quarta-feira, setembro 23, 2020

    PLPs em Ação

    Crédito: Reprodução/Internet

    Brasil registra média de 875 mortes pelo coronavírus por dia na última semana; 3 estados têm alta de óbitos

    Média móvel de mortes por Covid no Brasil foi de 875 nos últimos sete dias O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h deste domingo (30). O país registrou 398 mortes pela Covid-19 confirmadas nas últimas 24 horas, chegando ao total de 120.896 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 875 óbitos, uma variação de -10% em relação aos dados registrados em 14 dias. Em casos confirmados, já são 3.862.116 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 15.151 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 36.627 por dia, uma variação de -16% em relação aos casos registrados em 14 dias. No total, 3 estados apresentaram alta de mortes: AP, TO, RJ...

    Leia mais
    trabalho infantil

    UNICEF alerta para aumento de incidência do trabalho infantil durante a pandemia em São Paulo

    O UNICEF realizou um levantamento de dados sobre a situação de renda e trabalho com 52.744 famílias vulneráveis de diferentes regiões de São Paulo, que receberam doações da organização. Entre os dados levantados de abril a julho de 2020, o UNICEF chama a atenção para a intensificação do trabalho infantil: a prevalência total aumentou 26%, comparando as famílias entrevistadas em maio com as entrevistadas em julho. “Vemos o aumento do trabalho infantil nas crianças e nos adolescentes vulneráveis e isso nos acende um alerta importante. É urgente apoiar as famílias para que tenham alternativas de renda e trabalho no contexto da pandemia. É necessário redobrar o compromisso de proteger cada criança e cada adolescente de toda e qualquer forma de violência, inclusive da exploração do trabalho infantil”, afirma Adriana Alvarenga, coordenadora do UNICEF em São Paulo. Para a procuradora do Trabalho Elisiane Santos, “os dados apurados no levantamento do UNICEF são...

    Leia mais
    Uma segunda etapa do projeto prevê que ele possa ser replicado em outras favelas e periferias como um modelo de intervenção para emergências em saúde pública (foto: Peter Ilicciev)

    Covid-19: Instituições se unem para projeto inovador em favelas

    A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Conselho Comunitário de Manguinhos, Redes da Maré, Dados do Bem, SAS Brasil e União Rio, lança um projeto inovador que viabiliza o atendimento integral em saúde nas favelas e vai contribuir para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 na Maré e em Manguinhos (RJ). O Conexão Saúde: de olho na Covid, nome que foi dado à iniciativa, conta com o apoio da gestão municipal, por meio das unidades de saúde da Área Programática local, e inclui desde a orientação e o apoio à população local, até a telemedicina, testagem molecular, rastreamento de contactantes e produção de mapas de risco dentro das comunidades. Segundo os especialistas envolvidos, essas ações, implementadas de forma estruturada, constituem uma proposta de vigilância ativa que poderia ser considerada um modelo para o enfrentamento da pandemia em favelas e dos territórios populares. “A partir do envolvimento de diversos parceiros, estamos...

    Leia mais
    fizkes via Getty Images

    80% das empreendedoras negras não têm reservas para enfrentar a crise

    Maioria entre a população brasileira, as mulheres negras estão entre os grupos mais vulneráveis aos efeitos da pandemia no novo coronavírus. Elas são, em sua maioria, empreendedoras por necessidade, mães solo e estão com a saúde mental comprometida. Os dados são da pesquisa realizada pelo Instituto Identidades Brasil (ID_BR), divulgada nesta segunda-feira (27). A pesquisa “Saúde financeira de mulheres negras em tempos de covid-19”, foi realizada em duas fases. A primeira, em abril, no início das medidas de isolamento e contou com parceria da Faculdade Zumbi dos Palmares e das empresas Empodera e Empregueafro, de inclusão no mercado de trabalho. Neste momento, foi mapeado os impactos da crise na vida de mulheres negras. Já a segunda e última fase foi realizada entre os dias 9 e 16 de julho e foi elaborada e desenvolvida por seis pesquisadoras negras ligadas ao Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais do CEFET-RJ, à FGV (Fundação Getúlio...

    Leia mais
    imagem: http://www.generonumero.media

    Metade das mulheres brasileiras passou a cuidar de alguém durante a pandemia

    Era 21 de abril quando a mãe de Vânia saiu de casa, no município de Sete Lagoas (MG), para comprar ração para os cachorros. Apesar dos 82 anos, a idosa sempre foi muito ativa e mantinha em ordem a casa onde mora com três dos seis filhos. Mas naquele dia, foi atropelada por uma moto ao atravessar a rua, teve uma fratura séria na região pélvica e desde então utiliza um andador. Nos últimos três meses, quem herdou a responsabilidade com a casa e, consequentemente, com os irmãos de 43, 57 e 55 anos foi Vânia Costa, de 52 anos. Apesar de não morar mais com a mãe, ela acorda quase todos os dias às sete da manhã para ir até a casa, realizar os afazeres domésticos e cuidar da idosa. Volta já no fim da tarde, e ainda cuida da própria casa, onde mora com o marido. Se fossem...

    Leia mais
    blank

    Estado de SP registra 62 casos de violência doméstica por dia pela internet durante quarentena

    O estado de São Paulo contabilizou 5.559 boletins de ocorrência de violência doméstica feitos pela internet entre abril e junho deste ano. Isso representa uma média de 62 registros por dia, ou um a cada 23 minutos no período. É o que apontam dados da Polícia Civil paulista obtidos com exclusividade pela GloboNews. A Delegacia Eletrônica, sistema que permite o registro de boletins de ocorrência pela internet, foi criada em São Paulo em 2000, e vem sendo remodelada desde então. O registro de casos de violência doméstica é permitido desde 3 de abril deste ano. A mudança de procedimento foi feita para ajudar vítimas que, por causa do isolamento decorrente da pandemia do coronavírus, não conseguem sair de casa para registrar a queixa contra o agressor. O estado de São Paulo vive desde 24 de março sob quarentena regulamentada por decreto do governador João Doria (PSDB). As regras, que determinam...

    Leia mais
    Imagem: Pedro Henrique Alves

    Com 87 casos, SP fecha 1º semestre de 2020 com maior número de feminicídios desde criação da lei

    Com 87 casos registrados ao longo do primeiro semestre deste ano, os casos de feminicídio no estado de São Paulo atingiram a maior marca para o período desde 2016, de acordo com levantamento feito pelo G1 e a GloboNews com base em boletins de ocorrência e na estatística criminal da Secretaria Estadual da Segurança Pública. O feminicídio foi tipificado como crime hediondo em março de 2015. Por esse motivo, o levantamento não leva em conta o primeiro ano de vigência da lei que aumentou a pena para os assassinatos de mulheres que envolvam "violência doméstica e familiar e/ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher". Em 2015, foram registrados 11 boletins de ocorrência no primeiro semestre. De 2017 para cá, os casos crescem ano a ano. No primeiro semestre de 2019, foram registrados 85 casos, em 2018, 57 feminicídios, em 2017, 48 e, em 2016, 31 (veja tabela abaixo). Nesta...

    Leia mais
    blank

    MonitoraCovid-19: nota técnica alerta para riscos na volta às aulas

    A volta às aulas pode representar um perigo a mais para cerca de 9,3 milhões de brasileiros (4,4% da população total) que são idosos ou adultos (com 18 anos ou mais) com problemas crônicos de saúde e que pertencem a grupos de risco de Covid-19. Isso porque eles vivem na mesma casa que crianças e adolescentes em idade escolar (entre 3 e 17 anos). A quantidade de pessoas que pode passar a se expor ao novo coronavírus foi calculada por análise da Fiocruz feita com base na Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), que foi realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Laboratório de Informação em Saúde (LIS) da Fiocruz. Acesse a íntegra da nota técnica produzida pelo MonitoraCovid.  São Paulo é o estado com maior número absoluto de pessoas nessa situação, cerca de 2,1 milhões de adultos e idosos em grupos de risco...

    Leia mais
    blank

    Escola Politécnica da Fiocruz lança manual sobre biossegurança para reabertura de escolas no contexto da Covid-19

    A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) lançou o ‘Manual sobre biossegurança para reabertura de escolas no contexto da Covid-19’, que reúne normas e diretrizes para retomada das aulas em segurança. O manual traz informações facilmente acessíveis, destacando as questões sanitárias, aspectos sobre a transmissão da Covid-19 e a implementação de boas práticas de biossegurança que possam contribuir para a promoção da saúde e a prevenção dessa doença nas escolas. ‘Manual sobre biossegurança para reabertura de escolas no contexto da Covid-19’ Segundo a coordenadora geral de Ensino Técnico da EPSJV, Ingrid D’avilla, que fez parte da equipe que elaborou o documento, o manual poderá contribuir para a tomada de decisão pelos gestores, trabalhadores e a comunidade das instituições de ensino. Para ela, o manual se compromete com a explicitação de fundamentos técnico-científicos da biossegurança, que necessariamente precisam ser discutidos a partir de uma perspectiva pedagógica e de ênfase na...

    Leia mais
    blank

    PLPs no Enfrentamento do Coronavírus e à Violência Contra as Mulheres

    Geledés Instituto da Mulher Negra é parceira da Fiocruz na realização da chamada pública para o desenvolvimento de ações que buscam reduzir os efeitos da pandemia do coronavírus nas populações em situação de vulnerabilidade social. A Fiocruz é uma instituição vinculada ao Ministério da Saúde, que tem dentre seus objetivos, promover a saúde e o desenvolvimento social, gerar e difundir conhecimento científico e tecnológico, ser um agente da cidadania. Frente ao desafio representado pela pandemia, está apoiando propostas que, por meio de estratégias diversas, contribuirão para mitigar seus efeitos. Geledés participará deste esforço com o projeto PLPs Em Ação!, que conta com a atuação da nossa rede de Promotoras Legais Populares-PLPs – que são agentes multiplicadoras de cidadania comprometidas com a proteção social das mulheres, e fazem o elo entre mulheres em situação de vulnerabilidade, seus direitos, as políticas públicas e as organizações da sociedade civil, buscando alcançar uma vida...

    Leia mais
    blank

    Deslocamento para o trabalho pode explicar concentração de casos de COVID-19 em alguns bairros de SP

    Existe uma forte relação entre a circulação de pessoas que precisaram trabalhar durante a pandemia e as áreas da cidade de São Paulo com maior concentração de casos de COVID-19. Bairros como Cidade Ademar, Brasilândia, Sapopemba e Capão Redondo, que apresentam o maior número de internações na cidade, coincidem com aqueles cujos moradores não puderam permanecer em casa durante o período de quarentena. “Os trabalhadores essenciais, da área da saúde e de abastecimento, ou aqueles que precisaram trabalhar para manter a renda, como é o caso de muitas empregadas domésticas, estão mais expostos ao risco de morte ou de serem infectados. E a maior parte desses trabalhadores é usuária do transporte público”, diz Raquel Rolnik, uma das coordenadoras do Labcidade, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). O estudo liderado por Rolnik e realizado em parceria com o Instituto Pólis correlacionou informações do DataSUS sobre...

    Leia mais
    Uma rabina atende fiéis.LINDSEY WASSON / AFP

    Por que as videoconferências nos esgotam psicologicamente?

    A crise do coronavírus atingiu em cheio as organizações. Elas se viram obrigadas a forçar o teletrabalho, exceto em casos imprescindíveis, para evitar a interrupção das atividades. Esse novo formato enviou milhares de pessoas para suas casas e as forçou a adaptar nelas um novo espaço de trabalho, que precisa ser compartilhado com os demais moradores. E a tecnologia veio em seu socorro, com um desempenho tão bom que é possível até mesmo realizar reuniões por videoconferência, obtendo resultados, a priori, semelhantes aos de um encontro cara a cara. Mas é assim mesmo? Alguns especialistas alertam que o uso de ferramentas para videoconferências aumenta o nível de estresse dos participantes. As complicações da ausência de comunicação não verbal É tentador pensar que uma reunião realizada com câmera de vídeo pode ser o substituto adequado para uma presencial, mas a verdade é que o corpo humano as decifra de uma forma...

    Leia mais
    Teste para coronavírus aplicado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal — Foto: Matheus Oliveira/Saúde-DF

    Negros são maioria dos mortos por coronavírus no DF, apontam dados da Secretaria de Saúde

    Os negros são maioria entre as pessoas mortas pelo novo coronavírus no Distrito Federal. Segundo dados da Secretaria de Saúde (SES-DF), o grupo representa 53,9% das vítimas. Não negros são 43,9%, e 2,2% não tiveram a raça informada. As informações foram divulgadas na terça-feira (7), em um estudo da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan). Os dados constam do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) da Secretaria da Saúde e são referentes às 358 mortes contabilizadas na plataforma até 29 de junho. O número traz apenas parte dos 559 óbitos por Covid-19 que já haviam sido confirmados até a data. Eles seguem a mesma tendência do levantamento do Ministério da Saúde que apontou que 1 em cada 3 mortos por Covid-19 é negro. O registro das demais mortes no DF não havia sido inserido no sistema até 6 de julho. Segundo a secretaria, "a defasagem observada se deve às...

    Leia mais
    @TdHSuisse / Luciana Pinto

    UNICEF alerta: garantir acesso livre à internet para famílias e crianças vulneráveis é essencial na resposta à Covid-19

    Ter acesso à internet é fundamental para que crianças e adolescentes possam exercer plenamente seus direitos. Em tempos de coronavírus e isolamento social, a rede se torna ainda mais importante para garantir a continuidade da aprendizagem, manter contato com amigos e cuidar da saúde mental, se proteger contra a violência e ter acesso a informações confiáveis. Por isso, o UNICEF propõe ao Governo Federal e às empresas de telefonia que invistam para prover o acesso livre à internet para todas as famílias vulneráveis. “As meninas e os meninos sem acesso à internet em casa são aqueles que mais sofrerão os impactos sociais da pandemia incluindo o aumento da desigualdade no acesso a direitos fundamentais, como educação, saúde, proteção e participação”, afirma Florence Bauer, representante do UNICEF no Brasil. “Tais privações já atingem desproporcionalmente as crianças e os adolescentes mais pobres e das regiões de maior vulnerabilidade. Por isso, defendemos que...

    Leia mais
    colagem Geledés

    Educação: Ações durante e pós pandemia são necessárias para evitar evasão

    O provável aumento de índices de evasão escolar tem sido apontado por especialistas como uma das principais consequências desse período prolongado de paralisação das atividades presenciais. Embora as redes de ensino venham buscando, por meio da oferta de atividades de ensino remoto, reduzir os prejuízos na aprendizagem de seus estudantes, o desafio de mantê-los engajados nos estudos é grande. Além da autonomia e disciplina exigidas dos alunos nessa reorganização da vida escolar, a falta de acesso ou o acesso limitado à internet configura-se como um primeiro obstáculo para que a totalidade dos estudantes seja contemplada. Diante desse cenário, especialistas e organizações têm reforçado a importância dos gestores educacionais e escolares desenvolverem ações específicas com foco nos alunos com maior risco de evasão durante esse período. Uma recomendação em comum entre as elaboradas por organismos internacionais como a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Unesco e Banco Mundial é...

    Leia mais
    Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasíli

    Máscaras: O que devemos saber para nos proteger?

    O número mundial crescente dos infectados pela COVID-19, doença ocasionada pelo novo vírus Corona, tem sido preocupação constante da Organização Mundial da Saúde (OMS) (2020), do Ministério da Saúde (MS) (2020) e dos órgãos governamentais em todos os setores, na maioria dos países em que ocorre essa epidemia. Orientações gerais têm sido destacadas em todas as mídias para conter a velocidade de contaminação, principalmente se considerando a superlotação dos hospitais e a quantidade dos profissionais da saúde no atendimento dos infectados. Os profissionais de saúde vêm recebendo orientações e equipamentos de proteção individual (EPIs) mais específicos para cada área da saúde, com o objetivo de prevenir a doença COVID-19. Manual Completo do uso de Máscaras - PDf Contudo, são propostas principais da OMS (2020) para evitar a contaminação entre pessoas que não são profissionais de saúde, mas que, atualmente, podem ser foco sintomático (que apresenta sintomas) ou assintomático (que não...

    Leia mais
    blank

    Vivendo em Lockdown as meninas e a covid-19

    A Plan International revisitou quatro estudos anteriores de crises para tentar ter uma visão mais clara da insegurança e da vulnerabilidade que as meninas enfrentam agora. Tiramos lições específicas de nosso estudo da crise do Ebola de 2014-2015 na África Ocidental, onde o fechamento de escolas e outras medidas para limitar o movimento tiveram efeitos prejudiciais a longo prazo na vida das crianças e, sobretudo, das meninas. Baixe o Arquivo  

    Leia mais
    blank

    Professoras mandam ‘pacotinho de amor’ para famílias e alunos da educação infantil

    Diante da necessidade de continuar o atendimento aos bebês e crianças da unidade escolar em meio ao isolamento social provocado pelo novo coronavírus (acesse a cobertura especial) e a realidade vivida pelas famílias atendidas pelo CEI (Centro de Educação Infantil) Vila Inglesa neste ano, resolvemos nos fazer presentes nas casas das crianças de uma forma diferente: o pacotinho de amor. Clube Porvir: Saiba como avaliar conhecimentos em tempos de pandemiaClique aqui e assine A ideia surgiu durante uma reunião pedagógica online, em que professoras relatavam as dificuldades em lidar com a nova rotina. Uma das educadoras comentou que algo que a deixa feliz é receber livros e encomendas pelo correio. E contou que fica bastante ansiosa quando está para receber esses artigos e, geralmente, quando eles chegam, é uma festa em sua casa, pois fica encantada com todo o carinho com que as pessoas realizam os embrulhos. Pensando em levar...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist