Pesquisa nacional da Fipe analisa preconceito e discriminação no ambiente escolar

Estudo pioneiro realizado em 501 escolas públicas do país mostra que o preconceito e a discriminação estão presentes no ambiente escolar e podem estar associados a diferenças no ensino e no desempenho dos alunos.

Fonte: Jornal Ìrohin

Foto: Getty Images/Kutay Tanir

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgará dia 17, quarta-feira, às 10h30, em entrevista coletiva na FEA-USP, os resultados da Pesquisa sobre Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar, realizada para o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A coletiva será realizada na sala E-109, Prédio FEA 1, av. Prof. Luciano Gualberto, 908, Cidade Universitária, São Paulo (SP).

 

O estudo tem o propósito de fornecer informações relevantes para a elaboração de políticas e estratégias de ação que promovam a diversidade e a mitigação do preconceito, e da discriminação, nas escolas públicas brasileiras e, ao mesmo tempo, criem um ponto de partida para o aprofundamento dos estudos sobre preconceito e discriminação em suas diversas naturezas.

A pesquisa envolveu a análise dos preconceitos de natureza étnico-racial, socioeconômico, geracional, de gênero, territorial, de orientação sexual e o relacionado a pessoas com necessidades especiais. Foi também pesquisada a discriminação de diferentes grupos sociais, representados por negros, pobres, índios, ciganos, homossexuais, moradores de periferia, favelas e áreas rurais, pessoas com necessidades especiais de natureza física e mental, idosos e mulheres.

Segundo o professor José Afonso Mazzon, da FEA-USP, coordenador do trabalho, a pesquisa de campo foi realizada em 501 escolas públicas de todo o pais, nas quais foram entrevistadas de 18.500 pessoas (alunos, pais e mães, diretores, professores e funcionários).

Principais resultados

Durante coletiva de imprensa, serão apresentados dados e análises que revelam:

A abrangência, o alcance e a intensidade do preconceito, da discriminação e das práticas discriminatórias (bullying) no ambiente escolar;

Os grupos sociais mais afetados pelo preconceito e que mais sofrem com práticas discriminatórias;

A relação entre os diversos tipos de preconceito e discriminação;

A relação entre o preconceito e a discriminação latentes nas escolas e a ocorrência de práticas discriminatórias ofensivas no ambiente escolar;

A influência de características intrínsecas aos alunos e as características das escolas em relação às diferenças de preconceito e discriminação entre os alunos;

 

Como o preconceito, a discriminação e as práticas discriminatórias ofensivas no ambiente escolar estão relacionados com o desempenho dos alunos.

Local: Sala E-109, Prédio FEA 1, av. Prof. Luciano Gualberto, 908, Cidade Universitária, São Paulo (SP).

+ sobre o tema

para lembrar

Sobre educação e política: idade média aqui e agora

Há um projeto de lei na Câmara dos Deputados...

Mulheres passam mais tempo na escola do que homens

Elas estudam cerca de seis meses a mais e...

Precisamos Falar do PNE e dos Direitos Educativos da População Negra

Semana de Ação Mundial   Por: Suelaine Carneiro -  Socióloga, feminista,...

Fórum de educação e diversidade étnico-racial do estado de São Paulo – FEDER/SP

FEDER/SP CONVIDA Vossa Senhoria para o ato solene de transmissão...
spot_imgspot_img

Inscrições no Enem 2024 são prorrogadas até 14 de junho

As inscrições no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram prorrogadas até o dia 14 de junho, anunciou o ministro da Educação, Camilo Santana,...

Inscrições para o Enem 2024 terminam nesta sexta-feira (7)

Termina nesta sexta-feira (7) o prazo para realização das inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024. Os estudantes têm até 23h59...

Analfabetismo: Sul e Sudeste têm vantagem histórica, mas o futuro aponta para resultados mais promissores no Nordeste

Num intervalo de 11 dias, duas importantes pesquisas sobre analfabetismo foram divulgadas. Há três semanas, o Censo de 2022 do IBGE revelou o retrato do...
-+=