terça-feira, julho 5, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaAfro-latinos e CaribenhosTERREMOTO HAITI:Carta aberta a Seppir - Moção de repúdio ao Consul do...

TERREMOTO HAITI:Carta aberta a Seppir – Moção de repúdio ao Consul do Haiti, Gerge Samuel Antoine

 

A SEPPIR – Secretaria Especial  de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Exmo Ministro Interino da Seppir Sr. Eloi Ferreira de Araujo

As entidades, movimentos sociais e sociedade civil vem através desta explanar o seu repúdio ao Cônsul do Haiti, Gerge Samuel Antoine, que  demonstrou todo o seu preconceito, racismo e intolerância religiosa, ao dizer abertamente que “A desgraça de lá está sendo uma boa pra gente aqui, fica conhecido. Acho que de, tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo… O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano lá tá f…”, em um canal de televisão, SBT, ao ser entrevistado por um jornalista daquela emissora sobre a questão do terremoto, que destruiu o Haiti.

Claramente, ele mostra a sua falta de respeito com o povo haitiano, sem em nenhum momento falar sobre como solucionar o problema pelo qual aflige o país e nem demonstrar compaixão ou solidariedade ao povo do Haiti.

Não podemos aceitar que controlem nossas mentes, não podemos aceitar falta de respeito as nossas tradições, as nossas crenças, ainda mais sendo um estado laico onde todas as religiões devem ser respeitadas.

Na nossa visão, o racismo e a intolerância religiosa estão  viciados, estamos cansados de ser desreipeitados e ainda não vimos nenhuma ação de nenhum orgão federal pedindo a retratação do mesmo.

Por essa razão, nós, militantes, ativistas, sociedade civil de várias organizações e movimentos pedimos a Seppir, orgão federal responsável pela implantação de políticas públicas para a igualdade racial,nos dirigimos a Vossa Excelência para pedir que determine a Presidência da República, Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada do Haiti  que exonere o Cônsul Gerge Samuel Antoine de suas liberações e que ele se retrate de sua ofensa, ao povo do Haiti, que passa por momentos terriveis e ao povo afrodescentes das Américas,pois não podemos mais admitir tanta intolerância e racismo visto que o Brasil é o segundo país do mundo com a maior população  de descendentes de africanos e quando ele diz uma arbritariedade  dessas, está ofendendo a todos os negros  e seus descendentes,  na sua dimensão social, cultural, e ancestral, pois fere a  garantia dos direitos fundamentais das mulherese dos homens negros desse país e do
mundo.
.
Marcelo Satruns
Fórum Nacional de Entidades Negras

Artigos Relacionados
-+=