Primeiro futebolista a assumir a homossexualidade no Museu do Futebol

Justin Fashanu tem a partir desta quarta-feira o seu nome no Hall of Fame do Museu Nacional do Futebol, em Manchester.

No Diário de Notícias

© Fundação Justin Fashanu

Justin Fashanu, o primeiro futebolista profissional inglês a assumir a sua homossexualidade, foi homenageado esta quarta-feira com a inclusão do seu nome no Hall of Fame do do Museu Nacional de Futebol, em Manchester.

O antigo avançado, que esta quarta-feira faria 59 anos, entrou na história do futebol inglês quando numa entrevista ao jornal britânico The Sun, em 1990, revelou que era homossexual. Esta confissão pública fez com que a sua carreira entrasse imediatamente em declínio, tendo inclusive sido obrigado a emigrar para o Canadá.

Antes do anúncio que abalou a comunidade do futebol e a própria sociedade inglesa, Fashanu era considerado um jogador com um talento sublime e que se destacava pelos golos que marcava, um deles ficou célebre e foi obtido quando representava o Norwich, num jogo com o Liverpool, que acabou por ser considerado o melhor golo da época 1979-80.

Em março de 1998, devido a uma acusação de abuso sexual a um jovem de 17 anos, no estado de Maryland, nos Estados Unidos, Justin Fashanu regressiou a Inglaterra, onde acabou por se suicidar Shoreditch, arredores de Londres, deixando uma mensagem que se tornou pública: “Ser homossexual e ser uma figura pública é tão difícil.”

Amal Fashanu, que tinha nove anos quando o tio Justin morreu, gere atualmente a Fundação com o nome do antigo futebolista que tem como objetivo ajudar pessoas com doenças mentais e ainda lutar contra os problemas de homofobia e discriminação sexual. “Esta homenagem é algo muito importante que está acontecer. O meu tio está finalmente a ser reconhecido pelo talento que tinha. As pessoas esqueceram-se o quão talentoso era porque era homossexual. Estive no museu há quatro anos e pensei o por que razão o Justin não estava lá”, disse Amal em declarações ao jornal Daily Mirror.

+ sobre o tema

Mulheres negras na resistência e mobilização por direitos humanos

O lançamento do relatório anual "O Estado dos Direitos...

12 mulheres que fizeram história ligando o foda-se

Modelos de vida. Por Hannah Jewell Do Buzz Feed 1. Elizabeth Blackwell...

A mulher que fugiu para salvar dois bebês intersexuais de seus próprios pais

Há cinco anos, uma parteira no Quênia ajudou uma...

A Grande Marcha das Mulheres pelo Parto Normal e pelo Direito de Informação e Escolha.

"Nada é impossível de mudar Desconfiai do mais trivial, na...

para lembrar

Com protagonismo de mulheres negras, Festival Latinidades chega pela primeira vez a São Paulo

Programação do evento tem como objetivo dar visibilidade para...

Camila Pitanga denuncia ‘discriminação sistemática’ contra mulheres no mundo do trabalho

“O domínio do homem branco na incessante atividade econômica...

Vítima de feminicídio carregava medidas protetivas no bolso quando morreu

Jacqueline Pereira dos Santos, 37 anos, foi morta a...

Jornada das Pretas: as lutas das mulheres negras nas eleições de 2022

“África liberta em suas trincheiras, quantas anônimas guerreiras brasileiras”....
spot_imgspot_img

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Novas pesquisas mostram que meninas nos EUA estão tendo sua primeira menstruação mais cedo. A exposição ao ar tóxico é parcialmente responsável. Há várias décadas, cientistas ao redor do...

Leci Brandão recebe justa homenagem

A deputada estadual pelo PC do B, cantora e compositora Leci Brandão recebe nesta quarta (5) o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do...
-+=