quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Tag: Modernidade

Jamais fomos modernos

13 de maio. Data tida como histórica da Abolição da escravatura. Abolição de quem? Por Tulio Custódio Do Huff post Brasil Sabemos o legado que @s [email protected] ainda carregam. Sabemos as desigualdades que ainda perpetuam quando separamos em números (e histórias) o Brasil dos brancos e o Brasil dos negros. Lacuna abissais que transformam o Brasil (país do futuro) em duas realidades completamente diferentes. Sabemos que a representação [email protected] [email protected] seja em locais de poder, seja nas mídias, ou simplesmente na ficção e nas estórias, ainda é menor, pejorativa, abaixo da linha da dignidade e do respeito. Sabemos que a luta contra o racismo anti-negro - racismo que "é o arame farpado que dilacera a carne da digna do negro brasileiro" como dizia Abdias do Nascimento - ainda é uma luta em processo que encontra mais revéses e obstáculos, do que aceitação e empatia. Sabemos (e sentimos) que o racismo - ...

Leia mais

O pensamento conservador

A palavra conservador indica um substantivo e um adjetivo. No primeiro caso, conservador, e a derivação conservadorismo, implicam um conceito, um conteúdo; no segundo, corresponde à qualificação de atitudes práticas e ideias. Do ponto de vista do uso comum, conservadorismo está ligado à pretensão de manter intacta, de conservar, portanto, de rejeitar o novo e o apelo à mudança, visto como riscos à ordem instituída. A Ciência Política segue procedimento semelhante identificando o conservadorismo às ideias e atitudes que visam a manutenção do sistema político, contrapondo-se às forças inovadoras. Por Antonio Ozaí da Silva Do Blog Do Ozaí O emprego costumeiro do termo conservadorismo tem uma carga emotiva forte, pois abrange aspectos amplos da sociedade e diz respeito a uma postura individual em interação com outros indivíduos e em instituições. Assim, o indivíduo “X” pode ser rotulado de conservador por seus gostos e opiniões que indicam um apego à tradição e resistência ...

Leia mais
Foto: Marco Destefanis/Pacific Press/LightRocket via Getty Images

Zygmunt Bauman: ‘Há uma crise de atenção’

Para pensador polonês Zygmunt Bauman, internet dificulta a lida diária com a realidade POR BRUNO ALFANO*, do O Globo Foto: Marco Destefanis/Pacific Press/LightRocket via Getty Images Uma busca no Google com os termos “O que é modernidade líquida?” rende 187 mil resultados em 0,34 segundo. São, todos eles, “fragmentos de conhecimento”, na visão do sociólogo polonês Zygmunt Bauman, que discursou neste sábado para um auditório lotado na Escola Sesc de Ensino Médio durante o encontro internacional Educação 360, realizado pelos jornais O GLOBO e “Extra” em parceria com a prefeitura do Rio e o Sesc, com apoio da TV Globo e do Canal Futura. O filósofo defende que “não vamos nos livrar da realidade” e que “o problema é como utilizar”. — A educação é vítima da modernidade líquida, que é um conceito meu. O pensamento está sendo influenciado pela tecnologia. Há uma crise de atenção, ...

Leia mais
Congresso luso-afrobrasileiro traz escritor Mia Couto a Salvador

“Mia Couto: “À porta da modernidade, há sete sapatos sujos que necessitamos descalçar”

Começo pela confissão de um sentimento conflituoso: é um prazer e uma honra ter recebido este convite e estar aqui convosco. Mas, ao mesmo tempo, não sei lidar com este nome pomposo: “oração de sapiência”. De propósito, escolhi um tema sobre o qual tenho apenas algumas, mal contidas, ignorâncias. Todos os dias somos confrontados com o apelo exaltante de combater a pobreza. E todos nós, de modo generoso e patriótico, queremos participar nessa batalha. Existem, no entanto, várias formas de pobreza. E há, entre todas, uma que escapa às estatísticas e aos indicadores numéricos: é a penúria da nossa reflexão sobre nós mesmos. Falo da dificuldade de nós pensarmos como sujeitos históricos, como lugar de partida e como destino de um sonho. Falarei aqui na minha qualidade de escritor tendo escolhido um terreno que é a nossa interioridade, um território em que somos todos amadores. Neste domínio ninguém tem licenciatura, ...

Leia mais
cultura moderna

A cultura moderna nasceu em África há 44 mil anos?

Por Ana Gerschenfeld A nossa visão das origens da modernidade intelectual e tecnológica humana tem ultimamente sido abalada por várias descobertas. Primeiro, foi a confirmação de que algumas das pinturas feitas pelo Homo sapiens na Gruta Chauvet, em França, tinham 30 mil anos - isto é, eram muito mais antigas do que toda a arte pré-histórica conhecida. Depois - e ainda mais inesperada - veio a notícia de que pinturas encontradas em várias grutas de Espanha, algumas delas com 40 mil anos, terão sido feitas por neandertais. Enquanto a primeira descoberta fazia recuar em 10 a 15 mil anos a emergência da modernidade cultural da nossa espécie, a segunda retirava-nos pioneirismo em matéria cultural. Agora, uma série de novos resultados, revelados hoje em dois artigos na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, poderão mesmo pôr em causa o facto de a modernidade humana ter nascido exclusivamente na Europa. ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist