiros junto com o motorista Anderson Gomes, no Estácio, no dia 14 de março de 2018. Mesmo com o forte temporal que se instalou no Rio, neste fim de semana, a rua em frente à Casa Marielle ficou lotada de admiradores da história da...

    Leia mais
    Bruno Covas sancionou nesta terça (28) homenagem para vereadora Marielle Franco (Reprodução Instagram/Divulgação)

    Covas sanciona lei que cria Praça Marielle Franco em São Paulo

    Projeto de lei é de autoria de vereadores de diversos partidos Da Veja  Bruno Covas sancionou nesta terça (28) homenagem para vereadora Marielle Franco (Reprodução Instagram/Divulgação) O prefeito Bruno Covas (PSDB) sancionou nesta terça-feira (28) o projeto de lei que denomina uma praça localizada na Brasilândia, Zona Norte da capital, como Marielle Franco. A votação da proposta, que ocorreu no final do ano passado, passou pela Câmara dos Vereadores com maioria. A homenagem para a vereadora do Rio de Janeiro que foi assassinada em março de 2018 contou com apoio da comunidade local e de diversos políticos da casa, segundo Eduardo Suplicy (PT), um dos idealizadores da proposta. Foram 39 apoiadores de variadas legendas: Cidadania, DEM, PSB, PSDB, PL, PTB, PSOL, PODE, PP, PV, MDB e Republicanos. No ano passado, em conversa com a Vejinha, o vereador havia afirmado que pretendia “combinar com a comunidade para...

    Leia mais
    MARIELLE FRANCO, VEREADORA ASSASSINADA NO RIO DE JANEIRO. FOTO: MÁRIO VASCONCELLOS/CMRJ

    Instituto Marielle Franco anuncia concurso de ensaios feministas

    Vencedora será premiada com Troféu Marielle Franco, uma quantia em dinheiro e publicação impressa e online na 1ª edição do concurso Por GIOVANNA GALVANI, da Carta Capital  MARIELLE FRANCO, VEREADORA ASSASSINADA NO RIO DE JANEIRO. FOTO: MÁRIO VASCONCELLOS/CMRJ O Instituto Marielle Franco divulgou, na terça-feira 21, o futuro lançamento de edital para a publicação de um ensaio feminista inédito escrito por mulheres. Nomeada de “Concurso Marielle Franco de Ensaios Feministas”, a iniciativa é realizada pela Editora Contracorrente, parceira do Instituto no concurso. De acordo com o divulgado, a premiação tem o objetivo de “fortalecer o pensamento feminista e defender a memória e a luta de Marielle” por meio da seleção de ensaios sobre aspectos variados do feminismo, que devem ser escritos por mulheres cis e trans. O edital receberá candidaturas entre os dias 14 de março e 14 de julho, e o processo será feito no...

    Leia mais
    Marielle Franco (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

    Seiscentos dias, em mais de 500 anos, sem resposta

    Afinal, o que liga a família Bolsonaro ao caso Marielle? Por Anielle Franco e Bianca Santana, na Folha de S. Paulo   Marielle Franco, vereadora eleita pelo Psol, foi a quinta mais votada do Rio Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo “Na condição de protagonistas, oferecemos ao Estado e a sociedade brasileira nossas experiências como forma de construirmos coletivamente uma outra dinâmica de vida e ação política”, registrava a carta da Marcha das Mulheres Negras, de 2015, com a mesma generosidade que historicamente tem sido exercida nos cuidados de toda a população brasileira, por nossas ancestrais e irmãs, que tanto fizeram para que hoje estejamos aqui. No trabalho doméstico, como babás, enfermeiras, assistentes sociais, professoras, escritoras, ativistas, governadoras, deputadas e vereadoras temos colocado nossos corpos e saberes a serviço da vida e do bem viver de todas e todos. Em troca temos recebido baixos salários,...

    Leia mais
    Vereadora Marielle Franco e motorista Anderson Gomes foram mortos em 14 de março de 2018 Foto: Agência O Globo

    Artigo: A única saída possível: justiça para Marielle

    'O que existe hoje não são respostas e há pouquíssimas e insuficientes versões oficiais' Por Jurema Werneck, do O Globo Vereadora Marielle Franco e motorista Anderson Gomes foram mortos em 14 de março de 2018 Foto: Agência O Globo Foi no dia 14 de março de 2018, há 20 meses, que um crime mudou para sempre a História do Brasil e do mundo. Nesta data, foram brutalmente assassinados a defensora de direitos humanos e parlamentar no exercício do seu mandato Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes. Suas mortes levaram consigo sonhos individuais e coletivos, a alegria de duas famílias e uma interlocutora fundamental para uma série de cidadãos e cidadãs do Rio de Janeiro que eram beneficiados pela atuação de Marielle, incluindo aí jovens, negros e negras, moradores de favelas, mulheres, pessoas LGBTI, policiais vítimas da política de segurança pública e seus familiares. A demora...

    Leia mais
    Marielle Franco (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

    Em 5 pontos, os fatos e as lacunas do caso Marielle

    Com uma série de reveses, a investigação do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista dela, Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018, se arrasta há um ano e meio. Duas pessoas foram acusadas de terem executado o crime, mas ainda não se sabe o motivo e, ainda que haja suspeitas, não está claro quem seriam os mandantes. No BBC Marielle Franco, vereadora eleita pelo Psol, foi a quinta mais votada do Rio Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo As informações mais recentes da investigação revelam tentativas de impedir que ela avance. Em setembro, a ex-procuradora-geral da República Raquel Dodge denunciou o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE/RJ) Domingos Brazão e outras quatro pessoas por tentarem interferir no processo investigativo. As autoridades suspeitam que ele seja o "autor intelectual" dos assassinatos. Em outubro, a Polícia...

    Leia mais
    Divulgação

    Fundo Baobá prorroga período de inscrições nos editais Programa de Aceleração do Desenvolvimento de Lideranças Femininas Negras: Marielle Franco.

    O Baobá: Fundo para Equidade Racial é o primeiro e único fundo dedicado, exclusivamente, à promoção da equidade racial para a população negra no Brasil. Por Janaína Barbosa, no Fundo Baobá Divulgação Mediante apoio financeiro, técnico e institucional, o Fundo Baobá investirá em organizações da sociedade civil, grupos e coletivos liderados por mulheres negras e em lideranças femininas negras. Com o Programa de Aceleração do Desenvolvimento de Lideranças Femininas Negras: Marielle Franco, previsto para acontecer ao longo de cinco anos, o Fundo espera que as mulheres negras apoiadas tenham mais subsídios para acessar espaços de tomada de decisão, mobilizar mais pessoas para a luta antirracista, por justiça, equidade social e racial e transformar o mundo a partir de suas experiências. O Programa é o resultado da parceria entre Baobá – Fundo para Equidade Racial, Fundação Kellogg, Instituto Ibirapitanga, Fundação Ford e Open Society Foundations. Quem pode...

    Leia mais
    blank

    Jardim Marielle Franco é inaugurado em Paris

    Acontece nesse sábado (21) a cerimônia de inauguração de um jardim em homenagem à vereadora brasileira Marielle Franco, assassinada em março de 2018 no Rio de Janeiro. Além de várias personalidades políticas e militantes franceses e brasileiros, familiares da ativista estão na cidade especialmente para o evento. Do RFI Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em 2018, é homenageada em Paris. (Foto: Divulgação/PSOL) Aprovada pelo Conselho Municipal de Paris, a homenagem é fruto de um pedido de várias associações, encabeçadas pela RED.Br – Rede Europeia pela Democracia no Brasil. A prefeitura viu na iniciativa uma prova do “engajamento da capital na defesa dos direitos humanos pelo mundo, mas também da defesa dos políticos em perigo”, segundo comunicado divulgado na véspera da inauguração. A inauguração acontece às 15h em Paris (10h em Brasília). Está prevista a presença de Alexandra Cordebard, prefeita do 10° distrito, Patrick Klugman, Pénélope...

    Leia mais
    Marielle Franco (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

    Caso Marielle: Dodge denuncia 5 por interferência na investigação e pede abertura de novo inquérito

    Segundo Dodge, houve 'desvirtuamento da investigação'. Entre os denunciados está Domingos Brazão, conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ). Por Por Fernanda Calgaro, do G1 Raquel Dodge  (Foto: José Cruz/Agência Brasil) Em seu último dia como procuradora-geral da República, Raquel Dodge anunciou nesta terça-feira (17) que apresentou uma denúncia ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra cinco pessoas por interferência nas investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista dela Anderson Gomes. Dodge também pediu ao tribunal a abertura de um novo inquérito para apurar os mandantes do crime e ainda um pedido para que toda a investigação do caso vá para o âmbito federal. Caberá ao STJ decidir se acolhe a denúncia e o destino das investigações. A vereadora e o motorista foram mortos há um ano e meio e ainda não há conclusão sobre os autores...

    Leia mais
    Marielle Franco (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

    Conversas mostram como uma advogada e um PM obstruíram as investigações sobre a morte de Marielle

    ÉPOCA teve acesso ao relatório final da investigação, composto por depoimentos, grampos telefônicos, celulares e documentos apreendidos, que mostra como a obstrução da investigação foi arquitetada Por Aguirre Talento, da Revista Época O PM Rodrigo Jorge Ferreira, o Ferreirinha negocia sua rendição e é preso (Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo) Policial militar e ao mesmo tempo miliciano, Rodrigo Jorge Ferreira, comunicava-se pelo aplicativo WhatsApp com sua advogada, Camila Moreira Lima Nogueira, enquanto ela conduzia uma reunião informal com um delegado da Polícia Federal na Superintendência da PF do Rio de Janeiro. Ferreirinha, como era conhecido, orientava a advogada a apresentar informações para comprometer seu ex-chefe de milícia e agora desafeto, o também miliciano Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, que na época estava preso na penitenciária Bangu 9, no Rio. O encontro, ocorrido na manhã do dia 18 de abril do ano passado,...

    Leia mais
    Márcia Foletto / Agência O Globo

    Anistia Internacional cobra de Witzel solução sobre assassinato de Marielle

    Quase seis meses se passaram desde a prisão dos executores do crime. Nenhum outro avanço ocorreu na investigação do assassinato de Marielle desde então Por  Rodrigo Gomes, Da RBA Márcia Foletto / Agência O Globo Quase um ano e meio depois do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (Psol) e seu motorista, Anderson Gomes, a Anistia Internacional cobrou novamente o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), a garantir esforços pela elucidação do crime, descobrindo seus mandantes e objetivos. Há seis meses, os ex-policiais Ronnie Lessa e Élcio Vieira de Queiroz foram presos acusados de serem os executores do crime. Desde então, não há nenhum avanço importante no sentido de identificar os mandantes do crime e suas motivações. A Anistia Internacional e a família de Marielle foram recebidas pelo governador e ouviram dele o compromisso de empenhar esforços na investigação. A organização encaminhou novos pedidos a...

    Leia mais
    blank

    Raquel Dodge quer ter acesso às investigações do caso Marielle

    Em um pedido enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), Dodge ressalta que precisa ter acesso aos documentos para solicitar um eventual deslocamento de competência das investigações No Correio Braziliense Dodge: pedido de acesso a documentos pode mudar competência do caso. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, quer ter acesso às investigações relacionadas ao assassinato da vereadora Marielle Franco (PSol) e do motorista Anderson Gomes para saber se houve envolvimento, no caso, do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) Domingos Inácio Brazão. Em um pedido enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), Dodge ressalta que precisa ter acesso aos documentos para solicitar um eventual deslocamento de competência das investigações. Apesar de não exercer as funções no momento, Brazão mantém ligação com o tribunal e por isso tem foro privilegiado. No relatório enviado ao STJ, e revelado...

    Leia mais
    Foto- Gabriel de Paiva : Agência O Globo

    “Quando nos matam duas vezes, a luta negra ressurge outras mil”

    Quinze meses completos após suas mortes, em 14 de junho de 2019, caminhando para um ano e meio de ausências, continuam desconhecidos os mandantes do crime e assassinos de Marielle Franco e Anderson Gomes. por Mário Augusto Medeiros da Silva (Unicamp) no BVPS Foto- Gabriel de Paiva : Agência O Globo Isso esclarece os sentidos da violência e da experiência vital de sujeitos negros na sociedade brasileira, em cargos de poder ou não. A morte de uma mulher negra, socióloga, bissexual, oriunda do Complexo da Maré, feminista, política e ativista de direitos humanos e seu motorista negro no Rio de Janeiro choca pela tentativa de calar as vozes de todas as lutas embutidas naquelas identidades. Pós tragédia, uma nova trama de iniquidades foi urdida: questionamentos sobre seu ativismo, suspeitas sobre o passado e sugestões de associações ilícitas, prolongamento do sofrimento de seus entes queridos para descobrir os...

    Leia mais
    Marielle Franco, assassinada aos 38 anos, tinha uma risada alta e compartilhava a liderança com a equipe (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

    STJ: Desembargadora responderá por acusar Marielle de ser “engajada com bandidos”

    Decisão contra Marília de Castro Neves, do TJ/RJ, foi unânime Do Migalhas Quentes Márcia Foletto / Agência O Globo A Corte Especial do STJ decidiu nesta quarta-feira, 7, receber parcialmente queixa-crime de calúnica contra a desembargadora Marília de Castro Neves, do TJ/RJ, por ofensas à vereadora carioca Marielle Franco, assassinada em 2018. A família de Marielle entrou na Justiça após postagens da desembargadora no Facebook, que afirmavam que Marielle estava “engajada com bandidos”: "A questão é que a tal Marielle não era apenas uma 'lutadora'; ela estava engajada com bandidos! Foi eleita pelo Comando Vermelho e descumpriu "compromissos" assumidos com seus apoiadores. Ela, mais do que qualquer outra pessoa 'longe da favela' sabe como são cobradas as dívidas pelos grupos entre as quais ela transacionava. Até nós sabemos disso. A verdade é que jamais saberemos ao certo o que determinou a morte da vereadora mas temos certeza de que seu comportamento, ditado pelo...

    Leia mais
    blank

    Marielle, um sonho para despertar

    Hoje acordei tropeçando em meu sonho. Sabe aqueles dias que você se levanta da cama com se ainda estivesse dormindo? No andar dos passos a cortina do novo dia vai se abrindo, agente vai despertando e as imagens oníricas vão rapidamente se dissipando… Por Norton Cezar Dal Follo da Rosa Jr, Do Sul21 (Foto: Joana Berwanger/Sul21) Do sonho lembro apenas de um detalhe: eu tinha sido convidado para dar uma palestra sobre Jaques Lacan e a perversão. Ao entrar no auditório, deparei-me com uma sala escura com todas as cadeiras vazias, havia apenas uma enorme tela branca com a seguinte frase escrita em vermelho: QUEM MANDOU MATAR MARIELLE? Caminhei em direção àquele telão como se precisasse tocar suas letras, mas no lugar delas surgiu um buraco na tela. De repente fui sendo aspirado para dentro dele, como se estivesse a adentrar um túnel, logo após, acordei....

    Leia mais
    blank

    Marielle Franco vira símbolo mundial de resistência na Europa. Por quê?

    Andando pelas ruas da Alemanha no mês do orgulho gay (celebrado em julho) é possível dar de cara com vários cartazes com a imagem de Marielle Franco. Seu rosto, com as cores do arco íris, está ao lado de um texto que diz: “marche e proteste com orgulho”. O texto é referência às marchas do orgulho gay que acontecem em todo o mundo. Por NINA LEMOS, da Universa  Foto: NINA LEMOS O poster foi feito pela Anistia Internacional Alemã, que decidiu, nesse ano, que Marielle (juntamente com outros três ativistas LGBT) deveria ser uma das homenageadas dentro da campanha “Coragem precisa de proteção.” Não é só na Alemanha que Marielle é lembrada. A imagem e a história da vereadora, assassinada em 2018, roda o mundo. Em setembro, será inaugurado um parque com seu nome em Paris. Em Portugal, uma rua deve ganhar o nome dela. A decisão foi...

    Leia mais
    blank

    Lisboa vai batizar rua com nome da brasileira Marielle Franco

    Câmara aprovou por unanimidade homenagear a vereadora brasileira morta em 2018. Comissão de Toponímia vai decidir onde ficará a rua com o nome de Marielle Franco. Por Carlos Ferro, Do Diário de Notícia (Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo) Lisboa terá uma rua batizada em homenagem a Marielle Franco, a vereadora do Rio de Janeiro assassinada a 14 de março do ano passado, quando seguia no seu carro depois de ter participado num debate organizado pelo Partido Socialismo e Liberdade com ativistas negras. A decisão foi aprovada por unanimidade na reunião da Câmara Municipal de Lisboa desta quinta-feira, depois de analisada a proposta do vereador Manuel Grilo (Bloco de Esquerda e o responsável pelos pelouros da Educação e Direitos Sociais). Caberá agora à Comissão Municipal de Toponímia apreciar esta proposta e propor qual a rua que se passará a chamar "Marielle Franco". Socióloga, feminista, militante dos Direitos...

    Leia mais
    blank

    Dicionário de Favelas Marielle Franco

    Uma plataforma virtual de acesso público para a coleção e produção de conhecimentos sobre favelas, de forma aberta. Visa estimular e permitir a coleta e construção coletiva do conhecimento existente sobre as favelas, por meio da articulação de uma rede de parceiros que já se dedicam a este tema, tanto nas academias quanto nas instituições produtoras de conhecimentos existentes nas próprias favelas. Do Wikifavelas Saiba mais aqui 

    Leia mais
    Foto- Mídia Ninja

    Paris vai ter espaço público em homenagem a Marielle Franco

    Logo que a proposta foi lançada, recebeu o apoio da prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo, que encampou o projeto do coletivo Rede Europeia para a Democracia no Brasil (RED.Br) no Revista Fórum Foto- Mídia Ninja A ex-vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada em março de 2018 no Rio de Janeiro, será homenageada em Paris. O Conselho Municipal da capital francesa aprovou, nesta segunda-feira (1), uma moção de intenção para dar o nome de Marielle a um espaço público na cidade. O anúncio foi feito pelo coletivo Rede Europeia para a Democracia no Brasil (RED.Br). Conforme informou o coletivo, a decisão dos conselheiros foi unânime. A moção foi apresentada por políticos de esquerda, mas ganhou os votos da oposição de direita. Pelo Twitter, o grupo de vereadores socialistas comemorou a decisão, ressaltando que Marielle era uma “vereadora engajada na luta contra o racismo, a homofobia e as...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist