Britânica revela que foi abusada pelo marido por dois anos

Charlie Tetley estuprava a esposa enquanto ela dormia e guardava vídeos dos abusos em seu laptop

Do Terra

Uma britânica de 26 anos, vítima de abusos sexuais cometidos pelo marido ao longo de dois anos, resolveu quebrar o silêncio e contar a sua história. As informações são do Daily Mail.

Sarah Tetley, de Melton Mowbray, situado no condado inglês de Leicestershire, conheceu o marido, Charlie, que hoje está atrás das grades, quando tinha 18 anos e, em 2009, teve uma filha com ele.

Com o passar do tempo, Charlie começou a ficar controlador, segundo ela, a ponto de determinar como Sarah deveria se comportar e lidar com a filha do casal.

Sarah relata que ele passou a proibir a esposa de usar o seu computador e a se fechar no quarto. Sarah chegou a pensar que o marido estava tendo um caso extra-conjugal. No entanto, Charlie passou a estuprá-la todas as noites, enquanto ela dormia, e filmava os abusos.

Ela denunciou as agressões à polícia, que confiscou o laptop, o Xbox e o gravador do agressor. Durante as investigações, Sarah descobriu vários HD’s externos escondidos em um móvel do quatro do casal e também os entregou aos agentes. Após analisar os equipamentos, a polícia descobriu imagens pornográficas, além de 300 vídeos que mostravam Charlie estuprando a esposa. Sarah parecia estar inconsciente em todas as gravações.

O que mais chocou a britânica foi o fato de ela não saber que os abusos estavam acontecendo. Ela contou a uma emissora de TV que às vezes acordava com o braço adormecido, mas não havia nada que a fizesse suspeitar de que estava sendo violentada pelo marido.

Desde que Charlie foi condenado, em março de 2014, a 12 anos de prisão, Sarah enfrentou uma depressão e crises de pânico, mas hoje tenta levar uma vida normal.

+ sobre o tema

Marcha Mundial de Mulheres: Não à MP 557/2011! Em defesa da vida das mulheres!

Entidades feministas repudiam MP do Nascituro A Marcha Mundial de...

Vamos debater questões de gênero?

Em Araguaína (TO) um vereador marcou "uma conversa" sobre...

Projeto de hip-hop aborda violência contra mulher indígena

 Com a proposta de estimular discussão sobre temáticas socioculturais...

para lembrar

Choque de antirracismo

Mário Covas (1930-2001) disse que o Brasil precisava de um...

Sonhos negados: violência faz mulheres negras desistirem da maternidade

"Sempre foi meu sonho ser mãe. Falava que queria...

Pela primeira vez na história, “Malhação” terá protagonista negra

Pela primeira vez na história, “Malhação” terá protagonista negra. A...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=