Uneb oferece vagas para mestrado na área de Educação de Jovens e Adultos; veja detalhes

Enviado por / FonteDo G1

São 120 vagas para o ano letivo de 2022, voltadas para aluno especial do curso de mestrado. Interessados devem se inscrever até dia 11 de janeiro, através do preenchimento de formulário eletrônico.

A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) abre na terça-feira (14), as inscrições para alunos especiais interessados em cursar mestrado na área de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Ao todo são 120 vagas para o semestre letivo 2022, no Campus I, em Salvador. Os interessados terão até 11 de janeiro para preencher formulário de inscrição, disponível no site institucional. A documentação solicitada pelo edital deve estar digitalizada e anexada em formato PDF.

A seleção reservará, por meio do sistema de cotas, vagas para candidatos negros, indígenas, quilombolas, ciganos; com deficiência, transtorno do espectro autista ou altas habilidades; transexuais, travestis ou transgêneros que atendam aos requisitos previstos no edital.

Sobre a seleção

Nas etapas da seleção haverá análise dos documentos anexados e do currículo lattes, devidamente atualizado no ato de inscrição, além de entrevista.

O resultado final da seleção será divulgado no dia 7 de fevereiro de 2022, no site do Programa. Os candidatos aprovados deverão realizar matrícula no dia 11 de fevereiro, por meio das orientações publicadas na página do programa, em data a ser divulgada.

Detalhes do curso

O Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos (MPEJA) visa a produção de conhecimentos, a atualização permanente dos avanços da ciência e das tecnologias, a formação e o aperfeiçoamento de profissionais na área da educação de jovens e adultos, atendendo às demandas sociais e profissionais.

Ao todo são seis disciplinas: Gestão educacional em EJA; A formação do professor pesquisador; Desenvolvimento cognitivo e aquisição da leitura e da escrita na EJA; Pesquisa aplicada, desenvolvimento e inovação; Fundamentos antropológicos e relações raciais na educação; e EJA e a educação especial na perspectiva inclusiva.

+ sobre o tema

Grupo da FE discute relações étnico-raciais na educação

Na escola, nosso primeiro ambiente de convivência pública, construímos...

Enem: Mais de 4 mil participantes tinham acima de 60 anos

Entre os 3,3 milhões de estudantes que fizeram...

Piso salarial do magistério é constitucional, diz o STF

  O Supremo Tribunal Federal (STF) considera constitucional...

para lembrar

Os prós e os contras

Fonte: Jornal Correio Braziliense - Coluna Opinião Há anos vimos...

Vice da Fifa sugere sistema de cotas para combater racismo no futebol inglês

Jeffrey Webb, vice-presidente da Fifa, declarou em entrevista coletiva...

Deputado retira de pauta na Câmara artigo sobre cota racial para TV

Deputado retira de pauta na Câmara artigo sobre cota...

Lei de Cotas​ – a desinformação e o paralelo histórico

Em 3 de julho de 1968​,​ o ditador Costa...
spot_imgspot_img

Folha ignora evidências favoráveis às cotas raciais

Na quinta-feira (7), pela oitava vez, esta Folha publicou um editorial ("Cotas sociais, não raciais") explicitando sua posição ideológica sobre as cotas raciais, negando os evidentes resultados...

Reitor da USP repudia ataques a cotas; veja entrevista

Os comitês que decidem quais alunos podem entrar nas universidades por meio das cotas raciais passaram por uma série de polêmicas nos últimos dias...

Não entraria em avião pilotado por cotista?

"Responda com sinceridade, leitor. Você entraria confortavelmente num avião conduzido por alguém que, pelo fato de pertencer à minoria desfavorecida, recebeu um empurrãozinho na...
-+=