Radioagência Nacional ganha Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo

A Radioagência Nacional, veículo gerido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), ganhou há pouco o Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo na categoria Radiojornalismo, com o especial “A América Latina e o Golpe de 1964 no Brasil”. A reportagem investiga os impactos do golpe nos países da América Latina e também as conexões existentes não só entre os regimes nos distintos países, mas também das resistências e lutas por democracia.

A jornalista Juliana Cézar Nunes, que coordenou o projeto, destaca que o conteúdo é parte de todo o especial produzido pela EBC em alusão aos 21 anos do golpe, em março deste ano. Para ela, “um prêmio importante como esse mostra que é possível produzir um conteúdo de qualidade dentro de uma empresa de comunicação pública e marca que estamos no caminho certo ao investir em reportagens investigativas, de fundo, e que visam a fortalecer os laços e a contar a história da América Latina”.

O especial foi produzido em português e em espanhol no âmbito do projeto Voces Del Sur, daRadioagência Nacional, que objetiva produzir conteúdo radiofônico a fim de ser distribuído gratuitamente para rádios da América Latina. Por isso, a equipe buscou uma abordagem diferenciada e que poderia acrescentar novas leituras sobre o golpe no Brasil e suas repercussões na região, bem como evidenciar as histórias e os desafios comuns, “visando à integração latino-americana”, destacou Juliana.

A jornalista Beatriz Pasqualino, responsável pela reportagem, edição e pelo roteiro do especial premiado, disse que foram ouvidos historiadores, sociólogos e também militantes de diversos países, dentre os quais, além do Brasil, Paraguai, de Cuba, do Uruguai e da Argentina. Também estudante de mestrado na Unicamp, onde pesquisa a derrubada da ditadura de Fulgêncio Bastista pelo grupo comandado por Fidel Castro, em 1959, Beatriz destaca a importância da preservação da memória e da busca por verdade e Justiça. “Preservar a memória dos povos é um dever da comunicação pública, para que as violações aos direitos humanos não se repitam”.

A equipe vencedora também é integrada por Priscila Resende, responsável pela sonoplastia do especial.

Além da reportagem vencedora do prêmio, a Radioagência Nacional também foi finalista com a reportagem radiofônica Madiba Vive – O Legado de Nelson Mandela para a Luta Contra o Racismo no Brasil, de autoria de Juliana Cézar Nunes, Morillo Carvalho, Tâmara Freire, Graziele Bezerra, Solimar Luz, Beatriz Pasqualino, Samuel Farias, Tiago Coelho e Marcos Tavares.

Em sua 11ª edição, o Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo, uma iniciativa da revista e portalIMPRENSA, com apoio da Câmara Municipal de São Paulo e de associações ligadas à liberdade de imprensa, reconheceu as melhores matérias veiculadas de 8 de abril de 2013 a 7 de abril de 2014. A premiação foi dividida em dez categorias, além de mais duas especiais: Grande Prêmio Líbero Badaró e Contribuição à Imprensa.

+ sobre o tema

Constantino e Reinaldo emburrecem o país

Colunista do Globo, Miriam Leitão publica importante artigo sobre...

Especialistas avaliam que há racismo na produção audiovisual

Convencionou-se chamar de negros a soma dos grupos populacionais...

Revistas excluem adolescentes negras: ‘Estou no Brasil, mas me sinto na Rússia’

A pedido da BBC Brasil, a estudante de Jornalismo...

Uma ativista da crítica de mídia

Por Marcos Fabrício Lopes da Silva Nos livros Cada tridente...

para lembrar

Ministério Público solta nota de repúdio contra Reinaldo Azevedo

Associação Paulista do Ministério Público, entidade que representa promotores...

Jovens de favelas de São Paulo são treinados para gravar vídeos de abusos policiais

Do encontro com o prefeito Fernando Haddad (PT) às...

Seppir divulga lista de habilitados no Prêmio Antonieta de Barros

De acordo com o Edital, prazo para apresentar recurso...

El Pais, maior jornal da Espanha, prepara o fim das edições em papel

“No ‘El País’, decidimos não apenas não ter medo...
spot_imgspot_img

Portal Geledés recebe prêmio como imprensa negra brasileira

O que faz uma organização ser reconhecida como um canal de comunicação de destaque? Esta questão tem ocupado o pensamento da equipe do Portal...

Seletividade política apagou existência de afro-gaúchos e indígenas no RS

O dia 20 de setembro é a data mais importante do calendário cívico sul-rio-grandense. Ela faz alusão ao início da guerra civil que assolou...

Mvúka: Futuros Diversos através das vivências Negras

A ideia de uma realidade diversa de futuro para o povo negro brasileiro, se constrói a partir da interpretação crítica do passado e das...
-+=