Alberto Guerreiro Ramos

Alberto Guerreiro Ramos (Santo Amaro da Purificação, Bahia, 13 de setembro de 1915 – Los Angeles (EUA), 1982) foi uma figura de grande relevo da ciência social no Brasil. Em 1956, Pitirim A. Sorokin, analisando a situação da sociologia na segunda metade do século, inclui Guerreiro Ramos entre os autores eminentes que contribuíram para o progresso da disciplina. Foi deputado federal pelo Rio de Janeiro e membro da delegação do Brasil junto à ONU. É autor de dez livros e de numerosos artigos, muitos dos quais têm sido disseminados em inglês, francês, espanhol e japonês.

Trajetória Intelectual

Em 1942 diplomou-se em ciências pela Faculdade Nacional de Filosofia do Rio de Janeiro, no então Distrito Federal, bacharelando-se um ano depois pela Faculdade de Direito da mesma cidade. Alberto Guerreiro Ramos foi Professor Visitante da Universidade Federal de Santa Catarina, professor da Escola Brasileira de Administração Pública da FGV e dos cursos de sociologia e problemas econômicos e sociais do Brasil promovidos pelo Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP), e no (EBAP), no Rio de Janeiro, em 1957, onde influenciou diretamente Rui Mauro Marini em sua formação intelectual.

Guerreiro Ramos pronunciou conferências em Pequim, Belgrado e na Academia de Ciências da União Soviética. Em 1955, foi conferencista visitante da Universidade de Paris. Nos anos de 1972 e 1973 foi “visiting fellow” da Yale University e professor visitante da Wesleyan University.

Guerreiro Ramos deixou o país em 1966, radicando-se nos Estados Unidos, onde passou a lecionar na Universidade do Sul da Califórnia.

Jornalista, colaborou em O Imparcial, da Bahia, O Diário, de Belo Horizonte, e Última Hora, O Jornal e Diário de Notícias, do Rio de Janeiro.

A Universidade de Toronto publicou em 1981 a edição inglesa de sua mais recente obra A nova ciência das Organizações, uma reconceituação da riqueza das nações.

 Trajetória política

Durante o segundo governo presidente Getúlio Vargas o assessorou e em seguida atuou como diretor do departamento de sociologia do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB). Ingressou na política partidária em 1960, quando se filiou ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), a cujo diretório nacional pertenceu. Na eleição de outubro de 1962 candidatou-se a deputado federal pelo Estado da Guanabara, na legenda da Aliança Socialista Trabalhista’, formada pelo PTB e o Partido Socialista Brasileiro (PSB), obtendo apenas a segunda suplência. Ocupou uma cadeira na Câmara dos Deputados de agosto de 1963 a abril de 1964, quando teve seus direitos políticos cassados pelo Ato Institucional nº 1.

Guerreiro Ramos defendeu o intervencionismo econômico, o monopólio estatal do petróleo, a nacionalização da indústria farmacêutica e dos depósitos bancários. Defensor das reformas, considerou necessária a reforma constitucional. Para promover a reforma agrária defendia o pagamento das desapropriações em títulos da dívida pública. Defendeu também as reformas eleitoral (voto para os analfabetos e soldados e elegibilidade de todos os eleitores), bancária e administrativa.

Também foi Secretário do Grupo Executivo de Amparo à Pequena e Média Indústrias do BNDE, assessor da Secretaria de Educação da Bahia, técnico de administração do Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP), assim como do Departamento Nacional da Criança. Atuou também como delegado do Brasil junto à Organização das Nações Unidas.

Bibliografia

RAMOS, Alberto Guerreiro. A nova ciência das organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989
RAMOS, Alberto Guerreiro. Administração e Contexto Brasileiro – Esboço de uma Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1983
RAMOS, Alberto Guerreiro. Sociologia e a Teoria das Organizações – Um Estudo Supra Partidário. Santos: Editora Leopoldianum, 1983
RAMOS, Alberto Guerreiro. Administração e Estratégia do Desenvolvimento – Elementos de uma Sociologia Especial da Administração. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1966
RAMOS, Alberto Guerreiro. A Redução Sociológica – Introdução ao Estudo da Razão Sociológica. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro Ltda, 1965
RAMOS, Alberto Guerreiro. Introdução Crítica à Sociologia Brasileira. Rio de Janeiro: Editorial Andes Ltda, 1957

Referência

Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós 1930. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001. 5v. il

Foto em destaque: Reprodução/ Irradiando 

 

 

 

 

+ sobre o tema

Luíz Gama

Luís Gonzaga Pinto da Gama (Salvador, 21 de junho...

A bronca que Machado tinha de Eça

A bronca que Machado tinha de Eça. Numa crítica e...

Abdias sempre

O centenário de nascimento foi em 2014, mas o...

Luiz Gama vira medalha do IAB

Aprovada a criação de nova premiação do IAB, denominada...

para lembrar

José do Patrocínio

José Carlos do Patrocínio (Campos dos Goytacazes, 8 de...

A nova versão da peça publicitária sobre os 150 da anos da Caixa com Machado de Assis negro

A Caixa Econômica Federal informou nesta terça-feira (11) que...

Marighella Vive

Manifesto Marighella Vive No  dia 4 de novembro se completam...
spot_imgspot_img

Brasil e EUA voltam a articular plano contra discriminação racial; veja como funciona o acordo entre os países

O Brasil e os Estados Unidos promoveram a primeira agenda entre congressistas e a sociedade civil desde a retomada do acordo de cooperação bilateral...

“Eu sou o sonho das minhas ancestrais”: Quilombo (la) em Harvard

Sou Ana Paula, mulher negra, quilombola, Doutora em História e admitida para uma bolsa pós-doutorado no W.E.B Du Bois Research Institute em Harvard University....

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=