Tag: Racismo no Judiciário

    blank

    O papel do Estado na marginalização da população negra

    A ordem jurídica é construída de forma escalonada com normas de diferentes camadas ou níveis cuja unidade é produto da conexão causal de dependência entre umas e outras e entre elas e uma norma fundamental. Por Guilherme Roberto Guerra, Do ConJur (Foto: Agência Brasil) A Constituição Federal é a norma fundamental no ordenamento jurídico brasileiro que representa, em sentido material, o escalão mais elevado do direito positivo, o qual regula a produção das normas gerais que, por sua vez, estabelecem a regulamentação jurídica da conduta de uma pessoa ou da coletividade no sentido de proteger o interesse da comunidade na manutenção de um determinado sistema econômico. Acerca do sistema que se pretende construir na República Federativa do Brasil, a Constituição Federal estabeleceu como objetivo fundamental a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, bem como determinou a necessidade de erradicar a pobreza e a marginalização, ...

    Leia mais
    blank

    Escritório de advocacia no Rio de Janeiro luta contra o racismo no meio jurídico

    Angela Borges Kimbangu é advogada e tem mais de 20 anos de atuação na área de infância e juventude. Há mais de seis meses ela decidiu se unir a outras quatro mulheres advogadas pretas para criar um escritório de advocacia no Rio de Janeiro, o Borges & Mariano Advogadas Associadas. A motivação para a decisão se deu após perceber como as mulheres pretas são tratadas no ambiente jurídico. Por  Wellington Andrade, Do Noticia Preta Da esquerda para a direita, Andréa Nascimento, Carmen Lúcia, Giovana Mariano, Ângela Borges e Maria Aparecida. (Foto: Imagem retirada do site Noticia Preta) “A gente ainda encontra algumas dificuldades junto ao judiciário, que ainda não está acostumado a ver mulheres pretas na área do Direito, que é tão elitista ainda”, destaca Angela. Ela também reforça que desde que fez a opção pelo Direito percebe o olhar preconceituoso da sociedade em relação a ...

    Leia mais
    blank

    Violência e vácuo na legislação: ‘O Judiciário ainda é hesitante em condenar o racismo’

    "Precisamos entender que o racismo não acontece apenas quando chamamos alguém de macaco." por Ana Beatriz Rosa no HuffPost A defesa da igualdade racial e da valorização da negritude, para alguns, podem ser consideradas como tensões já resolvidas no Brasil. Porém, somente neste ano, pelo menos duas histórias que ganharam repercussão nos mostram que a Justiça e a sociedade ainda hesitam em condenar o racismo. Em abril deste ano, Dandara Castro foi a uma festa de formatura vestindo um turbante. Em determinado momento do evento, um grupo de rapazes se aproximou da moça e começou a puxar o adereço de sua cabeça. Ela pediu que eles parassem e a resposta foi um banho de cerveja. Em outubro, Diogo Cintra decidiu caminhar a noite pela cidade. Foi roubado e, com medo da situação, correu para pedir ajuda. Porém, aqueles que deveriam lhe prestar socorro o relegaram aos chutes e socos. Em ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist