quarta-feira, setembro 23, 2020

    Violência Racial e Policial

    Lewis Hamilton no pódio do GP da Bélgica de Fórmula 1 30/08/2020 Pool via REUTERS/Francois Lenoir

    Hamilton diz que não vai desistir de fazer campanha por justiça

    O seis vezes campeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton afirmou que não desistirá de usar sua plataforma para fazer campanha por justiça racial, depois que o órgão regulador do esporte confirmou que não haverá investigação sobre suas ações no Grande Prêmio da Toscana. O piloto da Mercedes vestiu uma camiseta preta no domingo com a frase “Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor”, na parte da frente, e “digam o nome dela” no verso com uma fotografia da norte-americana, que foi morta por policiais em março. Em um post no Instagram, o britânico disse a seus 20 milhões de seguidores: “quero que saibam que não vou parar, não vou desistir, não vou desistir de usar essa plataforma para lançar luz sobre o que eu acredito ser certo”. “Esta é uma jornada para todos nós nos unirmos e desafiarmos o mundo em todos os níveis de injustiça, não apenas racial”,...

    Leia mais
    Tamika Palmer, mãe de Breona Taylor, durante processo judicial - 15/09/2020 Foto: Bryan Woolston/Reuters

    Louisville pagará US$12 milhões em acordo judicial após morte de Breonna Taylor pela polícia

    A cidade de Louisville, no Estado norte-americano de Kentucky, vai pagar 12 milhões de dólares à família de Breonna Taylor, uma mulher negra morta pela polícia durante operação em seu apartamento, para encerrar um processo judicial por homicídio culposo, disse o prefeito Greg Fischer nesta terça-feira. O acordo é um dos maiores do gênero na história dos Estados Unidos, onde os departamentos policiais muitas vezes são protegidos de pagar indenizações por mortes ocorridas sob sua custódia. A medida não admite explicitamente irregularidades cometidas pela cidade, mas será acompanhada por reformas no Departamento da Polícia Metropolitana de Louisville, incluindo a exigência de que os comandantes aprovem mandados de busca antes que estes sejam submetidos a um juiz, afirmou Fischer em uma entrevista coletiva. Nenhum policial foi acusado criminalmente pela morte de Taylor, mas o procurador-geral de Kentucky, Daniel Cameron, um político negro do Partido Republicano, deve apresentar o caso a um...

    Leia mais
    Naomi Osaka usando máscara facial com o nome de George Floyd no US Open Imagem: Matthew Stockman / Getty Images

    US Open: Osaka protesta contra racismo com máscara com nomes de vítimas

    Antes de entrar em quadra para disputar as quartas de final do US Open ontem, Naomi Osaka usou uma máscara facial com o nome de George Floyd. A tenista de 22 anos tem mostrado nomes de vítimas de injustiça racial nos Estados Unidos em todas as partidas da competição. George Floyd, um homem negro de 40 anos, morreu no dia 25 de maio depois de ter sido imobilizado com um joelho sobre o pescoço durante uma abordagem policial violenta na cidade de Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota. "Sinto que eles são muito fortes. Não tenho certeza do que seria capaz de fazer se estivesse no lugar deles, mas sinto que sou uma parte pequena neste momento, a fim de espalhar a consciência. Não vai diminuir a dor, mas espero que eu possa ajudar com tudo que eles precisarem", disse Osaka à ESPN. A tenista, que...

    Leia mais
    La'Ron Singletary, chefe da polícia de Rochester, é visto de máscara após encontro com autoridades locais nesta terça-feira (8) — Foto: Adrian Kraus/Reuters

    Chefe da polícia de Rochester, nos EUA, deixa o cargo em meio às investigações do caso Daniel Prude

    O chefe da polícia de Rochester, La'Ron Singletary, anunciou nesta terça-feira (8) que deixará o cargo após avanços nas investigações do caso Daniel Prude, mais um homem negro morto após ação policial nos Estados Unidos. Outros quatro policiais em altos cargos na corporação anunciaram a demissão. Singletary alegou que críticos estão tentando "destruir a carreira e a identidade" dele. "A descaracterização e a politização das ações que eu tomei depois de ser informado da morte de Prude não são baseadas em fatos, e eu não apoio isso", disse o policial. Mais cedo, a prefeita de Rochester, Lovely Warren, disse que soube de "novas informações trazidas à luz" sobre o caso Prude. Ela não deu mais detalhes, no entanto, sobre o avanço das investigações. Na semana passada, os sete policiais envolvidos na abordagem a Prude foram suspensos das funções por decisão da prefeita. "Quando eu vi esse vídeo, fiquei furiosa", afirmou...

    Leia mais
    Breonna Taylor aparece em cartazes e fotos em várias cidades americanas (REUTERS)

    Breonna Taylor, a vítima da polícia na própria casa que inspirou campanha por justiça

    Quase seis meses depois de Breonna Taylor ter sido morta com pelo menos cinco tiros, disparados por policiais à paisana que haviam arrombado a porta do seu apartamento no meio da madrugada, seu nome continua sendo repetido por manifestantes, políticos e celebridades nos Estados Unidos. Inicialmente, a morte da jovem negra nas mãos da polícia, ocorrida em 13 de março em Louisville, no Estado do Kentucky, não despertou atenção nacional. Mas, dois meses depois, em maio, a morte de outro americano negro, George Floyd, sob custódia de um policial branco na cidade de Minneapolis (Estado de Minnesota), desencadeou uma onda de protestos contra o racismo e a brutalidade policial em todos os Estados Unidos e também em outros países. Nas ruas de todo o país, manifestantes começaram a mencionar o nome de Breonna e a pedir justiça. A campanha "Say her name" ("Diga o seu nome") se espalhou durante os...

    Leia mais
    Policiais ainda seguram Daniel Prude, um homem negro, no chão mesmo com a presença de uma ambulância — Foto: Rochester Police via Roth and Roth LLP via AP

    Vídeo mostra policiais colocando capuz na cabeça de homem negro que morreu asfixiado nos EUA

    Um vídeo divulgado nesta quarta-feira (2) mostra o momento em que policiais colocam um capuz na cabeça de um homem negro, identificado como Daniel Prude, perto de Nova York, nos EUA. Prude morreu em 30 de março por asfixia. A divulgação das imagens ocorre em meio ao debate sobre a violência policial e o racismo nos Estados Unidos. O país vive uma onda de protestos desde a morte de George Floyd, em maio. Os atos ganharam novo impulso recentemente após policiais balearem sete vezes Jacob Blake pelas costas. No caso de Prude, a polícia foi acionada pela própria família da vítima, que buscava ajuda por causa de supostos problemas mentais do homem. As imagens divulgadas pela família do homem nesta quarta-feira (2) mostram Prude nu, cooperando com os policiais e atendendo às ordens de ficar no chão. Ele estava com as mãos atrás das costas, algemado. Nevava em Nova York,...

    Leia mais
    Professor diz que foi agredido e baleado por PM em Monte Alegre, em Goiás — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

    PM é preso suspeito de atirar em professor de comunidade quilombola durante abordagem, em Monte Alegre de Goiás

    A Polícia Civil investiga o caso de um professor de 25 anos da rede estadual que foi supostamente agredido e baleado por um aspirante a oficial da Polícia Militar na noite de terça-feira (1º), em Monte Alegre de Goiás, na região nordeste do estado, onde o jovem dá aulas para uma comunidade quilombola. O delegado a cargo da investigação, Carlos Eduardo Florentino da Cruz, confirmou que o militar foi preso. O PM foi autuado por constrangimento ilegal, majorado pelo uso de arma de fogo, fraude processual, coação e ameaça. Já o professor foi autuado por lesão corporal grave pelo excesso doloso de sua legítima defesa. As circunstâncias da discussão ainda não foram reveladas pela polícia. O G1 não localizou a defesa do policial militar para se manifestar sobre o caso até a última atualização desta reportagem. Um relatório preliminar da Polícia Civil aponta que o policial militar supostamente agredia um...

    Leia mais
    Ronnie Long (Imagem: Reprodução/You Tube/WCNC)

    Após 44 anos, homem negro condenado à prisão perpétua é inocentado nos EUA (vídeo)

    Em 1976, o homem negro de 20 anos Ronnie Long foi acusado de roubar e estuprar uma mulher branca, Sarah Judson Bost (54), na Carolina do Norte (EUA). A mãe de Long e sua esposa defenderam que o jovem era inocente e que estavam com ele no momento do crime. Mesmo diante da ausência de provas sólidas, um júri composto por pessoas brancas condenou Long à prisão perpétua. Ele foi inocentado após 44 anos, na quinta-feira (27), e colocado em liberdade. A reportagem é da revista Fórum. O advogado de Long, Jaime Lau, relatou que foram entregues provas à justiça que indicavam outro suspeito, mas que foram ignoradas. Depois de 44 anos, um grupo de três juízes do Tribunal de Apelações determinou que Long teve seus direitos violados. A magistrada Stephanie Thacker disse que as provas descartadas incluíam análises de laboratório que não vinculavam Long à cena do crime. Na época,...

    Leia mais
    Dois balões marcam o local onde o ciclista Dijon Kizzee, de 29 anos, foi baleado pela polícia Imagem: AFP

    Polícia mata ciclista negro a tiros por suposta violação de trânsito nos EUA

    Um ciclista negro foi baleado e morto pela polícia de Los Angeles, no mais recente caso de morte de um cidadão negro por policiais norte-americanos, e o Departamento de Polícia e um advogado que representa a família do homem ofereceram relatos divergentes hoje sobre o incidente. O ciclista, Dijon Kizzee, de 29 anos, foi baleado mais de 20 vezes pelas costas na tarde de ontem, após dois adjuntos do xerife tentarem pará-lo por uma violação do código de trânsito para ciclistas, disse Benjamin Crump, que afirmou representar a família de Kizzee. O Departamento de Polícia de Los Angeles diz que Kizzee, cuja identidade foi confirmada pelo legista do condado, foi baleado menos de 20 vezes após ter deixado cair uma arma de fogo que levava e ter acertado um soco em um dos oficiais. A morte provocou novos protestos na cidade por manifestantes furiosos com os casos de violência contra...

    Leia mais
    Wikimedia Commons

    Racismo humilha e mata

    Joilson de Jesus era um menino franzino, aparentava bem menos do que seus 15 anos, e morava numa favela na periferia paulistana com a mãe e três irmãos menores. As faxinas da mãe rendiam menos que um salário mínimo e cabia a seu primogênito ajudar, vendendo santinhos em torno da Sé. Num péssimo dia de dezembro de 1983, ainda sem ter conseguido um tostão, o garoto é envolvido em uma correria e, por um desses "erros" fatais, é perseguido como autor do furto de uma correntinha. Joilson não foi um "erro" – tinha a pele escura, "só podia ser o ladrão". Um senhor branco de terno o derruba e passa a pular em cima de suas costas raquíticas até matá-lo. A autópsia revela insuficiência respiratória aguda, luxação traumática da coluna vertical por "provável" compressão do pescoço. Revela, também, que Joílson estava sem comer há três dias. E a tal correntinha,...

    Leia mais
    Vilma Reis (Foto: Lúcio Távora/Ag. A)

    “Há um mercado da morte. Há uma tolerância absoluta da sociedade com essa violência institucional”

    Entrevista exclusiva ao Caderno de Notícias (CN) com Vilma Reis, socióloga, filha do Terreiro do Cobre, ativista do Movimento de Mulheres Negras do Brasil, mestra em Ciências Sociais, doutoranda em Estudos Africanos, defensora de Direitos Humanos e co-fundadora da Mahin Organização de Mulheres Negras. É pesquisadora associada ao ICEAFRO – Instituto Ceafro, foi ouvidora geral da Defensoria Pública da Bahia (2015 a 2019) e presidenta do Conselho Nacional de Ouvidorias Externas das Defensorias Públicas no Brasil (2018 a 2019). Em conversa com a jornalista Claudia Correia, Vilma critica a violência institucional e a ação da polícia que atinge de forma mais cruel a juventude negra. Defende a organização das comunidades para o exercício do controle sobre as políticas públicas e aponta alternativas de ação para o combate à pandemia da Covid-19 a partir dos movimentos sociais. Confira!  Caderno de Notícias – Você tem se destacado nacionalmente no Movimento...

    Leia mais
    Foto: Sérgio Lima/Poder360

    Cores da violência

    Registrou-se, no ano de 2018, uma mais que bem-vinda queda do vergonhoso número de homicídios no Brasil, repetida com maior vigor no ano passado. O detalhamento dos números, no entanto, revela desigualdades cruéis nessa melhora. Foram assassinados 58 mil brasileiros em 2018, o que correspondeu a uma taxa de 27,8 por 100 mil habitantes. Do total de mortos, nada menos de 75,7% eram negros (pretos e pardos), segundo o recém-divulgado Atlas da Violência 2020, elaborado pelo Ipea e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Uma década antes, em 2008, a participação dos negros no total de vítimas de homicídio se mostrava significativamente menor, 65,5%. Dito de outro modo, a violência fatal aumentou no período para os pretos e pardos, enquanto caía para os demais grupos. Não se pode afirmar que são sempre brancos a matar negros —inexistem dados a respeito dos homicidas. Mas resta evidente a deprimente vulnerabilidade dos segundos...

    Leia mais
    Policial civil do DHPP em local onde dois homens foram mortos por policiais da Rota (Foto: Marcelo Goncalves/Sigmapress/Folhapress)

    Polícia Civil vai mapear todos os agentes envolvidos em mortes em São Paulo

    O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), unidade de elite da Polícia Civil, começou a mapear os policiais (civis e militares) e agentes da GCM (Guarda Civil Metropolitana) envolvidos em ocorrências que terminaram em morte. Inicialmente, o levantamento focará nos casos ocorridos na capital. Segundo o chefe da Divisão de Homicídios do DHPP, delegado Marcelo Jacobucci, de janeiro deste ano até esta quinta-feira (27), 235 pessoas morreram na cidade de São Paulo em 204 ocorrências registradas como confronto com policiais. A estatística revelada por Jacobucci ao UOL indica que ao menos 204 policiais e GCMs já começaram a ter os dados mapeados. Esse número, no entanto, pode aumentar, pois, na maioria dos casos, no mínimo dois policiais participaram das ocorrências. No primeiro semestre deste ano, policiais civis e militares mataram mais de 500 pessoas em todo o estado, trata-se do maior número já registrado no período pela SSP...

    Leia mais
    O deputado Orlando Silva (Foto: Luís Macedo/ Câmara dos Deputados)

    ‘Há um genocídio contra a juventude negra em São Paulo’, diz Orlando Silva 

    O pré-candidato do PCdoB à Prefeitura de São Paulo, Orlando Silva, afirmou hoje que lutará contra o racismo institucional caso eleito. Como homem negro, o deputado federal disse que se comoveu com o caso de George Floyd, ocorrido nos Estados Unidos, em que um segurança negro foi asfixiado até a morte por um policial branco, e fez um paralelo com os casos de violência policial contra pessoas negras na capital paulista. Eu me comovi com o George Floyd . Ele falando 20 vezes 'eu não consigo respirar' me comove profundamente. Mas vou te falar uma coisa, todo dia morre um George Floyd na periferia de São Paulo. Ele comparou com o caso de Douglas, jovem de 17 anos que foi morto por um PM em outubro de 2013 na Zona Norte de São Paulo e que teve tempo de perguntar: "Por que o senhor atirou em...

    Leia mais
    Milhares de pessoas são aguardadas em Washington nesta sexta-feira (28) para uma manifestação antirracismo e para celebrar o aniversário do lendário discurso do líder Martin Luther King, “I have a dream”, de 1963. AFP/Archives

    “I have a dream”: manifestação antirracista em Washington lembra discurso de Martin Luther King

    Depois de Kenosha e do mundo do esporte, a revolta antirracista deve tomar conta de Washington. A agressão policial contra Jacob Blake, no último domingo (23), reacendeu os protestos nos Estados Unidos. Milhares de pessoas são esperadas nesta sexta-feira (28) em Washington para uma manifestação pelo aniversário do icônico discurso de Martin Luther King, “I have a dream” (Eu tenho um sonho), de 1963. Em seu discurso histórico e frequentemente evocado, King imaginou uma época em que seus filhos “viveriam em uma nação onde não seriam julgados pela cor de sua pele, mas pelo conteúdo de seu caráter”. Seu 57º aniversário ocorre meio à agitação racial e protestos em todo o país. Intitulado "Tire o Joelho do Pescoço", o movimento desta sexta-feira faz referência a George Floyd, um outro americano negro sufocado por um policial branco em 25 de maio, em Minneapolis. Derek Chauvin manteve seu joelho contra o pescoço da vítima por quase...

    Leia mais
    (foto: Kerem Yucel / AFP)

    Jogadores de vários esportes nos EUA fazem boicote histórico

    Em um ato sem precedentes, os jogadores da NBA (liga americana de basquete) boicotaram as partidas dos playoffs agendadas para a quarta-feira em protesto contra o racismo e a violência policial por conta dos sete tiros disparados por policiais nas costas de Jacob Blake, um homem negro, de 29 anos, no estado de Wisconsin. Este movimento, que colocou em xeque a continuidade do torneio, foi seguido por outros esportes nos Estados Unidos, com a suspensão de jogos de beisebol, de futebol e o adiamento das semifinais do torneio de tênis Cincinnati, do qual a japonesa Naomi Osaka anunciou que não participaria mais. Indignados pelo ataque a Blake, baleado diante dos filhos, em um novo episódio da brutalidade policial contra a população negra nos Estados Unidos, o Milwaukee Bucks, equipe que representa justamente o estado de Wisconsin onde ocorreu a agressão, foi o primeiro a boicotar a jornada ao não ir...

    Leia mais
    Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

    Assassinatos de negros aumentam 11,5% em dez anos e de não negros caem 12,9% no mesmo período, diz Atlas da Violência

    A taxa de homicídios de negros no Brasil saltou de 34 para 37,8 por 100 mil habitantes entre 2008 e 2018, o que representa aumento de 11,5% no período, de acordo com o Atlas da Violência 2020 divulgado nesta quinta-feira (27). Já os assassinatos entre os não negros no mesmo comparativo registraram uma diminuição de 12,9% (de uma taxa de 15,9 para 13,9 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes). O Atlas da Violência é elaborado a partir de uma parceria entre o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e o Instituto de Econômica Aplicada (Ipea) e tem como base de dados os números apresentados pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde. O relatório mostra que, em 2018, os negros representaram 75,7% das vítimas de todos os homicídios. "É como se estivéssemos falando de países diferentes, tamanha a disparidade. A gente percebe que a política implementada,...

    Leia mais
    Erik S Lesser/EPA

    O esporte goleia o racismo

    Enfim, o racismo sofre uma derrota dessas de mudar o rumo da história. Nem os protestos mundiais pelo assassinato de George Floyd impediram que mais um policial americano alvejasse sete vezes, e pelas costas, outro cidadão negro, Jacob Blake, de 29 anos, na frente de seus três filhos pequenos e de sua mulher. Equipes da NBA se recusaram a jogar e os jogos foram suspensos, como também aconteceu em outros esportes. O maior astro do basquete mundial, o negro LeBron James, simplesmente mandou o presidente Donald Trump se danar pelas redes sociais, exigindo mudanças e se dizendo enojado. FUCK THIS MAN!!!! WE DEMAND CHANGE. SICK OF IT — LeBron James (@KingJames) August 26, 2020 Dane-se este homem! Nós queremos mudança. Enojado disso. "Se danar" é a maneira delicada que encontrei para não ferir os ouvidos da querida ouvinte e do caríssimo ouvinte logo pela manhã. Tenha certeza de que viveríamos...

    Leia mais
    Quadra estava pronta para o jogo que não houve - Kevin C. Cox/USA Today Sports

    Atletas da NBA boicotam jogos dos playoffs após violência policial contra Jacob Blake

    Jogadores da NBA resolveram boicotar a rodada dos playoffs programada para esta quarta-feira (26), no complexo da Disney, na região metropolitana de Orlando. A decisão foi tomada como manifestação contra mais um ato de violência policial nos Estados Unidos, os tiros dados pelas costas no negro Jacob Blake. Os atletas do Milwaukee Bucks deram forma ao protesto recusando-se a entrar em quadra para enfrentar o Orlando Magic, no que seria o primeiro dos três jogos do dia. O elenco do Magic chegou a se dirigir ao ginásio para realizar seu aquecimento, mas deixou o local quando ficou claro que o adversário não apareceria. Na sequência, representantes das outras equipes que atuariam na rodada decidiram aderir ao boicote. Assim, a NBA anunciou o adiamento de Oklahoma City Thunder x Houston Rockets e Los Angeles Lakers x Portland Trail Blazers. Uma reunião entre dirigentes e jogadores marcada para a noite de quarta...

    Leia mais
    O tiroteio aconteceu durante a terceira noite consecutiva de protestos em Kenosha, no norte dos Estados Unidos, onde o homem negro James Blake foi baleado por um policial branco no domingo (23). REUTERS - BRENDAN MCDERMID

    EUA: duas pessoas morrem baleadas em protestos contra agressão policial a Jacob Blake

    Imagens divulgadas nas redes sociais mostram pessoas correndo pelas ruas de Kenosha quando tiros são ouvidos. Outros vídeos mostram um homem caído em uma calçada. David Beth, xerife no condado de Kenosha, confirmou que três pessoas foram atingidas por tiros, segundo o jornal New York Times. Segundo ele, a polícia realiza uma investigação para determinar a autoria dos tiros. O tiroteio aconteceu durante a terceira noite consecutiva de protestos em Kenosha. A cidade foi palco de mais violências contra a comunidade negra. Extended footage of the shooting in Kenosha. pic.twitter.com/oBG6UgT0Fs — Ian Miles Cheong (@stillgray) August 26, 2020 Homens brancos armados Ao menos um pequeno grupo de homens brancos fortemente armados circulava pela cidade na noite de terça-feira. Eles afirmaram que pretendiam "protegar as propriedades". A imprensa americana também indica que havia poucos policiais pelas ruas durante a manifestação. O jornal New York Times informou que a polícia investiga se...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist