Candidatos a professores em SP têm de apresentar exames caros

Testes médicos exigidos de 12 mil candidatos custam mais de R$ 2 mil na rede particular e SUS não pode realizá-los em tempo hábil

Os 12 mil professores que foram aprovados na primeira fase do último concurso da Secretaria de Estado da Educação foram avisados que, para a perícia médica antes da efetivação, terão de levar o resultado de 13 exames. Os testes, que incluem diagnóstico de câncer e audiometria vocal, precisam ser feitos por conta dos candidatos e não há informação sobre quais resultados impediriam a contratação.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, em laboratórios particulares, o custo para realizar os exames seria de mais de R$ 2 mil e, nas unidades de saúde, os testes não poderiam ser feitos antes do início do próximo ano letivo, quando os 10 mil aprovados devem assumir os cargos. O sindicato da categoria (Apeoesp) vai tentar derrubar a exigência judicialmente. Para os representantes dos professores é inconstitucional exigir que haja gasto em um processo seletivo.

“Não vou pagar exame, prefiro abrir mão da vaga”, comentou o professor de Geografia, Paulo Neves, que foi aprovado na primeira fase e agora faz o curso preparatório que antecede a segunda. “A gente nem sabe se vai ser aprovado”, diz.

Paulo já é professor efetivo da rede com jornada de 12 horas semanais e poderia acumular outro cargo até o máximo de 40 horas. “Fiz esse concurso porque o meu salário no Estado é de R$ 580, não dá para comprar livro e se atualizar. Já durante o curso preparatório estão pagando uma bolsa de R$ 1.380, um dinheiro que eu não pretendo gastar com exames médicos”, afirmou.

O governador Alberto Goldman disse que considera o pedido de exames inadequado, mas que não pode mudar as regras agora, no meio do processo.

 

Fonte: Ig

+ sobre o tema

Projeto de escolas cívico-militares é aprovado na Alesp após estudantes serem agredidos por policiais

O projeto de lei que prevê a implementação das escolas...

Educação domiciliar e seus impactos para a convivência democrática

A educação domiciliar, também conhecida internacionalmente como homeschooling, tem...

Candidatos do Rio Grande do Sul terão isenção no Enem

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou que todos...

Liberdade para Ensinar e Aprender: Pesquisa Nacional Analisa Violências Sofridas por Educadores/as no Brasil

O Observatório Nacional da Violência contra Educadoras/es (ONVE), sediado...

para lembrar

Por uma formação integral

As instituições de ensino superior não devem servir apenas...

Novo Enem – adesão dos Institutos Federais – atualizado em 15/10/2009

Região Sul Fonte: Enem  Universidade Federal de Pelotas - (UFPEL): adotará...

No ABC, formação da cultura e história africana atrai público diverso ao Sindicato

Metalúrgicos do ABC e de outras regiões do Estado...

MEC divulga resultado da segunda edição do Sisu 2023

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta terça-feira (27),...
spot_imgspot_img

FGV e Fundação Itaú oferecem bolsas de mestrado em comunicação digital e cultura de dados

A FGV-ECMI (Escola de Comunicação, Mídia e Informação da Fundação Getúlio Vargas) vai oferecer 30 bolsas integrais para o mestrado em comunicação digital e...

Projeto de escolas cívico-militares é aprovado na Alesp após estudantes serem agredidos por policiais

O projeto de lei que prevê a implementação das escolas cívico-militares na rede estadual e municipal de ensino foi aprovada na noite desta terça-feira (21) na...

Educação domiciliar e seus impactos para a convivência democrática

A educação domiciliar, também conhecida internacionalmente como homeschooling, tem sido objeto de debate em diversos contextos nacionais e internacionais, mobilizando famílias, a sociedade e...
-+=