Aplicativo traça “mapa da homofobia” de agressões contra a comunidade LGBT

O aplicativo Espaço Livre nasceu com o objetivo de criar um “mapa da homofobia”, mostrando em um mapa digital locais que gays sofreram agressões físicas ou verbais. O app foi uma iniciativa desenvolvida em uma hackaton durante a Virada Digital, uma colaboração entre o Catraca Livre, a Microsoft e a empresa de serviços de TI Comparex, ocorrida na Virada Cultural 2016 de São Paulo.

no Catraca Livre

EspacoLivre

Espaco Livre permite mapear casos de homofobia.

Os usuários do aplicativo multiplataforma podem registrar no mapa o local da agressão e os dados ficam armazenados na plataforma de nuvem da Microsoft. Um mapa de calor é formado por esses dados, mostrando quais os lugares de maior violência contra a comunidade LGBT.

O Espaço Livre tem a preocupação de proteger a identidade dos usuários, portanto não é necessário qualquer tipo de cadastro. Basta posicionar o marcador no mapa e selecionar o tipo de agressão (física ou verbal) e a denúncia então alimenta o mapa disponível para todos os usuários.

Você pode baixar o Espaço Livre para Android e Windows Phone.

+ sobre o tema

Finalmente as desculpas de Domenico Dolce do Dolce&Gabanna aos pais gays

FOI PRECISO CINCO MESES PARA QUE DOMENICO DOLCE, DA...

América Latina mobiliza-se contra feminicídios

Começam em toda região — com força especial na...

Cecile Kyenge é a primeira mulher negra a integrar governo italiano

Entre os novos membros do governo formado este sábado...

para lembrar

Gravidez ectópica: o que é essa condição e quais mulheres correm mais risco

Uma gravidez ectópica acontece quando o óvulo fecundado se...

“É mais difícil ser respeitada no Brasil”

Aos 42 anos - 11 deles vividos na Alemanha...

Comissão debate participação feminina no mercado audiovisual brasileiro

A Comissão de Cultura promove, nesta terça-feira (4), uma...

‘Black Lives Matter’: As três mulheres negras por trás do movimento contra o racismo

Foi chorando lágrimas de indignação por conta da absolvição...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=