Primeira cantora transgênero indicada ao Oscar decide boicotar cerimônia

Anohni concorre na categoria de melhor canção original e não foi convidada para cantar

Do O Globo

Mais uma polêmica envolvendo diversidade atinge o Oscar em 2016. Primeira artista transsexual a concorrer a uma estatueta, a cantora inglesa Anohni vai boicotar a premiação em 2016. Indicada à categoria de melhor canção original por “Manta ray”, colaboração com J. Ralph no documentário “Racing extinction”, ela não foi convidada para se apresentar no palco da festa marcada para o próximo domingo.

Em um desabafo postado em seu site oficial, ela protestou. O texto, chamado “Por que não vou aos prêmios da Academia”, enumerava os motivos do boicote.

“Sou a primeira transgênero a ser indicada, e devo agradecer por isso aos artistas que votaram em mim. Estava na Ásia quando recebi a notícia. Desde então, passei a procurar algo, no caso de ser convidada para apresentar a canção. Todo mundo me ligou para dar os parabéns. Uma semana depois, os nomes de Sam Smith, Lady Gaga e the Weeknd foram anunciados. Outros seriam revelados “em breve”. Confusa, sentei e esperei. No entanto, ninguém me procurou”.

Na carta ela também diz que não acredita que foi excluída por ser trans, e aceita o fato de que os artistas anunciados têm mais apelo comercial. No entanto, diz que uma vida marcada por rejeições fez com que ela não pudesse deixar de notar uma delas.

“Todo mundo me disse que, mesmo assim, eu deveria ir ao prêmio. Que passar pelo tapete vermelho seria ‘bom para a minha carreira’. Noite passada, tentei me forçar a entrar num avião rumo a Los Angeles para os eventos que envolvem os indicados. Mas o sentimento de constrangimento e raiva me nocauteou. E não pude entrar na aeronave.

A cantora de 44 anos, cujo nome de batismo é Antony Hegarty, é mais conhecida por liderar a banda Antony and the Johnsons, com quem lançou quatro discos. No ano passado, ela anunciou a decisão de seguir em carreira solo e prometeu o álbum ‘Hopelessness’ para 2016.

+ sobre o tema

Arthur, transexual de 13 anos: “Acham que só quero chamar atenção”

Mesmo enfrentando preconceito e incompreensão fora de casa, o...

O discurso da tolerância como domesticação

Apenas uma sociedade profundamente intolerante pode invocar a necessidade...

Sem alarde nem preconceito Vigor aborda homossexualidade em anúncio para Facebook

Pode até ser que abordar homossexualidade em 2014 já...

Expulso de casa por ser gay, jovem divulga vídeo de briga com os pais

Pais evocam argumentos bíblicos para dizer que filho gay...

para lembrar

O que a Glória Pires e o Oscar nos ensinaram sobre racismo e meritocracia

Já tem alguns meses que a gente vem assistindo...

Indicada ao Oscar 2020, animação “Hair Love” fala sobre cabelo afro

O curta-metragem é um dos únicos indicados que possui...

Rihanna se apresentará no Oscar com ‘Lift Me Up’, trilha sonora de Pantera Negra

Rihanna se apresentará no Oscar com a música “Lift...

Oscar 2015 e o filme Selma: uma agenda de combate ao racismo e sexismo

O dia 8 de março é um marcador importante...
spot_imgspot_img

Ruth E. Carter, figurinista de “Pantera Negra”, é a primeira mulher negra a ganhar dois Oscars

A figurinista Ruth E. Carter se tornou a primeira mulher negra a ganhar dois Oscars. Neste domingo (12), ela conquistou sua segunda estatueta por “Pantera Negra: Wakanda Para...

Rihanna se apresentará no Oscar com ‘Lift Me Up’, trilha sonora de Pantera Negra

Rihanna se apresentará no Oscar com a música “Lift Me Up” trilha sonora de Pantera Negra: Wakanda Forever (2022), indicada ao Oscar 2023. Apresentado...

‘Marte Um’, filme escolhido pelo Brasil para o Oscar 2023, chega à televisão paga

Pela primeira vez, um longa escrito e dirigido por um cineasta negro foi selecionado para representar o Brasil na disputa pelo Oscar de melhor filme internacional. "Marte...
-+=