Pornografia infantil e racismo são os mais denunciados na web – por THIAGO BARROS

A Internet é palco de muitas ações culturais, democráticas e interativas, mas também ainda é lugar de ações lamentáveis. De acordo com a SaferNet Brasil, em 2013, foram realizadas mais de 240 mil denúncias de crimes virtuais. Pornografia infantil e racismo lideram o ranking de casos somando cerca de 160 mil denúncias; número que segue crescendo nas denúncias oficiais à polícia.

Segundo a SaferNet, desde 2009 foram registradas mais de 300 prisões por crimes online, e atualmente há duas mil investigações em andamento na Polícia Federal com as denúncias de pornografia infantil e crimes de ódio na web. Antes do canal de denúncia online, operado pela Polícia Federal e o Ministério Público, havia registro de apenas cinco prisões em um período de cinco anos.

 

Em 2013, o braço brasileiro da SaferNet Brasil recebeu e processou 244.147 denúncias anônimas envolvendo 54.221 páginas de Internet, hospedadas em 10.711 servidores diferentes, conectados por meio de 6.796 IPs diferentes. As denúncias podem ser feitas também online, sem identificação direta.

O número de casos é alto. No último ano, só o crime de pornografia infantil recebeu mais de 80 mil denúncias, alta 10% em relação a 2012. Casos de racismo: 78.690. Já tráfico de pessoas foi o crime denunciado com maior aumento percentual: alta de 238,26% em relação ao ano anterior.

screen shot 2014-02-12 at 45259 pmNa lista, ainda há milhares de casos de intolerância religiosa, tráfico de pessoas, neo nazismo, maus tratos contra animais, xenofobia, homofobia e apologia e incitação a crimes contra a vida. O aumento de casos foi de 36,59% em relação ao ano de 2012. O número de páginas denunciadas foi de 54.218.Com 284 inquéritos, São Paulo concentra o maior número de investigações de crimes cibernéticos pela Polícia Federal. O Rio de Janeiro apresenta 117 investigações em curso.

 

Na semana da Internet Segura, a GVT, empresa de telecomunicação brasileira, e a SaferNet Brasil, ONG de defesa aos Direitos Humanos na web, realizam encontros e palestras com jovens sobre o uso da rede. A iniciativa já alcançou cerca de três milhões pessoas desde 2008 com o objetivo de estimular que os jovens utilizem a internet de forma consciente, sem se tornar vítimas potenciais de cibercrimes. O conteúdo educativo e a agenda dos eventos podem encontrados em internetresponsavel.com.br.

 

 

 

Fonte: TechTudo.

+ sobre o tema

A chance de se implantar a democracia digital

Esgotada a fase das passeatas e manifestações públicas,...

Parlamentares querem solução para o conflito dos Guarani-Kaiowá, no MS

Diante da carta que fala em 'morte coletiva', Comissão...

Médicos do SUS terão de justificar uso de episiotomia e outros procedimentos

Os médicos da rede púbica de saúde do Estado...

Disciplina na USP aborda a cobertura da imprensa sobre as questões raciais

Pela primeira vez desde que foi criado, há...

para lembrar

spot_imgspot_img

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...

Impacto do clima nas religiões de matriz africana é tema de evento de Geledés em Bonn  

Um importante debate foi instaurado no evento “Comunidades afrodescendentes: caminhos possíveis para enfrentar a crise climática”, promovido por Geledés -Instituto da Mulher Negra em...

Comissão da Saúde aprova PL de garantia de direitos à pacientes falciformes

A Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (5), o Projeto de Lei nº 1.301/2023, que reconhece a doença falciforme como...
-+=