Agência de modelos gera polêmica ao publicar anúncio para cliente: ‘pele branca’.

Internautas revoltados tomaram conta da página, no Facebook. Veja como tudo aconteceu.

Por Gênica Alexandre Do Blastingnews

A LB Agência está passando por uma saia justa nas redes sociais. Tudo começou quando um anúncio foi publicado. Na divulgação em busca de modelos pluz size, que a empresa afirma ser para um cliente, a exigência era clara, as candidatas precisavam ter a “pele branca”. O assunto logo correu pela rede e muitas pessoas saíram contra a declaração e outros se manifestaram a favor, com o argumento de que a agência é livre para contratar quem desejar.

O post que gerou a polêmica foi apagado pela empresa, assim que o manifesto começou a ganhar força. Em seguida, publicaram uma nota pedindo desculpa pelo ocorrido: “Nunca foi essa nossa intenção”. O responsáveis ainda destacaram que “[…] Os perfis postados sempre foram de exigência das marcas contratantes e não uma escolha dos profissionais da agência[…].

Mesmo tentando remediar o fato, muitos internautas não se deram por satisfeitos. Uma mulher chegou a dizer: “Vcs não possuem um departamento jurídico não? Atirou no pé hein, crime caracterizado”. A indignação tomou conta da “fanpage” da LB Agência, porém, nem todos consideraram o ato discriminatório, um usuário destacou o seguinte: “Vocês e suas representadas contratam quem bem quiserem, a empresa é de vocês”.

Em virtude dessa movimentação, outros posts também chegaram a ser analisados pelos internautas que não curtiram muito a forma como os anúncios foram disseminados. Uma das participantes descreveu: “Corpo fitness”, “corpo saudável” , “panicat”, “bonita/linda de rosto”. E depois vem pedir desculpa muito mal dadas. Me poupe”. Uma delas destacou a falta de comunicação eficaz da empresa, frente às redes sociais e sugeriu: “…Contratem um PROFISSIONAL para dar um jeito nisso aí”.

O que diz a lei

Um texto publicado no site do Conselho Nacional de Justiça, em 2015, destaca as diferenças entre a injúria racial e o racismo, com base no Art. 7º, do Código Penal. De acordo com o material, “o crime de racismo atinge uma coletividade indeterminada de indivíduos, discriminando toda a integralidade de uma raça”. Ainda que no ‘mundo da moda’ essa prática seja comum, segundo o texto da lei é vedada a “proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil.

 

+ sobre o tema

Cotas e PEC dos escravos são defendidas durante homenagem aos 124 anos da abolição

Para senadores, libertação ainda "não está completa" A...

Fotogaleria Simpsons celebram 25 anos com direito a arte contra racismo

Celebram-se esta quarta-feira os 25 anos da série ‘The...

Para adiar o fim do mundo

Uma (ou várias histórias), um novo velho amor, um...

Sobre ser a Maior Poesia

Nossa maior poesia é saber onde nossas raízes estão...

para lembrar

PM, a juventude negra quer respirar

Inspirados pelo movimento que irrompeu nos EUA contra a...

Diretor da Medicina da USP pede investigação sobre racismo em competição

O diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de...

A certeza da impunidade: Árbitro não registra em súmula racismo contra Aranha no RS

O goleiro Aranha foi vítima de xingamentos racistas durante...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=