A escola não é lugar pra neguinho!

por Arísia Barros

Sentado a porta da loja do comércio da grande Maceió, o menino conta moedas que recolhe estendendo as mãozinhas e espichando um olhar longo e triste, que causa um rebuliço de sentimentos contraditórios, na emoção dos que passam rápidos, na velocidade da emergência diária.

Alguns olhares, mesmo que apressados agridem o menino, como a repudiar sua existência.

Os dentes do pequeno são como teclado de piano desafinado. Há muito perderam a função da mastigação, pois corroídos pela falta de higiene, traduzem a miséria absoluta.

É um menino bonito, entre 07 e 09 anos e apesar da ausência dos dentes tem um sorriso largo, iluminado que se reflete no brilho do olho esverdeado.

O menino tem a pele preta e traz no verde dos olhos o produto da tal miscigenação entre raças, a riqueza tão decantada neste país, mas que não contribui em nada para tirar o menino da exposição da pobreza.

Para o país miscigenado esse menino que pede moedas, sentado na porta da loja, continua a ser preto e a ele está destinado-socialmente- as muitas calçadas invisíveis da vida ou as esquinas obscuras de políticas públicas.

A infância do menino é carregada de estigmas. Memória coletiva da história cativa.

O vendedor da loja observando a contação das moedas pergunta: Você está na escola?

A criança um tanto envergonhada balança a cabeça em negativa.

E o vendedor: Oxê, menino porque você não está na escola?

A criança de sexo masculino e de pele preta olha no olho do vendedor e explode: A escola não é lugar pra neguinho!

Desce as cortinas.

O racismo nas terras de Cabral fala em diferentes línguas, sem arredar pé de invadir novos espaços, alcançar novos mundos, principalmente os da infância.

Ato II: Como reinventar a democracia no Brasil com o olhar da liberdade social, além da cor da pele?

Fonte: Raízes da África

+ sobre o tema

Detenção de Mano Brown exemplifica a mensagem de Cores e Valores

Pedro Paulo Soares Pereira, 44 anos, também conhecido como...

A inteligência de cada um

Estudos mostram que a genética é crucial. Outros fatores...

Últimas tropas de combate dos EUA deixam o Iraque

Segundo redes americanas, tropas deixam o país em direção...

O transporte de tração animal no Central Park e no Sul de Minas

Sou aficionada por revistas e livros sobre animais de...

para lembrar

Justiça cassa 13 vereadores em São Paulo; advogado diz que lei não proíbe doações

Fonte:UOL - A Justiça Eleitoral de São Paulo cassou...

Machismo e racismo dentro e fora do BBB

por Karen Polaz de Blogueiras Feministas Não sou fã...

‘Demos mole’, diz fundador do PV sobre Rede de Marina Silva

  Alfredo Sirkis lamenta rejeição à criação do...

Maioria acha que Obama não mereceu Nobel

Fonte: Blog Sérgio Dávila - Pesquisa Gallup divulgada hoje confirma...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=