Racismo; ESCRITOR DIZ QUE O NORDESTE É UMA BOSTA

Está repercutindo nas redes sociais e já foi notícia no Portal Imprensa, um dos bons sites da internet no Brasil. O fato é que o jornalista, escritor e tradutor Eduardo Bueno (é esse da foto acima), conhecido como Peninha, ao participar de um programa no canal a cabo SporTV, se referiu à região Nordeste do Brasil como “aquela bosta”.

O comentário de Bueno não pegou bem, é claro, e provocou uma onda de protestos pelo Twitter e Facebook. O escritor chegou a se desculpar e alegou se tratar de uma brincadeira, pois o programa do qual participou tem uma proposta irreverente.

Internautas chamaram o jornalista de preconceituoso e rascista e o site Petição Pública chegou a publicar um requerimento para que a Procuradoria Geral da República instaure um processo criminal contra Eduardo Bueno.

A gente já está acostumado a ver gente alienada e ignorante do Sudeste tendo esse tipo de atitude com relação ao Nordeste e nordestinos. Agora, um cidadão que pelo menos na teoria é bem informado, escritor e jornalista, usar um programa de televisão para se referir a nossa região como uma “bosta” é um pouco demais.

O Nordeste de Frei Caneca, Dom Hélder Câmara, Zumbi dos Palmares, Gilberto Freyre, Graciliano Ramos, José Lins do Rego, Raquel de Queiroz, Jorge Amado, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Alceu Valença, Elba Ramalho, Glauber Rocha, Agamenon Magalhães, Miguel Arraes, Ariano Suassuna, Dorival Caimmy, Guel Arraes, José Wilker, João Cabral de Melo Neto, Manoel Bandeira, José de Alencar, Luiz Gonzaga, Capiba, Chico Anísio, Renato Aragão, Castro Alves, Geraldo Azevedo, Ivete Sangalo, Reginaldo Rossi, Nelson Rodrigues, Aurélio Buarque de Holanda, Geneton Moraes Neto, Ferreira Gullar, Josué de Castro, Celso Furtado, Marechal Deodoro da Fonseca, Delmiro Gouveia, José Ermírio de Moraes, Ruy Barbosa e tantas outras personalidades não pode ser tratado desse jeito.

Possivelmente o escritor Eduardo Bueno, ao usar a expressão vulgar em relação ao Nordeste, estava se vendo na frente de um espelho.

Mesmo assim, é preciso que o Ministério Público Federal tome mesmo uma providência e esse cidadão pague pela expressão infeliz usada no programa de televisão. (Roberto Almeida)

Fonte:Jardim do Agreste

+ sobre o tema

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de...

Programa Erasmus oferece bolsas integrais na Europa

O Erasmus, programa promovido pela União Europeia para fomento a...

para lembrar

Discalculia, o transtorno por trás da dificuldade de aprender matemática

"O fracasso na matemática ─ assim como o fracasso...

Tranças das diversidades na educação

MANIFESTO POLÍTICO Do Conae2014 POR UMA MAIOR RADICALIDADE NA SUPERAÇÃO DE DESIGUALDADES,...

Fundeb: Câmara aprova PEC que prevê 23% de participação da União até 2026

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (21) a...
spot_imgspot_img

Taxa de alfabetização chega a 93% da população brasileira, revela IBGE

No Brasil, das 163 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 15 anos, 151,5 milhões sabem ler e escrever ao menos um...

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 foi divulgado nesta segunda-feira (13). As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de energia, manejo ecologicamente correto na agricultura e prevenção à violência entre jovens nativos digitais. Essas...
-+=