APAN lança escola de audiovisual negro em parceria com entidade colombiana

Enviado por / FonteEnviado ao Portal Geledés

A Associação de Profissionais do Audiovisual Negro (APAN), em parceria com a Manos Visibles, entidade colombiana de audiovisual, lança a primeira escola negra de audiovisual com ações de internacionalização de suas ações e intercâmbio entre Brasil e Colombia. A FOCO, laboratório de formação e experimentação audiovisual, está com inscrições abertas para sua primeira turma e seguem até o próximo dia 12 de junho.

O modelo de formação busca fortalecer a liderança audiovisual para a equidade racial. A escola busca explorar as possibilidades de construção audiovisual que os  países encontram na etnia, descobrindo narrativas mais amplas, com bases estéticas renovadas, com capacidade de diálogo e interação com o público local e global.

A formação virtual, que possui um cronograma de 48 horas de aulas online ao vivo, e um encontro presencial de conclusão, abordará temas como Cinema Africano, processo criativo e comunicação de causa. Com aulas entre 17 de junho e 22 de julho de 2023, a capacitação também inclui atividades e leituras complementares aos conteúdos das aulas.

O comando das aulas ficará a cargo de nomes como Rodrigo Antônio, Viviane Ferreira, Janaina Oliveira, Fábio Rodrigues, Everlane Moraes, Joyce Prado, e Tatiana Costa do Brasil e Salym Fayad, Jhonny Hendrix, David Melo, Eduardo Rencurrell Daiz são os nomes da Colômbia além da participação e Expertos Colombianos.

Ao todo, a FOCO formará 30 cineastas do Brasil e da Colômbia com o objetivo de fortalecer uma massa crítica de vanguarda, que criem e posicionem novas narrativas audiovisuais de comunidades étnicas no país, América Latina e sua diáspora. Janaína de Oliveira ReFem, Vice-presidente da Apan comemora a parceria e a iniciativa. “Estamos muito felizes com o lançamento da FOCO, e com a oficialização da parceria APAN – ManosVisíbles na concepção desta escola. Trabalhar com nossos irmãos e irmãs da América Latina é um desejo antigo nosso e que esta seja a primeira de muitas ações”, celebra.

A Colômbia é o segundo país em população negra da América do Sul, atrás apenas do Brasil e, ainda segundo Janaína, encontrar novos profissionais negros é de suma importância para o fortalecimento do projeto. “Buscamos roteiristas e cineastas que queiram fortalecer sua linha conceitual para desenvolver histórias onde a linguagem audiovisual seja uma das portas de entrada para posicionar novos imaginários que permeiam o ecossistema audiovisual colombiano e brasileiro”, analisa.

Desde a sua fundação, em 2016, a Apan vem se consolidando como uma Associação de referência para o audiovisual negro brasileiro. Em 2016, a Associação criou o Lab Negras Narrativas, A Associação também criou o Apan Formações, que oferece minicursos, palestras, masterclass e demais processos formativos Já a plataforma TodesPlay é um streaming de filmes, séries e produções audiovisuais que tem como objetivo contribuir pela consolidação de um mercado mais plural.

Em 2020, a Associação criou o Festival Internacional do Audiovisual Negro. De lá para cá, a Apan lançou também o Fundo de Amparo a Profissionais do Audiovisual Negro (FAPAN), e a Carta do Audiovisual Negro às Candidaturas Antirracistas, dirigida a candidaturas em níveis legislativo e executivo nas Eleições 2022 em todo o país.

QUEM É A APAN

A APAN é um Quilombo do Audiovisual e do Cinema Negro, tem como missão consolidar a presença de pessoas negras no audiovisual, promovendo nossas narrativas, transformando a percepção da sociedade em relação à negritude, combatendo o racismo estrutural e referenciando possibilidades de construção coletiva. O pilar das ações da Associação é a valorização da negritude e a defesa dos interesses de uma perspectiva inclusiva, com atenção ao recorte racial em relação a todos os elos da cadeia produtiva audiovisual (concepção, produção, distribuição e exibição). 

Atualmente, a Apan representa mais de 950 associados, divididos entre pessoas físicas e jurídicas, pautando seus interesses perante órgãos públicos, fundações, instituições e empresas privadas, no Brasil e no Mundo.

Para se inscrever o interessado deve ter mais de 18 anos, se autodeclarar afrodescendente, demonstrar experiência no setor audiovisual ou cultural com comprovação de sua produção ou participação em projetos nos últimos 3 (três) anos; ter os recursos necessários para acompanhar as aulas (Computador, tablet o celular, conexão a internet o plano de dados); ter uma ideia de produto audiovisual para desenvolver durante o programa.Os melhores projetos audiovisuais concluídos durante a escola serão acompanhados pelos membros da APAN. Para saber mais sobre a FOCO, acesse o site da Apan e para realizar as inscrições, basta clicar aqui.

+ sobre o tema

Matrículas das universidades federais caem pela primeira vez desde 1990

George Monteiro, de 20 anos, já tinha encaminhada sua...

Foram antecipadas as datas do SiSU, ProUni e Fies 2023/1, confira

O Ministério da Educação (MEC) antecipou os calendários de...

Vestibular 2023: Unicamp tem alta de aprovados que estudaram na rede pública, e de pretos e pardos

A Unicamp registrou no Vestibular 2023 aumento na quantidade de estudantes...

para lembrar

Extermínio tolerado

Waldik Gabriel Chagas, 11 anos, tinha o olhar esperto...

Professores poderão ter acesso mais fácil a curso superior

Os professores de educação básica das redes públicas poderão...

Geledés divulga a lista de selecionades no Curso de Multimídia

Estamos felizes em anunciar o resultado dos jovens selecionades...

Projeto mapeia profissionais LGBTQIA+ que atuam na área do audiovisual em Salvador

O Projeto Película Colorida vai mapear profissionais LGBTQIA+ que...
spot_imgspot_img

Lyara Oliveira é a nova presidente da Spcine

Lyara Oliveira, doutora em Meios e Processos Audiovisuais pela Universidade de São Paulo e profissional do audiovisual há mais de 20 anos, será a...

Unicamp abre 16 cursos gratuitos online; veja como se inscrever

Quer começar o ano dando uma turbinada no currículo? A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) oferece vagas em 16 cursos gratuitos totalmente para estudantes...

O papel das mulheres negras na produção executiva audiovisual

Como você vê o papel da mulher negra no mercado audiovisual? E não falo apenas sobre a representatividade na frente das câmeras, falo também...
-+=