Tag: Frente Negra Brasileira

    Reprodução/ Palmares.gov

    FNB: O percurso da voz da resistência negra brasileira (1933 A 1938)

    RESUMO: O presente estudo pretende fazer uma retrospectiva histórica dos percursos da FNB de 1930 a 1937, a partir da cobertura feita pelo jornal  A Voz da Raça para compreender a contribuição da mesma na História da Organização Política dos Negros no Brasil. A Frente Negra Brasileira (FNB) foi um movimento social e um partido político. Fundado em 16 de setembro de 1931 na capital paulista, objetivava a ascensão social para a comunidade negra e desenvolveu um trabalho significativo socioeducativo, cultural, de cursos de formação política além de ter sido responsável pela publicação do periódico A voz da Raça (1933-1937). Para compreendermos a dinâmica social nesse movimento, a base teórica será História Política e História e Imprensa. PALAVRAS-CHAVE: Raça; Imprensa; Resistência; Movimento Negro; Era Vargas.   ABSTRACT: The present study intends to make a historical retrospective of the FNB's paths from 1930 to 1937, from the coverage made by the ...

    Leia mais
    blank

    “Luz Negra” recupera história negra esquecida

      O musical “Luz Negra'', escrito e dirigido por Paulo Faria com seu grupo Pessoal do Faroeste, que tem Mel Lisboa no elenco, é exemplo de teatro resistente em uma das regiões mais temidas de São Paulo: a cracolândia, no bairro da Luz. Por Miguel Arcanjo Prado Do Blog do Arcanjo Ali é o lugar onde eles investem em um teatro musical brasileiro para contar parte de nossa história que foi esquecida: a criação, na década de 1930, do primeiro partido negro brasileiro, a Frente Negra Brasileira, que foi posto na ilegalidade por Getúlio Vargas durante o Estado Novo. O texto apresenta a efervescência política, artística e intelectual de uma charmosa São Paulo dos anos 1930, com os primeiros negros com real possibilidade de mobilização artística e política em prol de sua etnia, em um Brasil ainda de ares escravocratas. Para trazer poesia, a história é ambientada em uma rádio, na ...

    Leia mais
    blank

    Frente Negra Brasileira: Gestando um Projeto Político para o Brasil

    Dia 16 de Setembro de 1931 foi a fundação da Frente Negra Brasileira o primeiro partido de  afro brasileiros, um importante marco histórico e político para o movimento negro. Por Márcio Barbosa Do Monica Aguiar Souza Nem sempre o protagonismo afro-brasileiro é lembrado de forma positiva ao longo da história. A nós os relatos oficiais geralmente reservam o papel de coadjuvantes nos grandes eventos, especialmente naqueles que ajudam a definir a situação sociopolítica do país. Quando não nos dão esse papel, tentam desqualificar nossa luta rotulando-a de diversas maneiras negativas. No entanto, uma consulta a livros e teses que vêm sendo produzidos ao longo dos anos dentro da própria comunidade e por estudiosos, afrodescendentes ou não, revela que o protagonismo do povo negro ao longo da história foi e é muito intenso. O pós-abolição, por exemplo, é rico em termos de criação de associações afro-brasileiras, na sua maior parte com atividade de ...

    Leia mais
    blank

    A Frente Negra Brasileira

    por Clovis Moura No bojo dessa movimentação ideológica da comunidade negra paulista, através dos seus jornais, surge a idéia da formação da Frente Negra Brasileira. Ela irá constituir-se em um movimento de caráter nacional, com repercussão internacional. Surgiu da obstinação de negros abnegados, como Francisco Lucrécio, Raul Joviano do Amaral, José Correia Leite (que, depois, dela se afastará por motivos ideológicos) e mais alguns. Fundada em 16 de setembro de 1931, sua sede social central localizava-se na rua Liberdade, na capital paulista. Sua estrutura organizacional já era bastante complexa, muito mais do que a quase inexistente dos jornais. Era dirigida por um Grande Conselho, constituído de 20 membros, selecionando-se, dentre eles, o Chefe e o Secretário. Havia, ainda, um Conselho Auxiliar, formado pelos Cabos Distritais da Capital. Criou-se, ainda, uma milícia frente-negrina, organização paramilitar. Os seus componentes usavam camisas brancas e recebiam rígido tratamento, como se fossem soldados. Segundo um ...

    Leia mais
    Ricardo Stuckert/Agência Brasil

    Abdias fala da Frente Negra Brasileira

    Minhas primeiras experiências de luta foram na Frente Negra Brasileira. Alguns dos dirigentes da FNB desde a década de vinte se esforçavam tentando articular um movimento. Houve, assim, um projeto de reunir o Congresso da Mocidade Negra, em 1928, em São Paulo, o que não chegou a se concretizar. Somente em 1938 eu e outros cinco jovens negros realizamos o I Congresso Afro-Campineiro e, em 1950, o Teatro Experimental do Negro promoveu o I Congresso do Negro Brasileiro, no Rio de Janeiro. As pessoas e as idéias já vinham de antes, mas foi nos inícios dos anos trinta que o movimento se institucionalizou na forma da Frente Negra Brasileira. Entre seus fundadores estavam Arlindo Veiga dos Santos e José Correia Leite e, como movimento de massas, foi a mais importante organização que os negros lograram após a abolição da escravatura em 1888. A Frente fazia protestos contra a discriminação racial ...

    Leia mais
    frente negra brasileira

    Hoje na História, 1931, 80 anos da Frente Negra Brasileira

    "A Frente Negra Brasileira foi fundada em 16 de setembro de 1931 e durou até 1937, tornando-se partido político em 1936. Foi a mais importante entidade de afrodescendentes na primeira metade do século, no campo sócio-político. A Frente Negra foi um movimento social que ajudou muito nas lutas pelas posições do negro aqui em São Paulo. Existiam diversas entidades negras. Todas essas entidades cuidavam da parte recreativa e social, mas a Frente veio com um programa de luta para conquistar posições para o negro em todos os setores da vida brasileira. Um dos seus departamentos, inclusive, enveredou pela questão política, porque nós chegamos à conclusão de que, para conquistar o que desejávamos, teríamos de lutar no campo político, teríamos de ter um partido que verdadeiramente nos representasse. A consciência que existia na época eu acho que era muito mais forte que a que existe agora. Quando o negro sente uma ...

    Leia mais
    clarim alvorada - frente negra brasileira

    Brazilian Black Front – Frente Negra Brasileira – English version

    Frente Negra Brasileira (Brazilian Black Front) originated in the city of São Paulo, Brazil on September 16, 1931, and was the first Afro-Brazilian organization demanding full participating rights in Brazilian society. Headquartered in São Paulo, it spread around the country. Its complex structure included a Grand-Council with a President, Chief, and Secretary, supported by an auxiliary council. A Voz da Raça (The Voice of the Race), the institution's newspaper, was created on March 18, 1933. The 1920s and 1930s changed Brazil. It embraced capitalism, gradually shaking its agrarian roots. Rising nationalism, gradual industrialization and urbanization led to political transformations, including the establishment of the first black newspaper, Clarim d'Alvorada and, later, Frente Negra Brasileira. Afro-Brazilians battled the consequences of slavery, abolished in 1888. Lack of economic opportunity, education, and civil rights barred their full participation in society. Getúlio Vargas, President from 1930 to 1945, came to power through a military ...

    Leia mais
    clovis moura

    A frente Negra Brasileira

    por Clovis Moura No bojo dessa movimentação ideológica da comunidade negra paulista, através dos seus jornais, surge a idéia da formação da Frente Negra Brasileira. Ela irá constituir-se em um movimento de caráter nacional, com repercussão internacional. Surgiu da obstinação de negros abnegados, como Francisco Lucrécio, Raul Joviano do Amaral, José Correia Leite (que, depois, dela se afastará por motivos ideológicos) e mais alguns. Fundada em 16 de setembro de 1931, sua sede social central localizava-se na rua Liberdade, na capital paulista. Sua estrutura organizacional já era bastante complexa, muito mais do que a quase inexistente dos jornais. Era dirigida por um Grande Conselho, constituído de 20 membros, selecionando-se, dentre eles, o Chefe e o Secretário. Havia, ainda, um Conselho Auxiliar, formado pelos Cabos Distritais da Capital. Criou-se, ainda, uma milícia frente-negrina, organização paramilitar. Os seus componentes usavam camisas brancas e recebiam rígido tratamento, como se fossem soldados. Segundo um ...

    Leia mais
    frente negra brasileira monarquia

    “Morte à Ré…Pública” – Frente Negra Brasileira: Monarquismo Paulista no Século XX

    Monarquismo paulista? – Introdução A partir de 1902, associações de negros eram fundadas nas principais cidades do Brasil. Em sua maioria, se não todas, tinham cunho exclusivamente beneficente sem nem ao menos tratar sobre política e/ou "questões de raça". Esse cenário viria a mudar a partir da década de 1930; Laiana Lanes de Oliveira é categórica nesse ponto. Para ela, a Revolução de 1930 seria o grande incentivo para que os negros, já mobilizados, pudessem alçar posições na política. Os resultados revolucionários não ficariam apenas no deslocamento presidencial do eixo São Paulo - Minas Gerais. A Frente Negra Brasileira, nascida na capital paulista de 1931, foi um diferencial para os negros brasileiros. Além de ser uma associação recreativa e beneficente, tinha boa parte de suas atividades focadas na esfera política, transformando-se, em 1936, em partido político.  O presente artigo tem como objetivo um dos discursos políticos da FNB: o monarquista. Cenário político brasileiro e paulista  A Frente Negra ...

    Leia mais
    movi

    História recente dez anos dos movimentos negros

    Hamilton Cardoso Há uma década, apenas, em 1978 os movimentos negros travaram, principalmente na cidade de São Paulo, o seguinte debate: o que fazer, no dia 13 de Maio, data da abolição da escravatura? Hoje o debate pertence a toda sociedade. A Globo, por exemplo, diz Axé. Na época, duas tendências da esquerda digladiavam-se, ao mesmo tempo que se contrapunham ao setor mais tradicional, favorável a comemorações da abolição. Uma delas queria uma postura passiva: "não devemos fazer nada, no dia 13", diziam. "Não devemos, sequer trabalhar". A outra queria uma denúncia ativa, com ampla participação, sob forma de protesto, de todas atividades comemorativas. Os ativistas partiam de algumas premissas: uma delas era o reconhecimento de que, independente da reflexão ou do caráter da abolição decretada no Brasil, a maior parte da população negra sempre comemorou no candomblé e na umbanda, nas congadas e escolas de samba e outras entidades ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist