30 anos de Geledés: Três décadas de resistência e luta pelos direitos das mulheres negras

Enviado por / FonteDo Criola

Artigo produzido por Redação de Geledés

Nossos passos vem de longe e nas pegadas de nossas ancestrais seguimos lutando pelos direitos das mulheres negras e avançado na luta pelo empoderamento delas

O Geledés- Instituto de Mulheres Negras, nesses trinta anos de existência, vem reafirmado os direitos das mulheres negras e da população negra como fundamental para o enfrentamento do raciamo patriarcal e para a transformação do mundo em um lugar melhor.

Criola parabeniza o Geledés por essa trajetória e se solidariza com todas as companheiras da instituição, no sentido de fortalecer mutuamente a luta pelos direitos das mulheres negras.

Que venham mais 30 e que as mulheres negras possam desfrutar de todos os direitos e continuar contribuindo para a a construção de um mundo sem racismo, sem machismo, sem sexismo e sem desigualdades.

+ sobre o tema

“Uma OAB antirracista é a que assegura a participação de 30% a advogados negros e advogadas negras”

André Costa, advogado e consultor especializado em direitos políticos e...

O Encontro das Águas

  Quem já teve a oportunidade de assistir, seja presencialmente...

A comissão em prol da vida

Ex-ministros de vários governos e ativistas de direitos humanos...

para lembrar

Vítima de intolerância religiosa, Hekler quer abrir terreiro de candomblé

Hekler Patrícia dos Santos, de 45 anos, tem um...

“O Rio está farto de GLOs, ocupações e intervenções militares”, diz ex-secretário de Segurança Nacional

Luiz Eduardo Soares, ex-Secretário Nacional de Segurança Pública na...

“Ser líder negra é ser infinita, como toda grande força”, diz Neon Cunha

Geledés no Debate inicia 2019 entrevistando Neon Cunha, ativista,...

Casa de acolhimento tenta sobreviver na pandemia

Em 38 anos, mais de 100 pessoas, entre elas egressos do sistema penal e crianças com mães nas prisões, já passaram pela casa de...

“Eu condeno a violência que há contra as mulheres, sejam as africanas ou não”, diz Oumou Sangaré

Oumou Sangaré é uma das maiores vozes africanas na luta contra o sexismo e o racismo. Originária da região Wassoulou, no Mali, Oumou canta...

#GeledésnoDebate: “O racismo é preponderante para a perpetuação do feminicídio”

O Portal do Geledés inicia a partir deste domingo (10), a coluna GELEDÉS NO DEBATE em que um/ uma convidado (a) discute as principais...
-+=