Ativista africana ganhadora do Nobel da Paz visita Olodum e Ilê Aiyê e faz conferência em Salvador

Redação Correio Nagô – A ativista africana Leymah Gbowee, Prêmio Nobel da Paz em 2011, desembarca na capital baiana nesta terça-feira (10) para participar do projeto Fronteiras do Pensamento, às 20h30, no Teatro Castro Alves.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi-BA), antes da conferência, a liberiana conhecerá o Centro Histórico de Salvador, onde visitará, às 15h, a sede do Olodum, entidade que trabalha no resgate e valorização da cultura afro.

Em seguida, às 16 horas, a ativista que mobilizou centenas de mulheres na luta pela paz na Líbéria, seguirá para a Senzala do Barro Preto e escola experimental do Ilê Aiyê para encontro com a comunidade local do bairro da Liberdade.

As visitas às entidades culturais afro-brasileiras foram articuladas pela Sepromi, “por entender como importante o intercâmbio da ativista com as entidades que preservam, fortalecem e valorizam a cultura afro”.

Projeto – Ganhadora do Prêmio Nobel da Paz em 2011, (ao lado da sua compatriota e atual presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaef, e da jornalista iemenita Tawakkul Karman), Leymah Gbowee realiza conferência para o público baiano dentro do projeto educativo e cultural Fronteiras do Pensamento 2013, apresentado em diversas capitais brasileiras.

Conhecida no cenário internacional como “Guerreira da Paz”, Leymah iniciou o movimento feminino contra a opressão do ditador Charles Taylor e pelos direitos das mulheres na Libéria convocando uma greve de sexo, para atrair os homens contrários à guerra – porém omissos – para as discussões de paz, e também chamar atenção da opinião pública.

Durante a Guerra Civil ela se especializou em enfermagem, trabalhando na recuperação de soldados mutilados. Após o conflito a ativista se formou em Psicologia Pós-Trauma, nos Estados Unidos, para ajudar mulheres violentadas. A edição Fronteiras do Pensamento Salvador é patrocinada pela Braskem e Governo do Estado da Bahia através do Faz Cultura. Os ingressos custam R$ 20 (inteira).

Fonte: Correio Nagô

+ sobre o tema

Atual projeto de nação não tem lugar para povos indígenas, diz indígena e doutor em antropologia

Após manifesto de funcionários da Funai por um plano de ...

Deixa a Elza Soares gingar, Feliciano

Não é todo dia que a história nos...

Anatel proíbe venda de chips da Oi, Tim e Claro

Medida foi motivada pelo crescente número de queixas dos...

Fundadora da Feira Preta vence o Troféu Grão do Empreendedor Social 2019

Empresária acelera negócios criados por empreendedores negros por meio...

para lembrar

A escravidão nos desafia

Por: Jean Wyllys   Embora abolida oficialmente, a escravidão...
spot_imgspot_img

Governo define nova data para o ‘Enem dos concursos’; CNU será em 18 de agosto

O Ministério da Gestão divulgou, nesta quinta-feira (23), a nova data para o Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), que ficou conhecido como "Enem dos concursos"....

Anemia falciforme: 1º paciente no mundo inicia terapia genética contra a doença

Na quarta-feira, Kendric Cromer, um menino de 12 anos de um subúrbio de Washington, tornou-se a primeira pessoa no mundo com doença falciforme a...

‘Geração ansiosa’: transtornos mentais em crianças que vivem grudadas no celular aumentam no mundo todo

Veja o vídeo da matéria Crianças e adolescentes do mundo todo estão em perigo. É o que diz o livro “A geração ansiosa”, do psicólogo...
-+=