sábado, dezembro 3, 2022
InícioSem categoriaMuros da discórdia

Muros da discórdia

Fonte: Observatório de Favelas – Notícais e Análises




“Gueto de Varsóvia”, assim o presidente da Associação de Moradores do Leblon e Ipanema, Augusto Boisson, comparou os muros que pretendem cercar as favelas na cidade do Rio de Janeiro. Sua fala se deu durante assembleia preparatória para o manifesto contra a construção dos muros.

A assembléia, organizada pela Federação das Associações de Moradores de Favelas do Estado do Rio de Janeiro (Faferj), foi realizada na tarde da última quarta-feira, 6 de maio, na sede da instituição, no Centro do Rio, e contou com a participação de líderes comunitários de várias favelas para protestar contra os muros no entorno de 13 favelas cariocas. O custo total estimado para as obras dos 15 quilômetros de muros é de R$ 40 milhões.

No encontro, o presidente da Associação de Moradores da Rocinha Antônio Ferreira, mais conhecido como Xaolin, falou do plebiscito realizado na favela em que a grande maioria dos moradores votou contra a construção dos muros, diferente de pesquisa publicada no jornal O Globo. “A comunidade desceu o morro e se manifestou através do plebiscito. Tivemos 1.200 cédulas distribuídas das quais 1.111 pessoas votaram contra o muro, 50 votaram a favor e 6 anularam o voto”, disse.

Xaolin disse ainda que gostaria que a luta não fosse apenas contra o muro de concreto, mas também contra os muros do preconceito, da discriminação e do apartheid social. “Sonho com uma cidade socialista, mas enquanto isso não acontece, quero uma cidade integrada onde pobres e ricos vivam respeitavelmente”, completa.

Ao final da Assembleia, ficou acordado uma união de forças entre vereadores, deputados, defensoria pública e presidentes de associações para lutar contra a construção dos muros. Foram marcados atos públicos ainda para o mês de maio: no dia 14, a Anistia Internacional estará na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) discutindo o tema; no dia 15 será realizado um ato público contra os muros; e no dia 21, uma audiência pública na Câmara de Vereadores discutirá o tema.

As favelas que serão cercadas pelos muros são Rocinha, Dona Marta, Parque da Pedra Branca, Chácara do Céu, Vidigal, Parque da Cidade, Benjamin Constant, Cabritos, Ladeira dos Tabajaras, Babilônia, Chapéu Mangueira, Cantagalo e Pavão-Pavãozinho.

Matéria original: Muros da discórdia

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench