Camaçari: Acusadas de roubo mulheres negras acusam loja de racismo

 

Presidente da Comissão de Promoção da Igualdade Racial da Câmara de Camaçari, o vereador Marcelino (PT) anunciou que convocará um representante da loja Le Biscuit e duas mulheres, que acusam o estabelecimento de ter praticado racismo contra elas, na tarde do último sábado (6). Uma funcionária acusou as irmãs Áurea e Dulce Santos de roubo.

Testemunhas relataram que as irmãs foram obrigadas a abrir suas bolsas. As duas foram até a porta central da unidade, retiraram todos os objetos que estavam guardados e foi constatado por todos os presentes que não havia ocorrido roubo. “Isso é preconceito, só porque somos negras!

Quando nós seremos respeitadas neste país?”, reclamou Dulce. Em alguns minutos, dezenas de pessoas se aglomeraram em frente à loja e começaram a gritar: “É preconceito, é preconceito!”. “Essa é mais uma demonstração que o racismo ainda é forte na nossa sociedade.

O fato propõe uma reflexão sobre a questão, para que as pessoas entendam que essa realidade deve ser mudada. Como presidente da comissão, vou convocar Dulce e Áurea e o representante da loja para serem ouvidos”, anunciou o vereador.

 

Fonte: Bahia Notícia

+ sobre o tema

A segurança na fronteira vem de uma política externa ética

Em vez de construir campos de internação, os EUA...

Segurança alega que empresário o discriminava e o chamava de “macaco”

O segurança bancário Alexsandro Abilio de Farias disse nesta...

Redes sociais revelam orgulho e preconceito em relação ao Nordeste

Por: Camila Campanerut   Trocas de mensagens pela...

Inglês não poderá frequentar estádios durante 3 anos por racismo

Um torcedor inglês foi condenado nesta quarta-feira a...

para lembrar

Esconde – Esconde

No Brasil 56 mil pessoas são assassinadas por ano....

Racismo climático

O que o antirracismo pode ensinar ao campo das...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=