Rússia acrescenta ‘Movimento LGBT internacional’ à lista de indivíduos e entidades ‘terroristas e extremistas’

Enviado por / FontePor AFP, no O Globo

Lista é mantida por órgão de fiscalização financeira para combate ao financiamento do terrorismo; desde o início da guerra na Ucrânia, repressão às minorias sexuais tem se intensificado

O órgão de fiscalização financeira da Rússia acrescentou nesta sexta-feira o que chama de “movimento LGBT internacional” à sua lista de indivíduos e entidades “terroristas e extremistas”, de acordo com um documento do serviço de inteligência financeira visto pela AFP. A decisão foi anunciada após a Suprema Corte, em novembro, declarar o movimento “extremista”, proibindo efetivamente o ativismo LGBT no país.

A lista a qual o movimento foi adicionado é mantida pelo Serviço Federal de Monitoramento Financeiro (Rosfinmonitoring), órgão responsável pelo combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, com poderes para congelar contas bancárias de entidades específicas mencionadas na listas. Segundo a Reuters, os poderes abrangem mais de 14 mil pessoas e entidades, que vão desde a al-Qaeda até a empresa americana Meta, além de associados a Alexei Navalny, dissidente que morreu em uma prisão no Ártico, aos 47 anos.

A lista, citada pela agência RIA, incluiu agora o “movimento social LGBT internacional e suas divisões estruturais”.

A inclusão do movimento ocorre em consonância e meses depois da decisão da Suprema Corte, em novembro. O juiz da principal jurisdição do país, Oleg Nefedov, ordenou classificar como “extremistas o movimento internacional LGBT e suas filiais” e pediu para “proibir suas atividades no território da Federação russa”, segundo jornalistas da AFP. Na época, a audiência ocorreu sem advogados, já que nenhuma organização leva o nome de “movimento internacional LGBT” na Rússia.

O presidente Vladimir Putin, recentemente reeleito para outro mandato de seis anos, há muito tempo diz que defende a “família” e a religião contra um Ocidente “decadente” e até mesmo “satânico”. Desde o início da Guerra na Ucrânia, que eclodiu em fevereiro de 2022, as autoridades russas têm reprimido cada vez mais as minorias sexuais em paralelo.

Guinada ultraconservadora

Na quarta-feira, as autoridades anunciaram, por exemplo, que os gerentes de um bar na região dos Urais, detidos provisoriamente por “extremismo LGBTQIA+”, agora podem pegar até dez anos de prisão por “extremismo” LGBT, foram mantidos sob custódia. De acordo com a promotoria, “durante a investigação, descobriu-se que os réus, pessoas de orientação sexual não tradicional (…) também apoiam as opiniões e atividades da associação pública internacional LGTB, que é proibida em nosso país”.

Esse é o primeiro caso criminal nesse sentido, embora vários cidadãos russos tenham sido condenados nas últimas semanas a multas por publicar fotos com bandeiras do arco-íris ou, no caso de duas mulheres, por publicar um vídeo delas se beijando na Internet. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, segundo a Tass, alegou não ter conhecimento de quaisquer leis no país que proíbam a exibição de símbolos do arco-íris no país.

Desde 2013, uma lei na Rússia proíbe a “propaganda” de “relações sexuais não tradicionais” entre menores de idade. A legislação foi consideravelmente ampliada no final de 2022, para proibir qualquer forma de “propaganda” LGBT na mídia, na Internet, em livros e filmes. Em julho de 2023, os deputados russos também votaram uma lei que proíbe operações cirúrgicas e terapias hormonais para pessoas transgênero.

+ sobre o tema

Arthur, transexual de 13 anos: “Acham que só quero chamar atenção”

Mesmo enfrentando preconceito e incompreensão fora de casa, o...

O discurso da tolerância como domesticação

Apenas uma sociedade profundamente intolerante pode invocar a necessidade...

Sem alarde nem preconceito Vigor aborda homossexualidade em anúncio para Facebook

Pode até ser que abordar homossexualidade em 2014 já...

Expulso de casa por ser gay, jovem divulga vídeo de briga com os pais

Pais evocam argumentos bíblicos para dizer que filho gay...

para lembrar

LeBron James critica postura dos Estados Unidos no caso Brittney Griner

No novo episódio do talk show “The Shop: Uninterrupted“,...

EUA oferecem à Rússia troca de prisioneiros envolvendo estrela de basquete Brittney Griner

O governo dos EUA propôs ao Kremlin uma troca de prisioneiros...

Rússia condena Brittney Griner, jogadora de basquete dos EUA, a nove anos de prisão

Um tribunal na Rússia condenou nesta quinta-feira (4) a jogadora de basquete...

Estudantes Africanos espancados e baleados em São Petersburgo, Rússia

Por Redação O último final de semana (24/25 do mês...
spot_imgspot_img

Estrela do basquete dos EUA é libertada de prisão na Rússia

A estrela do basquete americano Brittney Griner foi libertada nesta quinta-feira (08/12) numa troca de prisioneiros com a Rússia e está a caminho dos...

Enem: dez temas de atualidades que são importantes para a prova

Saber o que está acontecendo no mundo é fundamental para quem vai fazer o Enem. Professores afirmam que esse conhecimento é importante não só...

Defesa de Brittney Griner recorre à sentença de 9 anos de prisão na Rússia

A jogadora de basquete norte-americana Brittney Griner, condenada na Rússia a nove anos de prisão por tráfico de drogas, apresentou recurso contra a sentença nesta segunda-feira...
-+=